Denúncia: Luvas usadas por profissionais do Hospital Universitário de Petrolina no manuseio a pacientes com Covid-19 estão sendo reutilizadas

A denúncia foi feita por profissionais da saúde do município de Petrolina, Sertão de Pernambuco, que são lotados no Hospital Universitário, ao Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindsemp), Walber Lins. Segundo os servidores, as luvas de borracha que são utilizadas pelos técnicos de enfermagem e enfermeiros nos pacientes com coronavírus estão sendo reaproveitadas.

De acordo com as informações recebidas pelo Sindsemp, as luvas são lavadas e devolvidas aos profissionais de saúde para uso, perdendo qualidade no material que garante o isolamento do vírus no contato com a pessoa contaminada. As informações do Sindicato dão conta de que 80 servidores municipais da saúde trabalham no Hospital Universitário, antigo Hospital de Traumas, além de todo o corpo de profissionais da EBESERH – Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares.

LEIA MAIS

Representante de vereador estaria cobrando dinheiro da população para serviços nas estradas rurais, denuncia Gaturiano Cigano

Vereador denunciou uso de máquina pública

Durante a sessão dessa quinta-feira (15), Gaturiano Cigano (Republicanos) apresentou uma denúncia aos colegas da Casa Plínio Amorim. Ele afirmou que há representantes dos próprios vereadores cobrando dinheiro da população rural, para que os serviços nas estradas do interior sejam feitos.

“Quero chamar atenção do meu líder [Aero Cruz], chamar atenção do secretário [Orlando] Tolentino. A gente espera que não passe de boatos. Mas na verdade, eu sei que não são boatos. A máquina da Prefeitura está passando por algumas estradas de Uruás, Caititu, Baixa Alegre e [tem] vereador dessa Casa que ele tá pagando a máquina da Prefeitura. Isso é grave. A máquina é da Prefeitura. A máquina não é do prefeito, não é do vereador e muito menos de representante de vereador“, afirmou.

Em seguida, Gaturiano afirmou que há cobrança indevida pelos serviços públicos. “O que mais me deixa indignado é o povo ter que pagar uma coisa que é de direito seu. E tem assessor e representante de vereador cobrando dos moradores, para que a máquina da Prefeitura [vá] passar nas estradas. Tenho certeza de que o nosso secretário e o nosso prefeito não têm ciência disso”, ressaltou Gaturiano.

LEIA MAIS

Comitê acusa Univasf de descaso com estudantes e trabalhadores terceirizados da instituição

(Foto: Arquivo)

O Comitê em Defesa dos Trabalhadores Terceirizados (CDT) enviou nota na tarde desta sexta-feira (9) ao blog Waldiney Passos acusando a Univasf de descaso em relação a estudantes e trabalhadores de uma empresa terceirizada chamada Terceirize Serviços que encerrou o contrato com a Universidade e está demitindo os funcionários, incluindo motoristas, sem pagamento dos direitos trabalhistas, segundo eles.

Os trabalhadores também reclamam que, durante a pandemia não tiveram direito a quarentena plena, tendo que ocupar seus postos mesmo que as aulas na UNIVASF não estivessem ocorrendo presencialmente. segundo comitê, foram enviados alguns e-mails para a reitoria com uma carta que solicitava alguns direitos mínimos para estes trabalhadores. Mesmo enviada mais de uma vez, até hoje não obtiveram resposta.

LEIA MAIS

Petrolina: bar aglomera pessoas sem máscaras e incomoda vizinhos com som alto

Bar aglomera pessoas e incomoda vizinhos com som alto (Foto: Reprodução)

O Blog recebeu uma denúncia de moradores do bairro Vila Eulália, em Petrolina. Eles alegam que, na Rua 10 há um bar montado em uma residência. Além da perturbação do sossego, por conta dos clientes que ouvem música alta, os vizinhos estão preocupados com a aglomeração de pessoas sem máscara.

Ainda de acordo com a população, o bar também fornece marmitas no meio do fluxo intenso de clientes. “Há muita movimentação e aglomeração de pessoas que não usam máscaras. O que mais incomoda é a poluição sonora, o alto som e a algazarra das pessoas. O som é muito alto”, relatou um morador. Para completar a situação, os vizinhos não sabem se o bar tem licença municipal para funcionar.

