Petrolina: sem conseguir se aposentar idoso pede ajuda para sobreviver

Sessenta e sete anos de idade, cansado, uma perna e um pé amputados por causa da diabetes,  sem poder trabalhar e sem benefício do governo federal. A vida de Seu José Marçal da Silva não é nada fácil.

Espoleta, como é mais conhecido por onde já passou, é o que podemos chamar de homem rodado. Quando mais jovem, nunca faltou coragem para a “labuta” do dia-a-dia. Trabalhou 18 anos em uma grande e famosa revendedora de carros de Petrolina.

Quando saiu do emprego, foi trabalhar com o que sabia fazer de melhor e montou o próprio negócio. Uma oficina mecânica na rua 13 do bairro Jardim São Paulo, tornou-se seu ganha pão. Apaixonado por esporte, nas horas vagas ajudava times e jogadores de futebol da cidade.

Por causa das intempéries da vida foi perdendo o que tinha. Sobrou-lhe uma casa. Mas morando sozinho e tentando se aposentar a cinco anos, Espoleta não tem mais como sobreviver. Por causa das doenças que adquiriu, precisa comprar medicamentos caros. Mas, sem dinheiro, nem sempre ele cumpre essa tarefa.

Hoje, vive da ajuda de pessoas mais próximas e de outras que ele nunca viu. O problema é que nem sempre esses “anjos” estão por perto e Espoleta mais uma vez pede ajuda as pessoas de bom coração.

Quem quiser ajudar pode deixar as doações em sua residência. Ele mora no bairro Gercino Coelho, rua das Pernambucanas, número 561, uma casa de esquina. O telefone para contato: (87) 98858-8214.

Supremo Tribunal Federal barra nova troca de aposentadoria

(Foto: Agência Brasil)

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou nesta quinta-feira (6) que o aposentado que continua ou volta a trabalhar não pode trocar a sua aposentadoria por outra, mesmo que para isso utilize apenas suas novas contribuições no cálculo do benefício.

O julgamento reafirmou a decisão da corte em outubro de 2016, quando a maioria dos ministros considerou que somente uma lei poderia conceder a chamada desaposentação.

A corte retomou o tema para responder aos embargos de declaração que questionavam, entre outros pontos, se a decisão do Supremo, de 2016, havia também tratado sobre o direito à renúncia de todas as contribuições utilizadas na primeira aposentadoria nos casos em que, ao continuar contribuindo com o sistema previdenciário, o segurado alcançou o direito a uma nova aposentadoria.

Uma decisão a favor da reaposentação, como tem sido chamada essa versão da desaposentação, reabriria a possibilidade desses trabalhadores com carteira assinada usufruírem das contribuições obrigatórias feitas após a aposentadoria.

LEIA MAIS

Regra geral de aposentadoria prevê idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres

(Foto: Ilustração)

Na nova regra geral da reforma da Previdência (PEC 6/19) para servidores e trabalhadores da iniciativa privada que se tornarem segurados após a promulgação das mudanças, fica garantida na Constituição somente a idade mínima (65 anos para homens e 62 anos para mulheres). O tempo de contribuição exigido e outras condições serão fixados definitivamente em lei. Até lá, vale uma regra transitória.

Segundo o texto do relator da reforma, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), para todos os trabalhadores que ainda não tenham atingido os requisitos para se aposentar, regras definitivas de pensão por morte, de acúmulo de pensões e de cálculo dos benefícios dependerão de lei futura, mas o texto traz normas transitórias até ela ser feita.

LEIA MAIS

Idade mínima para aposentadoria de policiais permanece em 55 anos

Policiais Federais teriam idade reduzida, mas proposta não avançou.

As regras para as aposentadorias dos policiais que atuam na esfera federal serão mantidas. As categorias, que incluem policiais federais e legislativos, se aposentarão aos 55 anos de idade, com 30 anos de contribuição e 25 anos de exercício efetivo na carreira, independentemente de distinção de sexo.

