Denúncia: funcionários da Promatre de Juazeiro estão com salários atrasados

Há pendências ainda de 2017, segundo funcionários

Os profissionais do Hospital Promatre, em Juazeiro (BA) estão sem receber seus direitos trabalhistas. Mesmo sendo servidores essenciais e estarem na linha de frente, há pendências datadas ainda do ano de 2017, segundo denúncias apresentadas ao Blog Waldiney Passos.

LEIA TAMBÉM

Hospital Universitário suspende almoço de plantonistas e Sindicato precisa comprar as refeições

E não bastasse as pendências de quatro anos atrás, os servidores estão trabalhando sem adicional noturno ou de insalubridade. “Em dezembro só foi pago o salário seco, sem nenhum benefício, como o adicional noturno e insalubridade. Além disso, alguns funcionários que deixaram a unidade descobriram que o FGTS não estava sendo pago”, conta um funcionário que preferiu não ser identificado.

LEIA MAIS

Salgueiro denuncia venda ilegal de uniformes em site nacional

Uniforme original é vendido na loja do clube ou pelas redes sociais e é mais barato (Foto: Reprodução)

O Salgueiro já tinha um nome conhecido na região por ser uma das forças do futebol pernambucano. O título estadual em 2020 alçou o Carcará do Sertão aos holofotes e a fama trouxe um ponto negativo. Há pessoas agindo de má fé, comercializando um uniforme falso como se fosse o oficial.

Diante desse cenário a Diretoria do Carcará emitiu uma nota nessa terça-feira (12), alertando à prática. “O Salgueiro Atlético Clube vem por meio desta nota oficial, esclarecer que não tem relação alguma quanto as vendas ilegais de camisas realizadas no site do Mercado Livre. Ressaltamos também que, a reprodução, alteração não autorizada da nossa marca ou de comercialização de produtos que tenha nossa marca inserida ilicitamente é crime”, disse o clube.

Não bastasse piratear o manto do Carcará, os vendedores ainda estipularam um valor acima do custo real da verdadeira camisa (R$ 159,900 a falsa e R$ 120,00 a original). “Sendo assim, o Salgueiro Atlético Clube ressalta que é inadmissível qualquer situação que viole a lei e utilize nossa marca ilegalmente“, pontuou a Diretoria.

Concursados apontam irregularidades em concurso do SAAE

(Foto: Ascom/PMJ)

Um leitor enviou mensagem ao blog denunciando suposta irregularidade em um Concurso do Serviço de Água e Saneamento Ambiental de Juazeiro, o SAAE realizado em 2019. Segundo o denunciante, os aprovados nesta seleção para o cargo de operador de pequenos sistemas nunca foram chamados pela empresa para tomar posse.

Porém, de acordo com a denúncia, em 16 de dezembro de 2020, o ex-diretor presidente do órgão, o senhor Joaquim Ferreira de Medeiros Neto, publicou no Diário Oficial do Município, por força de cumprimento de decisão judicial, um edital convocando o 5º colocado para o cargo de operador de pequenos sistemas.

LEIA MAIS

Médicos residentes do HU Univasf denunciam falta de EPIs e abusos da atual administração

HU se manifestou através de nota, disponível no final da matéria (Foto: Ascom)

Residentes do Hospital Universitário de Petrolina elaboraram uma carta aberta (confira aqui) à população, na qual denunciam uma série de abusos praticados pela atual administração da unidade, ligada à Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). O documento foi apresentado em Assembleia dos Residentes da Univasf, dos cursos de medicina; enfermagem; fisioterapia e terapia ocupacional; e de farmácia.

Em primeiro lugar, os residentes estão sendo proibidos de entrar no HU após 8h. Mas em contrapartida, a administração não apura o cumprimento da carga horária trabalhada: há pessoas sem horário de almoço, trabalhando além do horário e atuando além de oito horas diárias. De acordo com os estudantes dos cursos, o HU extrapola seu poder e fere a orientação do Conselho Federal de Medicina (que veta a limitação do acesso aos hospitais). No fim, o principal afetado é a população, pois há diminuição dos profissionais disponíveis.

Outro ponto da denúncia é a falta de comunicação interna, refletindo na não realização de exames e consultas. Segundo a carta houve “suspensão de exames de imagem para pacientes não internados e de alguns ambulatórios aconteceu de forma não oficializada”.