Prefeitura intensificará fiscalização no bairro

Diante dos fato narrados, o Blog entrou em contato com a Prefeitura de Petrolina. A assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde informou ter repassado a solicitação à equipe de Vigilância Sanitária, “que deve enviar fiscais ao local para verificar a situação do ambiente”.

No que diz respeito ao som alto, a Guarda Civil Municipal “informa que as fiscalizações estão sendo realizadas diariamente para garantir o cumprimento do decreto do Governo do Estado, que estabelece medidas de prevenção para convivência com a Covid-19”.

A GCM disse ainda que reforçará as rondas no bairro Vila Eulália. E também pediu a colaboração dos moradores, para que formalizem as denúncias na Polícia Militar (190), Secretaria Executiva de Segurança Pública (153) e (87) 98106-7310 (WhatsApp).

Juazeiro: ex-servidora da Prefeitura afirma não ter recebido rescisão contratual após se desligar da função

(Foto: ASCOM)

Uma ex-servidora de Juazeiro (BA) procurou o Blog Waldiney Passos através do WhatsApp, para relatar o não pagamento da rescisão contratual da qual diz ter direito. Ela pediu anonimato e relatou ter exercido a função de Auxiliar de Serviços Gerais (ASG) entre os anos de 2012 e 2016.

Ela foi aprovada em um processo seletivo, cuja validade contratual era de quatro anos (iniciado em maio de 2012). Durante quatro anos atuou na limpeza do Mercado do Produtor, até que em março de 2016 pediu desligamento da função.

“Até hoje eu não consegui receber a minha rescisão e agora com essa pandemia eu não tô recebendo o auxílio emergencial e estou precisando desse dinheiro”, relatou à nossa equipe. São quatro anos aguardando uma resposta da Prefeitura de Juazeiro. O silêncio é cercado por momentos de incerteza a ex-servidora, que atualmente reside em outro município.

Outro lado

Desde a última terça-feira (29) o Blog aguarda um posicionamento da Secretaria Municipal competente, mas até o encerramento dessa matéria não obtivemos uma resposta. O Blog segue aberto aos esclarecimentos.

Leitor faz alerta sobre entulho depositado no Dom Avelar

Moradores estão usando terreno como depósito de lixo

Inconformado com a situação na Rua da Oração, no bairro Dom Avelar, um leitor do Blog enviou a foto acima para nossa Redação. Ela foi tirada na terça-feira (22) e mostra a falta de educação de alguns moradores: o espaço público está servindo como depósito de lixo.

Além do lixo, restos de obras estão sendo depositados na rua. Isso facilita a proliferação de mosquitos e bichos. “Sou morador do bairro Dom Avelar. Estamos muito preocupados com está situação. Essa área é do município e se encontra cheio de entulho e lixo”, contou à nossa equipe.

A Prefeitura de Petrolina afirmou que incluiu a Rua da Oração no cronograma de limpeza após o Blog apresentar a demanda. “A Secretaria de Infraestrutura, Mobilidade e Serviços Públicos (Seinfra) atende mais de 80 bairros de Petrolina, de acordo com a necessidade, e por isso, reitera a necessidade de colaboração da população para que não joguem lixo em lugares indevidos, já que, toda cidade é contemplada com a coleta de lixo”, orienta.

Quem tiver alguma demanda deve acionar a Prefeitura pela Guarda Civil Municipal, através do número 153 e relatar o delito.

Leitora relata problemas no transporte coletivo; AMMPLA esclarece situação

Segundo AMMPLA, situação já foi normalizada (Foto: Ascom PMP)

Uma leitora do Blog entrou em contato para relatar um problema que está acontecendo desde o início da pandemia: a redução na frota do transporte coletivo. Ela trabalha no River Shopping e seu turno termina tarde da noite. Acostumada a pegar o último ônibus da noite, agora a leitora é obrigada a pagar um mototaxi para chegar em casa.

