Recursos federais para conclusão da parte sul do Projeto Pontal estão assegurados, afirma FBC

(Foto: Ascom)

Durante visita do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, a Petrolina nesta segunda-feira (9), o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) anunciou que os recursos para a conclusão da área sul do Projeto Pontal estão assegurados no Orçamento da União de 2020. R$ 40 milhões já estão garantidos no ano que vem.

LEIA TAMBÉM

Ministro do Desenvolvimento Regional anuncia mais de R$ 86 milhões para pavimentação de Petrolina

Para FBC, a conclusão do projeto é prioridade. “A nossa luta e o nosso sonho é viabilizar a licitação da área norte do Projeto Pontal, que é algo em torno de R$ 250 milhões. Até o final do março, quero a autorização do Governo Federal para a licitação das obras civis, de modo a concluir a parte norte até o final de 2022”, disse FBC.

LEIA MAIS

Distrito de Maniçoba e Embrapa firmam parceria para cultivo de pera e maçã

(Foto: Divulgação)

Produtores rurais do Distrito Irrigado de Maniçoba (DIM), localizado na zona rural de Juazeiro (BA), ganharam um novo estímulo para produção. Na última quarta-feira (15), foi firmada uma parceria entre o DIM e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para o cultivo de pera e maçã na localidade a partir do próximo ano.

A parceria se firmou após visita de técnicos do DIM na sede da Embrapa e em um campo de produção experimental, no projeto Bebedouro, em Petrolina. Na qual ficou confirmada a viabilidade de produção no distrito. A cooperação ainda contará com o apoio dos técnicos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

A Embrapa vai repassar todo suporte de cultivo da pera aos técnicos da DIM e posteriormente às informações serão repassadas aos produtores rurais de Maniçoba. O início do plantio está prevista para  o primeiro semestre de 2020.

LEIA MAIS

Iniciativa do vereador Ronaldo Cancão leva palestras sobre cultivo de mandioca para a Ilha do Coqueiro, em Petrolina

(Foto: Blog Waldiney Passos)

O vereador Ronaldo Cancão (PTB), por meio de uma parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Prefeitura Municipal de Petrolina, promove neste domingo (20), capacitação sobre o cultivo da mandioca na Ilha do Coqueiro, área ribeirinha da cidade.

“Este tipo de iniciativa faz parte do compromisso do nosso mandato, que é o de contribuir para a melhor qualidade de vida das pessoas, seja através da saúde, da educação, infraestrutura e da qualificação do nosso povo”, explica Ronaldo Cancão.

O evento conta com palestra da engenheira agrônoma Aline Áurea Silva, voltada para plantio, cultivo e manejo da mandioca, para melhorar e ampliar a produção da ilha. Além das presenças do diretor de projetos da Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA) Victor Flores, e do secretário de agricultura Simão Filho.

Campanha conscientiza produtores sobre a importância da rastreabilidade vegetal

(Foto: Divulgação)

Rastreabilidade é o conjunto de procedimentos que permite detectar a origem e acompanhar a movimentação de um produto ao longo da cadeia produtiva, mediante elementos informativos e documentais registrados, ou seja, identificar qual é o produto, de onde ele veio e para onde ele vai. O Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR), está realizando uma campanha para conscientização da importância da rastreabilidade de produtos vegetais frescos no município.

A iniciativa, que visa ainda o monitoramento e controle de resíduos de defensivos agrícolas, faz parte de uma grande mobilização nacional articulada pelo sistema CNA/SENAR para difusão do ‘AgriTrace de Rastreabilidade Vegetal’. A ferramenta digital que foi desenvolvida pelo Instituto CNA para ajudar os produtores de frutas e hortaliças a atender a Instrução Normativa Conjunta ANVISA/DAS – MAPA nº 2, publicada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária-ANVISA, em fevereiro de 2018.

LEIA MAIS

Projeto pioneiro utiliza energia solar para funcionamento de poços em Petrolina

(Foto: Jonas Santos)

Petrolina é a primeira cidade do Nordeste a adotar a energia solar para ativar poços públicos. A experiência foi implantada na comunidade de Cacimba Velha, na zona rural, através de uma parceria da Prefeitura e Codevasf. O poço à energia solar recebeu investimento de R$ 18 mil e beneficiará 100 moradores da localidade.

