Para estimular economia, ‘Semana do Brasil’ vai até dia 15 deste mês

(Foto: Ilustração)

Começou na última sexta-feira (6) e vai até o próximo dia 15 a campanha Semana do Brasil, movimento lançado pelo governo que visa a incentivar o consumo e estimular a economia do país. Até o momento, 4.680 empresas e entidades estão mobilizadas e vão participar da semana oferecendo descontos, promoções aos consumidores.

A semana, que aproveita as comemorações do 7 de setembro, data em que se celebra a Independência do Brasil, tem como mote “Vamos valorizar o que é nosso” e é inspirada em campanhas de varejo de outros países, como os Estados Unidos, que costumam realizar promoções em feriados nacionais. A proposta pretende gerar um ambiente de confiança para este e os próximos meses de 2019.

Além de empresários varejistas, também participarão das ações entidades representativas da indústria e comércio e veículos de comunicação, como a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), empresa pública do governo federal. Esses meios de comunicação vão veicular mensagens publicitárias com o mote “Vamos valorizar o que é nosso”. Para saber quem está participando da iniciativa basta acessar o site da Semana do Brasil:

Inflação da construção civil recua para 0,34% em agosto, diz FGV

(Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,34% em agosto deste ano, abaixo da taxa de julho, que havia sido de 0,91%. O indicador acumula 3,09% no ano e 4% no período de 12 meses.

LEIA MAIS

Caixa estuda crédito imobiliário com taxa pré-fixada, diz presidente do banco

(Foto: AFP)

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse nesta sexta-feira (23) que o banco estuda a oferta de financiamentos imobiliários com juros pré-fixados, sem correção inflacionários. A ideia é lançar o novo produto até o final do mandato do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com Guimarães, o anúncio de uma linha de crédito corrigida pelo IPCA, feito na última quarta (21), foi o primeiro passo nesse sentido, já que o produto pode incentivar a criação de um mercado de securitização de dívida imobiliária no país.

Entre o anúncio e as 13h de sexta (23), disse o executivo, mais de 600 mil pessoas já consultaram a Caixa sobre as novas condições de crédito imobiliário, que reduzem entre 30% e 50% o valor das parcelas iniciais mas repassam ao tomador do empréstimo o risco de alta na inflação.

“Da mesma maneira que a gente está oferecendo financiamento a TR [taxa referencial] e IPCA, o objetivo, se couber na matemática da Caixa, é até o final do governo oferecer uma taxa sem correção nenhuma”, disse o presidente da Caixa, em almoço na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

LEIA MAIS

Saques do FGTS vão injetar R$ 1 bilhão na economia de Pernambuco

Caixa Econômica Federal abre as agencias para esclarecimento e consulta de saque do FGTS.

Com expectativa de injetar R$ 30 bilhões na economia brasileira neste ano, a liberação dos saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) também vai movimentar a economia de Pernambuco. Segundo a Caixa Econômica Federal (CEF), a estimativa é que mais de 3 milhões de pernambucanos tenham direito à retirada do valor, abrangendo 3,5 milhões de contas. Desta forma, a perspectiva é que os saques gerem uma movimentação de R$ 1 bilhão na economia do estado. Os saques, limitados a R$ 500 para cada conta ativa ou inativa, terão início no dia 13 de setembro para quem tiver conta poupança na CEF e no dia 18 de outubro para quem não é correntista da instituição financeira.

Para quem tem conta poupança na Caixa e valores disponíveis para saque em contas ativas ou inativas, terão o montante creditado automaticamente. “Cerca de 35% dos pernambucanos vão receber antecipadamente porque tem conta poupança na instituição”, afirma Simone Nunes, superintendente regional da Caixa no Recife. Porém, quem tem direito, mas não deseja que o valor seja transferido, pode solicitar o cancelamento, até mesmo depois que a transferência já tenha sido efetuada. “Quem quiser manter o valor no FGTS, pode pedir o cancelamento a partir do dia 12, através do aplicativo, do site e do telefone 0800 (0800 726 0101) exclusivo para o FGTS. Não precisa nem ir na agência, basta entrar em contato através de algum dos canais. E se viu que o dinheiro está na poupança, dá para voltar”, acrescenta.