“Tudo voltou ao normal, menos os ônibus. É chato receber salário só pra pagar mototaxi“, destaca. Ela conta que a última linha que serviria a ela passa no ponto de 22h. Contudo, seu expediente se encerra às 23h. “Tem vários funcionários aqui passando por isso“, continua. Ontem, 22 de setembro, a leitora relatou que voltou para casa novamente pagando um mototaxista, pois o ônibus não estava aparecendo no aplicativo da empresa.

AMMPLA responde

Procurada pela nossa equipe, a Prefeitura de Petrolina emitiu uma nota. “Acerca da frota de ônibus que circula atualmente em Petrolina, a Autarquia Municipal de Mobilidade (Ammpla) informa que o município aprovou um subsídio para garantir a quantidade de veículos, mesmo diante deste momento de turbulência da pandemia, que reduziu bastante a demanda”, destaca.

Com essa novidade, a concessionária manterá o preço da passagem atual e ainda retoma a frota normal em 100%. Na verdade a frota já foi retomada totalmente desde essa segunda-feira (21)”, conclui.

Família de homem encontrado morto em Petrolina cobra respostas da Polícia Civil

Biraci tinha 36 anos quando foi encontrado morto (Foto: Arquivo Pessoal)

Há cerca de um ano o Blog Waldiney Passos foi procurado por familiares de Biraci dos Santos, de 36 anos. Ele havia desaparecido em Petrolina, no dia 11 de dezembro de 2019. A angústia de uma semana sem respostas terminou da pior forma possível. Em 21/12, Biraci foi encontrado morto, no Projeto Senador Nilo Coelho – Núcleo 09.

LEIA TAMBÉM

Angústia: família aguarda há dois meses por liberação de corpo no IML de Petrolina

Homem que havia desaparecido em Petrolina é encontrado morto

Desde então, a família enfrentou uma batalha para saber quando o corpo de Biraci seria liberado do Instituto Médico Legal (IML). Foram meses de espera. Até que, finalmente o sepultamento pôde acontecer, no primeiro semestre de 2020.

Angústia sem fim

Agora, os parentes cobram uma resposta sobre as investigações. Biraci era natural de Sanharó (PE) e toda sua família reside lá. Apenas sua companheira é de Petrolina. E tanto ela, quanto os parentes fora não sabem como está o trabalho da polícia.

LEIA MAIS

Filha de paciente relata falta de medicamento para hanseníase; Secretaria esclarece situação

(Foto: Ilustração)

Segundo uma leitora do Blog, está faltando medicamento para o tratamento da hanseníase em Petrolina. Ela é filha de um paciente, cujo acompanhamento é feito na Unidade Básica de Saúde (UBS), do bairro Areia Branca. “Meu pai tem hanseníase, o ciclo sempre está sendo interrompido por falta de medicamento e está piorando o caso dele. Os medicamentos não vende e automaticamente não se pode comprar“, explica a paciente.

Em nota, a Secretaria de Saúde esclareceu a situação. Os medicamentos da hanseníase não fazem parte da Atenção Básica, portanto não são comprados pela gestão municipal e sim pelo Governo Federal. A falta do remédio é ocasionado por culpa do laboratório na Índia.

“Esses remédios são distribuídos de graça pelo Ministério da Saúde aos estados que, por sua vez, repassam aos municípios. A Secretaria Municipal de Saúde deixou de receber, desde o mês de abril, o medicamento PQT MB A, que é produzido por um laboratório na Índia. Além do medicamento PQT MB A, também está em falta a Clofazimina 50 mg, que é distribuída pelo mesmo laboratório”, explica a Prefeitura.

Ainda segundo a nota, os demais medicamentos “para a hanseníase, no tratamento de crianças ou a forma paucibacilar (estágio inicial da doença) estão sendo fornecidos normalmente. O município já solicitou previsão do estado de Pernambuco para o recebimento regular o PQT MB A, mas ainda não obtivemos resposta de um prazo”.

Morador tenta denunciar festa, mas não consegue: “Por que as autoridades não compareceram?”

Ele afirmou ter acionado PM e GCM, mas ninguém foi ao local (Foto: Ilustração)

Um morador do bairro São Gonçalo, em Petrolina, procurou o Blog para relatar a falta de respeito de alguns vizinhos. Na última terça-feira (15), uma festa de aniversário na Rua 37 reuniu várias pessoas em plena pandemia. Além do desrespeito ao distanciamento social, o consumo de bebidas alcoólicas e som alto perturbou o sossego da comunidade.

