Pesquisa do Ibope afirma que 73% dos brasileiros são contrários a flexibilização do porte de arma

Decreto de Bolsonaro será analisado nessa semana no Senado (Foto: Blog Waldiney Passos)

O Ibope divulgou uma pesquisa nessa segunda-feira (3) afirmando que 73% dos entrevistados são contrários à flexibilização do porte de arma para cidadãos comuns. O levantamento foi realizado entre 16 e 19 de março, em 143 municípios e foram ouvidas 2.002 pessoas.

26% dos entrevistados são favoráveis e 1% não soube opinar ou não respondeu, segundo o Ibope. O apoio maior segue entre os homens, 34%. Entre as mulheres, cai para 18%. De acordo com a região do País, a aprovação se destaca no Norte/Centro-Oeste: 34%.

Os números vão caindo, respectivamente, nas regiões Sul: 29%, Nordeste: 27% e Sudeste, agora na última posição, com 22%. A pesquisa também questionou a respeito da posse de armas: 61% dos entrevistados são contrários; 37% são favoráveis e 2% não souberam opinar ou não responderam.

O instituto ouviu 2.002 pessoas em 143 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos. (Com informações do Diário de Pernambuco).

59% dos brasileiros veem reforma da Previdência como necessária, segundo pesquisa

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) afirma que 59% dos brasileiros é favorável a reforma da Previdência. O levantamento apresentado hoje (8) indica que seis a cada 10 cidadãos veem a matéria como necessária, já 36% discordam da necessidade da reforma.

A percepção de que as mudanças são imprescindíveis é maior entre os homens, com ensino superior e renda familiar acima de cinco salários mínimos, informa o CNI que contratou o Ibope para realizar a pesquisa.  63% dizem que é preciso fazer a reforma da previdência.

Já entre as mulheres, o porcentual cai para 54%. As mudanças são necessárias para 68% dos entrevistados com ensino superior e para 73% dos que têm renda familiar acima de cinco salários mínimos.

35% consideram governo de Bolsonaro ótimo, segundo Ibope

(Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

35% dos brasileiros consideram o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) “Ótimo ou bom”. O dado foi obtido na mais nova pesquisa realizada pelo Ibope, encomendada pela Confederação Nacional de Indústria (CNI), divulgada nessa quarta-feira (24).

Segundo a pesquisa, 27% dos entrevistados classificaram como “ruim ou péssimo” e outros 31% consideram a gestão “regular”. Dos demais, 7% não sabem ou não responderam.

Maneira de governar

Quanto a maneira do presidente Bolsonaro governar, 51% dos entrevistados disseram que aprovam, 40% desaprovam e 9% não sabe ou não responderam. No quesito confiança, 51% afirma que confia no presidente, 45% não confia e 4% não sabe ou não respondeu.

Áreas

Por áreas, Bolsonaro tem seu governo mais bem aprovado no quesito segurança pública, onde 57% disseram aprovar as ações e políticas do governo; educação (51%); e meio ambiente (48%). Na contramão, as áreas com piores índices são taxa de juros (57%) e impostos (56%).

O levantamento foi realizado entre os dias 12 e 15 de abril, com 2 mil pessoas, em 126 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.(Com informações do JC Online).

Ibope: Bolsonaro tem 54% e Haddad 46%

A pesquisa do Ibope divulgada na noite desse sábado (27) coloca Jair Bolsonaro (PSL) com 54% dos votos válidos, enquanto Fernando Haddad (PT) tem 46%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Nos votos válidos não são levados em conta os brancos e nulos. Nos votos totais, Bolsonaro chega a 47% e Haddad vai a 41%. Brancos e nulos chegam a 10%, não sabe ou não opinou, 2%.

No levantamento anterior do Ibope, divulgado na terça-feira, Bolsonaro tinha 57% dos votos válidos, contra 43% de Haddad.

Ibope: WhatsApp teve pouco impacto no primeiro turno das eleições

(Foto: Pixabay/Fonte padrão)

Uma pesquisa realizada pelo Ibope a pedido dos jornais O Estado de São Paulo e TV Globo apontou que o WhatsApp teve pouca influência no primeiro turno da eleição. Para os eleitores, o aplicativo de mensagens teve impacto limitado e pode ter afetado Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) de forma igual.

A pesquisa identificou que três em cada quatro eleitores ouvidos não receberam mensagens desfavoráveis a nenhum presidenciável na semana anterior ao primeiro turno. As respostas referentes a exposição a propaganda negativa no segundo turno não indicaram que um candidato tenha sido mais afetado que o outro.