Simone Nunes ressalta que ainda está sentindo que as pessoas estão com dúvida em relação à diferença entre o saque e o saque aniversário, que é o saque anual de um percentual do FGTS e passa a valer a partir de abril de 2020. “O saque dos R$ 500 não muda em nada de como é hoje. Se ele for demitido sem justa causa, vai poder sacar todo o FGTS e receber a multa de 40%”, explica. Já a adesão ao saque aniversário é que muda as regras atuais porque o trabalhador não vai poder sacar o FGTS em caso de rescisão de contrato de trabalho, mas continua com direito à multa de 40%.

A movimentação com a liberação dos saques, segundo a superintendente, terá um impacto positivo na economia. “Uma pesquisa recente do Serasa revelou que 85% das dívidas do SPC são de até R$ 500. Então muita gente fala que R$ 500 não dá para nada, mas será importante para grande parte da população. Um trabalhador que ganha até um salário mínimo vai ter acesso a boa parte da renda com esse saque para organizar uma dívida ou comprar algo que precisa muito”, reforça.

LEIA MAIS

Prefeitura de Petrolina deve economizar R$ 4 milhões com implantação de modelo digital

Até a assinatura com caneta será trocada por um carimbo digital do funcionário público.

O prefeito Miguel Coelho assinou, nessa quarta-feira (31), um decreto que prevê a extinção do uso de papel nas repartições municipais de Petrolina. Denominada “Petro Online”, a plataforma substituirá a obrigação de emitir documentos impressos como ofícios, circulares, licitações, memorandos entre outros.

Com a medida, que começa a ser implantada nesta semana nas secretarias, a previsão é que seja economizado cerca de R$ 4 milhões e que a prefeitura deixe de consumir 2,5 milhões de folhas de papel por ano.

Será a primeira vez que um município pernambucano adota o modelo 100% digital para as repartições municipais. Ao invés de imprimir, os servidores da prefeitura irão operar com envio e recebimento dos documentos pela internet e por uma plataforma de dados digital.

LEIA MAIS

Governo Federal bloqueia mais R$ 1,44 bilhão do Orçamento

(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

A revisão para baixo do crescimento da economia brasileira em 2019 fez a equipe econômica anunciar um novo bloqueio no Orçamento. Segundo o Relatório Bimestral de Avaliação de Receitas e Despesas, divulgado hoje (22) pelo Ministério da Economia, o governo decidiu contingenciar mais R$ 1,443 bilhão de verbas do Poder Executivo.

Agora, o valor contingenciado do Orçamento de 2019 soma R$ 31,224 bilhões. Originalmente, o governo teria de contingenciar R$ 2,252 bilhões, mas a equipe econômica usou R$ 809 milhões de uma reserva de emergência criada em março, reduzindo o valor do bloqueio adicional para R$ 1,443 bilhão.

LEIA MAIS

Governo Federal vai liberar até 35% do saldo das contas ativas do FGTS, diz Paulo Guedes

(Foto: Arquivo/ Agência Brasil)

O ministro da  Economia, Paulo Guedes afirmou que o governo anunciará nos próximos dias as regras para a liberação do dinheiro das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Segundo o ministro, até 35% do valor depositado pelo empregador atual poderá ser retirado das contas

O percentual dependerá da renda do trabalhador. Atualmente, o dinheiro das contas ativas tem uso limitado, sendo o principal destino o financiamento da casa própria.

A expectativa é que a medida libere R$ 42 bilhões para os trabalhadores. Além disso, devem ser liberados outros R$ 21 bilhões dos recursos do Pis/Pasep. “A tendência é esta”, disse Guedes na Argentina, onde participa da 54ª Cúpula do Mercosul.

LEIA MAIS

Hotéis de Petrolina registram 90% de lotação durante ‘Moto Chico’ 

(Foto: Divulgação)

Antônio Alves veio de Itaquaquecetuba, São Paulo, na garupa da motocicleta da esposa para participar da 20ª edição do Moto Chico. Foram 36 horas de viagem para chegar em Petrolina (PE). O evento, que começou quinta-feira (11) e segue até domingo (14), atrai motociclistas de todo o país e movimenta o trade turístico. A movimentação vista na rua pela população foi comprovada por uma pesquisa feita pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), a qual apontou que os hotéis do município já registram 90% de ocupação.

