Univasf abre inscrições para minicurso sobre contenção e manejo de onças em vida livre

Com o objetivo de capacitar estudantes do último período dos cursos de Ciências Biológicas e Medicina Veterinária e profissionais da área que tenham interesse em atuar na conservação de onças de médio e grande porte, a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) realizará o minicurso ‘Contenção e Manejo de Onças em Vida Livre’.  A atividade vai acontecer nos dias 12 e 13 de outubro, das 8h às 18h, no auditório do Museu de Fauna da Caatinga, no Campus Ciências Agrárias (CCA), em Petrolina (PE). As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas até 4 de outubro.

LEIA TAMBÉM: 

Onça-pintada é resgatada em caverna na região de Sento Sé e recebe cuidados no Cemafauna da Univasf

O minicurso é organizado pelo Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna) da Univasf e pelo Programa Amigos da Onça, vinculado ao Instituto Pró-Carnívoro; e conta com o apoio do 72° Batalhão de Infantaria Motorizado de Petrolina. Ao todo, estão disponíveis 30 vagas. Os interessados devem realizar as inscrições pela internet. A taxa de inscrição para estudantes da graduação custa R$ 75,00 e para profissionais da área R$ 150,00.

A formação será ministrada pelos biólogos do Instituto Pró-Carnívoro Joares May e Cláudia Campos. O minicurso visa abordar assuntos relacionados à biologia e ecologia das onças-pardas e pintadas, como os profissionais preparam os pontos de capturas e quais materiais podem ser usados, além de instruí-los para o manuseio de medicamentos durante e pós-contenção do animal.

Prefeitura de Petrolina busca parcerias para combater mortandade de abelhas na região

A situação de mortandade das abelhas tem chamado atenção ao redor do mundo e também no Vale do São Francisco. O tema vem mobilizando a Prefeitura de Petrolina, órgãos ambientais e de demais seguimentos como o Ministério Público de Pernambuco.

Para discutir ações no intuito de evitar a extinção de variadas espécies de abelhas nativas da Caatinga o secretário de Governo e Agricultura (SEGOA), Simão Durando e o diretor-presidente da Agência Municipal de Vigilância Sanitária (AMVS), Marcelo Gama, estiveram reunidos com o coordenador geral do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga), Luiz Cezar Pereira e a ecóloga e pesquisadora do Centro, Aline Andrade.

A parceria entre o Cemafauna e a Prefeitura de Petrolina rendeu. Desde setembro do ano passado, a formação do ‘SOS Abelhas’, um grupo formado por 36 membros com participação de outras instituições como o IF Sertão Petrolina, realiza resgate de abelhas, evitando que muitos enxames sejam exterminados, o que de acordo com a legislação brasileira se configura crime ambiental.

A sede do SOS Resgate de Abelhas da Cidade de Petrolina-PE funciona no Centro de Controle de Zoonoses em Petrolina e disponibiliza telefone para contato: (87) 3867-4774.

Cemafauna coordena investigação sobre morte e desaparecimento de abelhas na região do Vale do São Francisco

(Foto: Divulgação)

Pesquisadores do Centro de Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), estão investigando as possíveis causas de morte e desaparecimento de abelhas na região. A pesquisa foi motivada a partir de um inquérito, instaurado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), após criadores de abelha e produtores de mel relatarem que houve uma diminuição na ocorrência da espécie Apis mellifera, nos últimos anos, sem causa identificada. Para a realização do estudo, o Cemafauna conta com o apoio da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade de Cardiff, no País de Gales.

Para o estudo, o Cemafauna realizou a coleta de abelhas mortas e do mel produzido por essa espécie. “A pesquisa envolveu somente a Apis melliferapor ser a espécie de interesse dos apicultores que diagnosticaram o problema na região”, conta a coordenadora da pesquisa no Cemafauna, a bióloga Aline Andrade. Ela destaca que esta espécie é responsável por grande parte da polinização de frutos. “Embora seja exótica, ela tem ampla distribuição por todo o país, com importante papel ecossistêmico nos serviços de polinização e, consequentemente, na produção de frutos”, explica.