Decisão do voto

Dos eleitores ouvidos pelo estudo, 73% afirmam não ter recebido conteúdo negativo sobre nenhum dos candidatos no WhatsApp. 18% receberam críticas ou ataques contra Bolsonaro, enquanto 14% contra Haddad. Mesmo entre os 25% de eleitores que afirmaram ter recebido críticas ou ataques, o impacto das mensagens parece ter sido limitado.

Pesquisa é inconclusiva

O Ibope também questionou  aos entrevistados se para eles, o conteúdo replicado nas mensagens interferiu na decisão do voto. 75% disseram não e 24% sim. Apesar dos resultados, o instituo concluiu ser difícil tirar definições conclusivas sobre a forma como o aplicativo é utilizado. Foram ouvidas 3.010 pessoas, entre 21 a 23 de outubro.

Com informações do JC Online

Ibope: rejeição de Haddad é de 41% e Bolsonaro 40%

Haddad ainda é o candidato mais rejeitado.

A pesquisa divulgada pelo Ibope na noite dessa terça-feira (23) mostrou que Jair Bolsonaro (PSL) segue liderando as intenções de votos na corrida presidencial. O candidato do PSL tem 57% dos votos válidos, enquanto seu adversário, Fernando Haddad, apareceu com 43%.

Além disso, foi medida a rejeição e o potencial de voto em Bolsonaro e Haddad em uma pergunta sobre a opinião dos entrevistados em relação aos candidatos, com cinco opções de resposta. 41% afirmaram que não votariam no petista de forma alguma, enquanto 40% disseram que não votariam em Bolsonaro.

Confira

Fernando Haddad

  • 31% com certeza votariam nele para presidente
  • 12% poderiam votar nele
  • 41% não votariam nele de jeito nenhum
  • 14% não o conhecem o suficiente para opinar
  • 2% não souberam ou não responderam

Jair Bolsonaro

  • 37% disseram que com certeza votariam nele para presidente
  • 11% responderam que poderiam votar nele
  • 40% disseram que não votariam nele de jeito nenhum
  • 11% falaram que não o conhecem o suficiente para opinar
  • 2% não souberam ou não responderam.

Bolsonaro tem 57% dos votos válidos e Haddad 43%, segundo Ibope

Bolsonaro continua na frente.

Em pesquisa divulgada na noite dessa terça-feira (23), o Ibope mostrou que Jair Bolsonaro (PSL) continua na frente da corrida presidencial. O candidato do PSL aparece com 57% dos votos válidos, enquanto seu adversário, Fernando Haddad (PT), soma 43%.  A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Os votos válidos são aqueles usados pela Justiça Eleitoral para determinar o resultado da eleição. São os votos dados diretamente em um dos candidatos, descontados os brancos e nulos.

Na intenção de voto total, Bolsonaro aparece com 50% e Haddad, 37%. Brancos e nulos somam 10%. Os entrevistados que não souberam ou não responderam são 3%.

A pesquisa Ibope foi feita entre os dias 22 e 23 de outubro com 3.010 entrevistados em todo o Brasil. O levantamento foi contratado pelo jornal “O Estado de S. Paulo” e a TV Globo, e registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR07272/2018. O intervalo de confiança da pesquisa é de 95%

Ibope: Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad, 41%

Primeira pesquisa realizada pelo instituto no segundo turno foi feita no sábado e no domingo. Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos

Na primeira pesquisaIbope do segundo turno, divulgada nesta segunda-feira, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro , tem 59% dos votos válidos, e Fernando Haddad (PT), 41%. A conta exclui os votos brancos, nulos e indecisos. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Levando em conta os votos totais, o placar é 52% a 37%. Votos brancos e nulos são 9%, e 2%  não souberam responder.

O levantamento foi encomendado pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. Foram ouvidas 2.506 pessoas neste sábado e neste domingo.

Bolsonaro é o que tem o voto mais consolidado: 41% dizem que votariam nele com certeza. No caso de Haddad, esse percentual é de 28%. Já quanto à rejeição, o petista lidera com 47%, enquanto 35% dizem que não votariam no candidato do PSL de jeito nenhum.

No primeiro turno, Bolsonaro teve 46% dos votos válidos e Haddad, 29%.

Boca de urna: Bolsonaro tem 45% dos votos válidos e Haddad, 28%, diz Ibope

(Foto: Reprodução)

Pesquisa boca de urna do Ibope divulgada no início da noite deste domingo (07) indica que haverá segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) nas eleições para presidente da República. No levantamento, Bolsonaro aparece com 45% dos votos válidos, enquanto Haddad aparece com 28%, em segundo lugar. Ciro Gomes (PDT), aparece em terceiro lugar na boca de urna, com 14%.