A manutenção das condições consta do novo voto do relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). Antes do início da sessão, que começou com sete horas de atraso, líderes partidárias haviam anunciado um acordo para reduzir para 52 anos para mulheres e 53 anos para homens, a idade mínima de aposentadoria para os policiais em nível federal.

Mais cedo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que a suavização das condições de aposentadorias para policiais que servem à União criaria um efeito cascata que desidrataria a reforma da Previdência. A declaração ocorreu depois que Maia se reuniu com Moreira e o presidente da comissão especial, deputado Marcelo Ramos (PL-AM).

No início da noite, o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, disse que o governo analisa, juntamente com o Congresso, adotar condições diferenciadas de aposentadoria para policiais federais e legislativos, que poderiam ser incluídas no relatório da reforma.

Cálculo da aposentadoria muda a partir de segunda-feira (31)

(Foto: Agência Brasil)

O cálculo das aposentadorias por tempo de contribuição vai mudar a partir de segunda-feira (31), quando será acionada uma regra implementada por lei em 2015. A regra exige um ano a mais para homens e mulheres se aposentarem. A atual fórmula, conhecida como 85/95, vai aumentar um ponto e se tornar 86/96. Quem quiser se aposentar pela regra atual – e já cumpre os requisitos – tem até domingo (30) para fazer a solicitação.

Pela fórmula 85/95, a soma da idade e do tempo de contribuição deve ser de 85 anos para mulheres e 95 para homens. O tempo de trabalho das mulheres deve ser de 30 anos e o dos homens, de 35 anos. Isso significa, por exemplo, que uma mulher que tenha trabalhado por 30 anos, precisa ter pelo menos 55 anos para se aposentar.

A partir do dia 31, para se aposentar com o tempo mínimo de contribuição, ela deverá ter 56 anos. A mesma soma precisará alcançar 86 e 96. A fórmula será aumentada gradualmente até 2026.

Aqueles que já cumprem as regras podem solicitar a aposentadoria pelo telefone 135, que funciona das 7h às 22h, no horário de Brasília. Pelo telefone, o pedido pode ser feito somente até sábado. Pelo site do INSS. O pedido pode ser feito até domingo (30).

Fórmula

LEIA MAIS

Regra do 85/95 para aposentadorias muda no fim do ano

A regra 85/95 prevê um escalonamento a cada dois anos, até atingir 90 pontos para as mulheres e 100 pontos para os homens, em 2026. (Foto: Agência Brasil)

A partir de 31 de dezembro deste ano, a fórmula 85/95 do INSS – que serve para evitar a dedução do fator previdenciário – mudará, passando a valer a regra 86/96, adiando o acesso ao benefício sem o desconto.

A fórmula 85/95 leva em conta o tempo de contribuição e a idade do trabalhador. Somando os dois, é preciso atingir 85 pontos, para as mulheres, e 95, para os homens.

Desta maneira, um trabalhador do sexo masculino que tenha completado 60 anos de idade e 35 de contribuição, por exemplo, pode requerer a aposentadoria, sem cair no fator previdenciário, que reduz o benefício de quem se aposenta mais cedo.

Cálculo

Para calcular a aposentadoria, o INSS faz uma média que leva em conta os 80% maiores salários de contribuição desde julho de 1994. Se optar pelo fator, o contribuinte terá desconto. Já pela 85/95, ele vai receber o equivalente à essa média salarial.

Bolsonaro defende aprovação da idade mínima para aposentadoria

(Foto: Internet)

Nesta segunda-feira (05), o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), defendeu que seja aprovado ainda este ano algum passo, “por menor que seja”, na Reforma da Previdência. Ele propõe a fixação da idade mínima para 61 anos para os homens e 56 para mulheres. O presidente prevê “majorar” em determinas carreiras que serão especificadas. A intenção é aprovar as mudanças ainda este ano.

“Um grande passo, no meu entender, se este ano for possível, vamos passar para 61 anos [a idade mínima] o serviço público para o homem, 56 para a mulher, e majorar também o ano nas demais carreiras. Acredito que seja um bom começo para entrar no ano que vem já tendo algo de concreto para nos ajudar na economia”, disse o presidente eleito em entrevista à TV Aparecida.

