Governo Federal não pretende pagar 13º do Bolsa Família em 2020

Pagamento não é meta do Governo Federal (Foto: Internet)

O esperado 13º salário do Bolsa Família não deverá ser pago em 2020. A informação foi trazida pelo UOL, nessa sexta-feira (23). Um técnico da equipe econômica do Governo Federal ouvido pelo portal afirmou que o benefício não está em debate.

“As pessoas receberam pelo menos R$ 600 durante cinco meses. Esse valor é bem superior ao Bolsa Família e equivaleria a um 14º e a um 15º. Se pagarmos um 13º para beneficiários do Bolsa Família, também teremos que pagar para quem recebe o auxílio emergencial? Não está claro. Mas essa decisão é política e depende do presidente Bolsonaro. Mas não há debates sobre isso no governo”, disse o técnico da equipe econômica.

Assessores de Bolsonaro também afirmaram que o pagamento do 13º do Bolsa Família não é debatido pelo Planalto e pelas assessorias jurídicas da Casa Civil e da Secretaria Geral da Presidência da República. O Ministério da Cidadania foi procurado pela reportagem, porém não comentou o assunto.

Confira se você tem direito à parcela extra do Bolsa Família paga em Pernambuco

(Foto: Ilustração)

Para auxiliar na renda de mais de mais de 18 mil famílias que são beneficiadas pelo Bolsa Família em Pernambuco, o Governo do Estado iniciou, nesta quinta-feira (17), e seguirá até o dia 30, com o  pagamento de uma parcela extra do programa federal. No entanto, para receber o benefício, as famílias precisam atender a alguns critérios pré-estabelecidos.

O mais importante deles é estar com a situação regularizada junto ao Programa no mínimo desde abril.  “O objetivo do pagamento é incluir as famílias que são beneficiárias do programa mensalmente mas que ficaram de fora da folha de pagamento no período em que estava sendo pago o 13° do Bolsa Família. É uma ação que visa ajudar essas pessoas a não saírem prejudicadas”, declarou o secretário executivo de Assistência Social, Joelson Rodrigues.

O 13° do Bolsa Família é pago anualmente pelo Governo do Estado no primeiro quadrimestre de cada ano. Este ano, o pagamento aconteceu nos meses de fevereiro, março e abril, a partir de um calendário que dividia os beneficiários pela data de aniversário.

Além de estar regularizado, só receberá o pagamento extra, que irá variar entre R$ 41,00 e R$150,00, a depender de quanto o beneficiário recebe mensalmente, quem já recebeu no mínimo cinco parcelas do benefício em 2019 e recebeu alguma parcela mensal neste ano.

Caso esteja dentro dos requisitos, o beneficiário pode receber o pagamento nos mesmos locais onde faz originalmente o saque das parcelas mensais do Bolsa Família: nas agências da Caixa Econômica, terminais eletrônicos de autoatendimento, lotéricas ou estabelecimentos credenciados.

A checagem para confirmar se o beneficiário está apto a receber o pagamento pode ser realizada de duas maneiras: através do site www.sdscj.pe.gov.br , digitando o Número de Identificação Social (NIS) e a data de nascimento do responsável familiar pelo benefício, ou por meio da Ouvidoria Social através do número 0800 081 4421.

Beneficiários do Bolsa Família começam a receber Auxílio Emergencial no valor de R$ 300

(Foto: G1/Reprodução)

A Caixa Econômica Federal começa a pagar hoje (17), a sexta parcela do Auxílio Emergencial. Essa será a primeira no valor de R$ 300,00 e começam a receber os beneficiários do programa Bolsa Família.

Agora, os beneficiários do Bolsa Família receberão o valor do Auxílio de forma complementar, em até R$ 300 ou em até R$ 600, no caso de mulher provedora de família monoparental.

Ou seja, no caso de o Bolsa Família ser igual ou maior que R$ 300 ou R$600, o beneficiário receberá o valor do Bolsa. A Caixa estima que 12,6 milhões de famílias cadastradas no programa social sejam contempladas. No total, serão liberados R$ 4,3 bilhões a mais de 16,3 milhões de pessoas.

