Novo coronavírus: Governo anuncia crédito emergencial para pequenas e médias empresas

Os presidentes da República, Jair Bolsonaro e do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, fazem declaração à imprensa no Planalto. (Foto: Carolina Antunes/PR)

Em parceria com o Banco Central e BNDES, o Governo Federal anunciou nesta sexta-feira (27) o lançamento de um crédito emergencial de R$ 40 bilhões para pequenas e médias empresas – que variam o faturamento de R$ 360 mil a R$ 10 milhões por ano. A medida deve beneficiar 1,4 milhão de empresas e 12,2 milhões de trabalhadores, segundo expectativas do presidente do Banco Central, Roberto Campos.

Com duração de dois meses, o crédito será exclusivo para o pagamento da folha salarial das empresas e vai contemplar apenas os rendimentos de até dois salários mínimos.“Quem ganha um salário mínimo, vai ganhar um salário mínimo. Quem ganha dois salários mínimos, vai ganhar dois salários mínimos. Quem ganha três, vai ganhar dois. […] Se ganha cinco salários mínimos, vai ganhar dois. Complementar isso é uma decisão da empresa”, disse Campos. Outra exigência é que a empresa inserida no programa não realize demissões durante esse período.

LEIA MAIS

Número de financiamentos de projetos de energia solar aumenta 300% em Petrolina

(Foto: Divulgação)

A energia solar vem conquistando os consumidores brasileiros. Em tempos de crise, o investimento nos sistemas fotovoltaicos registra alta no país, e mais ainda na região Nordeste, onde uma média anual de 5.52 KWh/m2 – dia, garante o maior nível de irradiação solar do Brasil.

LEIA TAMBÉM:

Petrolina é destaque no crescimento do mercado de energia solar

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), os investimentos na geração dessa energia renovável já passam de R$ 15 bilhões, considerando projetos de geração centralizada e de geração distribuída. Os financiamentos para pessoas físicas e jurídicas também despontam em perspectiva ascendente.

Somente em 2018, o sistema Sicredi financiou R$ 232 milhões em 2,7 mil operações de compra de equipamentos de energia solar em todo Brasil. A quantidade é cerca de oito vezes superior ao registrado no ano anterior pela instituição financeira cooperativa, que tem quatro milhões de associados por todo o mundo.

LEIA MAIS