“Fizeram uma festa de aniversário, uma seresta com caixa de som e microfone até 1h da manhã. Liguei para 190 e Guarda Civil, não veio ninguém. A gente trabalha, não conseguimos dormir. Ligamos e não veio ninguém“, contou ao Blog.

O leitor afirmou que durante as ligações à Polícia Militar e Guarda Civil Municipal (GCM), foi informado de que viaturas seriam enviadas. Contudo, ninguém apareceu. “Queria saber por que as autoridades não comparecem. É uma falta de respeito a gente passar a noite acordado”, desabafou.

PM e Prefeitura de Petrolina respondem

“A Guarda Civil Municipal informa que essa não é uma conduta padrão do serviço. Desde março, a GCM vem trabalhando intensivamente nas demandas relacionadas ao descumprimento das medidas de prevenção ao novo coronavírus. Esclarece ainda que a denúncia será apurada, caso constatada serão adotadas as medidas legais cabíveis“, disse a Prefeitura através de nota.

A PM também se manifestou. A instituição afirma não haver registro de ocorrências na Central de Operações do 5º BPM. Mas reforçou que, “o local é inserido para execução de rondas e patrulhamento, a qual é executada pelas Guarnições ordinárias e Especializadas do 5º BPM”.

No que tange ao descumprimento das medidas de isolamento, a PM destacou que “a Unidade encontra-se atuando de acordo com o estabelecido pelas autoridades”. “Sempre orientamos a população, bem como aqueles que venham a ser vítima de crimes, que solicitem o apoio policial através do 190, para que fique registrado em nosso sistema, bem como, que façam o registro da ocorrência na Delegacia de Polícia Civil, a fim de que possamos identificar e adotar as medidas necessárias para o devido patrulhamento e prevenção de crimes“, conclui a nota.

Ronaldo Cancão denuncia loteamentos ilegais na Ponta da Serra

Vereador cobrou ação do Poder Público

O vereador Ronaldo Cancão (DEM) cobrou o Poder Público de Petrolina para que adote medidas na Ponta da Serra, zona rural de Petrolina. Durante a sessão dessa terça-feira (15), o edil ratificou uma demanda de 2019, na qual solicita uma reunião.

Segundo ele, pessoas estão construindo lotes na comunidade.  “É irresponsabilidade. Estão construindo loteamento sem autorização da Prefeitura, vendendo ilusão e enganando as pessoas e prejudicando as famílias. Vai ter uma morte na Ponta da Serra se as autoridades não tomarem de conta“, destacou o edil.

No Requerimento apresentado hoje, Cancão quer uma reunião na Ponta da Serra com a presença da Codevasf e Prefeitura. O vereador propôs a elaboração de uma Comissão para investigar o fato. Também foi sugerido por Alvorlande Cruz (Republicanos) a participação da Comissão de Obras no debate.

“Ficam construindo loteamento sem autorização da Casa, derrubam árvore sem autorização da AMMA e não tem licença da Prefeitura. Espero uma posição”, enfatizou Cancão. Segundo ele, caso não sejam adotadas medidas, a denúncia será apresentada à Justiça.

Leitora denuncia maus tratos a animais no Centro de Zoonoses de Petrolina; prefeitura responde

A leitora, que prefere ficar no anonimato, enviou mensagem ao Blog Waldiney Passos denunciando maus tratos a animais que são encaminhados ao Centro de Zoonoses de Petrolina (CCZ), no Sertão de Pernambuco. De acordo com a denúncia, a pessoa levou um gato doméstico, sem ferimentos, ao local e o mesmo saiu de lá com um ferimento no focinho depois de levar uma queda de uma parede com mais de 1 metro de altura. Segundo a leitora,o fato ocorreu por pura displicência do funcionário do Centro. A mesma ainda saiu com um formulário para autorização de eutanásia.

