Ministro da Saúde visita Petrolina, anuncia serviços e habilitação do Hospital Dom Tomás

Solenidade aconteceu no prédio da unidade oncológica, no bairro Gercino Coelho (Foto: Thamires Santos/Rádio Jornal)

Atual ministro da Saúde, Gilberto Occhi visitou Petrolina na manhã dessa quinta-feira (22) e cumpriu uma intensa agenda ao lado do prefeito Miguel Coelho. A vinda de Occhi ao município acontece um dia após o anúncio de que ele não ficará no cargo no governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Occhi esteve no município para anunciar uma série de serviços na saúde, entre eles o credenciamento de um novo Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), no bairro Vila Mocó e quatro leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Hospital Dom Tomás, além da habilitação da unidade como hospital.

Representando o Governo do Estado, o secretário Estadual de Saúde, José Iran da Costa Júnior elogiou o trabalho desempenhado pelo ministro. “Estou como secretário há 3 anos e 11 meses e passei por vários ministros e Pernambuco com o senhor recebeu uma atenção especial”, afirmou.

LEIA MAIS

Hospital Dom Tomás receberá equipamento do Ministério da Saúde

(Foto: Ascom)

O novo ministro da Saúde do governo Michel Temer se encontrou com o senador Fernando Bezerra Coelho nessa semana. Gilberto Occhi anunciou a entrega de um equipamento de radiologia ao Hospital Dom Tomás, que presta assistência oncológica a mais de 1,5 mil pacientes de Petrolina e cidades vizinhas.

Além do equipamento, o Dom Tomás receberá a Certificação Uniacom, concedido a unidades que atendam requisitos para atenção especializada no tratamento de câncer. Occhi também confirmou que os repasses mensais de recursos da Associação Petrolinense de Amparo à Maternidade e à Infância (Apami), que administra o Dom Tomás, será aumentado.

“O ministro demonstrou sensibilidade às demandas e sinalizou para o atendimento delas no menor tempo possível”, disse o senador Fernando Bezerra. O senador apresentou entre 2015 e 2016 emendas parlamentares que somam R$ 3.876.200,00 para aquisição de equipamentos ao Dom Tomás.

Diretor-presidente da Apami, Augusto Coelho comemorou a novidade. “Acreditamos que estes benefícios chegarão, com celeridade, aos milhares de pacientes que tanto precisam da assistência gratuita prestada pelo Hospital Dom Tomás”, afirmou.

“Ultrapassou todos os limites de tolerância”, disse Dr. Augusto Coelho sobre os atrasos de verba do Estado que motivou o fechamento da APAMI

(Foto: blog Waldiney Passos)

Médico, ex-prefeito de Petrolina (PE) e fundador da APAMI, Dr. Augusto Coelho, falou nesta terça-feira (9), sobre a suspensão dos serviços na instituição.

Em entrevista ao programa Super Manhã, com Waldiney Passos, na Rádio Jornal de Petrolina, Dr. Augusto disse que não teve mais condições de manter a APAMI/HDT funcionando por não tem mais medicamentos, nem insumos e nem dinheiro para comprá-los e pagar funcionários.

“Enquanto tinha medicamento eu atendi. Apesar dos atrasos, a gente tinha uma reserva de medicamentos. Mas e agora, como que eu atendo se não tem medicamento? Você já viu tratar doente de câncer só com conversa? ”desabafou Dr. Augusto Coelho.

LEIA TAMBÉM

Por falta de dinheiro APAMI vai parar as atividades nesta terça-feira

Segundo ele, os serviços prestados pela APAMI e o Hospital Dom Tomás, são todos pelo o SUS, ou seja, os pacientes não pagam nada, e o faturamento é feito pela secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco. Só que há três meses esse repasse não é feito para a APAMI.

O dinheiro referente aos meses de outubro, novembro e dezembro, no valor de R$ 800 mil reais cada um, não foi repassado. Além disso, há uma dívida acumulada extra teto de serviços prestados, que chega a R$ 2 milhões e 500 mil.

LEIA MAIS

Forró do Beco tem atrações confirmadas para sua 15ª edição

Com data confirmada para o dia 01 de junho, o Forró do Beco, evento beneficente que integra a programação dos petrolinenses nos festejos junino, já tem sua grade de atrações confirmada. Junto com o sanfoneiro Targino Gondim, parceiro do evento desde sua primeira edição, também subirão ao palco Jorge de Altinho, Nádia Maia, Rennan Mendes e Adãozinho de Rajada.

Os ingressos custam R$ 40,00 inteira e R$ 20,00 meia, e seguem à venda no escritório central da Apami na rua Pacífico da Luz, número 709, Centro de Petrolina de segunda a sexta-feira das 07h às 12h e das 13h às 17h. Toda a renda arrecadada será destinada à compra de parte dos medicamentos não subsidiados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ao paciente oncológico atendido pelo Centro de Oncologia da Apami.