O levantamento foi feito nesta quinta-feira, tendo como base 12 dos principais hotéis de Petrolina. Ivo Vieira, presidente do motoclube Escorpiões Estradeiros de Alagoinhas (BA), fez a reserva do hotel com seis meses de antecedência. “Participamos do Moto Chico há 15 anos, aqui somos muito bem recebidos por nossos amigos e nos sentimos em casa, por isto fazemos questão de planejarmos a viagem cedo”, conta.

LEIA MAIS

Pagamento do Abono Salarial ano-base 2017 injeta R$ 17,3 bilhões na economia

(Foto: Internet)

O Abono Salarial do PIS/Pasep injetou na economia R$ 17,3 bilhões entre julho do ano passado e junho deste ano. O valor corresponde ao pagamento de até um salário mínimo a 22,5 milhões de trabalhadores que receberam o benefício. Isso significa que 91,72%  dos trabalhadores com direito ao Abono Salarial sacaram o dinheiro. Os mais de R$ 17 milhões pagos representam mais de 91% do total que foi disponibilizado em 26 de julho de 2018.

Tinham direito ao abono pessoas que trabalharam formalmente em 2017 com renda mensal média de até dois salários mínimos. Elas tinham que estar inscritas no PIS/Pasep há pelos menos cinco anos, ter trabalhado por, no mínimo, 30 dias em 2017 e terem sido registradas pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O prazo para saque terminou no último dia 28 de junho. Mais de 2 milhões de pessoas não procuraram as agências bancárias para sacar o dinheiro, o que representa cerca de 8% do total originalmente disponível, conforme anunciado em julho de 2018. Mais de R$ 1,3 bilhão retornarão ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), fonte usada para pagamento de benefícios como o abono e o Seguro-Desemprego. O trabalhador que perdeu o prazo para sacar o benefício deverá buscar orientações em uma das unidades de atendimento da Secretaria de Trabalho ou entrar em contato com Central de Atendimento 158 para se informar acerca das medidas que deverá tomar.

Prefeitura celebra crescimento no turismo e economia durante São João de Petrolina 

Prefeito comemorou crescimento na geração de empregos e impacto na economia (Foto: Blog Waldiney Passos)

Os números do São João 2019 de Petrolina foram apresentados pela Prefeitura durante uma coletiva de imprensa realizada na manhã dessa quarta-feira (3), na Secretaria de Turismo, no Centro de Convenções. Segundo o balanço apresentado, houve um crescimento em diversos segmentos, como comércio, turismo e na avaliação do evento.

A festa – levando em conta o São João dos Bairros e no Pátio – foi aprovada por 97,93% do público, de acordo com a gestão. A rede hoteleira registrou 100% de lotação, com um aumento de 10% na procura em comparação a 2018. Pontos como limpeza do Pátio, acessibilidade, segurança e diversidade de atrações tiveram média de 97% de aprovação pelo público.

O Expresso do Forró transportou mais de cinco mil passageiros, totalizando aumento de 123% em comparação a 2018. Somente no Pátio Ana das Carrancas foram nove dias de festa, com 42 atrações locais, regionais e nacionais. “Tudo funcionou conforme planejado e até melhor, isso nos alegra. Tivemos um público de 700 mil, dos nove dias a gente teve que fechar os portões em três noites”, comemorou o prefeito.

LEIA MAIS

Segundo o Sintraf, baixa procura e custo de produção prejudicaram venda de milho em Petrolina no período junino

(Foto: Divulgação)

Este ano, a produção de milho em Petrolina (PE) para abastecer o consumo do período junino foi de 500 mil espigas, bem abaixo da expectativa. A procura pelo produto, cujo saco estava sendo vendido nas feiras livres ao preço médio de R$ 30, também foi inferior em relação ao ano passado, quando o cento era de R$ 50, de acordo com o Sindicato dos Agricultores Familiares (Sintraf).

A queda na produção acontece por causa de alguns motivos. Há anos, por exemplo, os pequenos agricultores se queixam do baixo valor do milho, que em 10 anos nunca passou dos R$ 0,35 a espiga; o inverno registrado no interior do município também não foi suficiente para animar os produtores e o retorno financeiro não cobre nem os custos.

