Facebook derruba rede de fake news ligada à família Bolsonaro e ao PSL

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (8) que derrubou uma rede de perfis falsos ligados ao PSL e a funcionários dos gabinetes do presidente Jair Bolsonaro, do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) e dos deputados estaduais pelo PSL do Rio de Janeiro Anderson Moraes e Alana Passos.

O anúncio foi feito numa chama online com jornalistas de diversos países, segundo o Estado de S. Paulo, que participou da chamada. Foram identificadas 35 contas, 14 páginas, 1 grupo e 38 contas no Instagram. As páginas no Facebook tinham 883 mil seguidores, enquanto as contas no Instagram tinham 917 mil seguidores. 350 pessoas estavam no grupo., diz o jornal.

No material postado estavam conteúdos relacionados às eleições, memes políticos, críticas à oposição, empresas de mídia e jornalistas, além de material relacionado ao coronavírus. Segundo a rede social, parte do conteúdo dessa rede já havia sido removido da plataforma por violar os padrões de comunidade. Entre as violações estavam conteúdo de discurso de ódio.

Além do Brasil, foram derrubadas redes nos EUA, na Ucrânia e na América Latina, incluindo países como El Salvador, Argentina, Uruguai, Venezuela, Equador e Chile. No caso brasileiro, as investigações e remoções ocorreram a partir de notícias na imprensa brasileira e referências feitas ao assunto no Congresso durante a CPMI das fake news.

Emissoras afastam jornalistas que cobriram coletiva de Bolsonaro

Os jornalistas e cinegrafistas da Rede EBC, CNN Brasil e Record, foram afastados de suas atividades após cobrirem a coletiva de imprensa do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido). Na terça-feira (7) Bolsonaro anunciou que seu teste para covid-19 deu positivo e em determinado momento removeu a máscara que usava.

LEIA TAMBÉM

URGENTE: Bolsonaro testa positivo para covid-19

A Rede EBC afirmou que os profissionais envolvidos na atividade de ontem ficarão em isolamento pelos próximos quatro dias. Após esse período serão submetidos a testes para identificar a covid-19. A equipe da CNN Brasil cumprirá isolamento por sete dias.

A Record não se posicionou oficialmente, mas procurada pelo portal UOL confirmou que afastou seus profissionais e que a equipe somente voltará ao trabalho depois de ser submetida a testes. Bolsonaro apresentou sintomas gripais no começo da semana e positivou para o novo coronavírus na manhã de ontem.

Após testar positivo para covid-19, Bolsonaro cancela agenda na Bahia

A visita de Jair Bolsonaro (sem partido) a Bahia foi adiada após o presidente da República testar positivo para covid-19. Na agenda estava uma passagem por Campo Alegre de Lourdes, onde inauguraria uma adutora, nesta sexta-feira (10). Enquanto se recupera Bolsonaro despachará as demandas diárias de forma virtual.

LEIA TAMBÉM

URGENTE: Bolsonaro testa positivo para covid-19

Jair Bolsonaro cumprirá agenda em Petrolina e na Bahia em julho

“Vou ficar despachando por videoconferência, cancelei minha ida na sexta-feira para a Bahia, juntamente com o Rogério Marinho, onde nós inauguraríamos algumas obras“, afirmou em coletiva de imprensa nessa terça-feira (7).

A visita a Bahia foi anunciada na live da quinta-feira passada, pelo próprio Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional. Bolsonaro testou positivo para covid-19 após sentir sintomas gripais na segunda-feira (6). A Prefeitura de Campo Alegre de Lourdes manteve a data da inauguração, mesmo sem a presença do presidente.

URGENTE: Bolsonaro testa positivo para covid-19

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou há pouco que testou positivo para covid-19. Ele concede entrevista coletiva no Palácio da Alvorada, em Brasília (DF). Ele havia apresentado sintomas gripais na segunda-feira (6) e por precaução foi aconselhado a cancelar sua agenda de compromissos.

O resultado do exame saiu há uma hora. “Ele acabou de dar positivo. Como que isso tudo aconteceu? Começou domingo, com uma certa indisposição e se agravou ao longo do dia da de segunda-feira. Cansaço, febre e dor muscular. Resolvei então, com esses sintomas, o médico da presidência apontando para contaminação da covid-19 fomos fazer uma tomografia“, disse.

Medicação

Aos jornalistas ele afirmou ter tomado duas doses de hidroxicloroquina: a primeira na segunda-feira e outra hoje (7), conforme indicado pelo seu médico. Apesar da contaminação, Bolsonaro voltou a afirmar que a pandemia está sendo “superdimensionada” e que fatalidades aconteceriam. “No meu entender houve um superdimensionamento [da pandemia], sabemos da fatalidade do vírus para aqueles que têm uma certa idade“, afirmou.

