Unidade do Atacadão Petrolina será inaugurada nesta quinta-feira

Anunciada no começo de dezembro passado, a unidade do Atacadão Petrolina será inaugurada nesta quinta-feira (30), às 9h. A data foi divulgada nas redes sociais da rede. Localizada na BR-407, no bairro Jardim Amazonas, o Atacadão deve gerar mais de 600 empregos no município.

Ano passado a Prefeitura afirmou que seriam investidos R$ 50 milhões na abertura da nova unidade, ligada à Carrefour. O Atacadão está presente em 26 estados e tem quase 200 unidades no país.

Além de alimentos e bebidas, os clientes encontrarão materiais escolares, produtos de higiene e limpeza entre outros materiais.

Governo Federal espera crescimento de trabalho intermitente em 2020

Reforma trabalhista veio com promessa de mais empregos

A Reforma Trabalhista trazia no discurso a geração de mais empregos, contudo não é isso que o Brasil tem visto. Dois anos após ser colocada em prática, uma em cada 10 novas vagas são de trabalho intermitente, sem previsão de jornada fixa.

A expectativa para o novo ano é de que haja um crescimento nesse tipo de modalidade, o que de certa forma não corresponde às expectativas dos trabalhadores. A reforma foi aprovada na gestão de Michel Temer (MDB) e flexibilizou as leis trabalhistas.

Com o trabalho intermitente não há jornada ou salário fixo. No período de dois anos foram abertos 1,124 milhão de empregos formais. Desse total, 133 mil são de trabalho sem jornada ou salário fixo. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em novembro, o trabalho intermitente representou 11,4% das novas vagas.

O Ministério da Economia espera no próximo ano o trabalho sem jornada fixa ficará mais conhecido entre os empregadores. “Sem perder de vista o processo de retomada da economia brasileira, que, por sua vez também tem garantido contratações em outras modalidades”, afirmou em nota à Folha de Pernambuco.

Nova unidade da Masterboi vai gerar cerca de 800 empregos no Agreste Pernambucano

(Foto: Ilustração)

No Palácio das Princesas, o governador Paulo Câmara recebeu o presidente da Masterboi, Nelson Bezerra, para anunciar mais um investimento para o Estado: a instalação de um frigorífico industrial no município de Canhotinho, no Agreste Meridional. A empresa utilizará uma área de 110 hectares, com investimento de R$ 112 milhões e a perspectiva de geração de cerca de 800 empregos diretos. As obras estão previstas para começar no primeiro semestre de 2020, e as atividades, em meados de 2022.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, pontuou que o investimento é importante para a economia do Estado e para o desenvolvimento do Agreste Meridional. “É um frigorífico que vai desenvolver toda a questão da pecuária de corte. Uma indústria como essa vai estabelecer toda uma cadeia, ali no Agreste Meridional, atingindo também a Mata Sul. É um olhar para uma área que precisava ter um desenvolvimento dentro da sua vocação”, explicou o secretário.

Para o conselheiro, o Agreste Meridional viverá um novo momento após a instalação da Masterboi. “Será um novo espaço, um novo período e uma fase de muito desenvolvimento. Além dos empregos gerados, teremos também a economia, o recolhimento dos impostos, o movimento do comércio. Vai se criar uma nova cultura no sentido da criação do gado, aumentar os rebanhos e, consequentemente, gerar empregos e riqueza para o Estado”, finalizou.

LEIA MAIS

Petrolina continua sendo destaque na geração de emprego, aponta Caged

Petrolina continua sendo destaque na geração de emprego em 2019. O balanço mais recente do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) aponta que, entre janeiro e outubro desse ano, o município manteve o primeiro lugar em Pernambuco.

Nos primeiros 10 meses do ano o saldo de Petrolina foi de 5.650 novas oportunidades de trabalho, mais da metade do saldo total de Pernambuco no mesmo período (10.014 vagas). Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Petrolina, Emicio Júnior, a cidade tem sido atrativa aos empresários.

