Vigilantes voltam ao trabalho, mas bancos da Bahia continuam sem atender o público

Vigilantes voltam ao trabalho. (Foto: TV Bahia/Reprodução)

Depois de quinze dias de paralisação, os Sindicatos dos Vigilantes da Bahia (Sindvigilantes Bahia, Sindvigilantes Feira, Sindvigilantes Metropolitano e Sindvilantes Itabuna) resolveu encerrar a greve na última terça-feira (24). Os grevistas voltaram ao trabalho, mas os bancos continuam sem atender clientes e correntistas.

É que esses estabelecimentos se enquadram no Artigo 3º do Decreto Nº 266/2020, estabelecido pelo o prefeito Paulo Bomfim no dia 23 deste mês, que diz:  Art. 3º. Fica determinada a suspensão do atendimento presencial nos estabelecimentos das instituições bancárias situados no território do Município de Juazeiro.

O decreto tem prazo de validade até o dia 31 de março, mas o gestor municipal ainda vai avaliar, junto com o comitê de enfrentamento ao novo coronavírus, se vai prorrogar o prazo de validade.

Enquanto a pandemia avança, os vigilantes continuam trabalhando, mas em estado de greve. Após a crise provocada pelo coronavírus eles vão resolver se retomam ou não o movimento grevista. O presidente do sindicato, José Boaventura, agradeceu a quem aderiu a paralisação

“Pedimos a compreensão de todos e de todas, pedimos a solidariedade também da população, gradecemos também aos vigilantes, guerreiros e guerreiras pela demonstração de luta, de coragem e de firmeza na defesa das nossa reivindicações, de melhores salários para a categoria”, concluiu Boaventura.

Greve dos vigilantes de bancos da Bahia chega ao 14º dia sem previsão de acordo

Vigilantes que prestam serviços a diversas agências de bancos e do INSS de cidades da Bahia continuam sem trabalhar. A greve iniciada no último dia 10 de março chega ao 14º dia sem perspectiva de acordo entre patrões e empregados.

Nos bancos, apenas os caixas eletrônicos estão funcionando mesmo sem o efetivo mínimo de vigilantes que havia sido exigido pela justiça. É que, na semana passada, uma liminar conseguida pela Federação dos Bancos, a qual determinava que parte dos vigilantes mantivesse as atividades, foi derrubada pelo desembargador Edilton Meireles de Oliveira Santos, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

LEIA MAIS

Enfermeiros de PE aprovam estado de greve alegando escassez de material de proteção

O Sindicato dos Enfermeiros no Estado De Pernambuco (SEEPE) aprovou o estado de greve da categoria em assembleia realizada na tarde desta sexta-feira (20). Os profissionais denunciam escassez de Equipamento de Proteção Individual (EPI) para atender pacientes de casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus. O EPI diz respeito a objetos como luvas, máscaras, óculos de proteção e avental. Caso a situação não mude, a greve entra em vigor na próxima segunda-feira (23).

A mobilização por conta dos equipamentos de proteção começou no dia 13 de março. A ameaça de greve começou a ser cogitada no dia 18. “Sofremos com falta de material há um tempo, mas a situação ficou gritante depois que os casos de coronavírus foram confirmados no estado”, afirma Ludmila Outtes, presidente do Seepe. Dentre os objetos, apenas as luvas estariam em quantidade ideal.

LEIA MAIS

Vigilantes continuam em greve e bancos de juazeiro seguem fechados

(Foto: Internet)

Os vigilantes da Bahia continuam em greve. Já são seis dias de paralisação e reivindicação por reajuste salarial de 3%. A categoria alega estar há dois anos sem reajuste.

LEIA TAMBÉM

Vigilantes seguem em greve e expediente nas agências bancárias de Juazeiro é afetado

Desde a última terça-feira (10), quando a greve foi deflagrada pelo Sindicato dos Vigilantes da Bahia (Sindvigilantes), os bancos de Juazeiro e região estão fechados.  Nas agências, funcionários orientam que pagamentos sejam feitos em lotéricas ou em lojas que aceitem o serviço.

“A recomendação do Sindicato dos Bancários de Juazeiro e Região é de que no caso da ausência de vigilantes, as agências sejas fechadas para a segurança dos funcionários e clientes”, alertou.

Policiais civis de Pernambuco decretam paralisação de 24h, a partir desta sexta-feira

Categoria cobra melhores condições de trabalho (Foto: Ascom/Polícia Civil)

Os policiais civis de Pernambuco cruzarão os braços a partir da 0h desta sexta-feira (13). A categoria cobra uma proposta concreta do Governo do Estado e melhorias nas condições de trabalho. Enquanto não conseguem diálogo com o Poder Executivo, eles farão uma paralisação de 24 horas.

Durante uma assembleia, os policiais decidiram que no próximo dia 19 será realizada uma nova passeata, com concentração na sede do Sinpol, em Recife. A medida foi adotada pela categoria, após várias tentativas de negociação com o Estado.

Presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros cobra uma resposta, já que os policiais inicialmente cruzariam os braços no período do carnaval, mas adiaram a manifestação depois de diálogos com o Governo de Pernambuco. “Não paralisamos as atividades durante o carnaval em respeito ao povo pernambucano e, mais uma vez, sinalizando nossa disposição em não radicalizar”, afirmou.

Vigilantes seguem em greve e expediente nas agências bancárias de Juazeiro é afetado

Bancos de Juazeiro sentem greve dos vigilantes (Foto: Internet)

Os vigilantes das agências bancárias deflagraram greve na terça-feira (10), em toda Bahia. Hoje eles realizaram um ato público na capital, cobrando diálogo com o sindicato patronal e resposta às suas demandas, apresentadas e sem respostas desde 2019.

LEIA TAMBÉM

Vigilantes declaram greve e agências bancárias de Juazeiro estão fechadas

De acordo com o Sindicato dos Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância do Estado (Sindivigilantes), a decisão da greve ocorreu durante uma assembleia coletiva e depois de muitas tentativas de reajuste salarial. Em toda Bahia são cerca de 30 mil profissionais, atuando não apenas na segurança dos bancos, mas também em escolas e prédios públicos.

Em Juazeiro todas as 11 agências suspenderam o funcionamento, por conta da falta de segurança. Até o início da tarde o Sindivigilantes não informou se as negociações avançaram.

Vigilantes declaram greve e agências bancárias de Juazeiro estão fechadas

Greve foi deflagrada hoje (Foto: TV Bahia/Reprodução)

Os vigilantes prestadores de serviços nas agências bancárias da Bahia deflagraram greve na manhã dessa terça-feira (10). A paralisação é por tempo indeterminado e afeta o funcionamento das agências de várias cidades, incluindo Juazeiro.

De acordo com o Sindicato dos Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância do Estado (Sindivigilantes), a decisão ocorreu durante uma assembleia coletiva e depois de muitas tentativas de reajuste salarial com o setor patronal.

No ano de 2019, nós tivemos 13 rodadas [de negociação], incluindo o Ministério Público Estadual (MP-BA) e nada andou. Agora [neste ano], tivemos outras rodadas, mas não tivemos avanço. Por isso, a categoria escolheu fazer a greve por conta da intransigência do patrão”, disse Jeferson Fernandes, Secretário de Comunicação do sindicato.

Falta de convenção coletiva, perda salarial e insegurança são alguns dos pontos questionados pelos trabalhadores. Além de Juazeiro, na região Norte são 10 agências fechadas em decorrência da greve. (Com informações do G1 Bahia).

Em nota, prefeito de Orocó afirma que professores do município já recebem piso salarial atual

(Foto: Reprodução/WhatsApp)

Os professores da rede municipal de ensino de Orocó (PE) continuam em greve. As atividades foram paralisadas no último dia 10, e desde então, a categoria e a prefeitura não chegaram a um acordo. Os professores cobram a reversão da medida tomada pela gestão municipal, que resultou no rebaixamento total dos salários dos servidores oriundos do último concurso público, além do reajuste das tabelas de vencimentos para este ano.

LEIA TAMBÉM

Escolas municipais de Orocó seguem sem aulas e professores fazem manifestação pelas ruas da cidade

Em nota, o prefeito de Orocó, George Gueber, afirmou que os professores já recebem o piso salarial atual.“[…] Convém informar a todos, que na data de hoje os professores de Orocó já recebem desde o ano passado, o atual piso salarial. Estando o município rigorosamente em dia com os salários desses profissionais”, destacou o gestor municipal.

LEIA MAIS

Policiais Civis de Pernambuco ameaçam parar durante o carnaval caso não haja negociação salarial

Policiais em passeata no Recife. (Foto: Filipe Jordão/JC Imagem)

Nessa terça-feira (18), os policiais civis de Pernambuco realizaram uma passeata em Recife até o Palácio Campo das Princesas, onde foram recebidos por uma comitiva do Governo Estadual para realização de uma negociação salarial. A liderança do movimento, Áureo Cisneiros, presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), chegou ao acordo de não paralisar durante o Carnaval. Com isso, as negociações devem ser retomadas no dia 11 de março.

No entanto, segundo Áureo, se o governo se eximir de abrir negociação com a categoria, os policiais devem parar durante os festejos carnavalescos. “A gente queria conversar com o governador, ele foi eleito para resolver os problemas do estado. Segurança Pública não é problema? A população está clamando por mais segurança pública e o governo inventa uma agenda, em uma questão tão importante dessas, que é ficar sem a Polícia Civil no Carnaval?”, disse.

LEIA MAIS

Escolas municipais de Orocó seguem sem aulas e professores fazem manifestação pelas ruas da cidade

(Foto: Reprodução/WhatsApp)

Os professores da rede municipal de ensino de Orocó (PE) estão em greve desde o último dia 10 de fevereiro. A classe reivindica a reversão da medida tomada pela gestão municipal, que resultou no rebaixamento total dos salários dos servidores oriundos do último concurso públicos, além do reajuste das tabelas de vencimentos para o ano de 2020.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Orocó (SINTEO), a prefeitura foi procurada várias vezes, mas não deu nenhuma resposta favorável às reivindicações da categoria. Ainda segundo o Sindicato, a greve continuará, até que o município atenda as demandas dos professores municipais.

