“Petrolina está 100% pronta para iniciar a vacinação da população”, afirma Miguel Coelho

17 de janeiro pode ser considerado como o Dia D da vacinação contra a covid-19. Hoje a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford. Imediatamente o prefeito Miguel Coelho (MDB) afirmou que Petrolina está pronta para imunizar o grupo prioritário.

LEIA TAMBÉM

URGENTE: por unanimidade Anvisa aprova uso emergencial das vacinas contra a covid-19

“Petrolina está 100% pronta para iniciar a vacinação da população, e tão logo as doses cheguem à nossa cidade, vamos aplicá-las seguindo as fases do plano de imunização. Com fé em Deus, isso acontecerá na próxima quarta, dia 20. Viva a ciência! Viva o SUS! Vamos vencer juntos!”, escreveu nas redes sociais.

LEIA MAIS

Doria convida Sarney, FHC e Temer para tomar CoronaVac

Três ex-presidentes buscam dar exemplo aos brasileiros se vacinando (Foto: Reprodução/Poder 360)

Enquanto Jair Bolsonaro (sem partido) afirma que não tomará a vacina contra a covid-19, três ex-presidentes do Brasil estão na fila de espera para se imunizar. José Sarney (MDB), Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Michel Temer (MDB) foram convidados pelo Governo de São Paulo a tomar a CoronaVac.

LEIA TAMBÉM

STF decide que vacinação contra covid-19 poderá ser obrigatória

Os paulistas trabalham em parceria com o laboratório chinês Sinovac, responsável pela CoronaVac (cujo parceiro no Brasil é o Instituto Butantan). Segundo o Poder 360, os três ex-presidentes estão entre os primeiros a receber a CoronaVac, pois estão no público alvo da 1ª fase.

LEIA MAIS

Diretor do Instituto Butantan critica decisão da Anvisa em suspender estudos do CoronaVac

Dimas Covas citou interferência política da Anvisa (Foto: Instituto Butantan/Reprodução)

A “guerra da vacina” ganhou mais um capítulo nesse semana, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil (Anvisa) determinar, na noite de ontem (9), a suspensão dos testes da CoronaVac, que está na Fase 3 dos estudos. Nessa terça-feira (10), o diretor do Instituto Butatantan criticou a decisão da Anvisa e deu a entender que se trata de uma jogada política do Governo Federal.

LEIA TAMBÉM

Anvisa interrompe estudos da Coronavac após “evento adverso grave”

O efeito adverso foi notificado dia 29 de outubro e comunicado a Anvisa em novembro. “Dia 6 a Anvisa recebeu um documento dizendo que um participante do estudo clínico teve um efeito adverso grave não relacionado com a vacina. Vamos ver quais foram as causas, se você está dizendo que não tem relação com a vacina, vamos apurar. É isso que a gente espera. Foi isso que aconteceu? Não. Este encaminhamento foi feito no dia 6, ontem, dia 9, às 20h40 da noite encaminham um email ao Butantan dizendo que haveria uma reunião hoje para tratar do evento adverso grave, mas ao mesmo tempo, anunciava a suspensão do estudo. 20 minutos depois essa notícia estava em rede nacional. Fiquei sabendo pela rede nacional“, explicou Dimas Covas.

Decisão para “causar medo”

Na visão de Covas, a medida da Anvisa busca “causar medo” e criar um “descrédito gratuito” contra a vacina. O comentário faz menção à briga pública entre o governador de São Paulo, João Dória e o presidente da República, Jair Bolsonaro sobre qual vacina será aplicada no país. Mais cedo, Bolsonaro usou as redes sociais para dizer que “ganhou mais uma ” contra Doria.

LEIA MAIS

Governador de São Paulo testa positivo para Covid-19

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi diagnosticado com o novo coronavírus. Ele informou que testou positivo para a doença nesta quarta-feira (12).

“Estou bem, sem sintomas. Seguirei trabalhando de casa, cumprindo as recomendações médicas de isolamento. Tenho fé em Deus que vou superar a doença”, disse o tucano em mensagem compartilhada no Twitter.