LEIA MAIS

Moro pede ao STF novo depoimento de Ramagem, após suposta interferência da Abin no caso das “rachadinhas”

Abin chefiada por Ramagem elaborou relatórios para defesa de Flávio Bolsonaro (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)

A suspeita de que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) colaborou com a defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no caso das “rachadinhas” levou o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro a solicitar do Supremo Tribunal Federal (STF) um novo depoimento de Alexandre Ramagem.

Ramagem é diretor-geral da Abin. No primeiro semestre ele foi o nome indicado por Jair Bolsonaro (sem partido) para chefiar a Polícia Federal, vetado pelo próprio STF. Para quem não lembra, a troca de comando levou Moro a deixar o governo e criticar publicamente as interferências políticas do presidente da República na PF.

Defesa de Flávio confirmou relatórios da Abin

A ação de Moro é reflexo de uma matéria publicada na Época, na sexta-feira (18), onde a advogada de defesa de Flávio Bolsonaro, Luciana Pires, admitiu ter recebido dois relatórios e recomendações da Abin. Contudo, ela negou ter seguido as orientações de Ramagem.

“Não fiz nada. Não vou fazer nada do que ele (Ramagem) está sugerindo. Vou fazer o quê? Não está no meu escopo. Tem coisa que eu não tenho controle”, disse à Época. Entretanto, a Revista Crusoé foi além e apurou que os relatórios produzidos clandestinamente pela Abin foram entregues a Flávio diretamente das mãos de Ramagem, que é amigo da família Bolsonaro.

Sindicato dos enfermeiros relata falta de EPI; Prefeitura afirma estar trabalhando para reforçar estoques

Seepe denuncia falta de materiais, Prefeitura explica situação (Foto: Ascom/PMP)

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Pernambuco (Seepe) notificou a Prefeitura de Petrolina para fornecer equipamentos de proteção individual (EPIs) nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). O Seepe relatou ter recebido denúncias dos filiados sobre a falta de luvas, toucas e outros EPIs.

“Apesar de já ter recebido pacientes com sintomas de COVID-19, as UBS (unidades básicas de saúde) desse município encontram-se, no atual momento com uma grande escassez de EPI’s, dentre estes equipamentos de segurança citamos os seguintes: luvas, capotes, toucas e etc“, informa o Sindicato.

Em nota, a Prefeitura de Petrolina explicou o que houve. “Devido à grande demanda e a evolução da doença no mundo, estes materiais estão com valores elevados e com baixa oferta no mercado“, informou a Secretaria de Saúde. O município já abriu novas licitações e vai reforçar o estoque.

Confira a seguir a resposta da Secretaria de Saúde:

LEIA MAIS

Leitor flagra motoristas dando um “jeitinho brasileiro” para burlar blitz em Petrolina

“Se beber, não dirija”. Essa frase é velha conhecida dos brasileiros. Mesmo assim, ainda há muitos condutores que insistem em curtir o final de semana “tomando umas e outras”. E para evitar que esses motoristas ou motociclistas provoquem acidentes, a Polícia Militar constantemente realiza blitz em pontos estratégicos.

Um dos locais conhecidos aqui em Petrolina é a estrada de acesso às ilhas. Mas sabendo da ação no local, diversos motoristas usaram do famoso “jeitinho brasileiro” para evitar ser pegos. “Ontem naquela estrada que vai pra Ilha do Sol/Rodeadouro e a polícia estava fazendo uma blitz logo ali no inicio da estrada, depois da Cohab VI/Jardim Guararapes. Com medo da blitz, já que muita gente vai para as ilhas e voltam bêbados, os motoristas de carros e motos se amontoaram em vários pontos da estrada antes da blitz criando um caos mesmo no trânsito“, relata um leitor.

LEIA MAIS

Família de paciente idosa que fraturou fêmur cobra resposta do HU sobre cirurgia

Paciente é idosa e tem Alzheimer (Foto: Ascom)

O Blog Waldiney Passos foi procurado, nessa quarta-feira (2), por familiares de Ananda Simão de Lima, uma idosa de 96 anos que sofreu fraturou o fêmur e está internada no Hospital Universitário de Petrolina desde a tarde de terça-feira (1°). Dona Ananda tem Alzheimer, o que requer atenção redobrada da equipe médica.

De acordo com a família da paciente, ela deu entrada na unidade por volta de 13h04, socorrida por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Mesmo sendo paciente prioritária, dona Ananda passou a tarde e a noite deitada na maca, colocada no corredor do HU, aguardando a transferência para um quarto.