“Além de todo trabalho da gestão municipal, que vem se destacando pelo volume de obras e, consequentemente na geração de empregos, Petrolina é uma cidade atrativa para empresários, que se sentem seguros em fazer grandes investimentos aqui, devido ao potencial econômico proporcionado, em grande parte, pela fruticultura irrigada. Isso mostra que estamos trabalhando no caminho certo”, destaca.

Petrolina ficou a frente da capital Recife, com quase o dobro de vagas criadas (2.804). Aliança (1.027) ficou em terceiro no ranking.

Voltado para jovens, pacote quer estimular geração de empregos no Brasil

(Foto: Arquivo)

Será lançado nessa segunda-feira (11) o Programa Verde Amarelo, pacote do Governo Federal para estimular a geração de emprego. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) fará o anúncio às 17h, no próprio Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

A estimativa da equipe de economia é contemplar três milhões de jovens no primeiro emprego. O plano de ações será apresentadas através de uma Medida Provisória. O público alvo do programa são jovens entre 18 e 29 anos e pessoas acima dos 55, que tenham baixa renda (com remuneração de até 1,5 salário mínimo).

“Verde Amarelo” permitirá a contratação temporária, com duração de dois anos, a partir de 2020. O Brasil tem hoje mais de 12 milhões de desempregados e soma uma taxa média de desemprego de 11,8%.

Governo Federal trabalha programa para fortalecer geração de empregos

(Foto: Internet)

O Governo Federal lançará um pacote para estimular a criação de empregos no Brasil. A decisão vem após críticas feitas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está em liberdade desde sexta-feira (8). De acordo com o Correio Braziliense, a equipe do ministro Paulo Guedes (Economia) já estuda o pacote.

A intenção do Palácio do Planalto é lançar o programa Trabalho Verde Amarelo, nesta segunda-feira (11). Empresas que contratarem jovens entre 18 e 29 anos e pessoas com mais de 55 anos terão redução nos custos trabalhistas. Com isso, a meta é gerar 4 milhões de vagas até o fim do governo de Bolsonaro.

Ontem (9) Lula discursou criticando as faltas de políticas concretas para geração de emprego no atual governo. O petista falou que as ações do ministro da Economia têm estimulado a precarização do trabalho. A redução dos benefícios trabalhistas do programa Verde Amarelo seria um claro exemplo da precarização da mão de obra.

Um dos pontos do programa de Bolsonaro é a permissão de que empresas não recolherem a contribuição patronal para o Instuto Nacional do Seguro Social (INSS), de 20% sobre a folha de salário. Já o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), será de 2% ante os 8% dos atuais. O valor da multa, em caso de demissão sem justa causa, será de 20% sobre o saldo (hoje é de 40%).

Petrolina supera Recife e é líder na geração de emprego em Pernambuco

Petrolina segue se destacando na geração de emprego. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) a cidade segue líder na geração de empregos em Pernambuco nesse ano.

Entre janeiro e setembro de 2019 o município registrou o saldo de 5.211 novas oportunidades.

A Terra dos Impossíveis tem mais do que o dobro de saldo da capital Recife, segunda colocada no Estado: 5.211 contra 2.376. O terceiro lugar ficou com o município de Aliança, cujo sado foi de 984.

Brasil tem saldo positivo na geração de emprego formal em agosto

(Foto: Internet)

Pelo quinto mês seguido, o Brasil teve saldo positivo no emprego formal. Em agosto, a expansão foi de 121.387 vagas, decorrente de 1.382.407 admissões e de 1.261.020 desligamentos. As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quarta-feira (25) pela Secretaria de Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. O resultado de agosto é equivalente à variação de 0,31% em relação ao estoque no mês anterior. Foi o melhor agosto no Caged desde 2013.

No acumulado de 2019 foram criados 593.467 novos postos, com variação de 1,55% do estoque. No mesmo período de 2018 houve crescimento de 568.551 empregos, uma variação de 1,50%. Nos últimos 12 meses foram criados 530.396 empregos, uma variação de 1,38%. No mesmo período do ano anterior, o saldo foi de 356.852, representando um crescimento de 0,94%.

