Suspeitas de matar taxista estão recolhidas em Petrolina

Vítima foi morta a golpes de faca na terça-feira, em Petrolina (Foto: Reprodução/WhatsApp)

As duas mulheres envolvidas no homicídio de um taxista na zona rural de Petrolina na terça-feira (24) estão recolhidas em unidades prisionais. De acordo com o delegado Gabriel Sapucaia, responsável pela investigação, a maior de idade está recolhida e a menor foi encaminhada a uma unidade de acolhimento.

LEIA TAMBÉM:

Suspeitas de matar taxista alegam legítima defesa, mas polícia trata caso como latrocínio

Taxista é morto a facadas em Petrolina; duas suspeitas são presas no local do crime

Durante entrevista ao programa Super Manhã da quarta-feira (25), com Daniel Campos, Sapucaia disse que as duas suspeitas efetuaram pelo menos 10 golpes de faca na vítima. “As duas aplicaram os golpes, foram mais de 10 facadas e as duas confessam que deram as facadas”, disse.

LEIA MAIS

Suspeitas de matar taxista alegam legítima defesa, mas polícia trata caso como latrocínio

Taxista foi morto a golpes de faca na manhã de terça-feira, em Petrolina (Foto: Reprodução/WhatsApp)

O delegado da Polícia Civil de Pernambuco, Gabriel Sapucaia deu mais detalhes sobre a morte de um taxista em Petrolina. Segundo Sapucaia, nenhuma possibilidade está sendo descartada nas investigações, mas a tese de maior força até o momento é de latrocínio, roubo seguido de morte.

LEIA TAMBÉM:

Taxista é morto a facadas em Petrolina; duas suspeitas são presas no local do crime

“Fomos acionados para averiguar um suposto homicídio, foram conduzidas duas imputadas até a Delegacia de Plantão. No momento da confecção da lavratura percebemos que estávamos diante de uma situação de latrocínio no qual as duas suspeitas estariam procurando um taxista em potencial para poder cometer o crime de roubo”, disse ao programa Super Manhã com Daniel Campos dessa quarta-feira (25).

LEIA MAIS

Presos, suspeitos de matar servidor da Prefeitura não demonstraram arrependimento segundo polícia

Tênis da vítima foi abandonado em terreno e recuperado pela Polícia Civil de Petrolina (Foto: Blog Waldiney Passos)

A morte de Marcos César Zefino de Souza, servidor da Prefeitura de Petrolina que foi brutalmente assassinado no sábado (2), foi elucidada. Os quatro suspeitos de cometer o latrocínio – roubo seguido de morte – foram presos pela Polícia Civil da cidade na noite de segunda-feira (4) no Porto da Ilha, zona rural da cidade.

Segundo a polícia, os quatro envolvidos têm passagem. Três deles por crimes cometidos enquanto menores. Já Henrique Laurindo de Brito, de 21 anos apontado pelas investigações como líder do crime foi detido anteriormente por lesão corporal.

LEIA TAMBÉM:

Suspeitos de latrocínio contra servidor da Prefeitura de Petrolina são presos

Ele teve apoio de Alisson Pereira da Silva, vulgo Liu, de 23 anos; Janderson Santos de Souza, mais conhecido como Jandinho, de 24 anos e Davi Alves da Silva de 20 anos estavam em um bar no bairro Fernando Idalino Bezerra quando decidiram executar assaltos na região onde Marcos foi morto.

“Nós conseguimos informações que os suspeitos residiam no Porto da Ilha, logo em seguida realizamos diligências na região e conseguimos identificar uma testemunha. Eles estavam no Porto da Ilha e foram ingerir bebida alcoólica no Idalino e no decorrer da ingestão eles foram praticar alguns delitos para obtenção de dinheiro, para comprar drogas e bebidas. A empreitada não foi bem sucedida, eles retornaram ao estabelecimento e logo após os quatros suspeitos foram novamente atrás de pessoas e localizaram a vítima que estava fazendo sua caminhada matinal”, explicou o delegado Gabriel Sapucaia, da Delegacia de Homicídios durante coletiva de imprensa hoje (5).

LEIA MAIS

Acusados de cometer homicídio em Petrolina são presos no Mato Grosso do Sul

(Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Após trocas de informações entre as Polícias Civil de Petrolina e de Campo Grande (MS) três homens acusados de envolvimento com um homicídio praticado em Petrolina foram presos. Ailton Luiz da Silva, Emerson Siqueira da Silva e Enderson Siqueira da Silva – pai, filho e sobrinho – foram detidos na tarde de quarta-feira (28) no Mato Grosso do Sul.

