Migração de abelhas para zona urbana de Juazeiro é provocada por mudanças climáticas

Abelhas estão migrando para zona urbana (Foto: TV Bahia/Reprodução)

A migração das abelhas do interior a sede de Juazeiro foi destaque no Bahia Rural do último domingo (18). A matéria, veiculada a nível estadual, destacou as capturas dos enxames e também os fatores que influenciam na ida dos insetos a zona urbana.

As abelhas são do tipo africanizadas, resultado do cruzamento da africana com a europeia. Ou seja, são dos tipos defensivas e atacam para se defender. A migração para a zona urbana é reflexo das mudanças climáticas, somada à degradação ambiental da caatinga.

“Pode ser uma consequência do desmatamento, o impacto é óbvio. Nós temos o risco humano e animal. E nós podemos ter um impacto sobre as abelhas, porque em várias situações os enxames precisam sofrer intervenções”,  explica a bióloga do Centro de Conservação e Manejo de Fauna (Cemafauna Caatinga), Aline Andrade.

O Corpo de Bombeiros registrou 30 ocorrências apenas em setembro. O 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros (9º GBM) atua no suporte das remoções, que é feito pela ONG Abelha Viva e da Prefeitura de Juazeiro.

Novo enxame de abelhas assusta moradores em Petrolina

A imagem do enxame de abelhas foi exibido pelo programa Por Dentro com Cardinot, na TV Jornal de Recife, nesta quinta-feira (24). Um novo enxame de abelhas se formou numa caixa coletora de lixo em Petrolina, no Sertão de Pernambuco.

O assunto vem ganhando grande repercussão na cidade desde o incidente no último dia 14 de setembro, quando um ataque de abelhas na Avenida das Nações, no Centro da cidade, deixou uma pessoa morta e sete feridas. Ontem (23), o Blog Waldiney Passos entrevistou uma especialista sobre o assunto. Confira acessando o link abaixo.

Por que as abelhas estão “invadindo” as áreas urbanas? Uma especialista responde

Vários enxames já foram capturados este ano na região. Somente na cidade vizinha de Juazeiro, na Bahia, mais de 100 enxames foram retirados de áreas urbanas de janeiro até agora.

(Com informações do Por Dentro com Cardinot)

Por que as abelhas estão “invadindo” as áreas urbanas? Uma especialista responde

Para responder a pergunta que dar título a essa matéria o Blog Waldiney Passos foi conversar com a Engenheira Agrônoma e Professora da UNINASSAU Petrolina, Cândida Lima. Ela estudou o comportamento das abelhas durante seu Doutorado em Ciências Agrárias, na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

Segundo a Doutora Cândida, as abelhas passam por um processo chamado enxaneamento que acontece entre a primavera e o verão. Embora, essas estações não sejam tão definidas no Sertão do Nordeste, por causa do período de flora, que é a fonte de alimento das abelhas, elas fazem um processo de migração e saem de uma região para outra em busca de alimentos e utilizam vários fatores climáticos e ambientais como fonte de guia para direcionamento.

LEIA MAIS

Bombeiros e apicultores retiram um enxame de abelhas de mais uma escola de Juazeiro

(Foto: 9º GBM)

A ação aconteceu na tarde e na noite desta terça-feira (22) no Colégio Estadual Lomanto Júnior, que fica no bairro de mesmo nome, na cidade de Juazeiro, na região norte da Bahia.

Militares do 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Juazeiro e apicultores do Grupo Abelha Viva retiraram o terceiro enxame de abelhas do local. É o quarto enxame desses insetos retirados de escolas de Juazeiro em dois dias.

Segundo o grupo Abelha Vida, que trabalha no ramo há 6 anos, cerca de 110 enxames já foram retirados da área urbana do município baiano de janeiro desse ano até agora.

Bombeiros e Grupo Abelha Viva concluem retirada de abelhas de escola de Juazeiro

(Foto: Corpo de Bombeiros de Juazeiro)

O trabalho que iniciou na manhã desta segunda-feira (21), no Colégio Estadual Codefas, na cidade de Juazeiro, região norte da Bahia, só foi concluído na noite de ontem. Um enxame enorme de abelhas se alojou em uma árvore do pátio da escola e por ser tão grande, o galho não suportou o peso e os insetos acabaram caído e levando perigo a quem passava pelo  local.

