Juazeiro: Pacientes com Fibromialgia e Lúpus estão tendo atendimento pelo SUS através de convênio firmado com a Faculdade Estácio

(Foto: Ascom/Estácio)

Quem sofre de Fibromialgia ou Lúpus e não pode pagar pelo tratamento, ganhou uma oportunidade de ser atendido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Uma parceria entre a Faculdade Estácio em Juazeiro (BA),  a Associação dos Fibromiálgicos do Vale do São Francisco (Afibrovasf) e a Associação de Amigos e Pessoas com Lúpus do Vale do São Francisco, vai possibilitara o encaminhamento dos pacientes com essas doenças para acompanhamento médico nos ambulatórios de Reumatologia, que funcionam no Hospital São Lucas, que é conveniado à instituição de ensino.

Além de beneficiar quem precisa de atendimento nessa área de saúde, a parceria é fundamental para os estudantes acompanhem casos reais da área de Reumatologia. “Os futuros médicos terão a oportunidade de aprender na prática, com uma demanda contínua de pacientes dessa especialidade”, enfatizou o coordenador do curso de Medicina da Estácio, Dr. Álvaro Pacheco.

Ele afirma também que em outubro o serviço será estendido a outros pacientes do SUS, mesmo que não façam parte das associações.

LEIA MAIS

Associação dos Fibromiálgicos do Vale do São Francisco realiza encontro nesta quarta em Petrolina

Evento acontece na sede do Transforma Petrolina.

Está marcada para esta quarta-feira (30) a 12ª edição do encontro da Associação dos Fibromiálgicos do Vale do São Francisco (Afibrovasf) em Petrolina (PE).

Durante o evento, serão promovidas palestras, a partir das 18h30, na sede do Transforma Petrolina, que fica no Parque Municipal Josepha Coelho, zona central da cidade. Os interessados em participar devem doar 1 kg de alimento não perecível. Também é possível levar familiares para participar do encontro.

LEIA MAIS

Portadores de fibromialgia de Petrolina terão direito a vagas prioritárias de estacionamento

Vale tem Associação de portadores de fibromialgia, que celebram aprovação de projetos na Câmara de Petrolina (Foto: Ascom)

Os portadores de fibromialgia em Petrolina ganharam duas leis municipais que vão beneficiá-los. O prefeito Miguel Coelho sancionou na sexta-feira (7) duas propostas aprovadas na Câmara de Vereadores no mês passado. A primeira delas é a Lei n°3.186/2019, a qual institui o atendimento preferencial em vagas de estacionamento e assentos em transportes públicos.

Proposta por José Batista da Gama (PSB), a lei prevê que eles também tenham atendimento preferencial na fila de estabelecimentos como bancos, assim como gestantes, idosos e deficientes. No tocante às vagas de estacionamento, os portadores da doença poderão estacionar nas vagas destinadas a idosos e deficientes.

Caberá à secretaria Municipal de Saúde emitir uma carteira aos portadores de fibromialgia, a ser utilizada por eles na sinalização do veículo estacionado em vaga preferencial. A lei já está valendo a partir da data de sua publicação, no caso, ontem.

LEIA MAIS

AFibroVasf realiza encontro nesta quarta-feira, na Univasf de Petrolina

Encerrando a programação do mês marcado pelo debate sobre a fibromialgia, a Associação dos Portadores de Fibromialgia e Fadiga/Dor Crônica do Vale do São Francisco (Afibrovasf) realiza na noite dessa quarta-feira (29) uma palestra dentro da programação do Maio Roxo.

O II Ciclo de Palestras de 2019 será realizado logo mais, às 18h, na Sala Azul da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Petrolina. Na programação constam dois momentos, o primeiro marcado para 18h30 sobre autoestima, com a neuropsicóloga Vânia Sato.

Em seguida o neurologista Renato Bispo debate sobre a fibromialgia e depressão. O evento é aberto ao público e gratuito. A Afibrovasf pede apenas a doação de 1 kg de alimento na entrada do Ciclo.

Fevereiro é o mês de conscientização sobre o Lúpus, Fibromialgia e Alzheimer

Apesar de curto, fevereiro traz importantes datas ligadas à saúde. Simbolizando a conscientização sobre o Lúpus, Fibromialgia e Alzheimer, a cor roxa é a escolhida do mês para colorir o calendário da saúde e representar a luta pela prevenção e qualidade de vida das pessoas com doenças incuráveis.