O evento que acontecerá às 19h no Iate Clube é realizado pelo Movimento de Combate ao Câncer (MCC), entidade sem fins lucrativos em parceria com a Apami. O MCC é mantido por ações de voluntários tendo como uma das suas maiores fontes de receita, o Forró do Beco, além da venda de materiais artesanais produzidos pelo grupo de voluntários.

Pai da menina Beatriz se emociona durante entrevista ao comentar fala de Augusto Coelho

dscn5997 sandro beatrizDurante entrevista nesta terça-feira (6) ao programa “Super Manhã”, com o radialista Waldiney Passos, o pai da menina Beatriz Mota, Sandro Romildo, falou sobre a tristeza que assolou a família após as declarações do ex-prefeito de Petrolina (PE) Augusto Coelho e classificou o discurso como lamentável. Sandro ficou muito emocionado ao falar sobre as declarações feitas pelo ex-prefeito e afirmou que de certa maneira o discurso veio para dar mais força à campanha.

“É lamentável! Inclusive eu quase não dormi essa noite, refletindo sobre o que foi dito. Para a gente é muito doido.  O episódio de ontem foi como se rasgasse uma ferida que estava sendo cicatrizada. Nosso coração ficou sangrando muito. E percebemos que a sociedade do Vale do São Francisco reagiu com repúdio à essa declaração. Na minha impressão eu acho que o Dr. Augusto tentou defender a escola de alguma maneira, porém, mais importante que a escola é a família. Eu não sei como um pai de família, consegue [muito emocionado]… Nós magoou bastante e nós colocamos uma nota por essa infelicidade lamentável que foi à declaração de Augusto, mas cabe a Deus julgar as pessoas, a gente não deseja mal a ninguém. E isso veio de certa maneira para nos dar mais força na nossa campanha”.

Segundo Sandro, a campanha que vem sendo realizada na página do Facebook “Beatriz clama por justiça” tem causado um certo desconforto em pessoas que devem algo às investigações. O pai da garota Beatriz lembrou que havia prometido um tom mais agressivo nas campanhas.

“Acho que essa campanha na qual nós lançamos os cards está causando um certo pânico ou desespero em quem deve alguma coisa. Eu já havia prometido a todos que o tom da nossa campanha seria um pouco mais agressivo, já que se passou um ano e nada foi resolvido. Acho que no intuito de tentar ajudar de alguma maneira o Dr. Augusto Coelho acabou se atrapalhando com a sua linguagem, inclusive com uma linguagem que eu achei, para a pessoa dele, muito ‘chula’, dizer que cansou a sua beleza. Eu acho que beleza nós tínhamos quando nossa família era completa”.

Caso Beatriz: em defesa do Colégio Maria Auxiliadora Dr. Augusto Coelho questiona foco das manifestações

Carta Augusto Coelho

“O colégio é a segunda maior vitima, depois de Beatriz, e não são justas as críticas e imprecações contra uma instituição que só merece gratidão, solidariedade e reconhecimento”, afirma Dr. Augiusto

Em carta aberta a sociedade de Petrolina o médico e ex-prefeito, Augusto de Souza Coelho, comenta pela primeira vez o caso do crime da menina Beatriz Angélica, assassinada no dia 10 de dezembro do ano passado. Dr. Augusto afirma, nas entrelinhas, que o Colégio Maria Auxiliadora, local onde ocorreu o crime, está sendo vítima de uma campanha insidiosa e injusta, e questiona por que a manifestação vai para a frente do Colégio, e não para a frente da Delegacia de Polícia?

Confira a íntegra do texto:

Causa-me indignação a campanha insidiosa e injusta contra o Colégio Maria Auxiliadora e a tentativa de desviar o eixo das buscas. Não se fala do facínora e cobra-se dos “suspeitos” a prova da inocência, quando se deviam apresentar as provas da culpa.

Enquanto isso, teima-se em perturbar a vida da comunidade regional interrompendo a ponte. E a polícia, o que tem feito? Por que a manifestação vai para a frente do Colégio, e não para a frente da Delegacia de Polícia?

O colégio é a segunda maior vitima, depois de Beatriz, e não são justas as críticas e imprecações contra uma instituição que só merece gratidão, solidariedade e reconhecimento.

Vamos fazer um esforço para restabelecer o bom senso, serenar as paixões e buscar apenas a verdade.

Ninguém tem o direito de ignorar o sofrimento da família, mas não se pode estimular sentimentos distorcidos pelo sofrimento, propiciando atitudes injustas e improprias para uma situação como essa.

Deus permita que os fatos se esclareçam e os ânimos arrefeçam.

Outra pergunta que não quer calar: depois de seis meses, a quadra esportiva do colégio permanece interditada, prejudicando as atividades da instituição. Para nada. E até quando?

Augusto de Souza Coelho/Médico e ex-prefeito de Petrolina