Os votos válidos são aqueles que excluem brancos e nulos, ou seja, os que necessariamente são declarados a favor de uma candidatura. Para ser eleito em primeiro turno, o candidato precisa obter no mínimo 50% mais um voto do total de votos válidos.

A pesquisa foi contratada pelo próprio Ibope, e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-0752/2018. 3000 pessoas foram entrevistadas neste domingo (07). A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O grau de confiança da pesquisa é de 99%.

Com informações do Uol

Ibope: Bolsonaro amplia vantagem e vai a 41% dos votos válidos; Haddad tem 25% e Ciro, 13%

A última pesquisa Ibope antes das eleições confirmou o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, à frente da disputa. O capitão da reserva subiu de 38% para 41% das intenções de votos válidos, sem contar nulos e brancos. Fernando Haddad (PT) perdeu três pontos em relação à última sondagem, e agora tem 25%. Mais próximo dos dois líderes, Ciro Gomes (PDT) oscilou de 12% para 13%. Ele é seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), que manteve os 8%, e Marina Silva (Rede), cujos votos válidos caíram de 4% para 3%.

O resultado mostra um aumento da vantagem de Bolsonaro sobre Haddad. No levantamento anterior, divulgado na quarta-feira, a diferença entre os dois era de dez pontos. Agora, chega a 16.

Para ser eleito em primeiro turno, um candidato deve conseguir 50% dos votos válidos mais um voto. Se os números da pesquisa se confirmarem nas urnas, portanto, haverá segundo turno entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad.

Segundo o Ibope, nesse cenário os dois estariam tecnicamente no limite da margem de erro, que é de dois pontos para mais ou para menos. Bolsonaro teria 45% dos votos totais, contra 41% de Haddad. A simulação de um confronto entre Ciro e Bolsonaro também resulta em um empate técnico. Nesse caso, a vantagem numérica seria para o pedetista, 45% a 41%.

A sondagem capta a percepção dos eleitores após o último debate do primeiro turno, transmitido pela TV Globo na quinta-feira. O encontro contou com a participação de sete presidenciáveis. Jair Bolsonaro não foi, após avaliação médica. No mesmo dia, o candidato concedeu entrevista à Record TV . Apesar da ausência, o deputado foi um dos principais alvos dos oponentes .

O Ibope também avaliou a taxa de rejeição dos candidatos. Bolsonaro e Haddad mantiveram marcas praticamente estáveis em relação à divulgação anterior. A do candidato do PSL oscilou de 42% para 43%. Já a do petista passou de 37% para 36%. Marina tem a terceira maior taxa de rejeição, 22%.

No último dia de campanha, Bolsonaro usou as redes sociais para fazer campanha. Em uma postagem no Twitter, disse enxergar o potencial do Brasil tem para se tornar uma país grande e próspero, e afirmou não estar envolvido em corrupção.

Já Haddad aproveitou as últimas horas para apostar no Nordeste, uma estratégia para evitar o crescimento do rival em redutos lulistas. Em Feira de Santana, na Bahia, o candidato disse que o Nordeste viveu “anos de ouro” durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em busca de se afirmar com uma terceira via, capaz de vencer Bolsonaro no segundo turno, Ciro fez carreata em Fortaleza. O pedetista também usou as redes sociais, no início da tarde deste sábado, para rivalizar com Bolsonaro e dizer que o candidato do PSL, líder nas pesquisas de intenção de voto, carece de valores humanos.

Ibope divulga últimas pesquisas para governador e senador em Pernambuco

Câmara pode confirmar vitória ainda amanhã (Foto: Reprodução/Internet)

Paulo Câmara se encaminha para confirmar sua vitória ao Governo de Pernambuco ainda no primeiro turno, é o que prevê a nova pesquisa do Ibope, divulgada na noite desse sábado (6), véspera da eleição. O atual governador chegou a 51% das intenções de votos válidos, quando não são considerados brancos ou nulos e indecisos.

Levando em conta a margem de erro, Câmara chega a 53%, enquanto Armando Monteiro Neto (PTB) soma 37%. Ex-prefeito de Petrolina Julio Lossio (Rede) ficou com 4%. Dani Portela (PSOL) e o ex-deputado federal Maurício Rands (Pros) têm 3%. Ana Patricia Alves (PCO) e Simone Fontana (PSTU), 1%.