O trio teria assassinado Francisco de Assis Resende no bairro Jardim Amazonas, no dia 10 de setembro desse ano, após uma discussão. O filho da vítima teria se envolvido discutido com Ailton que agrediu o jovem, um dia antes do homicídio.

LEIA TAMBÉM:

Homem morre após discussão no Jardim Amazonas, em Petrolina

Sabendo do fato, Francisco foi até a residência dos acusados – que eram vizinhos no mesmo bairro – mas os três já aguardavam a vítima armados. Emerson sacou uma arma e atirou diversas vezes contra Francisco que ainda foi agredido com golpes de faca.

As investigações do crime ficaram a cargo dos delegados Magno Neves e Gabriel Sapucaia, da 25ª Delegacia de Homicídios de Petrolina, responsáveis por identificar a passagem do trio por vários estados, até chegarem ao Mato Grosso do Sul. Apesar de foragidos, contra os três foram expedidos os mandados de prisão na Vara do Júri da Comarca de Petrolina.

Trabalho da Polícia Civil no Caso Estefany é elogiado por vereadores

Da esq. para dir.: delegados Marceone Ferreira, Magno Neves e Gabriel Sapucaia (Foto: Blog Waldiney Passos)

A morte da garota Estefany Eduarda em outubro chocou Petrolina pelos indícios apresentados pela Polícia Civil durante as investigações: a garota foi encontrada seminua em um terreno, após ter sido vítima de violência sexual. Menos de um mês depois a Delegacia de Homicídios prendeu dois dos três envolvidos no homicídio, durante uma coletiva de imprensa na quarta-feira (7).

O tema foi assunto na sessão de ontem (8) na Câmara de Vereadores de Petrolina, quando Rodrigo Araújo (PSC) e Maria Elena de Alencar (PRTB) elogiaram o trabalho executado pelas equipes da Polícia Civil. Rodrigo destacou a eficiência das equipes envolvidas.

LEIA TAMBÉM:

Caso Estefany: Polícia Civil aponta participação de familiares na morte da garota

“Dou os parabéns à Polícia Civil de Petrolina, foi elucidado aquele crime bárbaro que chocou Petrolina e aqui existem uns crimes sem solução. Mas a Polícia com um belo trabalho conseguiu prender aqueles criminosos. Quero convocar os vereadores para que a gente possa fazer uma moção de aplauso para enviar ao delegado Magno [Neves] e toda sua equipe“, disse Rodrigo.

Maria Elena fez coro ao colega e foi além, cobrando da polícia a elucidação do Caso Beatriz Angélica Mota. “A Polícia Civil dá essa resposta prendendo os principais autores do crime da menina Estefany e a gente está aqui para fazer esse registro. [Gostaria de dizer] à Polícia Civil que mandou bem, parabéns, mas a sociedade continua esperando uma resposta sobre o Caso Beatriz”, finalizou Elena.

Caso Estefany: Polícia Civil aponta participação de familiares na morte da garota

Relatos de testemunhas indicam participação de familiares da garota (Foto: Blog Waldiney Passos)

A Polícia Civil de Petrolina deflagrou na manhã de hoje (7) a Operação Impacto, resultado de investigações de homicídios cometidos na cidade entre agosto e outubro de 2018, entre eles do da jovem Estefany Eduarda, encontrada morta no dia 15 de outubro no bairro São Gonçalo.

Em uma coletiva de imprensa os delegados responsáveis pelas investigações, Magno Neves e Gabriel Sapucaia apresentaram mais informações sobre os presos. Três homens participaram do crime: José Henrique de Castro dos Santos, Luiz Antônio Moura, vulgo “Pretinho” e Flaviano Bernardino de Sena, mais conhecido como “Índio”.

“As investigações começaram no dia 14 de outubro quando o BO foi registrado na Delegacia do Ouro Preto acerca do desaparecimento da menina Estefany. Posteriormente no dia 15 ela foi encontrada já morta, em estado bastante avançado de putrefação. Nesse sentido a Delegacia de Homicídios tomou o inquérito para si, ouviu diversas testemunhas e pessoas que presenciaram a situação. Nesse sentido chegou-se aos três suspeitos”, comentou o delegado Sapucaia.

LEIA MAIS