Equipes da Prefeitura de Petrolina fazem reunião para discutir estratégias no período chuvoso

Reunião busca antever problemas (Foto: Ascom)

A previsão de chuva e os alertas emitidos constantemente pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) levaram a Defesa Civil de Petrolina a organizar uma reunião extraordinária na sexta-feira (24), para discutir estratégias no acolhimento da população atingida nos últimos dias. A reunião no Centro Municipal de Ensino e Pesquisa em Segurança Pública, no Parque Municipal Josepha Coelho.

Estiveram presentes servidores das secretarias de Desenvolvimento Urbano e Habitação – incluindo a Defesa Civil e Secretaria Executiva de Segurança Pública – e da pasta de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. No encontro foram discutidos possíveis locais para encaminhar a comunidade que necessite de assistência, no caso de haver desabrigados.

A previsão da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) é de chuva até o final do mês. Para hoje (25) não há alerta do INMET, mas as ações são de caráter preventivo e antecipam possíveis problemas futuros.

Equipes da Defesa Civil de Petrolina estão nas ruas fazendo levantamento de bairros afetados pela chuva

Equipes estão monitorando bairros afetados (Foto: Thamires Santos/Cortesia)

A chuva enfim deu uma trégua em Petrolina nessa quarta-feira (22) e a Prefeitura de Petrolina informou que já está com a equipe da Defesa Civil rodando os bairros afetados. Membros das secretarias de Desenvolvimento Urbano e Habitação; Infraestrutura e Serviços Públicos; e Desenvolvimento Social e Direitos Humanos encabeçam as ações.

LEIA TAMBÉM

Apac prevê chuvas até a próxima semana no Sertão do São Francisco; INMET tem alerta para região

Segundo a Prefeitura, o principal agora é observar “os principais pontos de alagamento e identificando os locais que precisam de ações imediatas, como drenagem da água acumulada e retirada das árvores que foram derrubadas”. Nos casos mais graves, com relatos de desabrigados, as equipes deverão ofertar abrigo e alimentação às famílias.

“A população que identificar danos provocados pela chuva pode acionar a Defesa Civil pela Central de Atendimentos, no telefone 153“, ressalta a nota. Petrolina tem alerta de perigo potencial, emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), válido até às 10h desta quinta-feira (23).

Secretário apresenta balanço dos danos provocados por fortes chuvas em Petrolina

Prefeitura faz balanço das ações nessa manhã

Durante participação por telefone no programa Super Manhã com Waldiney Passos, na Rádio Jornal Petrolina, nessa terça-feira (7) o secretário-executivo de Serviços Públicos, Alisson Oliveira fez um balanço da situação observada no município ao longo da manhã.

LEIA TAMBÉM:

Petrolina: Seinfra inicia retirada de árvores caídas após chuvas

Leitores registram alagamentos e quedas de árvores após chuvas na região

Parnamirim registra mais de 50 mm de chuva em 24 horas, segundo Apac

“Estamos andando a cidade, os quatro cantos observando as necessidades. Já giramos alguns quantos, como o Henrique Leite e observando a necessidade de se fazer algumas intercorrências de forma acelerada“, disse Alisson.

Petrolina: Seinfra inicia retirada de árvores caídas após chuvas

Retirada de árvores começou ainda durante a madrugada (Foto: Ascom/PMP)

Conforme o Blog mostrou mais cedo, as equipes da Prefeitura de Petrolina estão nas ruas desde a madrugada monitorando os problemas causados pelas chuvas de segunda-feira (6). Em nota, a Secretaria de Infraestrutura, Mobilidade e Serviços Públicos (Seinfra) informou já estar removendo as árvores caídas.

LEIA TAMBÉM:

Leitores registram alagamentos e quedas de árvores após chuvas na região

“Os transtornos causados estão sendo localizados e as providências cabíveis estão sendo tomadas“, ressalta a nota. Quem tiver alguma demanda urgente deve acionar a Defesa Civil através do número 153.

Em relação às demandas como limpeza e remoção de árvores e postes, a Prefeitura destaca que “as equipes seguem de prontidão para atendimentos emergenciais, além de continuarem com a ronda pelos bairros do município para identificar e solucionar demais problemas”.

Defesa Civil de Petrolina segue acompanhando previsões meteorológicas e monitorando áreas do município

(Foto: Blog Waldiney Passos)

A chuva desta terça-feira (31), pegou os sertanejos de surpresa. Em Petrolina (PE), segundo a Defesa Civil, as chuvas duraram aproximadamente  três horas, e as precipitações foram entre 21 e 31 milímetros.