O material coletado foi enviado para a Universidade de São Paulo, para ser analisado por pesquisadores. Nas primeiras análises, foi identificada a presença de substâncias químicas nas cutículas (pele) das abelhas. Estas substâncias são encontradas em pesticidas utilizados nas lavouras agrícolas.

LEIA MAIS

Onça-pintada é resgatada em caverna na região de Sento Sé e recebe cuidados no Cemafauna da Univasf

(Foto: Arquivo/Instituto Pró-Carnívoros)

Em maio deste ano, o Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), abrigou uma hóspede inusitada. Batizada com o nome de Luísa, a onça-pintada (Panther aonca) foi encontrada no dia 2 do referido mês em condições críticas de saúde, presa em uma caverna nas imediações do Parque do Boqueirão da Onça, região de Sento Sé (BA).

A história do resgate da onça Luísa foi relatada pela bióloga Cláudia Campos, na sessão de julho do projeto First Friday, do Cemafauna, realizada no dia 5 deste mês, no auditório do Museu de Fauna da Caatinga, no CCA. A palestrante detalhou todo o processo de salvamento do animal. A ação de resgate contou com a participação do Programa Amigos da Onça, do Instituto Pró-Carnívoros; do Cemafauna; do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado, de Petrolina; e do 9º Grupamento de Bombeiros Militar de Juazeiro (BA).

De acordo com Cláudia, a onça havia sido presa numa caverna por moradores de uma comunidade, após o animal ter raptado uma ovelha de um fazendeiro. Quando recebeu as informações de uma moradora local sobre a onça, Cláudia, que atua como pesquisadora no Parque Nacional do Boqueirão da Onça estava em trabalho de campo nas proximidades da reserva. Como estava sozinha e não sabia ao certo da gravidade do problema, a bióloga precisou reunir uma equipe de profissionais de Petrolina e Juazeiro para fazer o resgate, que foi realizado nos primeiros dias do mês de maio. Participaram da ação, além da bióloga Cláudia, dois veterinários do Cemafauna, Fabrício Lima e Fábio Walker; e um biólogo do Batalhão, Josenilton Rodrigues.

LEIA MAIS

CemaFauna da Univasf leva projeto sobre a Caatinga para escolas públicas de Petrolina

(Foto: Ascom)

Com o tema “Terras de Caatingas: Desenvolvimento Regional e Proteção da Diversidade Biológica”, o Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (CemaFauna) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), por meio do Museu de Fauna da Caatinga, está desenvolvendo uma série de atividades nas escolas da Rede Estadual de Petrolina (PE). O evento é em alusão ao Dia do Planeta Terra, comemorado no dia 22 de abril, e o Dia Nacional da Caatinga, celebrado em 28 de abril. As visitas nas escolas começaram no dia 22 e vão até amanhã (30).

O projeto tem como objetivo sensibilizar a comunidade para as questões de preservação do meio ambiente, em especial o Bioma Caatinga. Sete escolas, que estão localizadas em torno do Campus de Ciências Agrárias (CCA) da Univasf, receberão palestras interativas sobre as pesquisas desenvolvidas pelo CemaFauna e uma mostra de animais empalhados, que fazem parte do acervo do Museu de Fauna da Caatinga.

LEIA MAIS

Cemafauna promove capacitação para manejo de abelhas

(Foto: Ascom)

Entre os dias 26 e 27 de dezembro o Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) promove o segundo ciclo de capacitação de resgate de abelhas a instituições de Petrolina.

Entre os convidados estão o 4º Grupamento de Bombeiros de Petrolina (4º GB), servidores da Secretaria de Saúde e Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA). A capacitação busca conscientizar a população sobre os cuidados e evitar acidentes na captura de abelhas.

“Por este motivo, uma equipe capacitada fazendo uso de técnicas invasivas não letais para as abelhas e com baixo risco à saúde humana é de extrema importância. Da mesma forma, trabalhos em parceria com os órgãos municipais de saúde e educação são necessários para que os enxames resgatados tenham chances de sobrevivência e manejo”, disse a bióloga Aline Andrade.