De acordo com Bolsonaro, não se pode generalizar a fixação da idade mínima de 65 anos porque certas atividades são incompatíveis com a aposentadoria até mesmo aos 60. O presidente eleito usou como exemplo os policiais militares do Rio de Janeiro. “Não é justo colocar lá em cima [a idade mínima].”

No projeto que está na comissão especial da Câmara dos Deputados, a idade mínima é de 65 anos para homens e 62 para mulheres. A proposta já foi aprovada na comissão especial, ainda tem de passar por outras instâncias na Casa.

Prioridades

LEIA MAIS

Segurança pública: Pernambuco pode perder 10% de PMs até 2019

A segurança pública no estado de Pernambuco tem sido alvo de críticas por parte da população e de políticos. A situação pode piorar, tendo em vista que até o final de 2019 a Polícia Militar deve perder 10% do efetivo.

Cerca de 1.448 homens e mulheres devem se aposentar ou entrar para a reserva da PM. Para evitar problemas, o Governo de Pernambuco deseja realizar um concurso para o preenchimento de 500 vagas, anualmente. O edital para 2018 deve ser divulgado ainda em abril, de acordo com o JC Online.

Hoje o estado tem 14.994 PMs ativos. Entre 2016 e 2017, 1.948 policiais militares se aposentaram. Por outro lado, 1,4 mil militares chegaram às ruas em setembro do ano passado. Uma segunda turma, com 1,3 mil pessoas, está concluindo o curso de formação e deve ingressar na corporação ainda neste mês.

Aposentadoria rural não será contemplada na reforma da previdência

A proposta da reforma da Previdência tem previsão de ser votada até o dia 28 de fevereiro no Congresso Nacional.

Para quem estava preocupado com mudanças na aposentadoria rural, a notícia é boa. Por se tratar de um tema polêmico, o governo Federal resolveu deixar a aposentadoria rural de fora do texto da reforma da Previdência. Na última semana, foram apresentadas mudanças no texto, mas as regras para os mais de sete milhões e meio de agricultores familiares se aposentarem continuam as mesmas.

De acordo com a proposta inicial, tanto homens como mulheres do campo deveriam se aposentar aos 65 anos de idade e com 25 anos de contribuição obrigatória. No entanto, ficaram mantidas as idades de 55 anos para mulheres e 60 para homens. A contribuição, nesse caso, fica por conta do percentual da produção.

“De moro geral, precisa ser feito um ajuste na Previdência. Mas não necessariamente vai-se conseguir passar todos os pontos. Então, do ponto de vista político, é interessante que você deixe de lado alguns aspectos para que outros aspectos mais importantes possam ser ajustados”, avalia o especialista em finanças Marcos Melo.

Ainda de acordo com Melo, um fator que pode contribuir para o déficit da Previdência são as fraudes em torno do sistema das aposentadorias rurais. Dados da Secretaria de Previdência apontam que, nos últimos quatro anos, foram cancelados mais de 37 mil benefícios irregulares.

LEIA MAIS

Futebol: Grafite anuncia aposentadoria e se despede do Santa pelas redes sociais

(Foto: Internet)

O atacante Grafite resolveu pendurar as chuteiras. Depois de renovar contrato com o Santa Cruz no início do ano, o jogador voltou atrás e se despediu do clube através das redes sociais na tarde desta segunda-feira (22).

O ídolo coral disse que “não conseguiria ajudar da maneira que o clube necessita”. Aos 38 anos, ele garantiu que seguirá de perto o Tricolor, e irá trabalhar para elevar o nome do time do Arruda.

Confira a carta de Grafite:

Boa tarde, Nação Coral.

Venho por meio desta comunicar-lhes que não continuarei a vestir nosso manto dentro das quatro linhas. Conversei com a diretoria e a situação foi resolvida de forma amistosa, em comum acordo.

