Termina amanhã o prazo para segurado agendar perícia de revisão no INSS

(Imagem ilustrativa)

Os beneficiários do auxílio-doença convocados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) têm até amanhã (5) para entrar em contato com o órgão para agendamento da perícia de revisão do benefício. No caso de não atendimento à convocação ou de não comparecimento na data agendada, o auxílio será suspenso até o comparecimento do interessado.

A convocação foi feita no Diário Oficial da União (DOU) no dia 1º de agosto. Os segurados devem conferir se seu nome consta na lista publicada. No campo de busca do site deverão digitar o nome, selecionando apenas a seção 3 e a data de 1º de agosto.

Caso tenha sido convocado, o beneficiário deverá entrar em contato com a central de atendimento ligando para o número 135, para saber a data agendada para a reavaliação do benefício por incapacidade. Na ocasião, deverá ser apresentada toda a documentação médica que justifique o recebimento do benefício, como atestados, laudos, receitas e exames.

LEIA MAIS

143 mil voltam ao Bolsa Família e há 525 mil na fila

(Foto: Montagem)

Mais de 143 mil famílias retornaram ao Bolsa Família neste ano devido ao aumento da taxa de desemprego provocado pela forte crise econômica que se instalou no país. A fila de espera também cresceu. Ela chegou a estar zerada nos meses de janeiro e fevereiro, mas aumentou gradualmente e atingiu 525 mil famílias. O ministro do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Osmar Terra, informou que pretende acabar com a espera ainda em agosto. Mesmo com a restrição orçamentária do governo federal, o ministério teria orçamento suficiente para atender esse público.

Em entrevista, o secretário-executivo do ministério, Alberto Beltrame, explicou que a piora da economia fez com que muitas famílias retornassem ao bolsa. Recentemente, os indicadores do mercado de trabalho vêm dando sinais de melhora, mas ainda não estão sendo captados. Dado divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que, no segundo trimestre, a taxa de desemprego atingiu 13%. O nível de desocupação foi menor do que aquele registrado no primeiro trimestre, de 13,7%, mas ficou 1,7 ponto percentual acima da taxa apurada entre abril e junho de 2016 (11,3%).

Mesmo com a procura elevada, a quantidade de benefícios do bolsa caiu. Em julho, 12,7 milhões de famílias foram atendidas. No fim de 2016, esse número era de 13,57 milhões. A diminuição, conforme Beltrame, está diretamente relacionada à maior fiscalização e cruzamento de dados dos beneficiários. Segundo ele, ao contrário do que estão dizendo alguns críticos, o governo “não arrochou o bolsa” em um momento em que os brasileiros pobres mais precisam devido ao aumento do desemprego.

180 mil pessoas perdem o direito ao auxílio-doença após 200 mil perícias do governo

(Foto: Internet/Ilustração)

Após a realização de 199.981 perícias, feitas até o dia 14 de julho, o governo, através do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), cancelou 159.981 benefícios como os de auxílio-doença.

A estimativa é que cerca de R$ 2,6 bilhões sejam economizados. Outros 20.304 benefícios foram cancelados porque os beneficiários não compareceram após serem convocados.

A expectativa é de que a economia seja ainda maior com a conversão de 31.863 benefícios em aposentadoria por invalidez; 1.802 em auxílio-acidente e 1.058 em aposentadoria por invalidez (com acréscimo de 25% no valor do benefício).

Há ainda 5.294 pessoas que foram encaminhadas para reabilitação profissional. A expectativa é de que 530.191 benefícios de auxílio-doença ainda sejam revisados.

Juazeiro: Benefício do Bolsa Família de abril deve ser sacado até dia 26 de julho

(Foto: Internet)

A Prefeitura de Juazeiro, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES), informou que os beneficiários do Programa Bolsa Família que ainda não sacaram a parcela do mês de abril/2017 devem fazê-lo até o próximo dia 26/07/17. Caso o benefício não seja sacado até esta data limite o recurso retorna para o Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA).

Se o beneficiário já possuir o cartão e senha, deve dirigir-se à casa lotérica para sacar o benefício. No caso de o beneficiário possuir o cartão, mas esqueceu a senha, é necessário ligar para o 0800 726 0207 e no mesmo dia comparecer à casa lotérica ou correspondentes bancários para efetuar o recadastramento da senha e saque da parcela do benefício.