1ª ‘Semana das Águas’ será realizada, em Petrolina

(Foto: Arquivo)

De 02 a 04 de outubro acontecerá a ‘I Semana das Águas do Rio São Francisco’, uma realização do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga), no auditório do Museu de Fauna da Caatinga, Campus Ciências Agrárias da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Zona Rural de Petrolina (PE).

A I Semana das Águas do Rio São Francisco tem como principal objetivo apresentar à comunidade acadêmica e instituições afins as atividades desenvolvidas pelos laboratórios da Biota. Esses laboratórios se dedicam a pesquisa e execução das atividades do Programa Básico Ambiental 23 (PBA – 23), atuando diretamente no monitoramento de organismos aquáticos do Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF), obra do Ministério da Integração Nacional.

O evento acontecerá no formato de ciclo de palestras, onde em cada dia será abordada uma diferente temática, sendo elas: Diversidade e Conservação, Integridade das Águas e Espécies Invasoras e a Relação Invasoras-Nativas. As inscrições seguem abertas até o dia 24 de setembro, e custa R$15. Clique aqui e se inscreva.

Ataques de pirambebas a banhistas é comum nessa época, explica biólogo da CEMAFAUNA

(Foto: Arquivo)

No começo desse mês o Blog divulgou uma matéria sobre o ataque sofrido por banhistas nas ilhas de Petrolina. O biólogo do Centro de Conservação e Manejo de Fauna (CEMAFAUNA), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Augusto Bentinho explicou que esses ataques são comuns nessa época do ano, devido às chuvas em Minas Gerais e na Bahia, o que altera a coloração da água.

“Estes ataques se repetem anualmente, sempre na época que a água adquire uma coloração barrenta, devido às chuvas nas cabeceiras do rio. Com a mudança de coloração, as pirambebas e outras espécies são estimuladas a se reproduzir e, como uma característica do grupo de espécies das piranhas, colocam seus ovos e fazem de tudo para defendê-los”, explica o biólogo.

LEIA TAMBÉM:

Banhistas são atacados por piranhas em Petrolina

LEIA MAIS

Curso de manejo de serpentes é realizado no Cemafauna Caatinga para turma do CETEP de Juazeiro

Luis Fernando Bezerra, ministrante do curso, fala sobre importância do manejo das serpentes. (Foto: ASCOM)

Conhecer um pouco mais sobre as serpentes que ocorrem na caatinga e como realizar o manuseio correto delas quando necessário foram alguns dos objetivos do ‘Curso de Manejo de Serpentes’ realizado na manhã da última quinta-feira (19), no auditório do Museu de Fauna da Caatinga do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga), em Petrolina (PE), para uma turma de estudantes e professores do Centro de Educação Profissional do Sertão do São Francisco (Cetep) de Juazeiro (BA).

O professor do Cetep, José Valdo Santana Bezerra, coordenador do projeto ‘Conhecendo a Caatinga’ e responsável por solicitar esse curso de manejo de serpentes da caatinga, falou sobre a importância dos estudantes dos cursos técnicos ofertados pela instituição baiana adquirirem cada vez mais consciência quanto à conservação dos animais silvestres.

“Para nós, professores e estudantes, essa oportunidade foi bem proveitosa porque devemos ter o senso de preservação da fauna da caatinga e como estamos numa instituição de ensino onde existe a presença de animais silvestres é importante que saibamos o procedimento correto de capturá-los”, comentou.

José Valdo observou ainda que as informações passadas durante o curso orientaram bem sobre o que fazer quando algum animal peçonhento apareça na estrutura do Cetep. “Dessa forma, podemos contatar os órgãos ambientais competentes para que possam dar o destino adequado, evitando a mortandade desses animais pelos estudantes, professores e demais funcionários”, finalizou.

“É importante perceber que a população está mudando o pensamento quanto a esse grupo de animais que sofre bastante com a ação humana. Foi muito vantajoso justamente pela importância que eles começaram a dar a partir do momento em que buscaram o Cemafauna para saber a forma ideal de manejo e captura de forma responsável”, ressaltou o zootecnista Luis Fernando Bezerra, ministrante do curso e servidor do Cemafauna.