Cheguei à conclusão de que não conseguiria ajudar da maneira que o clube necessita e espera de mim. Penso que posso ser muito mais útil ajudando em algumas situações fora dos gramados.

Só tenho a agradecer ao clube e a todos funcionários e profissionais em todas as áreas que, ao longo destas quatro passagens, sempre me ajudaram e estiveram ao meu lado em todos os momentos, bons e ruins.

Desculpar-me pelos momentos onde não pude ajudar da maneira que esperávamos.

Desejo boa sorte a todos os jogadores, comissão técnica e diretoria nesta temporada.

O Santa Cruz continuará sendo uma parte importante da minha vida. Mesmo fora das quatro linhas, irei manter a ligação com o clube e vou trabalhar, sempre, para elevar seu nome.

Dentro do gramado, encerro minha participação e guardo na memória os momentos de conquista e de alegria vestindo a camisa coral. Foi uma honra defender essas cores e ter o apoio de uma torcida tão marcante e apaixonada.

Obrigado Santa Cruz, por tudo que você já me proporcionou nesta vida.

Boa sorte, Santinha!

Graffa23

Aposentadoria por faixa etária: o que muda com a reforma da Previdência

De acordo com informações do Ministério da Fazenda, a instituição da idade mínima vai reduzir desigualdades.

Quem nunca sonhou em se aposentar e ter mais tempo para viajar e descansar? A aposentadoria é, hoje, pauta de diversas conversas, já que novas regras podem surgir no ano que vem com a possível aprovação da reforma da Previdência. A dúvida que fica é se a proposta, prevista para ser discutida em fevereiro do ano que vem no Congresso Nacional, tira ou não tira direitos dos cidadãos. Especialistas esclarecem alguns pontos do texto, que traz como carro-chefe a idade mínima para receber o benefício – hoje inexistente no Brasil.

Segundo a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, de 2016, a idade mínima para aposentadoria teria início aos 55 anos para os homens e 53 para as mulheres. Em um prazo de 20 anos, o limite chegaria a 65 para os homens e 62 para as mulheres. “A introdução de uma idade mínima é fundamental”, acredita o pesquisador do Centro de Crescimento Econômico do Instituto Brasileiro de Economia da FGV Fernando de Holanda Filho.

O professor e especialistas em finanças Marcos Melo afirma que o setor previdenciário é o que mais onera os cofres públicos. “É preciso fazer um ajuste para dar a segurança de que, de fato, os aposentados continuem recebendo a Previdência no futuro.”

Mudanças

Mas o que muda de fato para os trabalhadores e trabalhadoras? Marcos Melo confirma que quem está começando a trabalhar agora, na faixa dos 20 anos de idade, pode sofrer o maior impacto. “É um impacto psicológico, na verdade. Se você está começando a vida já sabendo que as regras já foram alteradas, então você já tem certo alívio”, diz. Ele explica o que alteraria com a aprovação da reforma. “O que muda para quem está começando agora é o aumento do tempo de trabalho, de contribuição, para que depois possa se aposentar.”

Para ele, o fato de ter que trabalhar por mais tempo pode soar estranho. “Causa certo espanto, mas é preciso reconhecer que a Previdência é um determinado benefício que, em tese, se recebe por causa do acúmulo ao longo do tempo de contribuições que estão sendo feitas”, completa o financista.

LEIA MAIS

Aposentados e pensionistas do Igeprev têm 10 dias para fazer o recadastramento

Os aposentados e pensionistas do Instituto de Gestão Previdenciária do Município de Petrolina (Igeprev), devem se recadastrar para continuar a receber o benefício.

O procedimento é obrigatório. O prazo segue até o dia 29 de dezembro (sexta-feira). Quem não fizer o recadastramento nos próximos 10 dias pode ter o pagamento suspenso.

Segundo o diretor-presidente do Igeprev, Wíllames Barbosa, “o objetivo é manter os dados atualizados e evitar fraudes na previdência municipal”.

