Prefeitura de Sobradinho solicita interdição da barragem após visita de turistas durante o final de semana

Mesmo com recomendações, população local descumpre quarentena (Foto: Reprodução/WhatsApp)

O volume do Lago de Sobradinho está subindo diariamente e isso levou vários turistas locais até a barragem, nesse final de semana. O flagrante gerou revolta, pois a recomendação é evitar aglomerações e respeitar o isolamento social durante da pandemia do novo coronavírus.

O turismo em tempo de quarentena foi visto como algo grave para a Prefeitura de Sobradinho (BA) que decidiu solicitar a interdição do espaço à Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Ches) para visitação. “Devido a aglomeração flagrada neste domingo (12), estamos entrando em contato com os responsáveis pela Companhia solicitando a interdição do espaço”, informa a nota.

Ainda ontem, ao saber da aglomeração de turistas, a Prefeitura acionou a Polícia Militar da Bahia para dispersar a população. Em relação aos pontos turísticos municipais, a nota ressalta que os comerciantes não podem descumprir as medidas adotadas. Quem o fizer, será punido.

Volume do Lago de Sobradinho deve atingir 100% em maio

Faixa de areia da Ilha do Fogo sumiu por conta da cheia (Foto: Waldiney Passos)

O volume do Lago de Sobradinho deve atingir 100% em maio. A estimativa da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) se baseia no nível de água que está chegando ao reservatório, reflexo das chuvas no Sudeste. Atualmente Sobradinho está com 83,53% de sua capacidade.

Ainda em abril o volume deve atingir 90,28%. Para o mês de maio a expectativa é de que o Lago alcance 100% da sua capacidade, o que não acontece desde 2009.

Um dos reflexos dessa cheia do Velho Chico é o desaparecimento das faixas de areia das ilhas banhadas pelo rio, fato já percebido na Ilha do Fogo que fica no meio das cidades de Juazeiro (BA) e Petrolina.

URGENTE: Vazão defluente da barragem de Sobradinho aumenta 200 m³/s na madrugada desta quarta-feira (08)

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), emitiu carta circular na noite desta terça-feira (07) informando que vai aumentar a vazão defluente da barragem de Sobradinho de 800 para 1.000 metros cúbicos por segundo a partir da 00h00 desta quarta-feira (08).

A vazão volta aumentar a partir da 00h00 do dia 09 de abril, quando passará de 1.000 para 1.400 m³/s, permanecendo nesse patamar de vazão a depender das condições de armazenamento em Itaparica, qual seja, o patamar mínimo de 30% do seu volume útil (VU).

A medida é para atender a baixa vazão do baixo São Francisco. As comportas não serão abertas, a água será liberada pelas próprias máquinas (turbinas) gerando energia. Atualmente, a barragem de Sobradinho está com 79% de sua capacidade total de armazenamento. Os ribeirinhos que moram entre Juazeiro e Paulo Afonso deve ficar atentos ao nível do Rio São Francisco que deve aumentar nos próximos dias.

Reservatório de Sobradinho deve chegar a 80% de sua capacidade total de armazenamento no mês de abril

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) divulgou nesta terça-feira (31/03) uma ótima notícia para o povo do Vale do São Francisco. De acordo com a Companhia, considerando as condições hidrológicas atuais, a previsão é que, agora no mês de abril, o reservatório de Sobradinho ultrapasse 80% do seu volume útil. Para a Chesf esta condição é importante para o atendimento aos usos múltiplos da região no próximo período seco.

Em função das chuvas que têm ocorrido, desde a segunda quinzena de janeiro, houve uma melhora significativa no armazenamento dos principais reservatórios, atingindo os seguintes volumes úteis no dia 30 de março:
Três Marias: 99%;
Sobradinho: 73%;
Itaparica: 37%.

Devido ao Reservatório de Sobradinho já ter ultrapassado 60% do seu volume útil, a Chesf informa que, em cumprimento à Resolução ANA 2081/2017, a vazão defluente de Xingó será elevada para 1.100 metros cúbicos por segundo a partir do dia 01/04/2020.

Ressalta-se, ainda, que a situação atual é de normalidade e que não há previsão de abertura de comportas dos vertedouros das usinas de Sobradinho, Itaparica e Xingó.