O Programa Bolsa Família é voltado para famílias extremamente pobres (renda per capita mensal de até R$ 85) e pobres (renda per capita mensal entre R$ 85,01 e R$ 170). O valor repassado a cada família varia conforme o número de membros, idade e renda declarada no Cadastro Único. Ao entrarem no programa, os beneficiários recebem o dinheiro mensalmente e, em contrapartida, cumprem compromissos nas áreas de saúde e educação.

Clique aqui e confira a lista dos beneficiários que ainda não realizaram o saque.

Prefeitura realiza busca para identificar beneficiários que não estão sacando Bolsa Família em Petrolina

(Foto: ASCOM)

Para evitar que centenas de famílias percam o benefício do programa Bolsa Família, a Prefeitura de Petrolina vem realizando novas buscas para identificar os usuários que não estão sacando o benefício.  Já está disponível no site oficial uma lista com os nomes dos beneficiários que estão nesta situação.

A secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Kátia Carvalho, lembra que as pessoas podem perder o benefício se ficarem três meses sem sacá-lo. “É muito importante que as pessoas que solicitaram este benefício fiquem atentas a esta lista para saber qual a situação de cada uma delas porque  quem fica três meses sem sacar tem o benefício suspenso e com seis meses é cancelado o Bolsa Família”, diz.

Os beneficiários que identificarem o seu nome na lista devem procurar uma agência da Caixa Econômica Federal ou ligar para o telefone 0800-726-007 ou ainda buscar informações na Casa Bolsa, que fica na Avenida Tancredo Neves, nº 1019, Centro de Petrolina. O número de telefone da Casa Bolsa é o (87) 3863-6871. Confira a lista com os nomes dos beneficiários.

Beneficiários do Bolsa Família devem passar por revisão cadastral

(Foto: Internet)

A Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade de Juazeiro informou que as famílias beneficiárias do Bolsa Família, residentes na região do bairro Quidé, que receberam carta de solicitação de atualização do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), devem passar por revisão cadastral.

O procedimento será feito no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) no bairro Quidé nos próximos dias 22, 23 e 24 de maio. As famílias convocadas estão incluídas nos grupos de 1 a 5 que abrangem as comunidades do Quidé, Pedra do Lord (Quidezinho), Palmares I e II, Penha, Bela Vista, Mandacaru, Nossa Senhora das Grotas e Expedito Nascimento.

O atendimento será de 8h às 12h e de 14h às 18h. É necessário apresentar documentos pessoais, a carta recebida do Ministério e o cartão do Bolsa Família.

Petrolina participa de encontro estadual do Benefício de Prestação Continuada

(Foto: ASCOM)

Com o objetivo de atualizar as informações relacionadas ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), a Prefeitura de Petrolina marcou presença no Encontro Estadual do BPC, ocorrido na última semana, no Recife. O município esteve representado pela secretária executiva da mulher e acessibilidade, Talita Andrade.

O evento teve como objetivo compartilhar as novas diretrizes do BPC junto ao CadÚnico, bem como as ações dos programas BPC na Escola e BPC no Trabalho, para fortalecimento da rede de proteção social dos beneficiários e familiares.

Participaram do evento técnicos e gestores municipais que atuam com o BPC nas políticas de assistência social, educação, saúde e direitos humanos, além de profissionais da Previdência Social.  O Benefício de Prestação Continuada é um benefício da política de assistência social que integra a Proteção Social Básica, no âmbito do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).

Juazeiro: Secretaria realiza atualização cadastral de beneficiários do Bolsa Família

(Foto: Internet)

A Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade informou que as famílias beneficiadas do Bolsa Família que receberam carta de solicitação de atualização do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), inseridas nos grupos 1 e 6,  devem comparecer à sede do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) no bairro Itaberada, em Juazeiro (BA), nos próximos dias 9, 10 e 11 de Maio, para efetuarem a atualização de dados.

O atendimento será das 8h às 12h e das 14h às 18h. É necessário apresentar documentos pessoas, a carta recebida do MDSA e o cartão do Bolsa Família.

Conheça as vantagens de se manter hidratada no Carnaval

(Imagem ilustrativa)

Essencial para o bom funcionamento do organismo, a água também ajuda a controlar a temperatura do corpo e colabora com a beleza.

Conheça os benefícios de tomar  líquidos durante a folia.

1. Facilita a digestão
“A água ajuda na formação de enzimas (substâncias que facilitam as reações químicas no organismo), da saliva e do suco gástrico, que atuam na digestão”, explica Yolanda Schrank, endocrinologista do Sérgio Franco Medicina Diagnóstica. Por isso, não se deve passar muito tempo sem ingerir líquidos.