O uso da energia solar é uma medida pioneira para substituir os cataventos como forma de captação de força para impulsionar a bomba que ativa os poços. Além de zerar os custos com conta de eletricidade, o sistema soluciona o problema de geração de energia em períodos de pouca ventilação no semiárido. Dessa forma, o método facilita a vida principalmente de famílias de baixa renda localizadas em áreas com poucos recursos.

LEIA MAIS

Sistema de reaproveitamento de água é implantado na zona rural de Petrolina

(Foto: Jaquelyne Costa)

Ações sustentáveis que contribuirão no cultivo de palmas, hortaliças e flores serão implementadas a partir deste mês na zona rural de Petrolina. A prefeitura, em parceria com o IF Sertão-PE, executará o projeto de reuso da água cinza, aquela que é descartada após ser utilizada na lavagem de pratos, roupas, verduras e legumes, para tomar banho ou escovar os dentes, por exemplo. A comunidade de Atalho, a cerca de 80 km da cidade, será a primeira beneficiada com a ação.

O projeto de extensão idealizado há mais de dois anos pelo professor doutor José Sebastião Costa teve seu experimento realizado numa propriedade rural no Assentamento Terras da Liberdade, propondo o reuso da água para irrigação. Esse é um sistema de tratamento simplificado para comunidades rurais. A ideia é facilitar o aproveitamento da água em comunidades que têm uma certa dificuldade com a aquisição do líquido.

“Com a construção da caixa de gordura, etapa de tratamento físico, fazemos a retirada da gordura e do sabão que ficam em suspensão e que seriam degradantes do solo. Uma vez que isso aconteça a água pode ser realmente reaproveitada. A parceria com a prefeitura tem dado muito resultado desde o ano passado com a unidade de experimento. A iniciativa só funciona se esse tipo de parceria for mantida porque não temos condição de fazermos sozinhos e a prefeitura estando conosco poderemos chegar a outras comunidades”, pontuou o professor.

LEIA MAIS

Governos de Pernambuco e da Bahia unificam ações para combater a Mosca das Frutas

(Foto: Divulgação)

Os Governos de Pernambuco e da Bahia vão unificar as ações de controle da Mosca das Frutas no Vale do São Francisco. A decisão foi formalizada na última sexta-feira (30), com a assinatura de um protocolo de intenções entre a Secretaria de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco (SDA), Secretaria de Agricultura da Bahia (Seagri) e Agências Estaduais de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) e da Bahia (Adab). Também subscreveram o protocolo a Embrapa, o Sebrae, as Federações de Agricultura dos dois Estados, Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas (Abrafrutas), Valexport, Codevasf e a Biofábrica Moscamed Brasil.

A iniciativa tem como meta atender às exigências do mercado europeu, que passou a exigir ações de controle e monitoramento da Mosca das Frutas para a entrada de produtos na Europa. Até então, para exportar frutas para os países da Zona do Euro bastava a adoção de procedimentos para a eliminação de larvas, como o processo hidrotérmico para as mangas ou o tratamento a frio para as uvas.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco, Dilson Peixoto, a unificação das ações tem grande importância para a competitividade da fruticultura do Vale do São Francisco e a manutenção dos mercados para os produtores dos dois Estados. “Não adianta um produtor de Pernambuco ou da Bahia realizar o controle e o monitoramento da Mosca das Frutas se o seu vizinho não implantar essas ações. A mosca não reconhece limite de propriedades nem divisas entre os Estados”, destacou.

LEIA MAIS

Produtores rurais de Petrolina já podem se cadastrar no Programa de Aquisição de Alimentos

(Foto: Ascom)

A Prefeitura de Petrolina lançou no Diário Oficial da última sexta-feira (9), o edital de credenciamento para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA 2019). Com isso, a documentação para habilitação ao programa do Governo Federal que destina recursos para o município comprar produtos das mãos dos agricultores familiares já pode ser apresentada.