Depois de muitas horas de angústia a família conseguiu um quarto a paciente, mas agora busca saber quando a cirurgia do fêmur será realizada. O Blog procurou a assessoria do HU, mas até a conclusão dessa matéria não obteve resposta. Deixamos o espaço aberto aos esclarecimentos.

Moradores retiram barreira de proteção e prejudicam pavimentação no Loteamento Recife

Prefeitura lembra que danificar obras é crime (Foto: Ascom PMP)

Enquanto as equipes da Prefeitura seguem trabalhando na pavimentação de ruas, há petrolinenses prejudicando os trabalhos. Nessa quarta-feira (25) a Secretaria de Serviços Públicos descobriu que há danos no bairro Loteamento Recife, onde a obra estava chegando perto da conclusão.

“Acordamos com muita tristeza hoje ao saber que as barreiras de proteção da Avenida 1, no Loteamento Recife, tinham sido retiradas. Ontem no final da tarde, as equipes haviam imprimado, que é uma etapa que antecede a colocação do asfalto. Além de onerar os cofres públicos, esse tipo de atitude é vandalismo e crime contra o patrimônio público”, comenta o secretário Fred Machado, reforça que além da demora da entrega, esse ato ainda é considerado crime.

É crime e saiba como denunciar

De acordo com a Prefeitura, além de prejudicar o andamento do serviço e a qualidade da pavimentação, os imprudentes estão cometendo um crime. Por isso, quem flagrar danos as obras, pode acionar a Polícia Militar pelo 190 ou a Guarda Municipal através do 153. As denúncias também podem ser feitas na Ouvidoria via internet.

Após denúncia, Conselho Tutelar diz estar seguindo “rigidamente os protocolos de segurança”

Nessa segunda-feira (26), nosso blog recebeu uma denúncia afirmando que conselheiros estariam indo às casas sem proteção. Em nota, o Conselho Tutelar de Petrolina negou que seus funcionários estariam desrespeitando as medidas sanitárias em plena pandemia.

LEIA TAMBÉM

Denúncia: conselheiro tutelar de Petrolina estaria atuando sem máscara e teria contaminado motorista

Segundo o documento, “o Conselho Tutelar do município de Petrolina (PE) está adotando rigidamente todos os protocolos de segurança, inclusive adotando sistema de rodízio e home office, álcool, máscaras, ou seja, estamos focados em garantir a segurança dos usuários e dos profissionais do Conselho Tutelar”.

Na denúncia, uma das fontes afirma que alguns conselheiros estão sem usar máscaras dentro do veículo da instituição, colocando em risco os demais passageiros. Além disso, segundo a denúncia, um motorista teria sido infectado por um desses conselheiros.

LEIA MAIS

Denúncia: Luvas usadas por profissionais do Hospital Universitário de Petrolina no manuseio a pacientes com Covid-19 estão sendo reutilizadas

A denúncia foi feita por profissionais da saúde do município de Petrolina, Sertão de Pernambuco, que são lotados no Hospital Universitário, ao Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindsemp), Walber Lins. Segundo os servidores, as luvas de borracha que são utilizadas pelos técnicos de enfermagem e enfermeiros nos pacientes com coronavírus estão sendo reaproveitadas.

De acordo com as informações recebidas pelo Sindsemp, as luvas são lavadas e devolvidas aos profissionais de saúde para uso, perdendo qualidade no material que garante o isolamento do vírus no contato com a pessoa contaminada. As informações do Sindicato dão conta de que 80 servidores municipais da saúde trabalham no Hospital Universitário, antigo Hospital de Traumas, além de todo o corpo de profissionais da EBESERH – Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares.

LEIA MAIS

Representante de vereador estaria cobrando dinheiro da população para serviços nas estradas rurais, denuncia Gaturiano Cigano

Vereador denunciou uso de máquina pública

Durante a sessão dessa quinta-feira (15), Gaturiano Cigano (Republicanos) apresentou uma denúncia aos colegas da Casa Plínio Amorim. Ele afirmou que há representantes dos próprios vereadores cobrando dinheiro da população rural, para que os serviços nas estradas do interior sejam feitos.

“Quero chamar atenção do meu líder [Aero Cruz], chamar atenção do secretário [Orlando] Tolentino. A gente espera que não passe de boatos. Mas na verdade, eu sei que não são boatos. A máquina da Prefeitura está passando por algumas estradas de Uruás, Caititu, Baixa Alegre e [tem] vereador dessa Casa que ele tá pagando a máquina da Prefeitura. Isso é grave. A máquina é da Prefeitura. A máquina não é do prefeito, não é do vereador e muito menos de representante de vereador“, afirmou.

