Sujeira e mato se acumulam ao redor do Centro de Terapias Naturais de Juazeiro

(Fotos: Juvenal Lemos)

O Centro de Terapias Naturais Gianni Bande (CETGIB) foi fundado em 1999 pelas Freiras da Congregação Oblatas de São Luiz Gonzaga (Luisinhas) com objetivo de promover a saúde integral das pessoas através de terapias holísticas e naturais personalizadas, está em meio a sujeira e o mato que crescem ao seu redor.

Localizado no bairro Antônio Guilhermino, em Juazeiro (BA), o Centro realiza atendimento diários de segunda a sexta-feira em horário comercial. Atendimento personalizado com a bio-energia ou bio-teste, produção e comercialização de hortaliças orgânicas, ervas medicinais, alimentos integrais e suplementos alimentares. A instituição não tem fins lucrativos.

A construção do CETGIB foi possível graças ao empenho de sua fundadora, a saudosa Irmã Redenta Forno e o nome (Gianni Bande) homenageia o primo dela, cuja sua herança foi investida na construção do local.

No início, o terreno amplo e afastado das casas, tanto do bairro João Paulo II como do Antonio Guilhermino, foi ideal para o cultivo das plantas medicinais como também para servir de local de atendimento ao púbico e internação.

Com o passar do tempo, as construções irregulares, falta de calçamento e falta saneamento passou a causar transtornos. Nos fundos do Centro de Tratamentos Naturais se formou um verdadeiro pântano de esgoto e muito mato. E o que é pior, há alguns anos instalaram uma empresa de beneficiamento de materiais recicláveis ao lado do estabelecimento.

Água suja vinda da lavagem de restos de materiais como ferro e outros vem causando mal estar aos funcionários e pacientes que precisam fazer tratamento no local.

De acordo com a Irmã Teresa de Jesus, uma das diretoras do CETGIB, o mau cheiro é muito forte a ponto das pessoas passarem mal enquanto estão nas dependências do Centro de Tratamento.

“A situação nossa aqui no Centro de Tratamentos Naturais é muito complicada devido ao mau cheiro, muriçocas e outros bichos como, por exemplo, até cobra pode ter ao redor do espaço, por conta do esgoto a céu aberto e muito mato”, falou Irmã Teresa.

Ela acrescentou ainda que o problema já é de conhecimento dos proprietários da fábrica de recicláveis e que espera uma atitude dos poderes públicos do município. O blog Waldiney Passos entrou em contato com a prefeitura de Juazeiro e aguarda uma resposta sobre o assunto.

Deixe uma resposta