Para se cadastrar é preciso apresentar a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP); Cadastro de Pessoa Física (CPF); carteira de identidade; comprovante de residência; Número de Inscrição Social (NIS); Certificado Orgânico (no caso de agricultor com produção orgânica); além de um documento que comprove vínculo com a terra.

Os agricultores individuais e grupos formais deverão apresentar a documentação para habilitação até o dia 16 de agosto de 2019 no horário de 8h às 15h, na Secretaria Executiva de Segurança Alimentar – Central de Aquisição de Alimentos – PAA, situada à BR 122/428 KM 185, nº 255, Vila Débora, Petrolina. Informações sobre esta Convocação podem ser obtidas através do telefone (87) 3862-2788. O edital encontra-se disponível no site da prefeitura.

Prefeitura e Incra firmam parceria para garantir assistência técnica e crédito para assentamentos de Petrolina

(Foto: Alexandre Justino

Um termo de cooperação técnica inédito foi assinado pelo prefeito Miguel Coelho e o superintendente do Incra, César Teixeira, com o intuito de permitir maior assistência técnica, acesso a crédito, regularização fundiária entre outros benefícios aos agricultores.

No acordo, a Prefeitura será responsável por fornecer técnicos para diversas atividades em favor dos moradores de assentamento. Já o Incra financiará os custos das ações. Além da assistência técnica para aumentar a produtividade dos agricultores e consultoria para linhas de crédito, os apoiadores vão disponibilizar projetos para ampliar o abastecimento de água, articulação para regularizar as moradias e orientação para os produtores melhorarem os negócios.

É a primeira vez que a gestão municipal firma um acordo como esse com o Incra. Segundo o prefeito Miguel Coelho, esse termo se alia à ampliação da compra de produtos dos agricultores familiares para garantir mais renda nos assentamentos. “Com essa parceria histórica, vai ficar mais fácil para o assentado ter acesso a um crédito para reformar sua casa, para melhorar a criação de animais e até a construir um sistema de abastecimento. É uma parceria histórica que ajuda os produtores que mais precisam e que são base da maior geração de alimentos do Brasil, que é a agricultura familiar”, justificou o gestor municipal.

Alta dos custos fixos afeta produção de acerola no Vale do São Francisco

(Foto: Divulgação)

O produtor de acerola do interior de Pernambuco gastou em média R$ 5 mil por hectare para implantar a fruta na última safra 2018/2019. O levantamento foi realizado pelo Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina (Sintraf). Em termos mais usuais, o agricultor teve que produzir pelo menos 250 caixas por hectare em média, para cobrir os custos com o fruto.

Levando em consideração o preço médio de R$ 20 por caixa, a mão-de-obra de R$ 9 por cada colheita, o custo da irrigação e os tratos culturais (adubação, capinação e fertilização), a entidade calcula que o produtor tirou uma rentabilidade de 4,00 caixas, por hectare.

“Anos atrás, o cultivo de acerola em Petrolina trazia um retorno [comercial] mais satisfatório porque tinha um baixo custo de produção. Porém, de uns tempos para cá houve uma alta da mão-de-obra, uma baixa procura pela fruta, uma redução de preços e, consequentemente, a diminuição dos lucros para o agricultor”, avalia o levantamento.

Efeito dominó

Segundo a presidente do Sintraf, Isália Damacena, a entidade prevê uma melhora com relação aos preços das próximas safras, no entanto, pelo motivo errado: recentemente muitos produtores erradicaram suas áreas de acerola, o que também reduzirá em breve a disponibilidade da fruta.

LEIA MAIS

Produtores rurais de Juazeiro e Petrolina reclamam de alta no preço da outorga de água                                      

(Foto: Divulgação)

Representantes de 3.772 produtores rurais de sete perímetros públicos irrigados de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE), no Vale do São Francisco, se reuniram na tarde da última terça-feira (9) para reclamar de um reajuste médio de 400% no valor da outorga d’água cobrada pela Agência Nacional de Águas (ANA). O aumento é referendado pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco – CBHSF.