Marinha encerra buscas no Lago de Sobradinho

Quatro pessoas desapareceram na tarde do Natal (Foto: TV Bahia/Reprodução)

As buscas pelo quarto corpo no Lagoa de Sobradinho (BA) foram encerradas na terça-feira (31). Segundo o G1 Bahia a Marinha do Brasil relatou que a vítima não foi encontrada e agora será instaurado um inquérito para apurar as causas do acidente.

Dois homens e duas mulheres estavam em uma embarcação de madeira com motor, quando embarcaram na tarde do Natal rumo a Ilha do Mocó. Contudo, eles desapareceram. No domingo (29) três corpos foram encontrados, mas um dos homens seguia desaparecido.

Baixa vazão do Rio São Francisco pode trazer impactos ambientais para a região

(Foto: Ascom)

O alerta é dos pesquisadores da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA), de Petrolina (PE), que em parceria com a Marinha do Brasil, estão fazendo uma análise sobre os impactos que a baixa vazão no lago de Sobradinho, que atualmente é de 550 metros de água por segundo, pode ocasionar no Rio São Francisco.

A ação faz parte do Projeto Orla Nossa, desenvolvido pela Prefeitura de Petrolina.

Ao percorrerem todos os trechos da Orla I e II, as equipes perceberam a extensão dos impactos ambientais, com um menor volume de água sendo liberado na barragem de Sobradinho, que é maior reservatório do Nordeste. Segundo os técnicos, a baixa vazão afeta, principalmente, a navegabilidade no Velho Chico.

De acordo com diretor de Projetos da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA), Victor Flores, quem navega pelo Velho Chico deve redobrar a atenção.

“Nossa análise visa, também, averiguar como está o assoreamento nessas áreas. Há locais no meio do Rio São Francisco que a profundidade chega a 50 cm. Quem navega por aqui, deve prestar mais atenção para riscos de acidentes, até que a vazão aumente”, alerta.

(Foto: ASCOM)

Durante o período de estudos, uma das barcas que faz o transporte fluvial entre Petrolina e Juazeiro, encalhou próximo à parada de embarque e desembarque.

Pescadores e membros da equipe da Marinha tiveram que puxar a embarcação para que os passageiros pudessem descer.

O diagnóstico de profundida, juntamente com a pesquisa de qualidade de água, iniciada na semana passada, devem nortear as próximas ações do projeto.

Sobre o Orla Nossa

É um projeto de revitalização do Rio São Francisco que vem sendo desenvolvido desde o início da gestão, em 2016. Entre os trabalhos realizados pela Prefeitura de Petrolina, estão o estudo e a retirada das baronesas, a inserção de 35 mil alevinos e a operação que identificou e solucionou ligações clandestinas e tubulações que despejavam esgoto no rio.

O projeto agora está na fase de recuperação da mata ciliar degradada na extensão da Orla I, no processo de educação ambiental e de análise da qualidade da água.

Entre as parcerias firmadas, o programa conta com o auxílio do Instituto Federal do Sertão Pernambucano, 72º Batalhão de Infantaria Motorizada e a Codevasf e da Marinha do Brasil.

Empresário que realiza o passeio “Vapor do Vinho” emite nota sobre naufrágio de embarcações nesta terça-feira

(Foto: WhatsApp)

As embarcações Rio dos Currais e Velho Chico, que realizam o passeio enoturístico chamado de “Vapor do Vinho”, pelas águas do Rio São Francisco, afundaram nesta terça-feira (23), no Lago de Sobradinho.

As embarcações estavam ancoradas no paredão da Barragem quando o acidente aconteceu e não havia ninguém a bordo.

Segundo o empresário Luiz Rogério Rocha Pereira, proprietário das barcas, a Marinha já está no local e vai investigar o que de fato aconteceu.

“Até ontem não havia nada de errado com as embarcações e por isso temos total interesse em saber se esse acidente foi criminoso, se houve ou não uma sabotagem”, disse Luiz Rogério.

Ele disse também que realiza o roteiro na região do Vale do São Francisco há sete anos e que o fato nunca havia acontecido. Luiz Rogério enviou nota à imprensa tranquilizando a população e lamentando o fato.