Bolsonaro está com sintomas do novo coronavírus, diz CNN

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está com sintomas do novo coronavírus. A informação é da CNN Brasil, na noite desta segunda-feira (6). Segundo a emissora, o resultado do exame só deve sair até às 12h desta terça-feira (7).

Ainda de acordo com a reportagem, o próprio Bolsonaro indicou que apresentou 38 °C de febre, 96 de oxigenação. Após sentir estes sintomas, o chefe de Estado foi encaminhado ao Hospital das Forças Armadas, em Brasília. Segundo a matéria, embora não tenha sido diagnosticado ainda, ele já está sob tratamento com hidroxicloroquina. Por conta disto, a agenda presidencial da semana foi suspensa.

A reportagem indicou que o presidente afirmou que os pulmões estão limpos, após radiografia. Ele também teria se mostrado tranquilo.

Esta não é a primeira vez que a possibilidade de Bolsonaro estar com coronavírus vem à tona. Anteriormente, ele foi submetido a exames que, posteriormente, confirmaram que ele testou negativo. Contudo, ele não quis divulgar os resultados – só o fez após a Justiça obrigá-lo.

Durante a polêmica, ele chegou a classificar o vírus como “gripezinha” e indicou que, por ter um “histórico de atleta” não precisaria se preocupar, caso fosse diagnosticado com o vírus.

Aeroporto de São Raimundo Nonato recebe avião da FAB e aumenta especulação sobre visita de Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) cumprirá agenda no Nordeste nesta sexta-feira (10) e a agenda pode incluir uma rápida parada em São Raimundo Nonato (PI). Ele foi convidado para conhecer o Museu do Homem Americano, mas não confirmou a passagem.

Hoje (6) a passagem de Bolsonaro ganhou força depois de uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) ter sido flagrada durante a manhã, no aeroporto da cidade. Extraoficialmente está confirmada a passagem de Bolsonaro pelo Piauí para sobrevoar parte da Transnordestina de helicóptero.

Em uma live na semana passada o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, já havia confirmado compromissos na Bahia e Pernambuco. Enquanto a oficialização sobre a ida de Bolsonaro a São Raimundo Nonato não vem, o aeroporto passa por uma limpeza na parte externa.

MEC deve oficializar secretário de Educação do PR como novo ministro

Renato Feder é o secretário da Educação do Paraná (Foto: Divulgação)

Renato Feder, atual secretário de Educação do Governo do Paraná, deverá ser oficializado como novo Ministro da Educação (MEC). A informação foi divulgada na manhã dessa sexta-feira (3), pela Rádio Bandeirantes e confirmada por fontes ligadas ao Governo Federal.

O nome de Feder ganhou força nos últimos dias, especialmente pelo seu perfil apaziguador. Caso confirmado, ele substituirá Carlos Decotelli, que ficou menos de cinco dias no MEC. Decotelli seria o primeiro ministro negro do Governo de Jair Bolsonaro (sem partido), mas caiu após uma sequência de polêmicas envolvendo seu currículo.

O MEC já teve três ministros desde o início da gestão Bolsonaro. O primeiro foi Ricardo Vélez Rodriguez, sucedido por Abraham Weintraub, exonerado depois de deixar o Brasil para morar nos Estados Unidos e Decotelli. Até o momento o Palácio do Planalto não se pronunciou oficialmente.

Jair Bolsonaro cumprirá agenda em Petrolina e na Bahia em julho

Presidente também comentou sobre fruticultura

Em sua tradicional live de quinta-feira (2), o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) comentou sobre as obras federais no Nordeste. O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, antecipou que Bolsonaro cumprirá agenda em Petrolina nos próximos dias.

Obras e recursos

O senhor brevemente vai estar em Petrolina anunciando a ampliação de área irrigada, o senhor vai anunciar a expansão de área lá, além de uma série de perímetros na região“, destacou Marinho. Outra parada será na Bahia, agendada para 10 de julho. Especula-se que a cidade escolhida é Campo Alegre de Lourdes.

Marinho esteve na região há poucas semanas, anunciando recursos ao Sertão do São Francisco e também na capital Recife. Entre os compromissos do ministro também esteve a entrega do Residencial Pomares, do “Minha Casa, Minha Vida”.

