Água mais cara a partir de hoje

Agência Reguladora de Pernambuco (ARPE) fixou reajuste em 6,72%. Consumidor já sentirá na conta de agosto

A partir de hoje,  a tarifa da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) sofrerá um reajuste de 6,72%, esse percentual representará um acréscimo de R$ 2,77 na tarifa residencial. Para esses clientes, que apresentam um consumo mensal de até 10 mil litros de água (10m3), a tarifa passará de R$ 41,30 para R$ 44,08. Já para os consumidores de baixa renda, que pagam a tarifa social, o aumento significará R$ 0,59 a mais nas contas, com a fatura passando de R$ 8,63 por mês para R$ 9,22. As tarifas comerciais e públicas, vão custar agora R$ 64,84 e R$ 62,67, respectivamente.

De acordo com o diretor de regulação da Arpe, Frederico Maranhão. a Compesa só vai passar a ter um faturamento integral da revisão tarifária a partir de 12 de setembro, onde até essa data parte do faturamento será proporcional entre o novo valor da tarifa, com o valor antigo cobrado. “A tarifa de 6,72% ela só vai ter efeito pleno para a compesa em 12 de setembro, porque em 12 de agosto ela começa a faturar com a nova tarifa, ela vai colocar um dia com a tarifa nova, e 29 dias com a tarifa antiga, e assim sucessivamente com o passar dos dias. Quando chegar 30 dias depois de 12 de agosto, o faturamento será pleno com o valor ajustado”, contou o diretor.

Com o a revisão a tarifa de água e saneamento paga pelo consumidor terá um valor de 6,72% mais cara, e Frederico Maranhão aponta que esse será um ganho para ambas as partes. “Isso é um processo que precisa de equilíbrio, a empresa precisa de resultado para prestar bons serviços, ela existe para ser remunerada adequadamente e o consumidor receber um bom serviço, esse é processo de ganho a ganho”, disse o diretor da Arpe.

Ainda de acordo com Frederico, essa revisão tarifária corresponde ao ano de 2018, onde no ano passado a Arpe concedeu um reajuste de 2,78%. Desde então, o processo de revisão da tarifa não aconteceu devido a demora da Compesa no fornecimento de algumas informações por mudanças no processo de envio das mesmas. “Houve uma mudança de metodologia que teve uma certa complexidade e são levantamentos de informações, onde estão localizados, qual o índice de aproveitamento que tem, a qual subsistema está ligado, se é fornecimento ou saneamento, e para cumprir essas informações a Compesa teve um trabalho adicional. Algumas dessas informações tiveram incoerências nas informações, e este estendimento do prazo foi muito em função disso”, afirmou Maranhão.

Conta de água em Pernambuco deve ficar mais cara até o final do ano

Utilizando uma cobrança provisória de 2,78% nas contas de água desde maio, os pernambucanos devem se preparar para um aumento. A Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe) aguarda um posicionamento da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) sobre o estudo de gastos, para revisar a previsão tarifária de 2018.

A Compesa havia solicitado o adiamento da revisão, mas deve apresentar até terça-feira (9) um estudo à Arpe sobre os valores. Em seguida uma audiência pública será convocada até o fim do ano, para enfim definir o reajuste. No entanto, a Agência já prevê que a conta fique mais cara.

Em maio, a companhia implantou a taxa provisória para corrigir a inflação medida pelo IPCA de 2017 (2,95%), mas tem imposto reajustes acima de 7%. Em 2015 o valor chegou a 12,24% e no ano passado, a 7,88%.

Arpe autoriza reajuste de 2,78% em conta de água a partir de maio

Conta de água ficará mais cara no estado (Foto: Arquivo)

A partir de maio a conta de água em Pernambuco ficará mais cara. A Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe) autorizou nessa quinta-feira (12) o reajuste de 2,78% que começa a valer no dia 12 de maio.

Segundo a publicação no Diário Oficial do Estado, o reajuste é provisório e “os eventos da etapa final da Revisão Tarifária Ordinária de 2018” ficarão até então suspensos, porém, serão retomados ainda este ano.

O reajuste segue a variação do IPCA acumulada no período de 1º de fevereiro de 2017 a 28 de fevereiro de 2018, no valor de 3,18%, e a variação do IGP-M acumulada no mesmo período, no valor negativo de -0,0382%. Em 2017, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) reajustou as contas em 7,88%, no mês de março.

Segundo a coordenadora de tarifas da Arpe, Angela Freitas, o reajuste provisório é uma situação excepcional, executado “para que a empresa não tenha prejuízo, estamos autorizando o valor que compensa a inflação e iremos compensar isso quando os estudos técnicos forem apresentados ainda este ano. Quando o valor for definido, o reajuste anunciado agora será abatido”.

Prepare o bolso vem aí mais um reajuste da Compesa

Por causa da energia elétrica e da seca, que obrigou a empresa a comprar carros-pipa, aumento será maior que a inflação

O consumidor pernambucano já pode ir se preparando para mais um reajuste neste início de ano. A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) encaminhou sua solicitação de aumento tarifário anual para análise e aprovação pela Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe).

Se forem levados em consideração apenas os índices de correção da inflação (IPCA e IGPM), a conta de água vai subir entre 6% e 8%. Mas a Compesa apresentou outras planinhas de custos, que podem fazer o reajuste fechar em dois dígitos, como aconteceu em 2016 (10,69%).

O pedido de reajuste foi entregue à Arpe na última sexta-feira e a expectativa é concluir a avaliação este mês para que entre em vigor a partir de março. O valor integral só será sentido nas contas de água a partir de maio.

Com informações do Jornal do Commercio.

Governador empossa novos conselheiros da Arpe

Paulo Câmara e membros da Arpe

Os novos membros do Conselho Consultivo Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe), foram empossados na manhã desta quinta-feira (17) pelo  o governador  de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB). Além de opinar sobre as atividades do órgão, os conselheiros devem examinar críticas e denúncias.

Na cerimônia realizada no auditório da agência, no Recife, o chefe do Executivo estadual também homologou o último concurso público realizado em 2014, viabilizando convocação dos aprovados por um período de dois anos, podendo ser renovado por mais dois.

Câmara afirmou que o ato consolida a atuação da agência que exerce um papel fundamental para a sociedade pernambucana. “A posse do conselho junto com a homologação deste concurso, são motivos para a gente dizer que estamos avançando e vamos avançar ainda mais. Nós vamos fazer o que a população espera: oferecer serviços públicos de qualidade, que cheguem a todos e que sejam bem fiscalizados”, assegurou o governador.

Os novos membros foram indicados por Governo do Estado, Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Prefeitura do Recife, Concessionários e Permissionários de Serviço Público Delegado, Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe). Os sete conselheiros da Arpe vão cumprir um mandato de três anos, sem direito a recondução. Também será responsabilidade do conselho indicar os três representantes da sociedade para a escolha do Ouvidor, cuja nomeação será feita pelo governador.

Os Membros dos Conselho Consultivo são:
– Marcelo Canuto (Governo do Estado)
– Maria Cristina Tavares de Lira (Governo do Estado)
– José Adalto dos Santos (Alepe)
– Luciano Benjamim Gesteira (Prefeitura do Recife)
– José Coimbra Patriota (Amupe)
– Christiano Walter Freitas (Concessionários e Permissionários de Serviço Público Delegado)
– Flávio Cavalcanti Veloso da Costa (Fiepe)