Veja à íntegra da nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Empresa Vapor do Vinho vem a público esclarecer sobre o acontecido hoje dia 23/01/2018 ás 09h40min com as duas embarcações que fazem o roteiro enoturístico, e que estavam atracadas no canal de eclusagem, no lago de Sobradinho.

As duas embarcações submergiram dentro da barragem – Ainda não se sabe tecnicamente sobre o motivo do afundamento, sendo que ambas navegavam com todo o aparato necessário e seguro, exigida pela Marinha do Brasil e pela Capitania dos Portos.

As barcas vão ser retiradas de dentro do lago, onde estão a oito metros de profundidade, para que sejam feitas toda a perícia, no sentido de apontar as causas deste sinistro.

Entretanto, vale ressaltar que as embarcações  não apresentavam nenhuma complicação e no momento do acontecido, ambas estavam desguarnecidas, não havendo nenhuma vigilância, pois no dia anterior, onde foi realizado o ultimo passeio no domingo, a tripulação se encontrava em terra considerando o fato que tudo transcorria na mais normal tranquilidade dos últimos seis anos de navegação.

Viemos também através dessa, informar que o passeio enoturístico continuará acontecendo, inclusive neste fim de semana, e será realizado pela barca Nina conforme o roteiro.  Sendo que o passeio fluvial será voltado para a Ilha do Maroto em Juazeiro e não mais para a Ilha da Fantasia, em Sobradinho.

E sempre assim e primando pela segurança dos nossos visitantes, nos colocamos à disposição de todos para quaisquer esclarecimentos.

Departamento de Comunicação e Marketing Vapor do Vinho.

Recuperação do volume do Lago de Sobradinho não garante segurança hídrica no Vale do São Francisco em 2016, diz Irpaa

Lago sobradinho

As fortes chuvas que caíram no Vale do São Francisco em janeiro deste ano animaram as/os ribeirinhos. O Lago de Sobradinho, que no mês de novembro de 2015 quase chegou ao seu volume morto, agora já ultrapassa 26% do seu volume útil, segundo Boletim da ANA – Agência Nacional de Águas. Isso se deve à elevada vazão de afluência de 5,5 mil m3/s, 14% superior à média histórica do período 1931-2014 e 295% superior à média dos últimos dois anos para o mês de fevereiro.

Porém, é preciso atentar que este dado não representa segurança no tocante aos diversos usos da água do São Francisco, se considerar que a vazão de defluência do lago é regulada conforme os interesses dos grandes empreendedores, de modo que em meados de 2014 o volume do lago foi reduzido num ritmo de 6% ao mês e em 2015 em 1,5% ao mês, chegando ao final do ano com menos de 2% do volume útil. Isto significa que ao final deste ano o cenário do ano anterior pode se repetir.

Esta preocupação parte da análise de que a recuperação do volume do lago, período em que a afluência supera a defluência, ocorre apenas em cerca de quatro meses por ano e têm sido raros os anos em que se ultrapassou os 60% do volume útil. Desse modo é provável que a recarga esteja reduzida a partir de março, ao passo que a defluência continua significativa, podendo ocorrer nova crise a depender do regime de chuva do próximo ano.

Causas

As secas, fenômenos naturais e previsíveis, não são as maiores responsáveis pela crise hídrica fortemente percebida no ano passado, segundo afirmam diversas organizações que assinaram carta política durante a “Semana da Água” em 2015. A diminuição da disponibilidade hídrica em algumas regiões do país conta com diversas outras causas, dentre elas a elevada supressão vegetal de alguns biomas como a Amazônia brasileira, o Cerrado e a Caatinga que já contam com, respectivamente, 18%, 50% e 48% desmatados. Soma-se a isso o uso descontrolado da água no Brasil, pela indústria (média de 22%) e pelo agronegócio (média de 72%).

A vazão de consumo dos diferentes usos consultivos na Bacia do Rio São Francisco, segundo a ANA, é da ordem 216 m3/s, com uma demanda que cresce mais de 5% ao ano. No Submédio São Francisco a grande irrigação chega a consumir 95,2% de toda água retirada do rio, conforme mostra o quadro abaixo, além de causar graves contaminações por agrotóxicos que se soma aos esgotos sem tratamento lançados na calha do rio nas cidades ribeirinhas, comprometendo a qualidade da água e o equilíbrio dos organismos aquáticos.