Lei que proíbe desligamento do serviço de água e energia no final de semana e feriado é sancionada

Consumidor deverá ser previamente notificado (Foto: Reprodução/Internet)

As concessionárias de água e energia elétrica do Brasil estão proibidas de desligar o serviço por inadimplência do consumidor na sexta-feira, finais de semana e feriados. A medida está prevista na Lei 14.005/2020 sancionada sem vetos pelo presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) nessa terça-feira (16).

O que diz a lei

Pela lei, o consumidor deverá ser previamente notificado sobre a data do corte do serviço. O desligamento somente poderá acontecer em horário comercial. Não havendo a notificação, a concessionária está proibida de cobrar a taxa de religação.

Atualmente as concessionárias apenas informaram o cliente sobre as contas em aberto, mas não alerta sobre o dia do desligamento do serviço por inadimplência. A lei é resultado de um projeto apresentado pelo senador Weverton (PDT-MA) que altera o Código de Defesa do Consumidor.

Em Carta, Governadores do Nordeste chamam Bolsonaro de inconsequente e repudiam invasão a hospitais

A carta divulgada nesta sexta-feira (12) é assinada pelo os governadores dos nove Estados do Nordeste, que formam o Consórcio Nordeste. Os gestores destacam o esforço e o trabalho que eles vem realizando para combater o coronavírus e dizem que desde o início da pandemia tentam trabalhar de forma alinhada com o governo federal, o que vem sendo negado por parte do Presidente Jair Bolsonaro.

No documento também, os governadores se dizem chocados com a atitude do Presidente de usar as redes sociais para incentivar a invasão de hospitais.

“No último episódio, que choca a todos, o presidente da República usa as redes sociais para incentivar as pessoas a INVADIREM HOSPITAIS, indo de encontro a todos os protocolos médicos, desrespeitando profissionais e colocando a vida das pessoas em risco, principalmente aquelas que estão internadas nessas unidades de saúde.”

Confira a seguir a íntegra da Carta dos Governadores:

LEIA MAIS

Sancionada com vetos, lei do regime jurídico permite inquilino devedor ser despejado mesmo durante pandemia

Devedor pode sim ser despejado (Foto: Reprodução)

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou a Lei 14.010/2020 que cria regras transitórias para as relações jurídicas privadas durante a pandemia do novo coronavírus. A matéria entra em vigor nessa sexta-feira (12) com 10 vetos.

Um deles é o artigo que suspendia até outubro a concessão de liminares em ações de despejo dos inquilinos em atraso com o pagamento do aluguel. De acordo com o presidente, a medida é uma “proteção excessiva ao devedor” e promove incentivo ao inadimplemento.

Menos poder ao síndico

Outro item vetado é o que dava poder aos síndicos de restringir e até mesmo proibir reuniões, festas e uso de áreas comuns durante a pandemia da covid-19. No entendimento de Bolsonaro, a decisão do síndico tiraria a autonomia do interesse coletivo.

Além da habitação, o presidente vetou um item no transporte de aplicativo como Uber e 99. A lei é resultado de um projeto proposto pelo senador Antônio Anastasia (PSD-MG) e aprovado na Câmara dos Deputados em maio.

Brasil registra mais de 30 mil novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Brasil teve mais de mil mortes por covid-19 (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

Novamente divulgado com atraso, o boletim de sexta-feira (5) registrou mais 1.005 mortes pela covid-19 no Brasil. Em 24 horas também foram contabilizados mais 30.830 pacientes contaminados com o vírus em todo país. De acordo com o Ministério da Saúde o país agora soma 35.026 óbitos e 645.771 casos positivos.

O boletim da sexta-feira também registrou mais 11.977 recuperações nas últimas 24 horas, número celebrado pelo Ministério da Saúde. Não foi possível ter acesso ao boletim completo, tendo em vista que desde ontem o site Coronavírus Brasil passa por manutenção.

Atraso nos boletins

Pelo segundo dia consecutivo o boletim foi liberado próximo das 22h. Ainda ontem o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) havia confirmado que a estratégia buscava evitar a veiculação da notícia no Jornal Nacional. Contudo, o próprio JN entrou com Plantão na Globo para divulgar os dados atualizados.

Coronel Élcio é nomeado número 2 no Ministério da Saúde

Nomeação foi publicada hoje no DOU (Foto: Aílton de Freitas/Agência O Globo)

O coronel Antônio Élcio Franco Filho é o novo número dois do Ministério da Saúde. Ele foi nomeado nessa quinta-feira (4) ao cargo de secretário-executivo da pasta. Coronel Élcio já atuava como secretário-executivo adjunto no mesmo ministério.

