Responsável por empresa contratada pelo SINDJUD explica confusão envolvendo carro de som durante protesto do Caso Beatriz

José Maria explica o que aconteceu na manifestação (Foto: Blog Waldiney Passos)

A confusão provocada pela presença de um carro de som nas proximidades do Fórum de Petrolina ainda repercute. Isso porque familiares de Beatriz Angélica Mota consideraram falta de sensibilidade do motorista por não ter saído do local.

LEIA TAMBÉM:

SINDJUD PE emite nota sobre veículo contratado que teria atrapalhado protesto do Caso Beatriz

José Maria, proprietário da empresa contratada pelo Sindicato dos Servidores de Justiça de Pernambuco (SINDJUD PE) para prestar os serviços de alerta sobre a paralisação do Poder Judiciário no Estado participou do programa Super Manhã com Waldiney Passos.

Recibo mostra acerto com Sindicato

Ele apresentou o recibo com pelo serviço e afirmou que o trabalho estava acertado há alguns meses e o protesto do Caso Beatriz coincidiu com a paralisação dos servidores de Justiça.

“O veículo é de minha propriedade. Esse movimento do SINDJUD vem desde o dia 19 e 20 que tem essa movimentação e fomos contratados por 30 horas. Começamos na semana passada, fizemos 8h. Nessa semana fizemos 24 horas, 12 na terça-feira e 12 na quinta-feira”, disse.

O Fiat Uno utilizado para anunciar a paralisação dos servidores pertence a Vinícius Figueiredo, contratado por José Maria. O carro estava sob os cuidados de um funcionário de Vinícius, que falou com a nossa equipe.

“Nós fomos contratados para fazer esse trabalho, por coincidência na hora que teve o manifesto ele estava lá fazendo o trabalho dele. O motorista não tem culpa, era o trabalho dele”, afirmou Vinícius.

Deixe uma resposta