Região da Bacia SF

Vazão de consumo (%)

Urbano

Rural

Irrigação

Animal

Industrial

Total

Alto

12,8

0,9

67,1

7,5

11,7

100,0

Médio

1,0

0,7

94,4

3,7

0,2

100,0

Submédio

1,5

1,0

95,2

2,0

0,3

100,0

Baixo

2,2

1,6

92,7

3,1

0,4

100,0

*Média geral

4,4

1,0

87,3

4,1

3,1

100,0

Fonte: ANA (2013, 2015).

 

INEMA alerta agricultores para não plantarem na vazante do Lago de Sobradinho

Produtores Sobradinho

Os agricultores foram advertidos, pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA), a não plantarem na área de vazante do lago, a área que fica exposta com a baixa vazão e uso de agroquímicos. Diante das notificações, as famílias, que dependem da agricultura, clamam por alternativas para que não deixem de plantar e, consequentemente, percam a sua fonte de renda.

Na próxima terça-feira (12), no auditório da Codevasf de Juazeiro (BA) a partir das 9h, o Consórcio Sustentável do Território do São Francisco (Constesf) reunirá instituições de ensino, órgãos fiscalizadores, autoridades políticas, organizações públicas e agricultores, para debater o problema que está afetando os produtores rurais da Borda do Lago de Sobradinho.

O objetivo do evento é analisar, de forma emergencial, a situação crítica do Lago de Sobradinho e os municípios que sofrem com a crise hídrica, discutir e propor alternativas e soluções para eliminar os efeitos da degradação no Rio São Francisco, no entorno do Lago de Sobradinho, por uso de agrotóxicos. O debate busca, também, identificar possibilidades para as famílias dos agricultores no trato com o uso de agroquímicos.

Para o diretor de projetos do Constesf e organizador do encontro, Frank Chaves as notificações realizadas pelo INEMA, obedecem à Lei Ambiental, e servem para descobertas de outros problemas enfrentados por estes agricultores ao longo do tempo.

“Realizamos uma audiência pública, em dezembro 2015, que está proporcionando que esta discussão seja feita de forma abrangente envolvendo agricultores, órgãos e instituições e a Sociedade Civil. Entre as soluções propostas pelos agricultores está a instalação de canais de aproximação com o poder público, para viabilizar a captação de água com uma distancia de 10 a 15 quilômetros, de forma que beneficiasse todos os produtores. Este problema é de todos nós, é econômico, social e ambiental”, salientou Chaves.

Reservatórios de Sobradinho e Xingó têm vazões ainda mais reduzidas

Lago sobradinho

A Agência Nacional de Águas (ANA) decidiu manter reduzidas as vazões dos reservatórios de Sobradinho e de Xingó, no Rio São Francisco. A decisão se deve às poucas chuvas nos últimos anos, o que impacta os níveis de armazenamento dos reservatórios. Antes, as descargas mínimas instantâneas eram de 1,3 mil metros cúbicos por segundo. Hoje (1º), estão em 900 metros cúbicos. A resolução com a decisão foi publicada na edição de hoje (1º) do Diário Oficial da União e tem validade até 20 de dezembro.

A redução das vazões de reservatórios do Rio São Francisco ocorre desde abril de 2013. Segundo a ANA, o objetivo é manter os estoques de água para o uso múltiplo. Sobradinho e Xingó, por exemplo, são usados na produção de energia nas usinas hidrelétricas que levam o mesmo nome dos reservatórios. Sobradinho fica na Bahia e Xingó, na divisa entre Sergipe e Alagoas. A agência estima que, caso a medida não tivesse sido tomada, o sistema da Bacia do São Francisco operaria no volume morto desde 2014.

Até o último dia 29, Sobradinho contava com apenas 1,28% de seu volume útil. A previsão de chuva nos próximos dias no norte de Minas Gerais, onde fica a nascente do São Francisco, pode mudar o cenário. No entanto, caso as precipitações não sejam suficiente para melhorar a carga de água, a tendência é a vazão do reservatório passar para 800 metros cúbicos por segundo. A nova redução é um pedido do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). No próximo dia 15, haverá reunião sobre a situação da Bacia do São Francisco em que essa proposta será avaliada. (EBC)