Serpentes no Brasil

De acordo com informações do Instituto Butantan, no Brasil há 392 espécies, de um total de 2.930 espécies de cobras ou serpentes que existem no mundo, das quais 36 são peçonhentas, dividas em duas famílias: Viperidae e Elapidae. Na Caatinga são 52 espécies, sendo dessas apenas três peçonhentas: coral-verdadeira, cascavel e jararaca.

Matar animais silvestres é crime – De acordo com a Lei nº 9.605/98 é crime ambiental matar, perseguir, caçar, apanhar e utilizar espécimes da fauna silvestre sem autorização ou licença, ou ainda advindos de criadouros não legalizados, podendo render multa de R$ 500 a R$ 5 mil por indivíduo, se a espécie estiver em risco de extinção. A entrega voluntária de animais silvestres como está previsto no Artigo 24, parágrafo 5, do Decreto nº 6514/08 do Governo Federal, não acarreta notificações e multas ao infrator, e o processo é encerrado.

Cemafauna promove palestras na área da Primatologia

foto-n3637

Nos dias 8 a 9 de dezembro desse ano, o Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga) e o programa de Pós-graduação Ciências da Saúde e Biológicas da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) promoverão palestras na área da Primatologia com vagas limitadas. A programação acontecerá no auditório do Museu de Fauna da Caatinga, no Cemafauna, que fica no Campus Ciências Agrárias da Univasf, zona rural de Petrolina-PE.

No dia 8 às 14h acontecerá a palestra com tema “Pesquisa científica e conservação de primatas” com o biólogo Rodrigo Salles de Carvalho. Já no dia 9, às 14h, a bióloga Joanna Malukiewicz ministrará o tema “Assinaturas genéticas e fenotípicas de hibridização natural em saguis (Callithix spp)” também no auditório do Museu do Cemafauna.

LEIA MAIS

Cemafauna participa da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2016

cemafauna

Durante o evento acontecerão também palestras, oficinas e minicursos promovidos através da parceria entre o Sesc e outras instituições da região./ Foto: Internet

O Espaço Arte, Ciência e Cultura (EACC) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) participará da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2016 (SNCT) com um estande de experimentos científicos. Esta edição do evento aborda a temática “Ciência alimentando o Brasil” e será realizada de amanhã (18) até sexta-feira (21) no Ginásio do Serviço Social do Comércio (Sesc), em Petrolina (PE). A visitação acontecerá das 8h às 18h e será aberta ao público.

O estande do EACC será composto por um painel sobre o umbu; um experimento sobre erosão do solo, e outro comparando os brotamentos de batata doce com e sem o uso de agrotóxicos; um tubo de acrílico apresentando o perfil do solo da caatinga; um microscópio com cortes de alimentos, e um painel de RGB, onde os participantes poderão ver por meio de diferentes filtros com cores primárias, animais da caatinga que servem como dispersores de alimentos. Os bolsistas do Espaço estarão à disposição do público para esclarecimentos.

LEIA MAIS

Cemafauna participa de soltura branda de aves do projeto Papagaio da Caatinga

papagaio

A soltura monitorada é o primeiro passo para que os animais possam retornar à natureza./Foto: Jaquelyne Costa

Um grupo de 50 papagaios está prestes a voltar à vida livre. Na última terça-feira (19) eles foram levados do recinto de reabilitação no Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga para um viveiro de ambientação em uma área conservada no município de Salgueiro-PE, a cerca de 250 km de Petrolina.

A ação faz parte do projeto “Papagaio da Caatinga” coordenado pelo biólogo Yuri Valença da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), desenvolvido desde junho de 2010 em parceria com instituições como Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e Cemafauna Caatinga para a reabilitação de papagaios que foram mantidos em cativeiro por muito tempo. Nestes seis anos de projeto foram reabilitados, soltos e monitorados mais de 130 animais na área de soltura de Exu. Desde então, estes animais são monitorados, diariamente, conforme a quantidade que volta para se alimentar no recinto de ambientação.

