Secretaria Estadual de Saúde confirma dois casos de doença meningocócica em Salgueiro

(Foto: Arquivo)

No dia 20 de maio, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) foi notificada sobre quatro casos suspeitos de doença meningocócica provenientes da VII Gerência Regional de Saúde (Geres), com sede em Salgueiro, no Sertão pernambucano. Destes casos, dois foram confirmados: um homem de 19 anos e uma mulher de 18 anos, ambos residentes em Salgueiro, que deram entrada no Hospital Regional Inácio de Sá (HRIS) no final de maio.

Ao fechar a suspeita de diagnóstico para a doença, os dois pacientes foram transferidos para o Hospital Correia Picanço (HCP), em Recife, referência estadual para tratamento de pacientes com meningite (adulto e criança). Os dois foram submetidos ao exame do líquido cefalorraquidiano (LCR), que confirmou o diagnóstico de doença meningocócica. Os pacientes foram acompanhados pela equipe multiprofissional da unidade e já receberam alta hospitalar. Ainda de acordo com a SES, dos outros dois casos, um foi descartado para doença meningocócica e o outro foi positivo para meningite pneumocócica (menino, 9 anos, que segue internado em observação em unidade hospitalar do Recife).

Risco de surto da doença

A Secretaria Estadual de Saúde reforça que não há motivo para apreensão nem pânico por parte da população. Vale ressaltar, ainda, que todas as ações de vigilância já foram executadas em tempo oportuno. Além disso, todos os contatos próximos dos casos confirmados já receberam a quimioprofilaxia contra a doença. Os profissionais de saúde da região também estão sendo instruídos sobre o manejo e diagnóstico corretos de casos suspeitos, assim como estão aptos a orientar a população sobre as principais medidas de prevenção.

É importante destacar que os sete municípios que compõem a VII Geres (Belém do São Francisco, Cedro, Mirandiba, Salgueiro, Serrita, Terra Nova, Verdejante) têm registrado um forte aumento nas notificações das arboviroses. Até 1º de junho, os sete municípios da VII Geres notificaram 4.086 suspeitas de dengue (112 no mesmo período de 2018 / + 3.548%), 279 de chikungunya (61 em 2018 / + 357%) e 59 de zika (10 em 2018 / + 490%). A sintomatologia das doenças, principalmente da dengue, por vezes se confunde com outros quadros clínicos, a exemplo da própria doença meningocócica. Desde o início do ano, o Estado tem monitorado a situação das arboviroses nas localidades, dando assessoria técnica aos gestores municipais.

Deixe uma resposta