O calendário de pagamento segue até 30 de setembro, conforme o final do Número de Identificação Social (NIS). O pagamento é feito nas agências da Caixa ou nas casas lotéricas. Enquanto inicia o cronograma do Bolsa Família, o banco ainda não informou quando os informais serão contemplados com a nova parcela.

O Auxílio Emergencial foi criado no primeiro semestre, como forma de ajuda aos brasileiros por conta da pandemia do novo coronavírus. Até então as parcelas eram de R$ 600 e R$ 1.200. Contudo, a extensão do benefício será reduzida.

Bolsonaro descarta criação do Renda Brasil

Bolsonaro fez anúncio nas redes sociais (Foto: Reprodução)

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), gravou um vídeo nessa terça-feira (15), para anunciar que o Renda Brasil não sairá do papel. Segundo Bolsonaro, até 2022 está proibido falar no programa. A ideia inicial era substituir o Bolsa Família pelo Renda.

“Acordei hoje surpreendido por manchetes em todos os jornais… Eu já disse há poucas semanas que jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar ao paupérrimos. Quem porventura vier propor para mim uma medida como essa, só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”, disse Bolsonaro.

O anúncio vem pouco depois de a imprensa relatar que, com a criação do Renda Brasil, o pagamento de aposentadorias poderia ser congelado pelo prazo de dois anos. “Por parte do governo jamais vamos congelar salário de aposentados”, pontuou.

Sem Renda Brasil, Orçamento eleva em 18% verba do Bolsa Família

(Foto: Internet)

A proposta do Orçamento de 2021, enviada nessa segunda-feira (31) ao Congresso, não terá recursos para o programa Renda Brasil, novo programa de transferência de renda em estudo pelo governo, mas elevará em 18,22% a dotação para o Bolsa Família. Segundo o texto, a verba para o Bolsa Família passará de R$ 29,485 bilhões em 2020 para R$ 34,858 em 2021.

De acordo com o secretário de Orçamento Federal, George Soares, o aumento deve-se à expectativa da adesão de famílias ao programa social depois da pandemia do novo coronavírus. A equipe econômica estima que, no próximo ano, 15,2 milhões de famílias se enquadrarão nos critérios para receber o benefício, contra 13,2 milhões em 2020.

LEIA MAIS

Caixa libera 5ª parcela da ajuda de R$ 600 para novo grupo do Bolsa Família

Começa nesta terça-feira (25) o saque da 5ª parcela do auxílio emergencial de R$ 600 aos beneficiários do Bolsa Família que têm o NIS (Número de Identificação Social) terminado em 6.

Hoje não há pagamento de nenhuma parcela para quem não é do Bolsa Família. Amanhã (26), nascidos em dezembro receberão um novo depósito. Confira aqui detalhes do calendário para o público geral.

Quem está no programa Bolsa Família e preenche os requisitos para receber o auxílio emergencial não acumula os dois pagamentos. Recebe apenas o que for de maior valor.

O saque é liberado a cada dia a um novo grupo dos inscritos no Bolsa Família, conforme o último número do NIS:

Como sacar

Os beneficiários do Bolsa Família podem sacar o valor do auxílio por meio do cartão do Programa Bolsa Família, Cartão Cidadão ou por crédito em conta da Caixa.

O auxílio emergencial aprovado em abril previa três parcelas de R$ 600 (ou R$ 1.200 para mulheres chefe de família). O governo federal prorrogou o programa por dois meses, totalizando cinco parcelas.

Novas parcelas estão em análise

O governo federal ainda estuda se vai liberar mais parcelas do auxílio emergencial, além das cinco já aprovadas. A medida depende de ajustes no Orçamento.

A lei aprovada pelo Congresso dá ao presidente Bolsonaro autonomia para liberar novas parcelas de R$ 600 (ou R$ 1.200 para mães chefe de família) até o final do ano, desde que indique de onde virá o dinheiro. Se quiser reduzir o valor das parcelas ou prorrogar o auxílio para 2021, o governo precisará da aprovação da Câmara e do Senado.

Caixa paga nesta segunda (27) 4ª parcela do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família

 

A Caixa Econômica Federal (CEF) paga, nesta segunda-feira (27), a 4ª parcela do auxílio emergencial aos inscritos que já são beneficiários do Bolsa Família, cujo número do NIS termina em 6 (veja calendário abaixo).

