Bahia registra 3.552 novos casos e 45 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

(Foto: ASCOM/SESAB)

A Bahia teve nas últimas 24 horas 3.552 novos diagnósticos positivos e 45 mortes por Covid-19. O boletim da Secretaria da Saúde (Sesab) desta terça-feira (21) informa que o estado agora soma 126.844 casos confirmados desde o início da pandemia, e 2.936 mortes causadas pela infecção pelo novo coronavírus.

O boletim anterior, da segunda-feira (20), informou que até então o estado contabilizava 123.292 casos confirmados e 2.891 óbitos.

Apesar do acréscimo, o número de casos ativos caiu em relação ao boletim anterior. Eram 12.369 e agora são 11.704. São classificados dessa forma os pacientes que seguem monitorados pela vigilância. A Sesab considera casos recuperados 112.204.

O boletim ainda informa que casos de coronavírus foram contabilizados em 405 municípios baianos. O estado tem ao todo 417 cidades. A maior proporção de ocorrências ainda está na capital Salvador (38,18%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Gandu (3.095,39), Itajuípe (2.596,26), Ipiaú (2.084,81), Madre de Deus (1.962,74) e Dário Meira (1.951,45).

Para reduzir tempo de análise, Fiocruz envia kits de diagnóstico do coronavírus a Pernambuco 

(Foto: KENA BETANCUR / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP)

Os kits de diagnóstico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para o novo coronavírus foram enviados a Pernambuco e começarão a ser aplicados cerca de dez dias após sua chegada. A expectativa é reduzir o tempo do detecção do vírus de 72h para menos de 24h, estima a secretaria Estadual de Saúde. Hoje, as amostras colhidas são levadas de avião para o Instituto Evandro Chagas no Pará, o que resulta na demora da análise.

 De acordo com o secretário André Longo, o prazo de dez dias é para a capacitação dos profissionais. “Nossa expectativa é que os treinamentos comecem esta semana, a partir da chegada dos testes”, afirmou. “A partir do momento que a gente esteja qualificado, treinado pela Fiocruz, pelo Instituto Evandro Chagas, há uma certificação deles e a gente vai fazer o exame aqui sem precisar de contraprova”, ressaltou.

LEIA MAIS

Mourão sanciona lei que fixa prazo de 30 dias para diagnóstico de câncer pelo SUS

(Foto: Ilustração)

O vice-presidente Hamilton Mourão sancionou lei que prevê que os exames para diagnóstico de câncer devem ser realizados no prazo de 30 dias, após a primeira suspeita do médico, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A medida foi publicada hoje (31) no Diário Oficial da União.

LEIA MAIS

Oftalmologista da UPAE alerta sobre Glaucoma, uma doença silenciosa que pode causar cegueira

A UPAE de Petrolina dispõe de 3 oftalmologistas, que além das consultas clínicas realizam cirurgias/Foto:Assessoria

A UPAE de Petrolina dispõe de 3 oftalmologistas, que além das consultas clínicas realizam cirurgias/Foto:Assessoria

O glaucoma é uma doença que acomete o nervo óptico ocasionando a perda progressiva e irreversível do campo visual. É considerada uma das principais causas de cegueira no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).  Por não apresentar sintomas, em grande parte dos casos, a pessoa não percebe precocemente a lesão. Mas, “apesar de silenciosa é possível detectá-la durante as consultas de rotina, evitando que a mesma progrida”, garante o oftalmologista da Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE), Francisco Ferraz.

Para conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce foi instituído o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma (26 de maio). “O glaucoma é uma doença traiçoeira causada pelo aumento da pressão intraocular e quando não tratada pode levar à perda total da visão. Quase não apresenta sintomas na fase inicial, por isso, é essencial que a população faça o acompanhamento preventivo com o oftalmologista. O tratamento é feito à base de colírios hipotensores oculares, que baixam a pressão do olho. É uma doença crônica, portanto não tem cura, mas pode ser controlada. Em alguns casos pode haver a indicação de cirurgia”, esclarece Ferraz.