De acordo com o G1, Doria é o 11º governador a ter esse diagnóstico. Além dele, outros que já tiveram a doença foram Wilson Witzel (Rio de Janeiro), Renan Filho (Alagoas), Helder Barbalho (Pará), Paulo Câmara (Pernambuco), Eduardo Leite (Rio Grande do Sul), Renato Casagrande (Espírito Santo), Mauro Mendes (Mato Grosso), Antonio Denarium (Roraima), Carlos Moisés (Santa Catarina) e Belivaldo Chagas (Sergipe).

Governo de São Paulo começou a testar vacina chinesa contra Covid-19 nesta segunda-feira (20)

Doses da vacina do laboratório chinês Sinovac Biotech chegaram no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, na madrugada desta segunda-feira (20).

A vacina chinesa contra o novo coronavírus, chamada de CoronaVac, começou a ser testada em voluntários brasileiros a partir desta segunda-feira (20), segundo informações da Agência Brasil. A vacina será aplicada em 890 voluntários da área da saúde do Hospital das Clínicas, na capital paulista.

A vacina é aplicada em duas doses. A primeira delas começa a ser aplicada amanhã. A outra dose será aplicada após 14 dias. Os pesquisadores do Hospital das Clínicas vão analisar os voluntários em consultas que são agendadas a cada duas semanas. A estimativa é concluir todo o estudo da fase 3 de testes em até 90 dias.

LEIA MAIS

Covid-19: possível vacina é autorizada para novo teste no Brasil

(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

A fase três de testes clínicos para a vacina contra o novo coronavírus Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em pareria com o Instituto Butantan, foi aprovada pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). A informação foi anunciada nesta quinta-feira (9) pelo governador de São Paulo (PSDB-SP) João Doria no Twitter.

A previsão é que a Coronavac comece a ser testada em brasileiros nas próximas semanas. Em entrevista coletiva, o governador revelou que o processo de testagem pode iniciar no dia 20 de julho em São Paulo, Brasília, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná. A fase vai custar R$ 38 milhões o governo paulista.

A possível vacina vai ser testada em 9 mil voluntários brasileiros em um estudo liderado pelo Instituto Butantan. Os participantes serão apenas profissionais de saúde. As inscrições para o voluntariado poderão ser feitas a partir do dia 13 de julho, por meio de um aplicativo, ainda não lançado.

Testes de vacina chinesa contra coronavírus começa dia 20 no Brasil

(Foto: CDC/Unsplash)

O governo de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (6) que o recrutamento de voluntários para a terceira fase de testes da vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela farmacêutica chinesa de biotecnologia Sinovac começa na próxima segunda-feira (13).

Na sexta (3), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou a nova etapa do projeto realizado pelo laboratório chinês em parceria com o Instituto Butantan. Em todo o Brasil, serão escolhidos 9 mil voluntários distribuídos em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraná e Distrito Federal. Segundo o governador João Doria (PSDB), após o recrutamento, a vacina deve começar a ser aplicada nos voluntários no dia 20 de julho.

LEIA MAIS

Bruno Araújo é o favorito de Doria para assumir PSDB nacional

Candidato ao Senado Federal em 2018 pelo PSDB de Pernambuco, o deputado federal Bruno Araújo é o nome preferido de João Doria (PSDB-SP) para assumir a presidência nacional da sigla. Doria assumirá o Governo de São Paulo em 2019 e vê em Bruno uma postura conservadora para o partido.

Os tucanos realizam em maio uma convenção para definir a presidência. Ex-ministro no governo de Michel Temer (MDB), Araújo defende bandeiras como a garantia de posse de arma nas áreas rurais, sugere a adoção de cotas sociais em substituição às cotas raciais e quer “racionalidade na pauta ambiental”.

“O PSDB não pode ter o receio de fazer inflexões a pautas mais conservadoras, como, por exemplo, a redução da maioridade penal, que tem apoio da maioria da sociedade e que recebeu votos na Câmara da imensa maioria do partido”, disse o deputado.

Doria e Araújo também advogam que o partido vote favoravelmente projetos que Bolsonaro apresente no Congresso e não se opõem aos convites feitos a tucanos para integrar o governo. Eles entram em choque com dois nomes históricos do partido: Fernando Henrique Cardoso e José Serra.

FHC e Serra são contra a essa mudança de discurso e também contra o embarque na administração federal. Em entrevista à revista Veja, FHC declarou que, “se o PSDB virar uma sublegenda do governo, qualquer governo, estou fora”.

