Setor de Farmácia da UPAE enfatiza o uso racional de medicamentos

Os farmacêuticos da UPAE prestam atendimento ambulatorial, onde orientam os pacientes quanto ao uso correto da medicação prescrita pelo médico/Foto:assessoria

O setor de Farmácia da Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE) é composto pela Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF), e duas unidades de dispensação, sendo uma funcionando na Emergência do Pronto Atendimento e outra farmácia satélite localizada dentro do bloco cirúrgico. Esse sistema promove uma distribuição fracionada, individualizada, identificada e otimizada, que colabora com o uso racional de medicamentos. Além disso, os farmacêuticos da UPAE prestam atendimento ambulatorial, onde orientam os pacientes quanto ao uso correto da medicação prescrita pelo médico.

“O uso racional dentro da UPAE começa com a parceria entre médicos e farmacêuticos, pois trabalhamos em conjunto. Quando o médico lança a medicação do paciente no sistema e nós recebemos na farmácia, temos por obrigação checar. Se houver alguma dúvida quanto à interação medicamentosa, por exemplo, entramos em contato com o médico para fazer uma readequação”, explica a farmacêutica Sâmara Viana.

Já no atendimento ambulatorial – que ocorre através da interconsulta seguindo um fluxograma de atendimentos não médicos dentro da UPAE – a orientação é feita diretamente ao paciente. “Quando o médico identifica que o paciente tem dúvidas, ou o próprio paciente externa essa necessidade, acontece o encaminhamento. Nesse caso, nós explicamos qual medicamento ele vai tomar, de que forma, quais são os benefícios, efeitos colaterais, e assim por diante”, esclarece.

Outra ação que colabora para o uso racional da medicação dentro da unidade de saúde é a customização feita na farmácia. “Os medicamentos chegam em suas embalagens originais e são unitarizados no setor de fracionamento. Significa que são embalados individualmente e identificados com uma etiqueta que contém todas as informações necessárias, como data de validade e número do lote. Quando recebemos a prescrição do médico separamos todo o material, que já está individualizado, colocamos em um saquinho e identificamos com a ficha do paciente. Um técnico de enfermagem pega o kit na farmácia e leva para o setor de medicação. Neste momento verifica a pulseira do paciente [identificada com o nome] para ver se confere com a ficha da medicação”, pontua Sâmara.  Cada kit é personalizado. Portanto, a chance do paciente tomar uma medicação errada é mínima e sua segurança fica garantida.

A farmacêutica orienta que “em casa o paciente deve seguir rigorosamente a prescrição médica e evitar a automedicação”.

Só o médico pode diagnosticar doenças, identificar sintomas e, a partir disto, indicar qual o melhor medicamento e a dosagem correta para cada paciente. A receita médica é a garantia de que houve uma avaliação profissional.

Com informações da Assessoria

Deixe uma resposta