Por conta disso, uma equipe formada por militares do 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Juazeiro e integrantes do Grupo Abelha Vivia foram ao Codefas, ainda na manhã desta segunda-feira (21), e colocaram uma caixa coletora para atrair as abelhas para o interior do recinto.

À noite, horário mais recomendado para a captura dos insetos por se tratar do momento de descansos deles, integrantes do Grupo Abelha Viva, com o apoio de  outra equipe do Corpo de Bombeiro, comandada pelo Ten. Cel. Tarcísio Ribeiro, comandante do 9º GBM, conseguiram capturar as abelhas e as soltaram na caatinga.

Este ano, mais de 100 enxames já foram capturados em Juazeiro, na sede do município e em casas do interior, e devolvidos a natureza sem prejuízos para a sociedade e nem para os insetos.

Mais uma ocorrência envolvendo abelhas; dessa vez em uma escola de Juazeiro

As abelhas continuam se alojando em áreas urbanas. Somente na semana passada, de segunda-feira (14) a sábado (19), pelo menos 15 enxames foram capturados em Juazeiro. Na manhã desta segunda-feira (21), mais uma ocorrência envolvendo esses insetos foi registrada na cidade baiana.

Na tarde deste domingo (20), o Corpo de Bombeiros de Juazeiro registrou mais duas ocorrências envolvendo abelhas. Uma na praça Simões Filho e outra rua Rio Branco no bairro Angarys.

Hoje (21), militares do 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros, em parceria com o Grupo Abelha Viva, trabalharam na captura de um enxame que estava acampado em uma árvore do Colégio Estadual Codefas, que fica no bairro Piranga, em Juazeiro.

Geralmente, a captura é feita no período noturno, quando as abelhas estão descansando, mas nesse caso não deu para esperar. O enxame caiu da árvore e podia atacar quem passasse por perto. Uma caixa coletora foi posta para atrair o enxame e finalizar a captura. Como as aulas estão suspensas por causa da pandemia do novo coronavírus a movimentação na escola é pouca e não há registro de feridos.

Equipes capturaram mais de 15 enxames de abelhas em Juazeiro durante esta semana

(Foto: Grupo Abelha Viva)

Depois do ataque na área próxima ao Cemitério Central de Petrolina (PE), que resultou na morte de um homem e no ferimento de pelo menos outras 7 pessoas, as abelhas resolveram aparecer em maior número também na cidade de Juazeiro, no norte da Bahia.

Equipes formadas por integrantes do 9º Grupamento de Bombeiros Militares, sob o comando do Ten. Cel. Tarcísio Ribeiro, do Grupo Abelha Viva, sob o comando dos apicultores Lícia Regina Lopes da Silva e Joseney Vitorino, e funcionários da Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (SEMAURB), capturam somente da última segunda-feira (14) até ontem (19) mais de 15 enxames que se instalaram em residências ou lojas comerciais em vários bairros da cidade.

Nem mesmo o prédio da 75ª CIPM (Companhia Independente da Polícia Militar) no bairro Itaberaba foi poupado pelos insetos. Uma equipe foi solicitada para capturar um enxame que se alojou no local.

Segundo a apicultora Lícia Regina Lopes da Silva, do Grupo Abelha Viva, que trabalha com captura de abelhas há 6 anos, os trabalhos de retirada de abelhas presentes em locais públicos e residências na sede e interior da cidade é um prática constante, mesmo antes dos casos que agora estão acontecendo com frequência.

Em parceria com o 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros e as equipes de meio ambiente da SEMAURB, o Abelha Viva, já realizou somente este ano cerca de 100 coletas.

O trabalho realizado é o de captura para soltar no ambiente propício para as abelhas e sem perigos para a população. Até então os resultados desse trabalho têm sido positivos uma vez que não há registro de ataques às pessoas. Trabalho geralmente realizado a noite, horário que as abelhas estão descansando.

“Elas começam a atividade delas às 5 horas da manhã. Aí elas vão colher água, alimentos, néctar, pólen… e quando a gente vai em um enxame elas não estão todas lá. As campeiras, as operárias estão todas trabalhando. Aí a noite, a maioria voltou pro ninho e as que não conseguiram voltar ficaram no campo pra voltar no outro dia. Por isso, a noite é o horário ideal para fazer a captura”, explicou Lícia.

Para acionar uma equipe de captura, o cidadão juazeirense pode entrar em contato com a SEMAURB através do telefone (74) 3612-3581 ou pessoalmente na sede da secretaria que fica na Rua Oscar Ribeiro, s/n, Centro. Também acionar o Corpo de Bombeiros através do número 193 ou ainda solicitar o trabalho do Grupo Abelha Viva através do número (74) 98807-8757.