Com informações do Estado de São Paulo

Criticado por sua parcialidade, Sérgio Moro posa ao lado de João Doria em evento

Durante um evento em Nova York, realizado na terça-feira (15), o pré-candidato ao Governo de São Paulo, João Doria (PSDB) e o juiz federal da Operação Lava Jato, Sérgio Moro posaram para uma foto com suas esposas. O registro publicado nas redes sociais de Doria e provocou críticas ao posicionamento de Moro.

Isso porque a foto vem dois dias após a publicação de uma pesquisa da CNT/MDA, na qual 90% dos brasileiros afirmaram não acreditar na imparcialidade da Justiça no país. O levantamento também apontou que a atuação da Justiça no Brasil é negativa para 55,7% (ruim ou péssima) dos entrevistados.

Moro já foi flagrado ao lado de outros políticos do PSDB, a exemplo de Aécio Neves. O juiz esteve em Nova York para receber o prêmio de Personalidade do Ano, por seu desempenho na Lava Jato.

 

Queda de Dória em pesquisa, cresce o foco do DEM em Luciano Huck

A avaliação de um integrante da cúpula do DEM é que se João Doria iniciar uma tendência de queda irreversível nas pesquisas “nem ele será candidato se tiver juízo”. (Foto: Reprodução)

Desde que a última pesquisa Datafolha mostrou estagnação de João Doria na corrida presidencial, o discurso do DEM sobre eventual candidatura do prefeito mudou. Demistas dizem que não vão entrar num “projeto kamicaze” de comprar briga com o PSDB e com Geraldo Alckmin para lançar o prefeito ao Planalto. O foco do DEM se voltou para Luciano Huck, com quem a sigla mantém encontros frequentes.

O partido, contudo pode também não lançar candidato e apoiar Alckmin, sobretudo se o secretário Rodrigo Garcia for escolhido pelo tucano para ser candidato ao governo de São Paulo.

Antes do último levantamento Datafolha, o DEM se reuniu diversas vezes com Doria e sinalizou portas abertas. Hoje, o entendimento é que, se continuar derretendo nas pesquisas, o próprio prefeito desistirá da campanha. Apesar da desconfiança, a avaliação geral entre os demistas é que não se deve negar abrigo ao prefeito da maior cidade do país, embora a candidatura não seja certa.

Com informações do Estadão

Doria distribui omelete em resposta a “ovada” que recebeu em Salvador; veja vídeo

Os 10 mil ovos foram doados por uma empresa produtora em granja de ovos em Minas Gerais (Foto: Facebook)

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) distribuiu omeletes para moradores de rua, nesta sexta-feira (11) em São Paulo. A ação é uma resposta a “ovada” que levou em Salvador.

“No setor privado, aprendi a fazer do limão uma limonada, e agora, na vida pública, eu aprendi a fazer da ovada uma gemada”, afirmou o prefeito, em sua fanpage no Facebook. Os 10 mil ovos foram doados por uma empresa produtora em granja de ovos em Minas Gerais.

A quantidade teria sido suficiente para distribuir 5,5 mil refeições de “ovo em forma de omelete, mexido ou estrelado”, nas palavras do tucano, para pessoas em situação de rua, nas unidades de atendimento da Secretaria de Promoção e Assistência Social.

Com informações do LeiaJá

ACM Neto leva ovada na cabeça e acusa governador Rui Costa de patrocinar ataques

O prefeito de Salvador-BA, ACM Neto (DEM), foi atingido na cabeça por ovos atirados por um grupo de oposicionistas durante um protesto na entrada da Câmara Municipal, onde o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), recebeu o título de cidadão soteropolitano na noite desta segunda-feira (7).

Além da equipe de seguranças, o demista foi cercado por guarda-chuvas para conseguir atravessar a Praça Municipal. Completada a travessia, Neto desabafou contra a ação dos opositores e acusou o governador Rui Costa de patrocinar o ataque.

“Quando eles fazem os seus eventos ninguém parte para esse tipo de tentativa de agressão e ofensa física, inclusive. Isso é contra a democracia. Mas também é fruto do desespero, de quem está vendo o poder se esvair. Esse tipo de coisa vai ser dada a resposta ano que vem nas eleições. O governador que é o patrocinador dessa história devia ter cuidado porque a democracia tem que prevalecer e esse tipo de coisa é condenável, lamentável”.

Assista: