Bolsonaro terá alta nessa segunda-feira, mas ainda não assumirá Presidência

(Foto: Alan Santos)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) terá alta na tarde desta segunda-feira (16). A informação foi confirmada pelos médicos do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. Boslonaro retornará a Brasília ainda hoje, mas ainda não assumirá a Presidência.

O vice-presidente Hamilton Mourão permanecerá em exercício até quarta-feira (18), confirmou o Palácio do Planalto. Após sua recuperação, Bolsonaro viajará a Nova York, no dia 23 onde participará da assembleia-geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Bolsonaro estava internado desde o dia 8 de setembro, quando foi submetido a uma cirurgia que faz parte da recuperação de uma facada sofrida por ele na campanha de 2018.

Alta de Bolsonaro deve acontecer no começo dessa semana

(Foto: Reprodução/Twitter)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) deve receber alta entre segunda e terça-feira. Foi o que afirmou o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros. Bolsonaro continua se alimentando de líquidos, mas nesse final de semana recebeu visita de familiares.

O médico responsável pelo presidente, Antonio Macedo, deve reavaliar a dieta para decidir se muda da alimentação líquida para a cremosa.

O presidente segue internado no Hospital Vila Nova Star, há uma semana quando fez uma cirurgia. A operação faz parte da recuperação de Bolsonaro desde quando ele levou uma facada em 2018. Ontem (14) ele acompanhou a partida entre Palmeiras x Cruzeira pela televisão.

Bolsonaro tem “contínua melhora”, mas segue sem previsão de alta

Presidente apareceu caminhando pelo hospital (Foto: Reprodução/Twitter)

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) tem “contínua melhora”, afirma o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo (SP). De acordo com o boletim médico divulgado nessa terça-feira (10), Bolsonaro permanecerá se alimentando de uma dieta líquida.

Ainda não há previsão de alta e as visitas ao presidente continuam restritas. “Após 48 horas da cirurgia permanece afebril”, diz o documento emitido pelo hospital. Ele está em observação por uma equipe médica formada por quatro médicos.

O presidente se recupera de uma cirurgia realizada no domingo (8) para correção de uma hérnia incisional. Foi o quarto procedimento cirúrgico a que ele foi submetido após ter sido esfaqueado há um ano, durante a campanha eleitoral, em Juiz de Fora (MG). (Com informações de Band).

Indicado à PGR, Aras quer visitar senadores antes de ser sabatinado

(Foto: Agência O Globo)

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para assumir a Procuradoria-Geral da República (PGR), na última quinta-feira (5), o o subprocurador Augusto Aras já começou a procurar senadores em busca de apoio. Ele precisa ter seu nome aprovado por pelo menos 14 senadores na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e 41 no plenário.

LEIA TAMBÉM:

Bolsonaro escolhe Augusto Aras para suceder Raquel Dodge na PGR

Aras telefonou para a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Simone Tebet (MDB-MS) ainda no dia em que foi indicado e anunciou que pretende visitar todos os 81 senadores da Casa antes de ser sabatinado. Tebet acredita que a votação do PGR poderá ser concluída ainda neste mês.

A tramitação do nome de Aras, no entanto, somente pode acontecer após o presidente Bolsonaro encaminhar ao Senado Federal a indicação. A votação no plenário é secreta.

Bolsonaro participa de primeiro desfile da Independência como presidente

(Foto: Agência Brasil)

Jair Bolsonaro (PSL) fez hoje (7) sua primeira aparição como presidente no Desfile da Independência. Maior autoridade do país, ele fez um curto pronunciamento à TV Brasil, antes de deixar o Palácio da Alvorada e seguir ao desfile.

Vestindo a faixa presidencial, Bolsonaro desfilou no veículo oficial da presidência e acenou ao público presente. Ele estava acompanhado de um dos filhos, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), que seguiu sentado no banco de trás.

O presidente chegou ao palanque das autoridades às 9h02. Antes de subir, cumprimentou ministros, o vice-presidente Hamilton Mourão e demais autoridades presentes na cerimônia. Convidados como o bispo Edir Macedo, o apresentador Silvio Santos e o empresário Luciano Hang marcaram presença na festa oficial.

Datafolha: reprovação de Bolsonaro chega a 38%

Nova pesquisa aponta queda na aprovação e crescimento na reprovação

A reprovação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) segue crescendo. Foi o que apontou a nova pesquisa do Datafolha, a pedido da Folha de São Paulo, publicada nessa segunda-feira (2): 38% dos eleitores entrevistados reprovam o trabalho do Bolsonaro.

Segundo o Datafolha, a aprovação do presidente também caiu de 33%, em julho para 29% — dentro do limite da margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou menos. Por outro lado, a avaliação do governo como Regular ficou estável: antes 31% e agora 30%.

Com 38% de reprovação, Bolsonaro segue sendo o presidente eleito mais mal avaliado em um primeiro mandato, levando em conta os governos de Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Nos primeiros oito meses de governo, ele apresenta maior rejeição que seus antecessores Dilma (11%), Lula (10%) e FHC (15%).

(Com informações de O Globo)

Governo estuda suspender novas contratações do Minha Casa, Minha Vida em 2020

Redução temporária poderia economizar R$ 2 bilhões do Governo Federal (Foto: Ilustração)

O Governo Federal estuda suspender novas contratações do programa Minha Casa, Minha Vida em 2020. A decisão se baseia no atual cenário econômico do país e incluiria também o redirecionamento dos recursos do Sistema S para custear gastos orçamentários.

A Junta de Execução Orçamentária (JEO) debateu o assunto nessa semana e avaliou adotar medidas como reduzir despesas obrigatórias (salários, aposentadorias e pensões). Por outro lado, o Governo poderia aumentar os gastos discricionários (tradicionalmente contingenciados e que incluem custeio da máquina e investimentos).

A suspensão das novas contratações do Minha Casa Minha Vida renderia economia de despesas de R$ 2 bilhões. No caso do Sistema S, além do corte dos recursos anunciado no início do governo de Jair Bolsonaro, o que está em discussão é repassar uma parcela da arrecadação para bancar alguns grupos de despesas, principalmente aquelas voltadas para qualificação.

As duas propostas, porém, enfrentam resistências e não há definição. Uma das preocupações com o Sistema S é o risco de transformação de uma espécie de “orçamento paralelo”. (Com informações da Folha de São Paulo).

Reforma da Previdência será discutida no Senado nessa manhã

Reforma da Previdência volta a ser destaque no noticiário nacional (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) de Senado deve ler nessa quarta-feira (28) o relatório da reforma da Previdência. De acordo com o relator do projeto, senador Tasso Jereissati (PSDB), a leitura acontecerá daqui  pouco, às 10h e levará pouco menos de 30 minutos.

Durante a manhã ainda será realizada uma vista coletiva para os senadores apreciarem o texto. Essa etapa só foi possível após os líderes de partidos realizarem um acordo coletivo e com isso a votação da reforma pode acontecer no dia 4 de setembro.

“A votação ocorrerá na quarta-feira [dia 4]. Nós abrimos prazo para a leitura, em um prazo razoável, dos votos em separado, porque provavelmente vai ter mais de um. Abre-se a discussão, encerra-se, vota e encaminhamos para o Davi [Alcolumbre, presidente do Senado] pautar no plenário”, disse a presidente da CCJ, Simone Tebet (MDB-MS).

Considerada a principal pauta do governo de Jair Bolsonaro (PSL) no primeiro semestre, a reforma da Previdência deve ter sua tramitação concluída no Senado nos próximos dias. (Com informações da Agência Brasil).

Desaprovação de Bolsonaro cresce em nova pesquisa

Bolsonaro tem trabalho reprovado por eleitores

A desaprovação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) cresceu. É o que indica o novo levantamento realizado pelo CNT/MDA, publicada nessa segunda-feira (26). Segundo a pesquisa, a desaprovação de Bolsonaro subiu para 53,7%, contra 28,2% em fevereiro.

Enquanto a desaprovação cresceu, a aprovação do presidente caiu. Antes 57,5% avaliavam como positivo o governo de Bolsonaro, agora são 41%. Não quiseram ou não souberam opinar totalizam R$ 5,3% dos entrevistados.

Avaliação negativa também no governo

A pesquisa também questionou aos entrevistados como eles avaliam o governo do atual presidente. Com alta de 20 pontos, 39,5% dizem ser negativo o trabalho de Bolsonaro. Já quem avalia como positivo diminuiu, caiu de 38,9% em fevereiro para 29,4% agora.

A avaliação regular do governo é de 29,1% e 2% não souberam responder. O levantamento ouviu 2.002 entrevistados entre os dias 22 e 25 de agosto, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos  percentuais. (Com informações do JC Online).

Presidente Jair Bolsonaro cumpre agenda hoje no município de Sobradinho

Presidente da República, Jair Bolsonaro

De acordo com a agenda oficial da presidência da república, o avião com a comitiva do presidente Jair Bolsonaro deixará a Base Aérea de Brasília por volta das 8h00 da manhã. A aeronave deve aterrissar em Petrolina por volta das 9h30, de onde seguirá para a cidade de Sobradinho/BA.

A chegada à terra da barragem está prevista para as 10h10, 11h00 o presidente participa da cerimônia de inauguração da Usina Fotovoltaica Flutuante. O retorno à Brasília está previsto para as 12h20.

Usina Fotovoltaica Flutuante, da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf).

A Usina Solar Fotovoltaica Flutuante vai transformar a luz solar em energia elétrica. A planta piloto de painéis solares foi instalada pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) no reservatório da Usina Hidrelétrica de Sobradinho, na Bahia. Esse sistema de geração concentrada de energia fotovoltaica em usinas utilizando a área de reservatórios é pioneiro no Brasil. Até então, ele só havia sido instalado no solo. Segundo a Chesf, o objetivo é avaliar a viabilidade técnica, econômica e ambiental do projeto para que ele possa participar de leilões de venda de energia e ser reproduzido em outros reservatórios ou até mesmo em rios.

Bolsonaro cumpre agenda na Bahia nesta terça-feira

(Foto: Internet)

Dias após sua fala sobre governadores nordestinos repercutir na imprensa nacional, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) cumprirá agenda na Bahia nesta terça-feira (23) para inaugurar o Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista.

Ontem (21) durante entrevista Bolsonaro afirmou não ter problemas em ir à região. “A Bahia é Brasil. Sem problemas. Sou amigo do Nordeste, poxa. Se eu tenho um problema no Sul, não se fala na Região Sul, Centro-Oeste e Norte. Por que essa história? Vocês mesmos da mídia querem separar o Nordeste do Brasil. O Nordeste é Brasil, é minha terra e eu ando em qualquer lugar do território brasileiro”, disse.

Na última sexta-feira (19) o presidente fez um comentário que foi criticado por alguns nordestinos e parte da mídia. O grupo de governadores do bloco emitiu uma carta cobrando esclarecimentos de Bolsonaro.

Sobre o compromisso de amanhã, o Palácio do Planalto não informou o horário do evento e qual será a agenda do presidente. Sabe-se apenas que o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas estará na Bahia juntamente com o Bolsonaro.

Após fala de Bolsonaro, governadores do Nordeste pedem esclarecimentos ao presidente

Fala de Bolsonaro foi criticada pelos governadores do Bloco

A expressão utilizada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) ao falar do Nordeste repercutiu na mídia nacional e gerou críticas dos governadores do bloco. Ontem (19) em uma reunião com a imprensa, Bolsonaro chamou a região de “Paraíba”, termo é considerado pejorativo.

Bolsonaro soltou a expressão ao conversar com Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil e foi gravado pela TV Brasil. “Dos governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão. Não tem quer ter nada pra esse cara”, afirmou o presidente da República.

Ainda na noite da última sexta-feira, os governadores emitiram uma nota conjunta na qual se mostram indignados com Bolsonaro e cobram um esclarecimento. O Palácio do Planalto até o momento não se manifestou. Confira a seguir a íntegra da carta.

LEIA MAIS

Justiça de Minas arquiva processo contra Adélio Bispo, agressor de Bolsonaro

(Foto: TV Globo/Reprodução)

A 3ª Vara Federal em Juiz de Fora (MG) informou que não cabem mais recursos na decisão que inocentou Adélio Bispo do ataque que cometeu contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL) na campanha eleitoral, em setembro de 2018. Como a defesa de Bolsonaro não apresentou recurso, caso foi encerrado.

LEIA TAMBÉM:

Relatório da PF conclui que Adelio Bispo agiu sozinho

Polícia Federal prende homem acusado de esfaquear Bolsonaro (PSL)

No dia 14 de junho o juiz Bruno Savino decidiu que Adélio é inimputável, em razão de problemas mentais. Também em junho o Ministério Público foi notificado da decisão, mas não quis apresentar recurso. A defesa do presidente, também não recorreu quando pôde.

LEIA MAIS

Datafolha: propostas de Bolsonaro para o trânsito são rejeitadas por eleitores

Eleitores não concordam com mudanças

O Datafolha fez uma pesquisa para saber o que os eleitores brasileiros acham das mudanças propostas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para o trânsito. O levantamento aponta que a não obrigatoriedade do uso de cadeirinhas em veículos é o ponto mais impopular.

68% dos entrevistados rejeitam a mudança. Hoje, crianças de até sete anos devem ser transportadas sentadas em cadeirinhas.  O projeto de flexibilização das leis de trânsito prevê ainda a imposição de advertência por escrito para o transporte sem cadeirinha.

LEIA TAMBÉM:

Governo Federal apresenta proposta de mudança no Código de Trânsito Brasileiro

A oposição ao fim da multa para esta infração chega a 70% no estrato dos entrevistados habilitados a dirigir. Outros 67% refutam a ideia de retirar os radares em rodovias federais. Ainda segundo o Datafolha, 41% dos entrevistados disse acreditar que o projeto do governo vai tornar o trânsito mais violento.

LEIA MAIS

Em alta, Rodrigo Maia descarta disputar eleições para presidente em 2022

(Foto: Arquivo)

Cada vez mais fortalecido após articular a aprovação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, o presidente Rodrigo Maia (DEM) descartou concorrer ao posto de presidente da República em 2022. Ele rejeitou qualquer hipótese a vaga do posto mais alto no Executivo.

“Não quero ser administrador de crise. Enquanto não organizar o Estado brasileiro, para que eu vou ser prefeito, governador ou presidente?”, afirmou, em entrevista ao Estado de São Paulo. Para ele, o atual presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o apresentador Luciano Huck são os nomes mais bem colocados na disputa.

Maia também citou os governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), e do Rio, Wilson Witzel (PSC). “Quem vai disputar eleição com Bolsonaro é quem conseguir caminhar da direita para o centro, ou a centro-esquerda. O Doria prefere ocupar o espaço do Bolsonaro. Tem que tomar cuidado para não tentar disputar o núcleo duro do presidente. Ele não vai crescer para o eleitor mais radicalizado antipetista. O Huck está tentando construir esse espaço, um pouquinho mais à centro-esquerda em alguns temas E o governador do Rio é sempre forte”, destacou.

Durante a entrevista o presidente da Câmara também avisou que vai priorizar reformas e projetos de Estado e não, necessariamente, a pauta do governo no segundo semestre, como temas de costumes e autonomia do Banco Central. Se concretizada, a intenção de Maia pode atrasar a venda de estatais, programa estratégico do ministro da Economia, Paulo Guedes. (Com informações do JC Online).

123