Bolsonaristas criticam decisão do STF de manter Silveira preso

Bolsonaristas reagiram à decisão do STF desta 4ª feira (17.fev.2021) de manter a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), detido na noite de 3ª feira (16.fev) depois de divulgar um vídeo no Youtube com ofensas aos magistrados da Corte.

Na gravação, o deputado xingou vários ministros do STF e fez acusações a eles. Disse que alguns magistrados recebem dinheiro de maneira ilegal pelas decisões que tomam. Leia aqui a transcrição do que disse o deputado no vídeo.

A decisão repercutiu nas redes sociais. Até as 16h30 desta tarde, o assunto “O STF” já somava mais de 320 mil menções no Twitter. Chegou a ser o 4º assunto mais comentados na rede. Personalidades como o vereador e filho do presidente, Carlos Bolsonaro (Republicanos-EJ), os deputados Otoni de Paula (PSC-RJ), Marcio Labre (PSL-RJ), e o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub se manifestaram nas redes sociais. Leia as publicações abaixo.

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) se manifestou na manhã desta 4ª feira (17.fev) sobre a prisão de Daniel Silveira. Disse estar com o “estômago embrulhado”.

Deputado bolsonarista Otoni de Paula (PSC-RJ) questionou a constitucionalidade da decisão do Supremo. O congressista também defendeu que as declarações do deputado Silveira deveriam ser levadas e debatidas no Conselho de Ética da Câmara.

O deputado Marcelo Ramos (PL-AM), integrante da mesa diretora da Câmara, compactuou com a decisão tomada pelo STF. Disse que a conduta do deputado é “muito grave”, já que atenta a “ordem democrática e independência dos Poderes”.

Já Marcio Labre (PSL-RJ), colega de partido de Silveira, pediu a soltura do deputado ainda hoje. Em vídeo, afirmou que a prisão é “abusiva” e pediu que o Senado paute a votação de impeachment do ministro Alexandre de Moraes, que assinou a decisão de prisão na noite de 3ª feira (16.fev).

O ex-ministro da Educação Abraham Weintraub divulgou uma conversa do Whastapp que teve com o Daniel Silveira na tarde de ontem.

Na troca de mensagens, Weintraub elogia o vídeo em que o deputado xinga a Corte do Supremo: “meu irmão, que porrada esse seu vídeo no Youtube”. Silveira responde: “Meu amigo, falei de você também. Ninguém aguenta mais esses merdas”.

75% dos brasileiros apoiam a democracia, afirma Datafolha

Uma pesquisa divulgada nesse domingo (28) pelo Instituto Datafolha indica que 75% dos brasileiros são favoráveis ao regime democrático. Esse percentual é recorde até então nunca registrado desde 1989, quando o país ainda estava colhendo os frutos da redemocratização.

O levantamento foi realizado entre 23 e 24 de junho com. Apenas 10% da população ouvida diz que a ditadura é necessária em algumas situações, 2% a menos do que o último levantamento do próprio Datafolha. 12% entendem que tanto faz o tipo de regime de governo.

Opinião por renda

Os mais ricos e escolarizados são os que mais endossam a opção democrática. Os que possuem ensino fundamental, o percentual dos que defendem esse regime é de 66% e chega a 91% entre os que têm nível superior. No grupo de quem ganha até 2 salários mínimos, a preferência pela democracia é de 69%. Esse percentual vai a 87% entre os que recebem mais de 10 salários mínimos. (Com informações do poder 360).

PSB pede que filiados não participem de atos por temor de instrumentalização por Bolsonaro

A direção do PSB decidiu solicitar aos seus afiliados e apoiadores que não participem das manifestações em defesa da democracia marcadas para o domingo (7) em diversas cidades pelo país.

Em nota assinada pelo seu presidente, Carlos Siqueira, e intitulada “Ainda não é hora de tomar as ruas”, o partido diz que sua decisão é embasada pelas limitações sanitárias exigidas e também pelo temor de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aproveite as manifestações para ter uma reação radical e antidemocrática.