LEIA TAMBÉM

Petrolina registra vários pontos de alagamento após chuva; equipes da Prefeitura estão visitando localidades

Em pleno réveillon, moradores de alguns bairros de Petrolina enfrentam os transtornos provocados pela chuva. Em nota enviada ao Blog Waldiney Passos, a Defesa Civil informou que, “até o momento, não foram identificadas áreas em situação de risco devido às chuvas que ocorreram nesta terça-feira (31), há apenas registros de alagamentos em alguns pontos da cidade.”

“A Defesa Civil vai continuar acompanhando as previsões meteorológicas e monitorando regiões do município caso a chuva persista nos próximos dias”, completa a nota.

Petrolina registra vários pontos de alagamento após chuva; equipes da Prefeitura estão visitando localidades

Avenida dos Minérios, no Dom Avelar registrou problemas hoje (Foto: Thamires Santos/Cortesia)

A chuva dessa terça-feira (31) foi muito celebrada pelos petrolinenses, mas por outro lado trouxe preocupação aos moradores dos bairros periféricos. Desde o início da manhã algumas vias do Centro já registravam alagamento e nas comunidades mais afastadas a situação é semelhante.

Centro de Petrolina (Foto: Blog Waldiney Passos)

A Avenida dos Minérios, no bairro Dom Avelar ficou debaixo d’água, mas segundo informações coletadas pela nossa equipe, até o momento não há registro de maiores danos aos moradores. No Centro, as vias próximas ao River Shopping também alagaram. Já nas Palhinhas o canal extravasou e a água tomou boa parte da pista.

Equipes nas ruas

Em vídeo no seu Instagram, o prefeito Miguel Coelho (MDB) orientou a população para acionar a Defesa Civil através do 153. “Vou rodar os bairros com toda a equipe da Prefeitura, essa chuva começou desde a madrugada. A chuva no Sertão é motivo de alegria, mas infelizmente alguns bairros não têm condições de absorver toda água”, disse Miguel.

Incêndio que destruiu caatinga está controlado, afirma Defesa Civil de Abaré

Foram quase 13 horas de combate às chamas (Foto: Reprodução)

O incêndio que começou na tarde da última quinta-feira (24) Projeto de Irrigação Pedra Branca, em Abaré (BA), foi controlado pela madrugada. Segundo a Defesa Civil do município, as equipes conseguiram apagar as chamas por volta de 3h da manhã dessa sexta-feira (25).

Foram quase 13 horas de combate às chamas. Ainda não é possível saber a área total destruída, mas a Defesa Civil estima que pelo menos 10 hectares da caatinga – o correspondente a 10 campos de futebol – tenham sido destruídos devido ao fogo.

O combate reuniu uma força-tarefa com bombeiros militares de Jacobina e Paulo Afonso, além de voluntários de outras cidades. Pelo menos cinco ovelhas que estavam em uma propriedade rural morreram no incêndio. Até o momento não se sabe a causa das chamas. (Com informações do G1 Bahia).

Técnicos atestam rompimento na estrutura de barragem na Bahia

(Foto: Secom/BA)

O Governo da Bahia confirmou hoje (12) o rompimento da barragem do Quati, localizada na cidade de Pedro Alexandre. Técnicos estiveram no local durante a manhã dessa sexta-feira e constataram uma ruptura na estrutura.

Isso provocou o transbordamento da barragem, com rachadura nas laterais. No entanto, a pressão da água acabou provocando rompimento parcial do equipamento. Uma nova vistoria será realizada durante a tarde para verificar a extensão dos danos.

LEIA TAMBÉM:

Barragem se rompe em Pedro Alexandre, na Bahia, e afeta cidade vizinha

Vizinha a Pedro Alexandre, Coronel João Sá foi a cidade mais afetada. Um dia após o rompimento os moradores de puderam voltar às suas casas. Apesar do susto que os moradores levaram ontem, até o momento não há registro de mortos ou feridos.

A Defesa Civil atua em conjunto com a polícia e bombeiros, levantando informações sobre atingidos e os prejuízos causados com o rompimento. Cerca de 48 bombeiros estão nas duas cidades e outros militares estão de prontidão para seguirem para as cidades atingidas em caso de necessidade. (Com informações de A Tarde e G1).