Segundo o oftalmologista, a incidência do glaucoma no Vale do São Francisca é alta. “Temos um grande número de pessoas da raça negra na região e os indivíduos dessa etnia tendem a desenvolver o glaucoma numa idade inferior à média da população, que é de 40 anos [o risco aumenta com a idade]”, explica. Também fazem parte do grupo de risco: altos míopes [que usam lentes acima de seis graus]; diabéticos e hipertensos; pacientes que tiveram trauma ocular ou doenças intraoculares; pessoas com histórico familiar de glaucoma, entre outros.

LEIA MAIS

Mutirão de atendimento às crianças com suspeita de microcefalia é realizado em Petrolina

upa e

O mutirão de Petrolina recebeu crianças de 18 municípios

A Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE) sediou, nesta sexta-feira (13), o 5º mutirão de atendimento às crianças com suspeita de microcefalia no estado – os primeiros aconteceram em Recife e mais dois em Caruaru. Os mutirões são realizados em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde e Gerências Regionais. Em Petrolina, a ação deu início ao referenciamento da UPAE como unidade de saúde que irá atuar na reabilitação e estimulação precoce dos casos de microcefalia confirmados na IV macrorregião, que compreende 25 municípios.

De acordo com a neuropediatra Vanessa Van Der Linden – médica pernambucana que realizou o alerta às autoridades sobre o aumento do número de casos de microcefalia – os mutirões tem como objetivo levantar dados para elaboração de um panorama mais preciso sobre a doença em Pernambuco. “Ainda não há um grupo definido, pois existem muitas crianças aguardando para fechar o diagnóstico. Algumas foram notificadas quando nasceram por apresentarem um perímetro cefálico menor do que 32cm, estabelecido como padrão. Mas, esse dado por si só não define a doença. Precisamos realizar uma avaliação clínica e análise de exames de imagem, entre outros fatores. Dentro dessa perspectiva podemos descartar a microcefalia; identificá-la como proveniente de outras causas, que não seja a infecção congênita; ou confirmá-la associando-a ao Zica vírus”, explicou durante os atendimentos.

LEIA MAIS

Mutirão para detectar Glaucoma segue até quarta (11) em Senhor do Bonfim (BA)

O mutirão para a triagem teve início nesta segunda e prossegue até a próxima quarta (11)/Foto: Prefeitura MunicipalO mutirão para a triagem teve início nesta segunda e prossegue até a próxima quarta (11)/Foto: Prefeitura Municipal

O atendimento está sendo feito por profissionais da Clínica Oftalmodiagnose que, de acordo com informações da Prefeitura Municipal, procederá o tratamento nos pacientes que tiverem a doença detectada. O mutirão para a triagem teve início nesta segunda e prossegue até a próxima quarta (11).

Pacientes que já participaram do último Mutirão ou estão cadastrados na DIRES (órgão do Governo do Estado) devem se encaminhar à Academia da Saúde, anexo ao PSF Santos Dumont para fazer novo cadastro.

Com informações do Portal da Prefeitura

 

JUDICIÁRIO: Diagnóstico deve subsidiar Política Nacional de Segurança do Judiciário

conselho-nacional-de-justiça

Preocupado com a segurança de magistrados, servidores e demais cidadãos que circulam nas unidades do Poder Judiciário, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) encaminhou recentemente a todos os tribunais brasileiros um diagnóstico sobre a estrutura, as atribuições e os serviços prestados pela área de segurança institucional de cada unidade judiciária.

O diagnóstico, formado por 60 perguntas divididas em seis blocos, deve ser respondido até o dia 11 de abril pelos 91 tribunais e servirá de subsídio para a construção da Política Nacional de Segurança do Poder Judiciário. Até o momento, mais de um terço dos tribunais encaminharam suas respostas ao Conselho.

A iniciativa tem por objetivo conhecer e reforçar a estrutura existente hoje, identificar os tribunais de referência em relação à segurança institucional, detectar as principais dificuldades, unificar e padronizar os serviços e equipamentos utilizados. A Resolução recomenda aos tribunais a adoção de dez medidas mínimas para a segurança, dentre elas o controle do fluxo de pessoas em suas instalações, a instalação de detectores de metais, a disponibilização de coletes balísticos a juízes em situação de risco e o policiamento ostensivo inclusive nas salas de audiência, quando necessário.

Com informações do CNJ.