LEIA MAIS

Cemafauna participa da VII Semana de Meio Ambiente da Agrovale, em Juazeiro(BA)

O objetivo da Semana é sensibilizar os funcionários através das atividades ambientais/Foto:ASCOM Cemafauna O objetivo da Semana é sensibilizar os funcionários através das atividades ambientais/Foto:ASCOM Cemafauna

‘Afugentamento e resgate de fauna’ foi o tema abordado pela médica veterinária do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga) Gabriela Felix, durante a VII Semana de Meio Ambiente – Campanha Pegadas Sustentáveis – ‘Quais são as marcas que você quer deixar no planeta’, promovida pela empresa Agrovale, em Juazeiro(BA). O evento segue até o próximo sábado (11), com programação voltada aos oito R’s da sustentabilidade: responsabilizar-se, reduzir, reutilizar, reciclar, respeitar, reparar, repassar e refletir.

De acordo com a analista ambiental da Agrovale Leidiana Coelho, o objetivo da Semana é sensibilizar os funcionários através das atividades ambientais como visitas monitoradas, palestras, sessão de cinema, plantios de mudas, sobre o cuidado e a responsabilidade que cada um possui sobre o meio ambiente. “O nosso objetivo mesmo é convidar os funcionários para praticarem os oito R’s da sustentabilidade e fazemos a pergunta ‘quais são as marcas que você quer deixar no planeta?’ Tentamos sensibilizá-los a cuidar da fauna e flora, fazer uso dos recursos naturais de maneira responsável evitando o desperdício”.

A analista ressaltou ainda a importância de contar com a palestra da médica veterinária Gabriela Felix sobre os procedimentos necessários e cuidados na hora de realizar afugentamento e resgate de fauna, já que a Agrovale possui uma área de 17 mil hectares de plantio de cana-de-açúcar e com um total de 36 mil hectares de fazenda. Durante o período de safra são cerca de quatro mil funcionários e na entressafra são duas mil pessoas desenvolvendo atividades que, algumas vezes, podem prejudicar os animais que habitam o espaço do plantio. “Essa palestra orienta o pessoal como eles devem reagir quando encontrar algum desses animais, qual o comportamento que deve ter e o que fazer caso algum apresente ferimentos ou mesmo retirá-lo do local de risco”, completa.

LEIA MAIS

Concurso Cemafauna: poemas podem ser enviados até amanhã

concurso cemafauna

A temática deverá ser a Ecologia e podem abordar a valorização da fauna ou da flora ou a escassez de recursos naturais

Vai até esta terça-feira (31) as inscrições para o concurso “Meu ambiente com poesia”, promovido pelo Cemafauna da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Ele tem o objetivo de comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado no próximo domingo (05).

Os textos deverão ser escritos na forma de poema. A temática deverá ser a Ecologia e podem abordar a valorização da fauna ou da flora ou a escassez de recursos naturais.

As produções devem ser encaminhadas para o e-mail [email protected] Elas serão publicadas nas páginas de rede social do Cemafauna e no site da instituição. Os 30 melhores textos serão publicados em uma coletânea.

I Curso Introdutório à Falcoaria do Vale do São Francisco será promovido pelo Cemafauna

O curso apresentará com ênfase a Biologia das aves de rapina/Foto:ASCOM

O curso apresentará com ênfase a Biologia das aves de rapina/Foto:ASCOM

O Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga) realizará nos próximos dias 11 e 12 de junho, o I Curso Introdutório à Falcoaria do Vale do São Francisco com carga horária de oito horas, no auditório do Museu de Fauna da Caatinga, Campus de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). As inscrições são presenciais e seguem até o dia oito de junho.

O curso apresentará com ênfase a Biologia das aves de rapina; História, Legislação e equipamentos da Falcoaria; Treinamento e manejo em cativeiro; Reabilitação e reintrodução; Prática de implante de penas e Prática em campo. O ministrante é o falcoeiro Lucas Cabral, membro da Associação Nordeste de Falcoaria, estudante do curso de Medicina Veterinária da Universidade do Vale do São Francisco e estagiário do Cemafauna.

LEIA MAIS
12