Cemafauna lança série de vídeos para tirar dúvidas sobre abelhas

As abelhas foram protagonistas nessa semana em Petrolina e Juazeiro (BA). Em meio a tantas dúvidas e medo da população, o Centro de Conservação e Manejo da Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), lançou uma série de vídeos na internet, para orientar a população.

Segundo o Cemafauna, esse comportamento das abelhas é natural. Por isso, a população deve manter a calma e acionar o SOS Resgate de Abelhas. “Ao avistar um enxame ou movimento de enxameação, o ideal é isolar a área, se proteger em local seguro, sair dessa área, acionar o resgate e aguardar o atendimento, que pode demorar devido ao grande número de chamados nesse período”, recomenda a bióloga Aline Andrade.

Ataque em Petrolina

Em Petrolina, uma pessoa morreu após um ataque de abelhas. O idoso de 71 anos estava nas proximidades do Cemitério Central, na tarde de segunda-feira (14), chegou a ser socorrido, mas veio a óbito no hospital. Outra mulher também precisou ser internada, mas ela passa bem.

A Secretaria de Saúde de Petrolina também esclarece que as abelhas não são vilãs. Pelo contrário, são essenciais na manutenção do ecossistema. Caso tenha avistado um enxame, a orientação é buscar o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) pelo número (87) 3867-4774.

 

Desmatamento contribui para migração de abelhas para a zona urbana de Petrolina, diz especialista

Enxame no Cemitério do H. Leite assusta população

A quantidade de casos de abelhas em vários pontos de Petrolina (PE) tem assustado os moradores da cidade. Um idoso, de 74 anos, veio a óbito após um ataque dos insetos no centro da cidade na última segunda-feira (14). Outras nove pessoas ficaram feridas com os ataques.

Em entrevista ao G1, a professora de meliponicultura e apicultura do curso de zootecnia do campus Petrolina Zona Rural do Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE), Carla Samantha Rodrigues Valério, com o desmatamento e a destruição dos locais naturais, as abelhas procuram outras áreas, onde possam se reproduzir.

“Infelizmente, um dos motivos é o desmatamento, a destruição de locais naturais. A incidência de muitos condomínios na zona rural, isso leva ao desmatamento para poder construir, mesmo que de maneira legalizada, ele ocorre. Então, as abelhas acabam tendo que procurar outros locais”.

LEIA MAIS

Abelhas atacam agência do banco Itaú em Juazeiro

Depois de atacarem diversos moradores de Petrolina, no Sertão Pernambucano, esta semana, as abelhas agora incomodam moradores da cidade vizinha de Juazeiro, no estado da Bahia. Nesta quarta-feira (16), elas resolveram fixar morada nas paredes do Banco Itaú.

Por enquanto não há informações sobre feridos. O 9º Grupamento de Bombeiros Militar e o grupo Abelha Viva, uma organização não governamental que trabalha para evitar o extermínio dos insetos, estão tentando capturar as abelhas sem prejuízos para elas e para as pessoas que trabalham no local.

Enxame de abelhas volta a aparecer em Petrolina

Dessa vez o ataque foi na área externa da Facape. Por enquanto não há informações sobre feridos. A orientação da prefeitura é ligar para o CCZ 3867-4774. O CCZ recebe e repassa para o SOS Abelhas, que é formado por servidores municipais e trabalha em conjunto com o Corpo de Bombeiros e associação de apicultores.

A retirada dos enxames, geralmente, ocorre no período noturno, que é quando elas estão “arranchadas”. O grupo ‘SOS Abelhas’ nasceu em 2018, através de uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Petrolina e outras instituições do município, como o Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna), o Corpo de Bombeiros, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), a Associação de Criadores de Abelhas do Município de Petrolina (Ascamp), Vigilância Sanitária, entre outras.

Mulher atacada por abelhas no centro de Petrolina está na UTI, mas está bem

Mulher foi atacada por muitas abelhas.

Uma das pessoas atacadas por abelhas na tarde dessa segunda-feira (14), no Centro de Petrolina (PE), próximo ao cemitério, foi identificada como Fernanda Patrícia Rodrigues de Souza. De acordo com informações recebidas pelo nosso blog, ela está em uma UTI de um hospital particular da cidade.