Após forte chuva, Prefeitura de Jacobina monitora pontos críticos e trabalha em regime de plantão 

Segundo Defesa Civil choveu 180 mm em três horas (Foto: Ascom/PMJ)

Jacobina (BA) amanheceu nessa quarta-feira (3) em alerta por causa da forte chuva que caiu durante a madrugada de ontem (2). Com a força da água, carros foram arrastados e um canal chegou a se romper. Desde então a Prefeitura montou um esquema de plantão para tentar sanar os problemas.

Segundo a Defesa Civil, entre 1h30 e 4h choveu 180 mm e tanto sede, quanto interior foram afetados. Três desmoronamentos na zona urbana foram registrados ontem, em decorrência da chuva. No interior, na BR-324 pelo menos cinco árvores tombaram e também houve deslizamento de terra.

LEIA TAMBÉM:

Forte chuva durante a madrugada arrasta carros e provoca prejuízos em Jacobina

A previsão do tempo para as próximas 48 horas é de mais chuva, o que eleva o estado de alerta no município. Os moradores que estiverem em áreas de risco podem solicitar apoio da Prefeitura pelo telefone da Guarda Civil Municipal (153), da Coordenação de Habitação (3622-0232) e da Defesa Civil (7499816-3529).

Segundo o Instituto Climatempo, a manhã será de tempo firme, porém, durante a tarde e noite há previsão de pancadas de chuva. Estima-se que chova aproximadamente 20 mm apenas nessa quarta.

Forte chuva durante a madrugada arrasta carros e provoca prejuízos em Jacobina

Chuva caiu no começo da madrugada e trouxe prejuízos (Foto: Augusto Urgente)

A chuva que caiu em Jacobina (BA) desde a madrugada trouxe uma série de prejuízos aos moradores. O cais do Rio do Ouro, no Centro da cidade chegou a ceder devido ao nível de água acumulada. Segundo a Defesa Civil, entre 3h e 6h dessa terça-feira (2) choveu 140 milímetros.

Já o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) afirma que choveu 162,6 mm. Com a força da água carros foram arrastados e vários imóveis ficaram alagados. A Defesa Civil trabalha monitorando a situação e busca amenizar os prejuízos.

A população pode acionar as equipes através do número (74) 99816-3529 que também é WhatsApp. (Com informações de Bahia Notícias e Augusto Urgente).

Para evitar rompimentos, Prefeitura e Defesa Civil vistoriam barragens na zona rural de Petrolina

Barragens da zona rural de Petrolina passam por vistorias. (Foto: Arquivo/SEGOA)

Na última semana, a Prefeitura de Petrolina e a Defesa Civil vistoriaram as barragens das comunidades de Almas, Baixa Alegre e Poço da Pedra para verificar infraestrutura das mesmas e assim avaliar possíveis riscos de rompimento. A ação foi coordenada pela Secretaria de Governo e Agricultura e atende uma demanda dos moradores de Cristália que haviam se reunido com o gestor da pasta, Simão Durando, no início deste mês.

“Nós fomos in loco para verificar a real situação das barragens que apontam risco de rompimento já que apresentam muitas rachaduras e levamos a equipe da Defesa Civil para que possa emitir um relatório. Feito isto, a Prefeitura de Petrolina começará os reparos necessários para que essa água, tão escassa no nosso município, não seja desperdiçada por vazamentos devido às rachaduras”, afirma o secretário de Governo e Agricultura, Simão Durando.

A previsão é de que até a próxima quarta-feira (13), o relatório seja entregue à Secretaria que montará o cronograma para o início das obras de reparo dos equipamentos o mais breve possível, proporcionando assim, mais segurança hídrica nas localidades. Posteriormente, o relatório será enviado para a Defesa Civil de Pernambuco e Governo do Estado, principal responsável pela manutenção dessas barragens.

Jacobina: chuva alaga Centro e vários bairros da cidade, Defesa Civil analisa danos

(Foto: Reprodução/Augusto Urgente)

Jacobina (BA) amanheceu debaixo d’água nessa quinta-feira (14). O município registrou uma forte chuva no começo da manhã, que deixou vários bairros alagados. Há relatos de deslizamentos de terra e desabamento de teto de alguns imóveis.

As escolas municipais ficaram fechadas em consequência da chuva. Segundo a Defesa Civil uma mulher foi arrastada pela água, mas foi socorrida e liberada. Ela não teve ferimentos e sua identidade não foi relevada.