Em agosto de 2019 foi registrado saldo positivo no nível de emprego em seis setores econômicos e saldo negativo em dois. Tiveram saldo positivo Serviços (61.730 postos), Comércio (23.626), Indústria de Transformação (19.517), Construção Civil (17.306), Administração Pública (1.391) e Extrativa Mineral (1.235). Apresentaram saldo negativo Agropecuária (-3.341 postos) e Serviços Industriais de Utilidade Pública/SIUP (-77 postos).

LEIA MAIS

Unidade do Atacadão deve gerar mais de 600 empregos em Petrolina

Petrolina ganhará uma unidade do Atacadão, localizada na Avenida Ulysses Guimarães, no bairro Jardim Amazonas. A expectativa da gestão municipal é que mais de 600 empregos diretos e indiretos sejam gerados, consolidando o município na geração de emprego.

Ontem (11) o prefeito Miguel Coelho recebeu representantes do Atacadão. Serão investidos R$ 50 milhões na abertura da unidade, que é ligada à Carrefour e tem quase 200 unidades em todo país.

“Já somos o município que mais gera emprego em Pernambuco. A chegada do Atacadão fortalece nossa economia com mais vagas de trabalho e geração de receita na nossa economia. É uma excelente notícia para o povo petrolinense”, disse Miguel.

Juazeiro lidera geração de emprego na Bahia e se destaca no cenário nacional

Juazeiro continua se destacando na Bahia (Foto: Blog Waldiney Passos)

Se em Pernambuco, Petrolina é destaque na geração de empregos, na Bahia o mesmo acontece com Juazeiro. A cidade permanece na primeira colocação entre as que mais geram postos de trabalho no interior do Nordeste. Entre janeiro e julho de 2019 foram 2.834 vagas.

Os dados são do Cadastro de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho. Juazeiro se destaca não apenas entre os municípios do interior, mas também contra capitais e fica atrás apenas de São Luís (MA).

Segundo os dados do CAGED, os destaques em Juazeiro são os setores de indústria de transformação, com saldo positivo de 1.463; da agropecuária, com saldo positivo de 959; e de Serviços, com saldo positivo de 692 empregos de carteira assinada.

Petrolina mantém liderança no ranking da geração de empregos em Pernambuco

Petrolina continua se destacando no Estado (Foto: Jonas Santos)

Entre janeiro e julho de 2019, Petrolina conseguiu gerar mais empregos que qualquer cidade de Pernambuco. Os dados foram obtidos através do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que apontam a Terra dos Impossíveis com saldo de 2.649 vagas.

Foram gerados 18.759 novas vagas, de acordo com o Caged. Serra Talhada aparece na segunda colocação, com 2.027 novos empregos e saldo de 491. Sertânia completa o pódio com 813 vagas abertas e o balanço de 270. “Temos uma cidade que é referência nacional em fruticultura irrigada e regional no que diz respeito ao comércio e serviços. Os dados só comprovam que Petrolina está no caminho do desenvolvimento“, celebrou o  secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Emicio Júnior.

Balanço de julho

Levando em conta apenas o mês passado, Petrolina gerou 3.255 oportunidades e fechou o mês com o saldo positivo de 1.052 vagas. Em 2º lugar está Aliança, que gerou 250 oportunidades e saldo positivo de 190. Na 3ª colocação, a cidade de Escada aparece com a abertura de 288 vagas e de 170.

Pequenos negócios foram responsáveis por 95% da geração de emprego no mês de julho

(Foto: Internet)

As micro e pequenas empresas foram responsáveis por criar 41,5 mil empregos com carteira assinada no mês de julho. Os dados foram foram apresentados pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Esse número significa que os pequenos negócios foram responsáveis por 95% dos empregos gerados em todo o país. Com os números das grandes empresas e da administração pública, foram criados 43,8 mil empregos formais. De janeiro a julho deste ano, as micro e pequenas empresas abriram 437,6 mil vagas, 2,4% acima do registrado no
mesmo período do ano passado.

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, disse que esses empreendedores são a alavanca para a economia e vitais para a geração de emprego e renda no país. Segundo Melles, é mais um motivo para que o país invista em melhoria do ambiente de negócios do setor, diminuição da burocracia e incentivo à competitividade.