Como nas demais datas, a Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) está engajada na campanha do Fevereiro Roxo, que foi criada em 2014, em Minas Gerais, com o lema “Se não houver cura, que ao menos haja conforto”.

“O objetivo é informar e incentivar o diagnóstico precoce, pois só ele permitirá que o paciente tenha controle ou adie os sintomas dessas três doenças que inicialmente parecem inofensivas”, ressalta a coordenadora médica, Bruna Spíndola. “Para que a população entenda falaremos um pouquinho sobre cada uma”, acrescenta.

Alzheimer

Doença degenerativa e progressiva, que acomete habitualmente pessoas com mais de 65 anos. É a causa mais comum de demência na população idosa. Não existe cura, mas os medicamentos e as estratégias de controle podem melhorar os sintomas temporariamente.

LEIA MAIS

Associação dos Portadores de Fibromialgia do Vale do São Francisco realiza evento neste domingo em Petrolina

(Foto: Divulgação/AFibroVasf)

Com o objetivo de promover um encontro onde os portadores da fibromialgia possam conversar, desabafar e trocar experiências, a Associação de Portadores de Fibromialgia do Vale do São Francisco (AFibroVasf) realiza, neste domingo (16), o ‘Chá da escuta’, com o tema: “Escuta-me, falar é a melhor solução! ”

Para Wilson Alencar, presidente-diretor da associação, o momento é importante por que além de abrir espaço para o desabafo dos portadores da doença, vai proporcionar a interação dos membros do grupo, que hoje conta com mais de 200 associados.

“O chá será um momento de integração e interação entre os membros do grupo, será também um momento para partilhar as nossas experiências. No ambiente de família muitas vezes os portadores são silenciados, quando a gente quer desabafar, dizer o que estamos sentindo. E esse é um momento onde poderemos falar das nossas dores”.

O evento é voltado para os portadores de fibromialgia e seus familiares, é aberto ao público e acontecerá no Parque Municipal Josepha Coelho, a partir das 15h. A organização do encontro pede que os interessados confirmem presença através do WhatsApp pelo número (87) 988531629.

A doença

LEIA MAIS

Fundação de Associação dos Portadores de Fibromialgia acontece na próxima semana

A Associação surgiu a partir do projeto FibroVasf. (Foto: Convite)

Na próxima quinta-feira (19), às 19h, acontece a Assembleia de Fundação da Associação dos Portadores de Fibromialgia e Fadiga/Dor Crônica do Vale do São Francisco (AFibroVaSF). O evento será realizado na Câmara de Vereadores de Petrolina.

Durante o evento, além da fundação da associação, acontecerá a aprovação dos estatutos e a eleição para definir o Conselho de Administração-Diretoria e o Conselho Fiscal.

AFibroVaSF

A AFibroVaSF é uma entidade de caráter social, sem fins lucrativos. A Associação surgiu a partir do projeto FibroVasf, que começou suas atividades em julho de 2016 com o objetivo de dar visibilidade às pessoas que possuem a síndrome Fibromialgia.

O projeto promovia encontros para proporcionar espaços de aprendizagem a fim de promover saúde, bem-estar e o empoderamento para quem vive com a síndrome.

Fibromialgia

A fibromialgia é um transtorno de dor crônica, bastante comum, que causa o surgimento de dor em várias partes do corpo e que não tem cura. Embora ainda não seja conhecida uma causa específica, é possível que a fibromialgia surja devido a uma sensibilidade genética ou traumas físicos ou psicológicos, por exemplo.

Para aliviar os sintomas de fibromialgia, que além da dor por todo o corpo, também podem incluir cansaço frequente, indisposição, distúrbios do sono e rigidez por mais de 3 meses, algumas opções de tratamento são tomar remédios antidepressivos e analgésicos indicados pelo médico, fazer fisioterapia e terapias alternativas, como a acupuntura.

Fevereiro Roxo: UPAE abre canal para população tirar dúvidas sobre Fibromialgia

(Foto: Blog Waldiney Passos)

A unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) convida a população para sanar as dúvidas sobre a fibromialgia no projeto “O Especialista Responde”. A doença é uma síndrome comum e causa dores no corpo, sensibilidade nas articulações e pouco conhecida.