Nomeação do Coronel Élcio (Foto: Reprodução/Diário Oficial)

A nomeação do coronel vem um dia após a oficialização do general Eduardo Pazuello como ministro interino da Saúde em meio à pandemia da covid-19. Pazuello assumiu a vaga deixada por Nelson Teich em meados de maio. Desde que foi nomeado, Pazuello já nomeou 17 militares.

Desde a saída de Teich o Ministério da Saúde está sem um titular na pasta no momento em que o Brasil enfrenta a pandemia do novo coronavírus. Jornais especulam que um nome deve ser oficializado ainda hoje. (Com informações do Poder 360).

Bolsonaro sanciona nova lei que proíbe repasse de R$ 8,6 bi para Estados e municípios para combater coronavírus

Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

O  Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou a lei que extingue um fundo administrado pelo Banco Central com veto ao repasse dos recursos disponíveis a Estados e municípios. O recurso disponível era de R$ 8,6 bilhões. A lei foi criada pelo Congresso Nacional e o objetivo da transferência era a compra de materiais para prevenir a propagação do coronavírus.

Além da destinação do valor para diminuir a propagação do coronavírus, ele também seria para proporcionar condições de abertura de estabelecimentos comerciais.

De acordo com a Folha de S.Paulo, no Diário Oficial da União desta quarta-feira (3), o governo diz que a proposta diverge da Medida Provisória sobre o tema, que violaria os princípios da reserva legal e do poder geral de emenda. Também é alegado que o ato iria criar uma despesa obrigatória sem previsões de impacto nos próximos anos, o que também seria irregular.

Sendo assim, a destinação do recurso retorna à proposta original, para o fundo de pagamento da dívida pública federal. O governo também defende, ainda, o caráter de urgência da medida para permitir o uso dos R$ 8,6 bilhões disponíveis para abater a dívida, o que ajudaria no cumprimento da regra de ouro.

Lula critica manifestos suprapartidários e diz não ter idade para ser ‘Maria vai com as outras’

O ex-presidente Lula criticou em reunião do PT nesta segunda-feira (1º) os manifestos suprapartidários em defesa da democracia surgidos nos últimos dias, sob o argumento de que os documentos articulados pela sociedade civil desconsideram os direitos dos trabalhadores.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, as iniciativas buscam recriar o clima das Diretas Já e uniram adversários ideológicos diante dos ataques do presidente Jair Bolsonaro a instituições e à Constituição.

A principal mobilização da atual leva é o Movimento Estamos Juntos, mas pelo menos outros seis grupos estão se consolidando nesse cenário.

Lula defendeu que o partido analise as iniciativas antes de tomar qualquer decisão e as relacionou a um projeto da elite brasileira -embora parte dos manifestos venha se organizando por meio da internet, com a possibilidade de qualquer cidadão aderir.

“Li os manifestos e acho que tem pouca coisa de interesse da classe trabalhadora. Não se fala em classe trabalhadora, nos direitos perdidos”, afirmou. Para ele, os textos só falam genericamente no que chamou de corte recente de direitos.

O ex-presidente se disse incomodado com a presença, nas listas, de nomes de pessoas que apoiaram o impeachment de Dilma Rousseff (PT) e que, na visão do petista, abriram caminho para a eleição de Bolsonaro. Em diversos momentos, ele reivindicou protagonismo para o partido.

“Sinceramente, eu não tenho mais idade para ser Maria vai com as outras. O PT já tem história neste país, já tem administração exemplar neste país. Eu, sinceramente, não tenho condições de assinar determinados documentos com determinadas pessoas”, afirmou Lula.

Na fala, transmitida em redes sociais, o ex-presidente disse ter lido os manifestos do Estamos Juntos (inicialmente assinado por artistas e intelectuais) e do Basta! (organizado por advogados e outros representantes do universo jurídico).

Alguns dos manifestos, segundo Lula, são “feitos com boas intenções” e contam com “gente muito boa assinando”, mas também há “aqueles que estão fugindo do barco” – que apoiaram Bolsonaro e agora querem se desvencilhar dele.

“Nós precisamos apoiar qualquer manifesto que for para resolver o problema do Brasil, [mas] não podemos ser levados pela euforia”, acrescentou Lula, afirmando que a sigla não pode se deixar ser usada por pessoas que são contra Bolsonaro, mas apoiam a política econômica do ministro Paulo Guedes.

“[Tem] muita gente de bem que assinou. E tem muita gente que é responsável pelo Bolsonaro. O PT tem que discutir com muita profundidade, para a gente não entrar numa coisa em que outra vez a elite sai por cima da carne seca, e o povo trabalhador não sai na fotografia.”

LEIA MAIS
123