“O preço do milho é sempre o mesmo; o valor de produção é muito grande se comparado aos benefícios; e a procura está a cada ano menor ainda. Um agricultor planta 3 hectares de milho e não faz R$ 8 mil, em contrapartida ele gastou de R$ 5 a R$ 6 mil para produzir. É muito trabalho para pouco retorno, então eles não consideram tão viável plantar milho”, avalia o secretária de Políticas Agrícolas do Sintraf, Eliete Ferreira.

LEIA MAIS

Governo Federal vai lançar plano do ‘gás mais barato’

(Foto: Ilustração)

Para reanimar a economia e cumprir a promessa do choque da energia barata, o governo deve lançar nos próximos dias um programa para reduzir o preço do gás. Batizado de “Novo Mercado de Gás”, o plano tem como principal pilar o enfrentamento de monopólios que dominam há anos o setor – principalmente as distribuidoras, que atuam em Estados, e a Petrobras. A ideia é criar um ambiente de mercado, com mais concorrentes, e aproveitar o aumento da oferta do gás das áreas do pré-sal para tentar reindustrializar o País.

LEIA MAIS

Setor de serviços cresce 0,3% de março para abril, diz IBGE

(Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Na passagem de março para abril deste ano, o setor de serviços cresceu 0,3%, segundo dados divulgados hoje (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No entanto, a alta não recupera a perda acumulada de 1,8% nos três primeiros meses do ano.

Na comparação com abril do ano passado, houve uma queda de 0,7% no setor. No acumulado houve alta de 0,6% e, no acumulado de 12 meses, um crescimento de 0,4%.

LEIA MAIS

PIB recua 0,2% e mostra economia estagnada no início do governo Bolsonaro

(Foto: Internet)

O IBGE informou nesta quinta-feira (30) que o PIB contraiu 0,2% de janeiro a março, ante o 4º trimestre de 2018, confirmando o quadro de debilidade que vem sendo descrito por economistas. É o primeiro resultado no vermelho após dois anos (oito trimestres) seguidos de recuperação da atividade, ainda que com desempenho fraco. O PIB crescera 1,1% em 2017 e em 2018, após mergulhar 7,6% em 2015 e 2016. Nos últimos três meses de 2018, o desempenho foi de 0,1% e não houve revisão.

Pesquisa da agência Bloomberg indicava que a maior parte dos entrevistados projetava que o PIB recuaria 0,2% no primeiro trimestre. Já em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, a economia teve uma leve alta de 0,5%. Os analistas entrevistados pela Bloomberg previam uma alta igual.

Com o nível atual de atividade, a economia ainda não recuperou o que perdeu na crise. No primeiro trimestre, o PIB ainda estava 5,3% abaixo do pico atingido no primeiro trimestre de 2014. Hoje, a economia roda no mesmo patamar do primeiro semestre de 2012 -e os brasileiros ainda são quase 9% mais pobres do que em 2014.

LEIA MAIS

Governo estuda liberar dinheiro de contas ativas do FGTS para impulsionar economia

(Foto: Ilustrativa)

O Ministério da Economia estuda liberar dinheiro de contas ativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para impulsionar a economia brasileira. “Vamos liberar PIS/Pasep, FGTS, assim que saírem as reformas”, afirmou o ministro Paulo Guedes nesta quinta-feira (30).

No final de 2016, o governo de Michel Temer decidiu liberar recursos de contas inativas do FGTS para injetar fôlego na economia, em recessão. Agora, a ideia de Guedes é permitir também acesso ao dinheiro de contas ativas, vinculadas a trabalhadores com contratos ativos. Questionado sobre se a liberação incluiria contas ativas, o ministro confirmou. “Inativas e ativas. Cada equipe está examinando isso. Nós não batemos o martelo ainda, mas todas as equipes estão examinando isso.”

Para Guedes, são medidas que ajudam a economia, mas que têm que ser adotadas após a aprovação da reforma da Previdência, com a qual o governo busca equilibrar as contas públicas. “Ajuda [a economia]. O problema é que se você abre essas torneiras sem as mudanças fundamentais, é o voo da galinha. Você voa três, quatro meses porque liberou, depois afunda tudo outra vez. Mas na hora que você fizer as reformas fundamentais, e aí sim você libera isso, é como se fosse a chupeta de bateria. A bateria está parada, você dá a chupeta, mas tem a certeza de que o carro vai andar.”

LEIA MAIS
123