Para fazer o recadastramento é preciso comparecer no órgão com RG, CPF, comprovante de escolaridade, Título de Eleitor, comprovante de residência atual, Certidão de Nascimento/Casamento ou Divórcio, 2 fotos 3×4, Carteira de Registro Profissional, além de Certidão de Nascimento dos dependentes. No caso dos pensionistas, levar também o Atestado de Óbito.

O Igeprev funciona de 7h às 13h.

Futebol: Kaká anuncia aposentadoria como jogador

(Foto: Divulgação)

O jogador Kaká confirmou neste fim de semana sua aposentadoria, descartando a possibilidade de voltar ao São Paulo ou atuar no futebol chinês.

“Muito consciente, cheguei à conclusão de que é o momento de encerrar a minha carreira como jogador profissional. Agora vou me preparar para exercer outra função no futebol. A minha palavra final é que o ciclo da minha carreira como jogador profissional se encerra aqui”, confirmou Kaká à imprensa brasileira.

Escolhido o melhor jogador do mundo em 2007, Kaká deixa os gramados aos 35 anos, após ir a três copas do Mundo pela seleção brasileira e atuar pelo São Paulo, Milan e Real Madrid, antes de se transferir para o Orlando City, em 2014.

Felipe Massa dá adeus definitivo a Fórmula 1

(Foto: Reprodução)

Neste sábado (4) o piloto de F1 Felipe Massa anunciou a sua despedida das pistas de corrida com a sua aposentadoria. Diferente da aposentadoria anunciada em 2016, desta vez é definitivo.

Em um vídeo postado em sua conta no Instagram, Massa falou que vai participar das últimas duas provas da temporada de 2017, no GP de Interlagos, em São Paulo, no Brasil, e em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, nos dias 12 e 26 de novembro, respectivamente.

“Fala, pessoal, bom, como vocês sabem, ano passado eu anunciei que iria encerrar minha carreira, e a Williams pediu para eu continuar mais uma temporada, eu continuei, mas dessa vez é verdade, vai ser minha última corrida em Interlagos, no Brasil, e em Abu Dhabi. Queria agradecer toda a torcida e todo o carinho, todo o suporte da minha família, dos meus amigos e patrocinadores, todo o carinho de todos vocês que torceram por mim durante todo esse tempo e que continuem torcendo em outras categorias, em outros campeonatos pela frente. E nos vemos no Brasil e em Abu Dhabi. Um beijo em todos vocês e valeu!”, disse o piloto na postagem.

É preciso reformar Previdência para manter aposentadorias em dia, diz secretário

Conforme cálculos do governo, em 2017, são 11,9 idosos para cada 100 habitantes ativos. (Foto: Ilustração)

O secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano, afirmou hoje (1º) que, com o envelhecimento da população brasileira, a tendência é que o número de idosos gere custos previdenciários que resultarão em cada vez mais gente para receber o beneficio e menos gente para pagar a contribuição. Segundo Caetano, para que o sistema tenha uma transição e mantenha o pagamento das aposentadorias e pensões, a reforma da Previdência é necessária.

“Na proposta da reforma previdenciária, na qual se estabelece que a idade mínima da aposentadoria para os homens será de 65 anos e para as mulheres, de 62, [isso foi] estabelecido dentro de prazos de transição. Não é que essas novas idades se estabeleçam agora. Há um prazo de 20 anos entre o que existe hoje e o que vai passar a existir lá na frente”, disse o secretário, ao participar de Fórum sobre a Reforma Previdenciária, promovido pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Caetano ressaltou que é preciso ficar atento para os números da Previdência. Conforme cálculos do governo, em 2017, são 11,9 idosos para cada 100 habitantes ativos, número que deve pular para 43,8 em 2060, ou seja, haverá mais idosos para receber a aposentadoria.

“Hoje os beneficiários equivalem a 8% da população e em 2018, serão 27%. Em 2016, tivemos R$ 515,9 bilhões de despesa e arrecadamos R$ 364 bilhões.”

LEIA MAIS
123