A nota destaca que a realização de grandes aglomerações no momento pode fazer com que a disseminação do novo coronavírus piore, o que seria preocupante “diante da flagrante fragilidade da atenção à saúde”, diz a nota.

O PSB pondera que grupos infiltrados podem criar situações que favoreceriam uma “repressão proporcional aos movimentos” e também “uma reação governamental, que pode implicar o uso de medidas de exceção, o que este governo autoritário demonstra ser de seu interesse”.

O pedido do partido, então, é para que as manifestações em defesa da democracia sejam mantidas nas redes sociais, “que tem sido até aqui o principal e mais efetivo veículo para a mobilização dos democratas”.

“Para vencer neste momento delicado da vida política nacional, o campo democrático deve ser o mais amplo possível e articular estratégias próprias, evitando cair nas armadilhas que propõem os defensores do arbítrio. Neste momento eles desejam disseminar a desordem, e nós precisamos, ao contrário, da serenidade firme e do comedimento dos que sabem que são maioria”, conclui a nota.

Véspera do segundo turno será marcada por atos pró-Bolsonaro e Haddad

(Foto: Ilustração)

O sábado (27) será dedicado à manifestações a favor dos dois candidatos à Presidência da República. Em Petrolina, a partir das 9h eleitores e simpatizantes de Fernando Haddad (PT) se reúnem na Praça do Bambuzinho em defesa da democracia e contra o fascismo, de acordo com os organizadores do evento.

Em Juazeiro (BA) eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) fazem o último ato no Vale do São Francisco em apoio ao nome do deputado federal do Rio de Janeiro. A concentração está marcada para 15h no Vaporzinho, na Orla Nova. A coordenação do ato pede aos participantes que vistam suas camisas amarelas e com o rosto de Bolsonaro, além de levar bandeiras do Brasil.

O segundo turno acontece neste domingo (28). Tanto na Bahia quanto em Pernambuco os eleitores elegeram seus governadores em primeiro turno, restando apenas a escolha para presidente da República.

Crise? Partidos receberam R$ 1,3 bilhão para financiar campanha eleitoral

Do total de R$ 1,7 bilhão do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mandou pagar cerca de R$ 1,3 bilhão para 22 dos 35 partidos políticos que têm direito aos recursos.

Segundo o tribunal, DEM, Avante, PRB, Pros, PSC, PT, PTC, MDB, Patri, PHS, PMN, Pode, PPS, PR, PRP, PRTB, PSD, PSDB, PSL, PSOL, PV e SD receberam a verba para financiar a campanha eleitoral.

Mais 12 legendas – PSTU, PDT, PMB, PP, PTB, Rede, PCB, PCdoB, DC, PCO, PPL e PSB – tiveram o processo aprovado, e o TSE deve emitir as ordens de pagamento nos próximos dias. O partido Novo ainda não indicou ao TSE os critérios de distribuição do fundo para receber sua quota.

O Novo já se declarou contra a aplicação de recursos públicos no financiamento dos partidos e das campanhas eleitorais. “O Novo é mantido por seus filiados e doadores, não pelos impostos, pagos pelo cidadão”, diz o partido, que tem 19.026 filiados, segundo dados disponíveis no portal do TSE.

A legenda tem direito a R$ 980.691,10 do Fundo Especial de Financiamento de Campanha. Conforme o TSE, se o Novo não requisitar sua parcela do fundo, o valor será devolvido ao Tesouro Nacional até o fim deste ano.

Para receber os recursos do fundo, os partidos têm de formalizar o pedido no TSE e mandar a ata da reunião do diretório nacional que definiu os parâmetros de distribuição da verba. Entre os critérios, obrigatoriamente está a destinação de 30% do total para o custeio das campanhas das candidatas de cada partido.

O FEFC foi criado no ano passado, como parte da reforma política aprovada pelo Congresso Nacional. Os recursos estão previstos no Orçamento Geral da União e são a principal fonte de custeio das campanhas eleitorais, após a proibição das doações de empresas.