Os demais grupos (pessoas inscritas através do aplicativo ou pessoas que estão no Cadastro Único) voltam a receber as devidas parcelas na próxima quarta-feira (29).

Já receberam 1ª, 2ª e 3ª parcela do auxílio. Parcelas que faltam: 4ª e 5ª. A 4ª parcela será paga entre 20 e 31 de julho; e a 5ª, entre os dias 18 e 31 de agosto.

Os pagamentos para inscritos no auxílio emergencial que já recebem o Bolsa Família seguem o calendário do próprio benefício. Para este grupo os últimos dois meses do benefício não será dividido. Portanto, mesmo que o valor seja o mesmo, apenas 5 parcelas serão pagas ao todo.

A data de pagamento aos beneficiários do Bolsa Família será realizada de acordo com o Número de Identificação Social (NIS). No dia 20 de julho, recebem os beneficiários que tiverem o NIS finalizado em 1. A última data de pagamento da quarta parcela para quem é cadastrado no programa social é no dia 31 de julho, para os que possuem NIS terminado em zero.

Quarta parcela:

NIS final 1 – 20 de julho

NIS final 2 – 21 de julho

NIS final 3 – 22 de julho

NIS final 4 – 23 de julho

NIS final 5 – 24 de julho

NIS final 6 – 27 de julho

NIS final 7 – 28 de julho

NIS final 8 – 29 de julho

NIS final 9 – 30 de julho

NIS final 0 – 31 de julho

LEIA MAIS

Governo Federal amplia prazo para saque do Bolsa Família

(Foto: Ilustração)

O Diário Oficial da União dessa sexta-feira (24) traz uma boa notícia aos beneficiários do programa Bolsa Família. A Portaria n° 444/2020 (veja aqui) amplia o prazo dos saques do benefício. A medida leva em conta a pandemia do novo coronavírus e o estado de emergência nacional.

A prorrogação “incidirá em todas as parcelas do Bolsa Família pagas que ainda estejam válidas, segundo o calendário de pagamentos e o calendário operacional do programa”. O documento é assinado pelo ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

A Portaria estará em vigência até enquanto “perdurar o estado de calamidade pública nacional”, inicialmente com validade até 31 de dezembro desse ano.

Além do novo nome, Bolsa Família terá novos critérios para recebimento do benefício

Renda Brasil será o novo nome (Foto: Ilustração)

Conforme o Blog mostrou mais cedo, o Bolsa Família deverá receber um nove nome. A ideia já vinha sendo discutida desde o ano passado e a proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes e renomeá-lo para Renda Brasil. Além da nova nomeação, o benefício passará a ser pago apenas a quem trabalha na informalidade e recebe menos de um salário mínimo.

Mudanças

Novo nome: Renda Brasil;
Quem receberá: famílias de baixa renda. Quase 40 milhões de pessoas, nas contas do governo;
Bolsa Família: continuará a ser pago, com novo nome;
Como receber o pagamento extra: por meio de “Imposto de Renda negativo”

Na prática

Quem for informal e possuir qualquer outro tipo de renda terá que declarar o valor no sistema criado para o Auxílio Emergencial. As informações serão checadas, para averiguar a veracidade dos fatos. A proposta de Guedes prevê a cada valor recebido do informal, o trabalhador terá 1 extra creditado em sua conta, como num Imposto de Renda Negativo.

Atingindo o salário mínimo, ele deixará de receber o Renda Brasil. Guedes ainda está apresentando as novas propostas a deputados da base governista. (Com informações do Poder 360).

Bolsa Família será substituído pelo programa “Renda Brasil”, diz Paulo Guedes a deputados

Ministro Paulo Guedes.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o programa Bolsa Família deverá ser substituído pelo “Renda Brasil” logo após o fim da pandemia causada pelo novo coronavírus. A declaração foi feita a parlamentares federais durante reunião com líderes da Câmara dos Deputados.

De acordo com os deputados,  o ministro afirmou que o programa será mais abrangente do que o Bolsa Família. A ideia do Governo Federal é incluir os trabalhadores informais  que estão sendo beneficiados pelo auxílio emergencial.