Caroline Dias Pereira, nutricionista do Hospital de Clínicas de Padre Miguel (RJ), afirma que o consumo de água aliado ao consumo de fibras ajuda a evitar o intestino preguiçoso, melhorando a digestão.

2. Combate o inchaço
“Sem uma hidratação adequada, o volume de sangue diminui. Assim, as vitaminas e os minerais que ele carrega demoram mais tempo para chegar às células e, consequentemente, à pele e às extremidades, como cabelo e unhas”, conta Yolada. Quando há o consumo de água, o organismo não retém o sódio, responsável pelo inchaço, além de deixar cabelos e unhas mais fortes.

“A comida é também uma fonte importante de líquidos, já que muitos alimentos possuem água em sua composição. Eles ajudam a diminuir o inchaço do corpo e a regular a pressão arterial porque são diuréticos”, revela Caroline. Para isso, esses alimentos devem ter, pelo menos, 70% de água na sua composição, como é o caso do alface, chuchu, pepino, nabo, tomate, couve-flor, melancia, melão, abacaxi, cenoura e goiaba.

3. Melhora a performance na malhação
“O melhor desempenho em atividades físicas ocorre porque as fibras musculares ficam hidratadas, deslizando com mais facilidade, o que reduz o risco de cãibras e de contusões”, revela a endocrinologista.

4. Desintoxica e previne celulite
“Grande parte das toxinas é expulsa do organismo por meio da urina e do suor. Se não houver hidratação suficiente, esse processo e sua saúde ficam comprometidos”, ressalta Schrank. Por isso, beber muita água, aliada a alimentação saudável e prática de atividades físicas desintoxica e previne o aparecimento da celulite.

5. Emagrece
“Isso acontece principalmente quando ela é consumida junto com fibras solúveis, encontradas, por exemplo, nas frutas e na aveia. Em contato com a água as fibras incham como uma esponja e dão sensação de saciedade”, explica Yolanda.

*Especialistas consultadas: Yolanda Schrank, endocrinologista do Sérgio Franco Medicina Diagnóstica e Caroline Dias Pereira, nutricionista do Hospital de Clínicas de Padre Miguel (RJ).

INSS volta a fazer revisão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez

(Foto: Internet)

Após ser suspensa em novembro, a revisão nos benefícios do INSS deve ser retomado nesta segunda-feira (16), segundo o governo. As perícias agendadas voltarão a ser feitas, e as pessoas que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez há mais de dois anos serão chamadas para uma nova perícia médica.

A revisão havia sido anunciada em julho, mas a Medida Provisória 739 perdeu a validade em novembro, suspendendo as avaliações. No começo deste mês, o presidente Michel Temer publicou uma nova medida provisória para garantir a revisão. Quem já fez 60 anos e recebe aposentadoria por invalidez está liberado do pente-fino.

Convocação

Ao todo, serão convocadas 530 mil pessoas que recebem auxílio-doença e 1,1 milhão de aposentados por invalidez. Segundo balanço divulgado pelo governo, até 31 de outubro haviam sido feitas 20.964 perícias. Na maioria dos casos (16.782, ou 80,05%), o pagamento dos benefícios foi suspenso no mesmo dia.

LEIA MAIS

Governo reedita MP que trata da revisão de benefícios previdenciários

Aposentados por invalidez e os beneficiários do auxílio-doença podem ser convocados a qualquer momento para que as condições que causaram a concessão sejam reavaliadas

O governo federal enviou para o Congresso uma medida provisória que reestrutura normas de concessão de alguns benefícios previdenciários (como auxílio-doença, aposentadoria por invalidez e salário-maternidade). O texto é, em sua maioria, idêntico a uma MP editada no ano passado, que não chegou a ser votada e perdeu a validade.

A MP 767/2017 estabelece que os aposentados por invalidez e os beneficiários do auxílio-doença podem ser convocados a qualquer momento para que as condições que causaram a concessão sejam reavaliadas. Ela estipula, ainda, que o período de carência para esses benefícios (doze meses de contribuição) deverá ser cumprido caso o segurado se desvincule da Previdência Social e depois retorne. Essa última regra vale também pra o salário-maternidade, cuja carência é de dez meses.

