Morador do Dom Avelar faz alerta para imóvel que virou “lagoa”

Imóvel está se deteriorando e servindo como foco de mosquitos

A foto acima é de um imóvel localizado na Rua da Sílica, bairro Dom Avelar, em Petrolina. O registro foi feito por um leitor que não aguenta mais ver a casa nessa situação. A propriedade é privada, contudo os donos não estão cuidando do local e quem sofre é a vizinhança.

“Parece uma lagoa, só presta pra juntar mosquito“, conta o leitor. Ele relatou já ter registrado dois protocolos na Prefeitura de Petrolina e inclusive buscou contato com a dona do imóvel. Apesar das tentativas, nada foi feito. Para completar, a casa também serve para esconderijo de criminosos.

Nossa Produção tentou contato com a Prefeitura de Petrolina para saber o que poderia ser feito em relação à denúncia mostrada. Infelizmente até a conclusão dessa matéria não obtivemos resposta. O Blog segue aberto aos esclarecimentos.

Saiba como se prevenir das viroses e outras doenças durante o carnaval

Devido à aglomeração de pessoas, o carnaval é um ocasião propícia para o aparecimento de algumas doenças, como é o caso das gripes e viroses. Entre o grupo de patologias também estão a mononucleose, popularmente conhecida como “doença do beijo”, as intoxicações alimentares, a leptospirose (devido às chuvas) e as ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis).

“Para tentar se prevenir o folião deve lavar bem as mãos, ter uma boa higiene bucal, evitar compartilhar objetos pessoais, e ter contato íntimo com responsabilidade. Além disso, é essencial manter uma boa alimentação e hidratação”, orienta a enfermeira gerente do Núcleo de Educação Permanente da UPAE, Andreska Ferreira.

LEIA MAIS

Hospital Dom Malan de Petrolina alerta sobre doenças do verão

(Foto: Arquivo)

Os dias mais quentes do ano começam em dezembro e se estendem até meados de março. Neste período, ocorrem as férias escolares, muito associadas com passeios, viagens à praia e ao campo e muita diversão ao ar livre. Entretanto, existem algumas doenças (chamadas de sazonais) mais comuns no verão que podem acabar com toda a diversão.

O Núcleo de Educação Permanente do Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina listou algumas das principais patologias comuns nessa época, para que a população possa ficar atenta e curta o período sem estresse. São elas: Desidratação; Micose; Dengue; Conjuntivite; Otite e Insolação.

LEIA MAIS

OMS lista as 10 principais ameaças para a saúde em 2019

Obesidade infantil preocupa OMS (Foto: Agência Brasil)

Surtos de doenças preveníveis por vacinação, altas taxas de obesidade infantil e sedentarismo, além de impactos à saúde causados pela poluição, pelas mudanças climáticas e pelas crises humanitárias. Estes são alguns dos itens que integram a lista das 10 principais ameaças à saúde global em 2019, divulgada nesta semana pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A entidade pretende colocar em prática um novo plano estratégico, com duração de cinco anos, com o objetivo de garantir que 1 bilhão de pessoas a mais se beneficiem do acesso à saúde e da cobertura universal de saúde; e estejam protegidas de emergências de saúde.

De acordo com a OMS, essas são as questões que vão demandar mais atenção da organização e de seus parceiros neste ano:

Poluição do ar e mudanças climáticas

A estimativa da Organização Mundial da Saúde é que nove em cada 10 pessoas respiram ar poluído todos os dias. Poluentes microscópicos podem penetrar nos sistemas respiratório e circulatório, danificando pulmões, coração e cérebro, o que resulta na morte prematura de 7 milhões de pessoas todos os anos por enfermidades como câncer, acidente vascular cerebral e doenças cardiovasculares e pulmonares.

Doenças crônicas não transmissíveis

Dados da entidade mostram que doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, câncer e doenças cardiovasculares, são responsáveis por mais de 70% de todas as mortes no mundo – o equivalente a 41 milhões de pessoas. Isso inclui 15 milhões de pessoas que morrem prematuramente (entre 30 e 69 anos), sendo que mais de 85% dessas mortes prematuras ocorrem em países de baixa e média renda.

LEIA MAIS

Durante o período chuvoso siga algumas dicas para evitar doenças por causa de água contaminada

Em época de chuva é importante ficar alerta em relação aos riscos que as inundações podem causar à saúde. A água da chuva em contato com a rede de esgoto, com animais portadores de doenças e seus excrementos (fezes e urina), fica contaminada e facilita entrada de vírus, bactérias ou vermes pela pele, principalmente se houver feridas.

O alerta é da Secretaria de Saúde de Juazeiro (BA), que chama a atenção para os cuidados que devem ser tomados durante o período de chuvas na cidade. O objetivo é evitar risco de contágio de doenças infectocontagiosas transmitidas pelo contato com a água de áreas com alagamentos, normalmente com presença de diversos vírus e bactérias prejudiciais à saúde humana.

Algumas doenças relacionadas ao contato com água contaminada são: Leptospirose – transmitida por meio do contato da pele com a água contaminada pela urina de rato, por meio de pequenas lesões na pele a bactéria entra na corrente sanguínea;

Hepatite A – causa problemas no fígado e é transmitida por meio da ingestão de água contaminada pelo seu vírus;

Diarreia e Febre Tifoide – causada pela salmonella typhi, bactéria encontrada nas fezes de animais. Existem ainda as micoses e infecções gastrointestinais que completam a lista de doenças provocadas pela ingestão de água e alimentos infectados.

É importante se desfazer de alimentos que tiveram contato com a água contaminada, ingerir água somente filtrada ou fervida e nunca reaproveitar água de bicas e do telhado para consumo. A secretaria de saúde alerta a pais e responsáveis por crianças que não as deixem brincar em áreas com acúmulo de água.