LEIA MAIS

Petrolina: beneficiários do Bolsa Família e Auxilio Emergencial não precisam ter pressa para fazer ou atualizar o Cadastro Único

(Foto: Ascom/PMP)

As revisões cadastrais para o Programa Bolsa Família e o Cadastro Único (CAD Único) foram suspensas temporariamente pelo Governo Federal, para evitar aglomerações nas unidades cadastrais e evitar a exposição ao novo coronavírus. Por isso, a prefeitura de Petrolina orienta aos beneficiários que não há urgência em procurar a Casa Bolsa ou CRAS para esses tipos de demanda  enquanto auxílio emergencial for pago.

A prefeitura explica que os beneficiários não precisam se preocupar, pois o Ministério da Cidadania também suspendeu as medidas de bloqueio, suspensão e cancelamento das famílias por falta de atualização cadastral ou por falta das informação de acompanhamento das condicionalidades do Bolsa Família. Esclarece também que as atualizações ou novos cadastros PBF por enquanto não serão considerados pelo Governo Federal e que população será informada quando houver necessidade de fazer a atualização.

Ainda estão sendo feitos agendamentos para novos cadastros e atualizações para: tarifa social de energia/água; requerimento BPC LOAS; informação de óbito; isenção de tarifas de concursos/ processos seletivos/ Enem; TFD e demandas de saúde; habitação; benefícios eventuais; e serviços e programas que solicitarem o NIS atualizado.

Os agendamentos na Casa Bolsa estão sendo feitos apenas pelo telefone  3863-6871. Em caso se dúvidas, a população pode entrar em contato com WhatsApp do Informa Petrolina (87) 98100-1883.

Casa Bolsa: revisões cadastrais estão suspensas enquanto Auxílio Emergencial for pago

População não deve procurar atendimento para revisar cadastros (Foto: Ascom/PMP)

Diante da procura dos usuários da Casa Bolsa, a Prefeitura de Petrolina emitiu um comunicado nessa terça-feira (26) alertando que não há urgência de atendimento durante a pandemia do novo coronavírus. Isso porque as revisões cadastrais do Bolsa Família e Cadastro Único (CadÚnico) estão suspensas temporariamente.

Segundo a Prefeitura, o Ministério da Cidadania suspendeu as medidas de bloqueios, suspensão ou cancelamento dos beneficiários enquanto o Auxílio Emergencial for pago. “As atualizações ou novos cadastros PBF por enquanto não serão considerados pelo Governo Federal e que população será informada quando houver necessidade de fazer a atualização“, explica a gestão municipal.

Enquanto os atendimentos estão suspensos, a população pode agendar serviços como cadastros para ter acesso a tarifa social. A população pode buscar atendimento pelos seguintes números: (87) 3863-6871 ou através do WhatsApp do Informa Petrolina (87) 98100-1883.

Auxílio Emergencial: Caixa credita nesta segunda benefício a mais 7,8 milhões de trabalhadores

A Caixa Econômica Federal (CEF) credita nesta segunda-feira (25) novos lotes do Auxílio Emergencial, tanto da primeira parcela, para novos aprovados, quanto da segunda, para quem recebeu a anterior até 30 de abril. Ao todo, o benefício será pago a 7,8 milhões de trabalhadores, segundo o banco.

Veja quem recebe nesta segunda:

  1. Segunda parcela: 5,2 milhões trabalhadores inscritos no Cadastro Único ou que se cadastraram através do aplicativo e do site, e que receberam a primeira parcela até 30 de abril, nascidos em setembro e outubro
  2. Segunda parcela: 1,9 milhão de trabalhadores beneficiários do Bolsa Família, cujo NIS termina em 6
  3. Primeira parcela: 700 mil trabalhadores do novo lote de aprovados do benefício, nascidos em agosto

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Veja calendário da 2ª parcela:

Para os beneficiários que vão receber a segunda segunda parcela e não fazem parte do Bolsa Família, os pagamentos trazem mais restrições: todos vão receber por meio de conta poupança digital da Caixa – mesmo quem recebeu a primeira parcela em outra conta.