Os pequenos negócios do setor de serviços foram os que mais criaram vagas (20 mil). Os destaques foram o ramo imobiliário, com 15,2 mil empregos, e o setor da construção civil, com 14 mil postos. (Com informações do JC Online).

Expansão de fábrica têxtil deve gerar mais de 600 empregos em Petrolina

A primeira fase de expansão da São Francisco Têxtil já começa em março. (Foto: Ascom)

Na última quarta-feira (20) o prefeito Miguel Coelho se reuniu com a direção do grupo Covolan para tratar do plano de expansão da fábrica São Francisco Têxtil. A unidade, que hoje funciona próximo à Orla de Petrolina (PE), será transferida para o Distrito Industrial com uma capacidade de produção maior. Com isso, a meta é, por meio de um investimento de R$ 46 milhões na nova fábrica, gerar mais de 600 empregos em três anos.

A primeira fase de expansão da empresa já começa em março com a transferência do maquinário e equipamentos de produção de fios para a nova sede do Distrito Industrial. Depois disso, a indústria irá operar com maior ritmo e capacidade de tecelagem. Hoje, a unidade industrial da Orla produz 1.500 toneladas de fios por mês. Na nova sede, esse volume aumentará 40%.

Durante o encontro, ainda foi discutido o desenvolvimento de um polo têxtil em Petrolina por meio de fomento de empresas de médio e pequeno porte em confecção de roupas. “Com essa expansão queremos atrair novas empresas do setor e incentivar a qualificação de mão de obra na cidade em parceria com instituições como o Senac. Ainda é uma ideia inicial, mas Petrolina tem todas as condições de abrigar um polo têxtil, tendo o Grupo Covolan como um espelho para a atração de novos negócios nesse segmento”, explicou o prefeito após a reunião.

Crescimento de MEIs está ligado ao desemprego, aponta levantamento

(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

2018 terminou com a abertura de 2,6 milhões de novas empresas no Brasil, 14% a mais do que em 2017. A maior parte desses empreendimentos, de acordo com a Boa Vista, tendo como base dados da Receita Federal é de Microempreendedor Individual (MEI).

Os MEIs representaram 77,3% das aberturas e está diretamente ligada a falta de emprego no país. Flávio Calife, economista da Boa Vista acredita que o número de MEIs cresceu acima por causa da reação ainda muito lenta do mercado de trabalho na abertura de vagas destruídas pela crise. “O desemprego elevado sustentou a abertura de MEIs”, afirma.

Setores

Por segmento, serviço registrou 58,7% das aberturas, seguido pelo comércio, com 32,9%. Calife diz que o serviço liderou porque esse é o setor mais flexível da economia. “Quem perde o emprego, abre uma consultoria”, exemplifica o economista.

Quanto às regiões do País, a maior fatia de aberturas de novas companhias está em regiões com maior atividade econômica, como o Sudeste ( 15,6%) e o Sul (14,9%). Já o a região Norte ficou na lanterna, respondendo por apenas 2,1% do total de empresas abertas no período. Com informações do Diário de Pernambuco.

Geração de emprego é promessa do novo mandato de Paulo Câmara

(Foto: Arquivo)

Por duas vezes consecutivas, uma na posse e outra no anúncio oficial do novo secretariado, o governador Paulo Câmara (PSB) garantiu que ele e sua equipe farão ações em todas as áreas para que “Pernambuco possa gerar novos postos de trabalho e devolver aos pernambucanos o que a crise do país tirou”. A promessa do socialista neste início de ano está sendo aguardada com expectativa por muitos pernambucanos que entraram para as estatísticas negativas dos trabalhadores que estão oficialmente fora do mercado de trabalho.

No Brasil, já são quase 13 milhões de pessoas desempregadas. Segundo dados do IBGE, Pernambuco é um dos 14 estados do país que tiveram índice de desemprego superior a média nacional no terceiro trimestre de 2018. Em Pernambuco, 16,7% da população está sem emprego (cerca de 1,4 milhão de pessoas), índice superior em quase 5 pontos percentuais ao nacional, que foi de 11,9%.

LEIA MAIS
12