A Superintendente de Vigilância e Saúde, Tatiane Malta, informa que todas essas dicas são orientações importantes para prevenir uma séria de doenças.

“Em caso de algum sintoma como febre, diarreia, vômito, seja em criança, adulto ou idoso recomendamos a ida imediata a uma unidade de saúde informando se teve ou não contato com água empossada ou se ingeriu ou consumiu água ou alimentos possivelmente contaminados. Todas essas informações ajudarão o profissional a detectar o problema e tratar de maneira mais eficaz”, explicou a Superintendente de Vigilância e Saúde, Tatiane Malta.

Descaso: esgoto toma conta da Avenida que dá acesso ao São Gonçalo; Perigo maior é proliferação do mosquito Aedes aegypti

WhatsApp Image 2016-08-02 at 13.29.00

O odor liberado pelo esgoto incomoda bastante. (Foto: Lucas Passos)

Esse blog já havia noticiado o descaso com um esgoto estourado na Avenida do Alto da Boa Vista, que dá acesso também ao bairro São Gonçalo, o qual incomodava a vizinhança e criava um risco desnecessário à saúde das pessoas que moram perto do local.

Mais de um mês depois da denúncia, nenhuma atitude foi tomada e o local ficou ainda pior. Lixos têm sido acumulados no buraco que a água do esgoto causou e até colchões é possível encontrar. O odor liberado e, principalmente, o perigo à saúde incomoda os moradores da localidade que exigem uma resposta urgente dos responsáveis.

WhatsApp Image 2016-08-02 at 13.29.01

Lixo tomou conta do local. (Foto: Lucas Passos)

Em uma época que se busca o combate ao mosquito Aedes aegypti e um dia após a Secretaria Estadual de Saúde (SES) emitir uma nota informando que só em 2016 já aconteceram 65 mortes por vírus transmitidos pelo mosquito é inaceitável a situação encontrada no local.

Segundo a SES, este ano já estão confirmados 24.064 casos de dengue, 18.737 de chicungunha e 147 de zika.

Esgoto estourado em avenida do Alto da Boa Vista incomoda vizinhança

(Foto: Waldiney Filho)

Esgoto estourado no bairro Alto da Boa Vista (Foto: Waldiney Filho)

Um esgoto estourado na avenida do bairro Alto da Boa Vista, em Petrolina (PE), tem causado dor de cabeça para quem mora no local e para quem trafega pela via. Os vizinhos reclamam do mal cheiro causado pelo esgoto e dá possibilidade de atrair mosquitos, principalmente o Aedes Aegypti, que pode transmitir doenças como zika, dengue e chikungunya.

(Foto: Waldiney Filho)

O esgoto esconde um buraco que pode causar danos aos que trafegam com automóveis pelo local. (Foto: Waldiney Filho)

Lucas Coelho, que mora próximo ao local reclama do descaso. “O cheiro é horrível. Esse esgoto está assim há muito tempo e nada é feito, nenhuma atitude é tomada. E essa água que fica parada pode servir de criadouro de mosquitos e a gente que mora por aqui pode acabar pegando alguma doença”, frisou.

Além do odor o esgoto esconde um grande buraco que também é alvo de reclamações daqueles que trafegam com carro e moto no local, pois há uma grande possibilidade de causar danos ao veículo.

Upae/IMIP de Petrolina alerta sobre malefícios do cigarro

tabagismo

De acordo com informações da Unidade de Saúde, este o Ministério da Saúde propõe , em campanha, uma reflexão sobre os malefícios do fumo e a padronização das embalagens de cigarros e correlatos, como forma de inibir o consumo.

O tabagismo é a principal causa de morte evitável do mundo, de acordo com a OMS. No Brasil, estima-se que aproximadamente 22 milhões de pessoas fazem o uso do tabaco. O fumo mata seis milhões de seres humanos por ano, 600 mil deles fumantes passivos, ou seja, atingidos involuntariamente pela fumaça expelida pelos viciados. O mais grave é que 31% das mortes atribuídas ao fumo passivo ocorrem em crianças.

A fumaça dos cigarros contém 4,7 mil substâncias tóxicas. Somente no alcatrão há 40 compostos cancerígenos. A nicotina, a droga psicoativa do tabaco, causadora da dependência, aumenta a liberação das chamadas catecolaminas, como a adrenalina, noradrenalina e dopamina. Essas substâncias químicas contraem os vasos sanguíneos aceleram a frequência cardíaca e, assim, são causadoras de hipertensão arterial.

LEIA MAIS

Ruído excessivo de ventilador gera indenização para vizinha

ventilador

Pertubação do sossego gera indenização. Foto: Reprodução

Uma decisão judicial  4ª câmara Civil do TJ/SC, deixou muita gente de orelha em pé,  na sentença o Tribunal condenou um homem a indenizar a vizinha, que reside em apartamento acima do seu, em virtude de perturbação do sossego por conta da manutenção de um ventilador de teto muito ruidoso.

Segundo relatos do processo, a senhora e sua criança foram submetidos  por mais de um ano a ruídos excessivos,causados pelo ventilador de teto que desrespeitava os níveis permitidos pela ABNT. Por causa do barulho, ela e seu filho sofreram transtornos psíquicos, irritabilidade, stress e doenças.

O desembargador substituto Júlio César Machado Ferreira de Melo, relator da matéria, observou que a Fundação Municipal do Meio Ambiente constatou níveis de ruído em 55 decibéis, que só são permitidos após as 19h. Além disso, atestados médicos comprovaram que foi prescrito à autora medicamento para inibições do sistema nervoso central, permitindo alguma sedação, relaxamento muscular e tranquilizante.

Com informações Migalhas