Durante o encontro, realizado na sede da 6ª Superintendência da Codevasf, em Juazeiro, os gerentes executivos e advogados dos perímetros Tourão, Maniçoba, Mandacaru, Curaçá I e II, no lado baiano, e Senador Nilo Coelho e Bebedouro, em Pernambuco, analisaram a nova metodologia de cobrança revelando que o aumento é abusivo e pode comprometer a produção agrícola da região.

“Somente para se ter uma ideia da gravidade deste reajuste, os 279 produtores do projeto Tourão pagaram no ano passado o valor de R$ 290.000,00. Com a mudança a ANA aumentou a outorga para R$ 2.200.000,00 com vencimento para o dia 31 deste mês”, reclamou o gerente executivo do perímetro, Walter Farias. Ele salientou ainda que se o impasse não for resolvido o aumento também terá que ser absorvido e pago por toda a população que vive e utiliza a água dos projetos agrícolas. O Tourão é considerado o maior projeto agrícola de Juazeiro ocupando uma área de 15.300 hectares.

LEIA MAIS

Inscrições abertas para oficinas sobre cultivo de manga em Juazeiro

A agência do Sebrae em Juazeiro (BA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), abriu inscrições para oficinas com um especialista em cultura da manga, que serão realizadas entre os meses de julho e dezembro, no Centro de Excelência em Fruticultura, localizado no Distrito Industrial de Juazeiro.

No total, serão seis encontros que irão abordar conteúdos de irrigação e fertirrigação, formação das brotações, maturação e indução floral, construção de plantas e frutos, manejo fitossanitário, nutricional e de serviços, além de operações e colheita.

LEIA MAIS

ApexBrasil investe R$ 680 mil em Petrolina e promove formação de novos exportadores de frutas

(Foto: Divulgação)

Dados do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR) estimam que o Vale do São Francisco tem hoje cerca de 3 mil produtores de frutas, e destes, menos de 10% já comercializaram internacionalmente seus produtos. Foi com a proposta de ampliar estes números que a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) anunciou na última terça-feira (2), em Petrolina (PE), o investimento de R$ 680 mil para implantação do Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX).

O anúncio foi feito pelo gerente de Relações Institucionais e Governamentais da ApexBrasil, Wilson Almeida, durante reunião com o prefeito Miguel Coelho, onde participaram também representantes da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), Associação dos Produtores e Exportadores de Hortifrutigranjeiros e Derivados do Vale do São Francisco (Valexport) e do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR).

Na ocasião, Wilson Almeida destacou o potencial exportador do município e adiantou que serão capacitados inicialmente 100 produtores com perfil adequado para exportação. “Treinamos no ano passado, em todo país, aproximadamente 15 mil empresas no processo de exportação de forma planejada e segura e destas cinco mil são hoje efetivamente exportadores”, lembrou.

LEIA MAIS

Produtores do Vale do São Francisco comemoram retirada de impostos sobre exportações de frutas

(Foto: Divulgação)

O acordo firmado entre o Mercosul e a União Europeia, na última sexta-feira (28), criou a maior área de livre comércio do mundo. Juntos, os dois blocos movimentam U$ 17 trilhões em Produto Interno Bruto (PIB). Reivindicação antiga dos produtores do Vale do São Francisco, a retirada de impostos sobre os produtos agrícolas permitirá, por exemplo, que a uva de mesa produzida na região entre na Europa com tarifa zero.

Os exportadores do São Francisco também terão maior acesso à União Europeia por meio de quotas – para açúcar e etanol –, além do reconhecimento de produtos brasileiros diferenciados, como o vinho. Em Petrolina (PE), onde recebeu os detalhes das negociações, o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais (SPR), Jailson Lira, destacou que o Vale deve se posicionar melhor no mercado internacional.

“Alguns países que concorrem conosco na mesma época de produção de frutas, como Estados Unidos, Chile, Peru e África do Sul, não têm a incidência de taxas da União Europeia. Então, esse acordo é histórico para nós porque coloca Petrolina e o Vale do São Francisco em pé de igualdade com esses competidores, uma vez que respondemos por 98% das exportações de uvas de mesa e 95% de mangas do país”, avalia o representante dos produtores do segmento que gera 100 mil empregos diretos e movimenta anualmente cerca de U$ 3,8 milhões.

LEIA MAIS
123