LEIA MAIS

Caminhoneiros ameaçam parar novamente nesta semana

(Foto: Internet)

A informação sobre uma possível nova paralisação dos caminhoneiros, nesta quarta-feira (19), começou a circular nas redes sociais durante este final de semana. A classe começou a cogitar paralisar após o ministro do STF Luiz Fux tirar de pauta o julgamento de constitucionalidade da lei 13.703, que estabelece valores mínimos para o frete.

O texto foi questionado por setores empresariais, como a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e deveria ser julgado nesta nova semana que se inicia. Agora, não há mais data prevista para análise da questão.

LEIA MAIS

Sindicato dos técnicos de enfermagem acata decisão da Justiça e suspende greve em Pernambuco

(Foto: Júlio Gomes/LeiaJá Imagens)

Os profissionais da saúde de Pernambuco realizaram uma assembleia na sexta-feira (14) e decidiram acatar a decisão do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-PE). Dessa forma, o Sindicato Profissional dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem suspenderam a greve deflagrada no dia 30 de janeiro.

LEIA TAMBÉM

Justiça determina fim da greve dos enfermeiros em Pernambuco

Contudo, o grupo já definiu um novo calendário de manifestações. O TJ-PE decidiu na quarta-feira (12) o retorno imediato das atividades profissionais, além de ter estipulado multa de R$ 30 mil por dia, caso não houvesse cumprimento por parte dos servidores.

Seguindo o calendário das manifestações, o presidente do sindicato, Francis Herbert, garante que não haverá prejuízo a população. “Vamos continuar os atos sem prejudicar a população. Nossos protestos são pacíficos e têm como objetivo mostrar ao povo o tratamento absurdo que estamos recebendo desse governo“, disse. (Com informações da Folha de Pernambuco).

Justiça determina fim da greve dos enfermeiros em Pernambuco

(Foto: Ilustração)

O desembargador do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) Evandro Magalhães Melo determinou, na noite dessa quarta-feira (12), o retorno imediato ao trabalho dos servidores da saúde em greve desde 30 de janeiro.

A decisão, dirigida ao Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Pernambuco (Seepe) e ao Sindicato Profissional dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem de Pernambuco (Satenpe), também proibiu o bloqueio de via pública, como vinha ocorrendo durante os protestos na Avenida Agamenon Magalhães, em Recife.

LEIA MAIS

Com possibilidade de paralisação, Sinpol-PE fará nova assembleia na próxima semana

(Foto: Reprodução/Internet)

O Sindicato dos Policiais de Pernambuco (Sinpol-PE) realizará uma nova assembleia, no próximo dia 13 de fevereiro, para discutir uma possível paralisação no período do carnaval. Segundo a categoria, os agentes farão uma avaliação do trabalho executado pelo governador Paulo Câmara (PSB) e a depender da decisão, os policiais não descartam cruzar os braços.

LEIA TAMBÉM

Paulo Câmara comanda cerimônia de formatura dos novos policiais civis de Pernambuco

Segundo o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, não é esse o desejo dos policiais. O que a categoria anseia é a valorização do grupo. Áureo e Câmara estiveram frente a frente nessa semana, na formatura de 405 policiais civis, na segunda-feira (3). “Reiterei nossa intenção de investir no diálogo, mas diante da falta de sinalização por parte do governo e de acordo com as últimas deliberações da nossa categoria, seguimos com a mobilização dos Policiais Civis de Pernambuco para a implantação de uma Operação Padrão“, contou ao Blog.

Desses novos 405 agentes, 2 são escrivães e os demais, agentes. O Governo de Pernambuco ainda não definiu como será a divisão desses profissionais, mas a expectativa é que todas as regiões recebam reforço na Polícia Civil.

​​​​​Petroleiros iniciam greve; Petrobras quer garantir abastecimento

(Foto: Heudes Régis/ JC Imagem)

Mais de 7 mil funcionários em dez estados participam da greve dos petroleiros, iniciada na madrugada do último sábado (1º), segundo a Federação Única dos Petroleiros (FUP). Os grevistas representam 12% dos 55 mil empregados da Petrobras.

De acordo com a FUP, a mobilização atinge 15 unidades da empresa e subsidiárias, como a Transpetro, a Refinaria Duque de Caxias (Reduc) e a Refinaria do Nordeste (RNEST). Em Pernambuco foram atingidas pela paralisação a Refinaria Abreu e Lima (Rnest) e o Terminal Aquaviário de Suape (TA Suape).

A Petrobras não confirmou o número de funcionários que aderiram ao movimento, mas informou, por meio de nota, que tomou “as providências necessárias para garantir a continuidade da produção de petróleo e gás e o processamento em suas refinarias, bem como o abastecimento do mercado de derivados e as condições de segurança dos trabalhadores e das instalações”.

A greve, por tempo indeterminado, foi aprovada pelos 13 sindicatos filiados à FUP. De acordo com o diretor da federação, Gerson Castelano, o movimento contesta as mil demissões feitas pela Petrobras na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR), sem respeitar o acordo coletivo de trabalho.

LEIA MAIS
123