LEIA TAMBÉM

Enxame de abelhas ataca pessoas no centro de Petrolina

Homem morre após ser atacado por abelhas em Petrolina

São falsas as informações repassadas nas redes sociais que afirmavam que ela havia morrido devido ao ataque. Embora esteja na UTI, ela está consciente e bem, segundo apuração do blog.

Fernanda aparece em um vídeo sendo socorrida por comerciantes após sofrer inúmeras picadas dos insetos, que atacavam as pessoas que passavam próximo ao local. As imagens chamam a atenção pela quantidade de abelhas que a atacaram.

Caso

Um enxame de abelhas da espécie italiana atacou pedestres e motoristas que passavam nas imediações do cemitério municipal de Petrolina na tarde dessa segunda-feira (14), por volta das 14h. Segundo informações compartilhadas em vídeos nas redes sociais, muitos motoristas e motociclistas abandonaram seus veículos no meio das vias e correram para não serem atacados pelos insetos.

Homem atacado faleceu

Um homem, que não teve sua identidade revelada, veio a óbito após ser atacado pelos insetos. A informação foi confirmada pelo diretor presidente da Agência de Vigilância Sanitária de Petrolina, Marcelo Gama.

Homem morre após ser atacado por abelhas em Petrolina

A informação foi confirmada pelo diretor presidente da Agência de Vigilância Sanitária de Petrolina, Marcelo Gama, segundo um blog do município. Um homem ainda não identificado foi atacado por abelhas da espécia Italiana na tarde desta segunda-feira (14), nas imediações do cemitério central da cidade.

Vídeos que circulam em grupos de whatsapp mostram dezenas de pessoas sendo atacadas. Muitas deixaram os veículos em via pública e correram em busca de proteção. Uma equipe do Corpo de Bombeiros e do Grupo SOS Abelhas passaram a tarde no local tentando evitar que os insetos fizessem mais vítimas.

O Sargento Jair informou ao Blog Waldiney Passos que somente ele recebeu hoje pelo menos cinco chamados relativos a ataques de abelhas em diversos bairros da cidade. Após esse ataque nas proximidades do cemitério, o Corpo de Bombeiros ainda registrou um outro enxame em uma casa do bairro Loteamento Recife, no final da tarde desta segunda-feira.

Os insetos devem ser capturados na noite de hoje, horário mais apropriado para essa prática, segundo especialistas.

Enxame de abelhas ataca pessoas no centro de Petrolina

Um enxame de abelhas da espécie italiana atacou pedestres e motoristas que passavam nas imediações do cemitério municipal de Petrolina na tarde desta segunda-feira (14), por volta das 14h.

Segundo informações compartilhadas em vídeos nas redes sociais, muitos motoristas e motociclistas abandonaram seus veículos no meio das vias e correram para não serem atacados pelos insetos. Em um dos vídeos, algumas pessoas socorrem uma mulher que foi atingida por diversas picadas. De acordo com um popular, foi preciso usar um extintor de incêndio para espantar as abelhas.

Várias outras pessoas foram picadas pelos insetos. Ainda de acordo com informações, o corpo de bombeiros foi chamado para contornar a situação. De acordo com o Sargento Jair, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) também foi acionado para dar suporte aos feridos. Até o momento a informação é de que pelo menos uma mulher tenha sido levada para o hospital por causa do ataque dos insetos.

Apicultores de Triunfo, no Sertão de Pernambuco, recebem kits apícolas da Codevasf

(Foto: Ascom/Codevasf)

A Associação dos Apicultores do Sertão Central, no município de Triunfo, no sertão de Pernambuco, foi beneficiada com 220 colmeias que foram entregues pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). Quase 20 famílias poderão incrementar suas rendas por meio da apicultura. Com um investimento no valor de R$ 59,4 mil foi possível também doar aos apicultores macacões, botas, luvas, fumigadores, formões e carretilhas informativas para orientá-los na produção do mel.

Doações que trouxeram de volta a esperança de dias melhores para a apicultora Maria Mendes. Ela havia perdido suas colmeias por conta do cupim e agora poderá retomar sua profissão. “Eu comecei na apicultura fazendo capacitação em 2003. Eramos mais de 20 apicultores e eu era a única mulher. A gente passou muitos anos de seca de lá pra cá. Nossas colmeias foram destruídas pelo cupim, mas eu me mantive firme e hoje estamos aqui recebendo esses kits que vão ajudar demais”, comemorou.

LEIA MAIS
12