De acordo com a pessoa que entrou em contato com nossa redação, o gato foi capturado em um determinado local, que ela prefere não expor, com suspeita de sarna e levado para o Centro de Zoonoses para avaliação. Segundo ela, o animal foi dentro de uma gaiola, onde ficou se debatendo. Ainda de acordo com a denúncia, mesmo sendo informado que o animal era selvagem e não era acostumado com humanos, chegando ao CCZ, o funcionário abriu a porta da gaiola e soltou o gato em uma sala.

LEIA MAIS

Lucinha Mota aponta contradição em depoimento de funcionário e critica omissão da polícia

O caso vai fazer cinco anos sem solução. (Foto: Blog Waldiney Passos)

Lucinha Mota segue realizando lives semanais sobre o Caso Beatriz. Na quinta-feira (3), a mãe de Beatriz Angélica Mota levantou dúvidas sobre alguns funcionários do Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora. E fez uma pergunta: onde está uma camisa suja de sangue, ignorada pela Polícia Civil de Pernambuco?

Para entender o contexto da tal camisa, Lucinha citou dois funcionários do colégio. O primeiro teria pedido para não trabalhar no dia do crime, 10 de dezembro de 2015. Mas imagens obtidas pela investigação particular da família identificam tal servidor dentro da unidade, durante a festa.

O segundo servidor também teria mentido, ao depor à polícia não ter pisado no colégio. Contudo, as imagens cedidas anonimamente à família, contradizem o depoimento. Ainda segundo a mãe de Beatriz, um irmão daquele primeiro servidor (que pediu para não trabalhar no dia do crime) teria chegado a Petrolina acompanhado de uma segunda pessoa, ambos presentes na festa do Colégio Auxiliadora, com autorização de alguém ligado à unidade.

“Ele mente, ele diz que o irmão não esteve, que há meses tinha visto o irmão. Mas eu tenho informação de que seu irmão estava em Petrolina no dia do crime. Eu gostaria de pegar o inquérito e mostrar as oitivas, o nível das mentiras [dos investigados]”, relata.

LEIA MAIS

Morre bebê que nasceu no chão do Hospital da Mulher em Juazeiro

Local não tinha cadeiras de rodas para acomodar a gestante, segundo denúncia.

Faleceu, nessa terça-feira (1º), a bebê que nasceu de forma prematura, na sexta-feira (28), no chão do Hospital Materno Infantil de Juazeiro (BA). Segundo informações, a criança teve uma parada cardíaca e não resistiu.

A família aguardava uma vaga em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal, que já havia sido conseguida. No entanto, a transferência da bebê não aconteceu por ela estar com suspeita de Covid-19. O exame saiu ontem e mostrou que a criança não estava com o novo coronavírus.

LEIA TAMBÉM

Denúncia: bebê nasce no chão da maternidade de Juazeiro

Segundo família, criança que nasceu no chão do HMI de Juazeiro está em estado grave

Uma nova vaga surgiu nessa terça, mas, a bebê veio a óbito. Segundo a secretaria de saúde de Juazeiro, uma UTI aérea já tinha sido solicitada para transferência da criança.

LEIA MAIS

Denúncia: bebê nasce no chão da maternidade de Juazeiro

Local não tinha cadeiras de rodas para acomodar a gestante, segundo denúncia.

Na tarde dessa sexta-feira (28), por volta das 13h27, uma mulher deu à luz no chão do Hospital Materno Infantil de Juazeiro (BA). Segundo informações de uma acompanhante que estava na unidade, ela chegou em trabalho de parto e foi informada de que não havia cadeiras de rodas para acomodá-la.

Mesmo sentindo muitas dores e pedindo ajuda, deixaram ela sentada nas cadeiras da recepção, aguardando atendimento. Não veio ninguém. Quando ela não aguentou mais, pediu que a irmã a deitasse no chão e teve o bebê ali mesmo”, disse a acompanhante.

A gestante só recebeu assistência de profissionais após o nascimento da criança, de acordo com o relato da acompanhante. “Quando a irmã da gestante percebeu que o bebê dela já estava nascendo, saiu correndo para pedir ajuda. Nós que estávamos presenciando a situação é que socorremos ela. Só depois que ela já tinha dado à luz, o médico apareceu”, disse.

LEIA MAIS
123