Além disso, a poupança digital não vai permitir transferências inicialmente – apenas pagamento de contas, de boletos e compras por meio do cartão de débito virtual. Transferências para outras contas e saques só serão liberados a partir de 30 de maio (veja o calendário ao final da reportagem).

Primeira parcela para novos aprovados

A primeira parcela para esse novo grupo será creditada na conta escolhida pelo beneficiário, da forma como receberam os primeiros beneficiários: nas contas da Caixa, na Poupança Social Digital ou em contas de outros bancos. Esses beneficiários também poderão fazer o saque em espécie do auxílio na data da liberação.

Veja como ficou o calendário de pagamento da 1ª parcela para novos aprovados:

  • 19 de maio (terça): nascidos em janeiro
  • 20 de maio (quarta): nascidos em fevereiro
  • 21 de maio (quinta): nascidos em março
  • 22 de maio (sexta): nascidos em abril
  • 23 de maio (sábado): nascidos em maio, junho ou julho
  • 25 de maio (segunda): nascidos em agosto
  • 26 de maio (terça): nascidos em setembro
  • 27 de maio (quarta): nascidos em outubro
  • 28 de maio (quinta): nascidos em novembro
  • 29 de maio (sexta): nascidos em dezembro

Calendário da 2ª parcela

O calendário do pagamento da 2ª parcela do Auxílio Emergencial começou na segunda-feira (18) e seguirá até 13 de junho. O calendário da terceira parcela, que estava prevista para maio, continua sem definição.

O calendário da segunda parcela vale apenas para quem recebeu a primeira parcela até 30 de abril. O governo não informou quando vai pagar a segunda parcela para quem receber a primeira depois desta data.

São 3 calendários:

  1. um para recebimento em poupança social
  2. um para saque em espécie para beneficiários do Bolsa Família
  3. um para saque em espécie para poupança social e transferência de recursos

VEJA OS CALENDÁRIOS:

1. Calendário para depósito em poupança social

2. Calendário para pagamento aos beneficiários do Bolsa Família

3. Calendário para saque e transferência da poupança social

Novo grupo do Bolsa Família deve receber auxílio emergencial nesta sexta

Governo federal deve começar a pagar, nesta sexta-feira (24), a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 para os beneficiários do bolsa família com o último dígito do NIS igual a 6.

Vale ressaltar que os benefícios não serão acumulados. O beneficiário receberá aquele que for de maior valor. Os pagamentos para os beneficiários do bolsa família seguem até a próxima quinta-feira.

LEIA MAIS

Quem mora em Juazeiro e recebe o Bolsa Família terá até dia 29 deste mês para sacar a parcela do mês de janeiro

(Foto: Ilustração)

Estamos quase no fim de abril, mas ainda há beneficiários do Programa Bolsa Família, que moram em Juazeiro (BA), que ainda não sacaram a parcela do benefício referente ao mês de janeiro deste ano. Quem não sacar até do dia 29 de abril poderá ficar sem esse dinheiro, pois o mesmo pode retornar para o Ministério da Cidadania.

O alerta é da Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES), de Juazeiro, que divulgou a lista com os nomes de quem está apto a receber o benefício e ainda não foi ao banco fazer a retirada.

Nos casos em que já possua o cartão e senha do Bolsa Família, o usuário deverá dirigir-se à casa lotérica para sacar o benefício. Já os que não têm o cartão em mãos e/ou esqueceram a senha, é necessário ligar para o 0800 726 0207 e comparecer, imediatamente, à casa lotérica ou correspondentes bancários para efetuar o recadastramento da senha e saque da parcela do benefício.

De acordo com a gestora do Bolsa Família em Juazeiro, Virgínia Brito, as famílias que constam na lista são aquelas que estavam com o benefício cancelado e retornaram para o programa. “Constam também beneficiários que ingressaram pela primeira vez no programa, ambas no mês de Janeiro. É importante que a responsável familiar realize o saque do benefício até a data estipulada, para evitar que pagamento retorne ao governo federal”, explica.

Além disso, os beneficiários que não possuem o cartão poderão procurar atendimento na Casa do Bolsa Família ou no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo de sua residência. Nos CRAS do município, bem como na Casa do Bolsa Família, também pode ser consultada a lista de beneficiários que precisam realizar o saque da parcela de janeiro de 2020.

123