A Defesa Civil informou à população que está monitorando a situação e avaliando os prejuízos estruturais. “Orientamos a todos, que cuidados básicos são necessários, sobre tudo evitar lixo próximo a esgotos e bocas de lobo. Estamos trabalhando com o apoio da Guarda Civil Municipal de Jacobina, atendendo por meio do 153”, informa a nota publicada pela Prefeitura. Com informações do G1 Bahia e Bahia Notícias.

Após chuvas, moradores do Maria Auxiliadora chamam atenção para árvore que está prestes a cair

Foram apenas dois dias com chuva na região, mas os estragos causados pela ventania de segunda-feira passada (28) e sábado (2) ainda podem ser vistos pelas ruas de Petrolina. Árvores tombaram e outras estão prestes a tombar, como é o caso de um eucalipto no bairro Maria Auxiliadora.

Moradores de um condomínio entraram em contato com o Blog Waldiney Passos para fazer um clamor. A árvore deveria ter sido removida há alguns anos, mas apesar de haver autorização da Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA), a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) não compareceu para desligar a energia, de acordo com a comunidade.

O problema ganhou outras proporções e hoje pela manhã alguns galhos caíram nos veículos estacionados no condomínio. Por sorte ninguém estava no estacionamento na hora. “Já tivemos muitos acidentes com essa árvore e agora está em iminência de desabar. Só vão olhar quando acontecer uma tragédia?”, questionou uma moradora.

Outro lado

Nossa produção entrou em contato com a Prefeitura de Petrolina. De acordo com o município a remoção de árvores no período de chuva está sendo realizada pela Defesa Civil em conjunto com a Secretaria-executiva de Serviços Públicos.

“O cidadão deve registar a demanda na Central de Operações da Guarda Civil para que a Defesa Civil possa ir ao local vistoriar”, informou a Prefeitura. Caso seja identificado o risco, a SEINFRA é autorizada a remover a árvore. A solicitação pode ser feita por telefone ou pessoalmente.

Miguel Coelho acredita que ações devem evitar que rejeitos de Brumadinho atinjam São Francisco

Animais e seres humanos continuam sob lama desde sexta-feira (Foto: Rodney Costa/Getty Images)

Presente na audiência sobre o Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) nessa terça-feira (29), o prefeito Miguel Coelho comentou a situação de Brumadinho (MG) e se disse preocupado com uma possível chegada dos rejeitos ao rio São Francisco, mas afirmou que a situação vem sendo monitorada.

“A gente está preocupado sim, mas tanto a Defesa Civil Municipal quanto a do Estado têm monitorado [a situação]. A gente tem mantido contato com a Defesa Civil da Bahia também, porque se chega aqui, chega na Bahia antes, para que a gente possa tomar todas as medidas”, informou.

LEIA TAMBÉM:

Plano Municipal de Saneamento é debatido por entidades de Petrolina na manhã de hoje

Segundo o prefeito, as informações federais e estaduais indicam que a possibilidade dos rejeitos atingiram o Velho Chico é pequena. “[As ações são para] que esse sedimento possa ficar contido já na barragem de Baixo Retiro, a primeira antes de chegar em Três Marias e caso chegue em Três Marias eles já estão preparados em fechar a barragem, exatamente para evitar que contamine o São Francisco”, destacou à imprensa local.

Sobe para 60 o número de mortos em Brumadinho

(Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

O número de mortos em Brumadinho (MG) subiu para 60, informou o novo boletim divulgado por volta de 10h30, horário de Brasília, dessa segunda-feira (28). As informações são da Defesa Civil e polícias Civil e Militar de Minas Gerais.

292 pessoas continuam desaparecidas, 192 foram resgatadas e 19 corpos já foram identificados. Os corpos que são resgatados são encaminhados para o IML para identificação. “Os óbitos contabilizados são os que o bombeiro localiza, faz o resgate e caminha para o IML”, afirmou tenente-coronel Flavio Godinho, porta-voz da Defesa Civil de Minas Gerais.

Seis das 9 pessoas encaminhadas ao Hospital de Pronto Socorro de Brumadinho seguem internadas. Outras 135 pessoas estão desabrigadas na cidade, informou a Defesa Civil. Uma entrevista coletiva deve ser realizada ainda nessa manhã e o número de mortos deve ser atualizado. Com informações de G1 e Band.

12