O auxílio-doença ganha uma nova norma de obtenção a partir da proposta. O ato de concessão deverá vir sempre acompanhado de prazo estimado para a duração do benefício. Caso isso não aconteça, será considerado o prazo de quatro meses (120 dias), que o beneficiário poderá prorrogar mediante pedido ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Além disso, o beneficiário do auxílio deverá se submeter a processo de reabilitação profissional antes de retomar qualquer tipo de atividade de trabalho. O pagamento será mantido durante esse período.

LEIA MAIS

INSS quer nova MP para revisão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez

(Imagem ilustrativa)

O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Leonardo Gadelha, disse nesta quinta-feira (29) que órgãos do governo vão propor ao presidente Michel Temer a edição de uma nova medida provisória para retomar as revisões dos benefícios de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez em 2017.

A Medida Provisória 739, que deu início às revisões, foi publicada em julho no Diário Oficial da União e perdeu a validade no dia 4 de novembro. O texto foi enviado pelo Planalto ao Congresso Nacional e tinha o prazo de 60 dias para ser votado pelos parlamentares, o que não ocorreu.

Depois que a medida provisória deixar de valer, o governo encaminhou ao Congresso um projeto de lei em regime de urgência, mas a proposta não foi votada antes do recesso parlamentar, segundo Gadelha.

“A medida provisória caducou, tivemos que interromper a operação e foi proposto um projeto de lei em regime de urgência mas, em função da grande quantidade de matérias importantes no Congresso, essa medida não foi votada antes do recesso legislativo”, disse o presidente do INSS em entrevista ao programa Revista Brasil da Rádio Nacional.

LEIA MAIS

70% dos trabalhadores que estão na ativa serão afetados pela reforma da previdência

Segundo economista, pelo 46 países aumentaram ou estão em processo de elevação da idade mínima. (Foto: Ilustração)

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 7 em cada 10 brasileiros serão afetados pelas novas mudanças, propostas pelo governo, nas normas para concessão de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Os números levam em conta as 141,3 milhões de pessoas em idade ativa no país, conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2015.

Desse total, os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que 101,4 milhões de cidadãos não se enquadram nas regras de transição propostas pelo Executivo e que serão analisadas pelo Congresso Nacional a partir do próximo ano.

Esse contingente de pessoas corresponde aos 53,3 milhões de homens com menos de 50 anos e às 48,1 milhões mulheres com idade inferior a 45 anos que, pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, não terão direito às regras de transição definidas no texto. Para se aposentar, terão de contribuir, obrigatoriamente, por pelo menos 25 anos e terão de atingir 65 anos de idade. Além disso, não poderão acumular o benefício com uma pensão, algo hoje comum no país.

LEIA MAIS

Defensoria recomenda que INSS suspenda pente-fino em benefícios

650x375_inss-previdencia-social-concursos-destaque-do-dia_1593865

A Defensoria Pública da União (DPU) recomendou nesta sexta-feira (14) que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) suspenda o pente-fino em pagamentos sociais iniciado no mês passado até que as perícias para concessões de novos benefícios sejam realizadas em, no máximo, 45 dias, informou a assessoria do órgão.

O programa de revisão de pagamentos do INSS está fazendo um pente-fino na situação de quem está recebendo benefícios por auxílio doença e incapacidade há mais de dois anos. De acordo com o governo, existem, atualmente, 840 mil beneficiários de auxílios-doença e 3 milhões de aposentados por invalidez recebendo esses auxílios.

A Defensoria Pública da União ressalta que, ultimamente, os agendamentos chegam a demorar até 197 dias. Os defensores públicos deram 10 dias para o INSS se pronunciar sobre a recomendação. Se isso não acontecer, o órgão avalia ingressar com uma ação judicial para tentar obrigar o INSS a suspender a revisão dos benefícios.

LEIA MAIS

Pente-fino do INSS cancela 8 entre 10 auxílios-doença analisados

(Foto: Internet)

82% dos cerca de 5.000 benefícios analisados foram cancelados. (Foto: Internet)

Após passar um pente-fino nos benefícios por incapacidade do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), o governo detectou que a maioria dos auxílios-doença concedidos por meio de decisões judiciais que foram analisados tinha irregularidades ou fraudes.

Um mês após o início das revisões, o trabalho realizado pela perícia do órgão já levou ao cancelamento de 82% dos cerca de 5.000 benefícios analisados desde o início da checagem, segundo dados obtidos pela reportagem.

A previsão inicial do órgão era cortar de 15% a 20% do total de auxílios reavaliados. Os demais auxílios revisados foram transformados em aposentadorias por invalidez.

LEIA MAIS
1234