Veja a quanto cada partido tem direito

LEIA MAIS

Impeachment foi ‘tropeço da democracia’, diz Lewandowski

(Foto: Internet)

O ministro fazia considerações sobre a participação popular na democracia brasileira(Foto: Internet)

Ricardo Lewandowski, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou, nesta segunda-feira (26), que o processo de impeachment, que destituiu Dilma Rousseff do cargo de presidente da república, foi um “tropeço na democracia” do Brasil.

A declaração foi publicada pela revista “Carta Capital”, de acordo com uma gravação de trechos de uma aula que Lewandowski ministrou na Faculdade de Direito da USP, da qual é professor titular. Lewandowski, que presidiu o julgamento da ex-presidente no Senado, fazia considerações sobre a participação popular na democracia brasileira quando passou a falar sobre a deposição da petista.

“[Esse impeachment] encerra novamente um ciclo daqueles aos quais eu me referi. A cada 25, 30 anos, no Brasil, nós temos um tropeço na nossa democracia. O presidencialismo de coalizão saiu disso [da falta de participação popular], com grande número de partidos políticos, até por erro do Supremo, que acabou com a cláusula de barreira, e deu no que deu”, afirmou.

Diocese de Juazeiro realiza Grito dos Excluídos e abre desfile de 7 de setembro

grito

“Este sistema é insuportável: exclui, degrada, mata!” é lema da 22ª edição do Grito dos Excluídos, que tem como tema “Vida em primeiro lugar”. A mobilização, com auge em 7 de Setembro, dia da Independência do Brasil, questiona e denuncia as várias formas de desigualdades do país, apontando qual o real papel do Estado diante das exclusões.

A Diocese de Juazeiro reporta-se à questão da luta em parceria com os Movimentos sociais, entidades, associações e organizações de base, e convoca a sociedade para participar do ato com concentração às 7h, no início da orla II da cidade.

LEIA MAIS

Gleisi Hoffmann ataca impeachment de Dilma e denúncia contra Lula

(Waldemir Barreto/Agência Senado)

Gleisi também protestou contra o fato de o ex-presidente Lula ter se tornado réu. (Waldemir Barreto/Agência Senado)

Em pronunciamento nesta segunda-feira (1º), a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) manifestou repúdio ao que chamou de golpe parlamentar que estaria sendo praticado pelo Senado, acrescentando que a Casa jamais vai se esquecer dessa mácula, caso decida em favor do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff.

“O golpe, ou a ruptura democrática, está sendo executado por baixo de um manto sofisticado, que pretende tirar o mandato de uma presidente honesta e legitimamente eleita por 54 milhões de brasileiros”, disse a senadora.

LEIA MAIS

Começa por Petrolina a Caravana em Defesa da Democracia de Pernambuco

(Foto: ASCOM)

(Foto: ASCOM)

Nesta segunda-feira (4) Pernambuco lançará a primeira edição da Caravana em Defesa da Democracia. A iniciativa visa reforçar as manifestações que a Frente Brasil Popular (FBP) em Pernambuco e em Petrolina vêm realizando contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), contra o governo interino do vice-presidente Michel Temer (PMDB) e em defesa dos direitos sociais e trabalhistas conquistados nos últimos anos que encontram-se ameaçados pelo Governo Temer.

Às 15h, na praça do Bambuzinho, um ato público irá marcar o lançamento da Caravana, no centro de Petrolina, de onde partirá a caravana que percorrerá vários municípios pernambucanos até o dia 13 deste mês. Mas antes, pela manhã, com o apoio da Frente em Juazeiro (BA), os participantes serão recebidos com um café da manhã no espaço de convivência da Univasf (Universidade Federal do Vale do São Francisco), campus localizado na vizinha cidade baiana.

LEIA MAIS

Trabalhadores em marcha pela democracia no Recife, neste 1º de maio

Manifestações PT

Marcha pela democracia saiu da Praça do Derby e seguiu pela Avenida Conde da Boa Vista até o Marco Zero do Recife

Cerca de 15 mil pessoas, na avaliação da Central Única dos Trabalhadores (CUT-PE), participaram neste domingo, 1º de maio, Dia do Trabalho, da marcha pela democracia, no Centro do Recife. A concentração começou às 9h na Praça do Derby, que está abrigando, desde a semana passada, o acampamento popular em defesa da democracia. Duas horas depois, debaixo de chuva, a passeata deixou a praça para seguir pela Avenida Conde da Boa Vista.