Em seguida, Gaturiano afirmou que há cobrança indevida pelos serviços públicos. “O que mais me deixa indignado é o povo ter que pagar uma coisa que é de direito seu. E tem assessor e representante de vereador cobrando dos moradores, para que a máquina da Prefeitura [vá] passar nas estradas. Tenho certeza de que o nosso secretário e o nosso prefeito não têm ciência disso”, ressaltou Gaturiano.

LEIA MAIS

Comitê acusa Univasf de descaso com estudantes e trabalhadores terceirizados da instituição

(Foto: Arquivo)

O Comitê em Defesa dos Trabalhadores Terceirizados (CDT) enviou nota na tarde desta sexta-feira (9) ao blog Waldiney Passos acusando a Univasf de descaso em relação a estudantes e trabalhadores de uma empresa terceirizada chamada Terceirize Serviços que encerrou o contrato com a Universidade e está demitindo os funcionários, incluindo motoristas, sem pagamento dos direitos trabalhistas, segundo eles.

Os trabalhadores também reclamam que, durante a pandemia não tiveram direito a quarentena plena, tendo que ocupar seus postos mesmo que as aulas na UNIVASF não estivessem ocorrendo presencialmente. segundo comitê, foram enviados alguns e-mails para a reitoria com uma carta que solicitava alguns direitos mínimos para estes trabalhadores. Mesmo enviada mais de uma vez, até hoje não obtiveram resposta.

LEIA MAIS

Petrolina: bar aglomera pessoas sem máscaras e incomoda vizinhos com som alto

Bar aglomera pessoas e incomoda vizinhos com som alto (Foto: Reprodução)

O Blog recebeu uma denúncia de moradores do bairro Vila Eulália, em Petrolina. Eles alegam que, na Rua 10 há um bar montado em uma residência. Além da perturbação do sossego, por conta dos clientes que ouvem música alta, os vizinhos estão preocupados com a aglomeração de pessoas sem máscara.

Ainda de acordo com a população, o bar também fornece marmitas no meio do fluxo intenso de clientes. “Há muita movimentação e aglomeração de pessoas que não usam máscaras. O que mais incomoda é a poluição sonora, o alto som e a algazarra das pessoas. O som é muito alto”, relatou um morador. Para completar a situação, os vizinhos não sabem se o bar tem licença municipal para funcionar.

Prefeitura intensificará fiscalização no bairro

Diante dos fato narrados, o Blog entrou em contato com a Prefeitura de Petrolina. A assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde informou ter repassado a solicitação à equipe de Vigilância Sanitária, “que deve enviar fiscais ao local para verificar a situação do ambiente”.

No que diz respeito ao som alto, a Guarda Civil Municipal “informa que as fiscalizações estão sendo realizadas diariamente para garantir o cumprimento do decreto do Governo do Estado, que estabelece medidas de prevenção para convivência com a Covid-19”.

A GCM disse ainda que reforçará as rondas no bairro Vila Eulália. E também pediu a colaboração dos moradores, para que formalizem as denúncias na Polícia Militar (190), Secretaria Executiva de Segurança Pública (153) e (87) 98106-7310 (WhatsApp).

Juazeiro: ex-servidora da Prefeitura afirma não ter recebido rescisão contratual após se desligar da função

(Foto: ASCOM)

Uma ex-servidora de Juazeiro (BA) procurou o Blog Waldiney Passos através do WhatsApp, para relatar o não pagamento da rescisão contratual da qual diz ter direito. Ela pediu anonimato e relatou ter exercido a função de Auxiliar de Serviços Gerais (ASG) entre os anos de 2012 e 2016.

Ela foi aprovada em um processo seletivo, cuja validade contratual era de quatro anos (iniciado em maio de 2012). Durante quatro anos atuou na limpeza do Mercado do Produtor, até que em março de 2016 pediu desligamento da função.

“Até hoje eu não consegui receber a minha rescisão e agora com essa pandemia eu não tô recebendo o auxílio emergencial e estou precisando desse dinheiro”, relatou à nossa equipe. São quatro anos aguardando uma resposta da Prefeitura de Juazeiro. O silêncio é cercado por momentos de incerteza a ex-servidora, que atualmente reside em outro município.

Outro lado

Desde a última terça-feira (29) o Blog aguarda um posicionamento da Secretaria Municipal competente, mas até o encerramento dessa matéria não obtivemos uma resposta. O Blog segue aberto aos esclarecimentos.

123