Para conscientizar a população sobre a doença, o Ministério da Saúde criou o Fevereiro Roxo, mês dedicado a ações sobre a fibromialgia, lúpus e Mal de Alzheimer. A UPAE escolheu a fibromialgia como tema principal da campanha deste ano e quem tiver dúvidas sobre a doença pode enviá-las através das redes sociais da Unidade, até às 17h desta quarta-feira (21).

O que é a fibromialgia

A Fibromialgia é uma das doenças reumatológicas mais frequentes. O principal sintoma é a dor muscular generalizada no corpo. Fadiga, e alterações de sono, memória e humor também são indícios da doença que podem começar após um trauma físico, uma cirurgia, uma infecção ou uma tensão psicológica significativa.

As causas da fibromialgia ainda são desconhecidas pela ciência, há uma possibilidade de causas genéticas, uma vez que casos de Fibromialgia tendem a ocorrer em família.

Grupo de estudo criado pelo Colegiado de Psicologia da Univasf ajuda pessoas que sofrem com Fibromialgia

O grupo coordenado pela Profª Dra. Sílvia Raquel de Morais, do Colegiado de Psicologia da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), é composto por estudantes de psicologia, medicina e farmácia da instituição.

O projeto chamado de Fibrovasf (Fibromilgia – encontros no Vale), começou às atividades em 28 de julho de 2016, com o objetivo de dar visibilidade às pessoas que possuem a síndrome Fibromialgia, uma doença crônica que provoca fortes dores por todo o corpo.

“Além das dores nos ombros, pernas, braços, pescoço… a Fibromialgia também provoca fadiga, irritabilidade, enxaqueca, depressão… que muitas vezes impossibilita a gente de levar uma vida normal e de até ir trabalhar quando ela vem muito forte”, fiz a estudante Rafaella Torres, que sofre com a doença.

O Fibrovasf, realiza encontro com pessoas como Rafaella, para proporcionar espaços de aprendizagem a fim de promover saúde, bem-estar e o empoderamento das pessoas que convivem com essa síndrome.

Segundo Eugênia Souza, estudante de psicologia da Univasf e idealizadora do Fibrovasf, como é um projeto de extensão, ele tem duração limitada, mas os trabalhos foram prorrogados e devem acontecer até maio de 2018.

“A proposta do projeto surgiu a partir da inquietação de um grupo, multidisciplinar de estudantes da Univasf, que à princípio se reuniam para estudos. Mas compreenderam que os ganhos na aprendizagem deveriam extrapolar os muros da academia e favorecer à comunidade meios de promoção de saúde” explicou Eugênia.

A estudante Rafaella Torres é uma das beneficiadas com o projeto. Ela participa dos encontros e passou a compreender melhor a convivência com a doença.

“Participando desses encontros, não só que tem a Fibromialgia, mas nossa família, nossos amigos, compreendem melhor o que é conviver com a síndrome. Porque quem nunca ouviu falar dessa doença acha que é frescura da nossa parte. Além das dores a gente sofre também com o preconceito”, concluiu a estudante.

Ao longo desses meses de atividades já foram debatidos temas como depressão, práticas integrativas no cuidado da pessoa com Fibromialgia, preconceito, nutrição, entre outros.

LEIA MAIS

“Movimentar-se 2: Yoga e práticas complementares em saúde” será realizado nesta sexta

(imagem ilustrativa)

A ação é voltada para pessoas com fibromialgia, porém é aberta a toda comunidade (imagem ilustrativa)

Com o tema “Movimentar-se 2: Yoga e práticas complementares em saúde”, será realizado nesta sexta-feira (25) o quinto encontro do Fibrovasf- Encontros no Vale, um projeto de extensão interdisciplinar da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). A atividade acontecerá na sala azul, localizada no bloco de salas de aula, Campus Petrolina Centro, às 18h30, e terá a participação da psicóloga e professora da Univasf Theodora Gazzi.
As atividades do projeto são voltadas para pessoas diagnosticadas com fibromialgia e seus familiares, mas o evento é aberto à comunidade. De acordo com a coordenadora do Fibrovasf, a professora do Colegiado de Psicologia, Silvia Morais, neste encontro serão discutidas todas as práticas no âmbito do relaxamento e compreensão de si, bem como do autocuidado, que podem complementar o tratamento da fibromialgia. Os participantes devem levar bloco de anotações, meias e casacos.

LEIA MAIS