“Nós não temos medo de chuva, de fascista e de golpista. A chuva é um bem, é São Pedro nos abençoando e nos dando um banho de energia para renovarmos as nossas forças e enfrentarmos esses tempos difíceis”, afirma o presidente da CUT-PE, Carlos Veras, durante a manifestação pacífica, que levou duras horas no trajeto do Derby ao Marco Zero do Recife.

LEIA MAIS

Ato contra o impeachment da presidente Dilma movimenta Centro de Petrolina na manhã deste sábado (30)

No ato deste sábado(30), a organização espera um público de mais de dois mil participantes/Foto: Assessoria

No ato deste sábado(30), a organização espera um público de mais de dois mil participantes/Foto: Assessoria

A Frente Brasil Popular de Petrolina promove neste sábado (30), o Ato pela Democracia e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. A programação tem início a partir das 8h com uma concentração no Acampamento, na Praça Dom Malan, ao lado da Catedral. Em seguida, por volta das 10h, começa a caminhada pelas principais avenidas de Petrolina. A organização espera um público de mais de duas mil pessoas.

O evento é parte da programação do Acampamento Popular pela Democracia e Contra o Golpe montado desde a última quinta (28).

 A manifestação sai da Praça Dom Malan, segue pela   Rua Dom Vital, passa pelo Mercado do Turista, retorna pelas Avenidas Souza Filho e Guararapes em direção ao Acampamento, quando acontece o encerramento oficial do ato.

No percurso haverá falas de lideranças das organizações e entidades que fazem a Frente Brasil Popular na cidade, apresentação do Batuque do Levante Popular da Juventude, distribuição do Jornal Brasil de Fato feito pela coordenação de comunicação da Frente no Recife, além de palavras de ordem contra o processo de impeachment e a favor da democracia.

  A Frente Brasil Popular de Petrolina é formada por 20 organizações  como movimentos sociais, sindicatos, centrais sindicais, movimento estudantil e partidos de esquerda como PT e PC do B.

Com informações da Assessoria

Coordenador estadual do MST e presidente da CUT-PE abrem Acampamento Popular pela Democracia em Petrolina

 

ARTE BANNER ACAMPAMENTO POPULAR DEMOCRACIA

Jaime Amorim, coordenador estadual do MST e Carlos Veras, presidente da CUT-PE (Central Única dos Trabalhadores em Pernambuco), abrem na noite desta quarta(27), o Acampamento Democrático Popular pela Democracia, em Petrolina. O ato acontece na Tenda da Democracia que será erguida na estrutura do acampamento montado na Praça Dom Malan, próximo à Igreja Catedral, no centro da cidade.

O  Acampamento Popular pela Democracia é uma proposta da Frente Brasil Popular (FBP) em todo o Brasil. O movimento segue até domingo, dia 1 de maio, quando está previsto um grande ato em defesa dos trabalhadores, por conta do Dia do Trabalho.

Até domingo, haverá programação diária no local, com oficinas diversas, música, artesanato, plenárias, debates e atos culturais. O movimento foca ações contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e reforça a importância da democracia no país como vetor essencial de liberdade e respeito à população.

Com informações da Assessoria

 

Frente Brasil Popular realiza ato político cultural em Petrolina

Dr. Ari Cardona

Médico e professor Ari Cardona / Foto Waldiney Passos

A Frente Brasil Popular vai realizar às 19h, desta quinta-feira (14), em frente a biblioteca da Univasf, um ato político cultural que deve reunir além de alunos da instituição, artistas, poetas e cantores da região que vão manifestação a defesa pela democracia.

“Agente vive um momento muito complicado em nosso país com os ânimos muito acirradas e é até natural que de certa forma isso aconteça, mas é hoje à noite vamos realizar um ato pra mostrar que as coisas podem ser diferentes”, comentou o médico e integrante do movimento Ari Cardona ao reforçar o convite para o movimento.