2º turno

Em um eventual segundo turno, Paulo Câmara aparece com 44% das intenções de voto e Armando Monteiro com 38%. O percentual dos que disseram que vão votar branco ou nulos é de 14%, enquanto os que não sabem ou preferiram não opinar são 3%. Foram entrevistados 2.002 eleitores entre os dias 4 e 6 de outubro, em pesquisa encomendada pelo Jornal do Commercio e TV Globo.

Bolsonaro e Haddad crescem em nova pesquisa do Ibope; Ciro volta a cair

Há quatro dias das eleições, segundo turno parece definido.

Em pesquisa divulgada pelo Ibope/Estado/TV Globo nessa quarta-feira (03), Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) apresentaram crescimento de um e dois pontos, respectivamente, enquanto Ciro Gomes (PDT) caiu um ponto percentual.

Em relação à última pesquisa, divulga na segunda-feira (1º), Bolsonaro continua liderando, agora com 32%, seguido por Haddad, com 23%. Ciro saiu de 11% para 10% e Alckmin (PSDB) de 8% para 7%.

Confira como ficou o resultado com todos os candidatos

Jair Bolsonaro (PSL): 32%

Fernando Haddad (PT): 23%

Ciro Gomes (PDT): 10%

Geraldo Alckmin (PSDB): 7%

Marina Silva (Rede): 4%

Jarbas e Humberto aparecem empatados nas intenções de voto ao Senado Federal

Candidatos de Câmara voltam a liderar pesquisa (Foto: Reprodução/Diário de Pernambuco)

Jarbas Vasconcelos (MDB) e Humberto Costa (PT) estão empatados na intenção de voto para o Senado Federal, segundo dados apresentados pelo Ibope na pesquisa divulgada ontem (2). Membros da coligação Frente Popular, a dupla soma 33%.

LEIA TAMBÉM:

Ibope: Câmara cresce para 39% e Armando se mantém com 27% em nova pesquisa

Mendonça Filho (DEM) possui 20% e em quarto lugar está Silvio Costa (AVANTE), com 11% das intenções de votos. Bruno Araújo (PSDB) tem 9%, Pastor Jairinho (Rede) 5%, Adriana Rocha (Rede), Eugênia (PSOL), Hélio Cabral (PSTU) e Albanise Pires (PSOL) estão empatados com 2%. Lídia Brunes (PROS) e Alex Rola (PCO) somam 1%.

De acordo com o Ibope, os que não souberam ou não opinaram somam 30%. Já brancos e nulos para a 1º vaga representam 19% das intenções, esse número salta para 29% quando questionada a segunda vaga. Foram ouvidos 1.512 eleitores entre 29 de setembro a 1 de outubro. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Ibope: Câmara cresce para 39% e Armando se mantém com 27% em nova pesquisa

(Foto: Reprodução/Internet)

Atual governador e pleiteante à reeleição, Paulo Câmara segue liderando as intenções de voto ao Governo de Pernambuco. O candidato do PSB chegou a 39% na pesquisa do Ibope, divulgada na noite de terça-feira (2), crescendo quatro pontos percentuais.

Candidato da oposição, Armando Monteiro Neto (PTB) se manteve com os mesmos 27% obtidos na última pesquisa do Ibope.  Julio Lossio (Rede) manteve 3%, mesmo percentual de Maurício Rands (Pros). Dani Portela (PSOL) cresceu para 2%.

Ana Patrícia Alves (PCO) e Simone Fontana (PSTU) permaneceram com 1% das intenções de voto. Brancos e nulos caíram de 23% para 15%. Os que não sabem ou não responderam oscilaram de 7% para 8%.

Rejeição a Haddad sobe 11 pontos e vai a 38% em cinco dias, segundo Ibope

Haddad apresentou aumento na sua rejeição. (Foto: Internet)

A pesquisa divulgada pelo Ibope nessa segunda-feira (1º) mostra um grande aumento na rejeição de Fernando Haddad (PT) em relação aos demais candidatos, que permaneceram com seus índices estáveis.

Na última pesquisa, que foi divulgada no dia 26 de setembro, o petista apresentava 27% de rejeição dos eleitores. Agora, Haddad aparece com 38% de rejeição, 11 pontos a mais do que o levantamento anterior.

Jair Bolsonaro (PSL), que lidera a pesquisa com 31% das intenções de voto, continua sendo o candidato mais rejeitado com 44%. No entanto, a taxa de rejeição de Bolsonaro permaneceu a mesma em comparação com a última pesquisa divulgada pelo Ibope.

Os demais candidatos também apenas oscilaram dentro da margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Enquanto Marina Silva (Rede) viu sua rejeição passar de 27% para 25%, Ciro Gomes (PDT) foi de 16% a 18% e Geraldo Alckmin (PSDB) manteve 19%.

123