Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Ronaldo Silva acusa assessor especial da Prefeitura de fazer manobra na escolha das Comissões Permanentes

Ronaldo Silva acusou Tolentino de fazer manobras nas comissões (Foto: Blog Waldiney Passos)

A sessão de terça-feira (12) foi marcada por mais uma confusão na base do governo municipal, que desde o retorno das atividades legislativas na última semana tem demonstrado publicamente que falta harmonia entre os pares da situação.

Ronaldo Silva (PSDB) discursou na Tribuna Livre e expôs aos edis da oposição, imprensa e comunidade presente uma suposta “manobra” imposta na eleição das Comissões Permanentes, articulada pelo assessor especial do prefeito Miguel Coelho, Orlando Tolentino.

“Pessoas do próprio Governo que trabalharam [para criar atrito na base]. Da mesma forma que fazia comigo chegava para o vereador Elias Jardim, pro vereador Alex de Jesus e pro vereador Gaturiano Cigano dizendo que eu queria usar. Eu não brinco com o sentimento das pessoas. Aqui está o nosso assessor especial do nosso prefeito, o secretário Orlando Tolentino. Você que se diz meu amigo, que fez tudo isso e chegava essa confusão todinha [das comissões], não foi oposição nem nada, foi você que chegava e fazia isso. Isso não acontecerá mais”, afirmou Ronaldo Silva.

Ainda segundo Ronaldo Silva, a interferência de Tolentino não representa o posicionamento do prefeito Miguel Coelho. “Hoje vocês estão sabendo quem era que estava por trás de tudo isso. Tenho certeza de que o prefeito não ia aqui querer disputar Comissões, isso é prerrogativa dos vereadores da Casa Plínio Amorim. O prefeito não interferiu nas Comissões”, concluiu.

Tolentino nega acusações

Após a fala de Ronaldo Silva, Tolentino concedeu entrevista e negou qualquer interferência. “Não cabe a gente que tem cargo comissionado na Prefeitura interferir numa decisão que é da Câmara. Em nenhum momento a gente interferiu, nem comissionou nem colocou. Todos são aliados da base do prefeito Miguel”, explicou o assessor especial.

Alegando ter viajado a Brasília e São Paulo por sete dias, Tolentino disse que não houve qualquer articulação de sua parte contra Ronaldo Silva. Contudo, como assessor especial da Prefeitura, ele reconheceu que sempre há diálogo com os edis. “A gente dialoga no sentido dos projetos do Executivo, a gente trata dos assuntos, sem interferir na decisão final”, justificou.

“Engenheiro” revelou interferência (Foto: Blog Waldiney Passos)

Depois da entrevista de Tolentino, Alvorlande Cruz (PSL), o “engenheiro” fez uma revelação na sala de imprensa e confessou ter sido ele o articulador dos bastidores. Situação essa que teria rendido os embates públicos e internos da situação na escolha das Comissões.

“Eu sou governo, todos os projetos que o governo está, eu estou dentro. Se a mim foi delegado, estarei aqui para isso. O que estiver que articular, para que seja o avanço, para que o governo continue andando, eu vim para o governo para juntar. Nós discutimos que a meta era somar”, disse.

Deixe uma resposta