Fake news envolvendo dono da Joalina e grupo de notícias da região vira caso de polícia

(Foto: Ilustração)

Desde que ocorreu o atentado contra a vida do Secretário Executivo da Ammpla, José Carlos, na manhã da última quarta-feira (11), notícias falsas sobre a autoria da ação criminosa foram disseminadas nas redes sociais, uma delas chegou a informar sobre a suposta prisão de Eurico de Sá Cavalcanti, mais conhecido em Petrolina como ‘Leãozinho’, dono da Joalina Transportes.

LEIA TAMBÉM

Licitação pode ter sido motivação do atentado contra secretário: “Muita coincidência”, afirma Miguel Coelho

Notícia sobre prisão de Leãozinho é falsa, garante Polícia Civil

Como se não bastasse, o crime virtual perdurou, e a última notícia falsa divulgada, trata-se de uma nota supostamente assinada pelo advogado de defesa de Leãozinho, Eurico Júnior. No texto, são feitos esclarecimentos à população de Petrolina a cerca de uma suposta ação do prefeito Miguel Coelho contra Leãozinho. A nota chega a afirmar que o empresário teria sido coagido pelo gestor municipal a pagar propina para permanecer com a concessão do transporte coletivo em Petrolina.

Notícia sobre prisão de Leãozinho é falsa, garante Polícia Civil

Desde a madrugada desta quinta-feira (11), começou a circular em grupos de WhatsApp uma notícia informando sobre uma suposta prisão de Eurico de Sá Cavalcanti, mais conhecido em Petrolina como ‘Leãozinho’, dono da Joalina Transportes.

A informação foi compartilhada usando o padrão do Grupo de WhatsApp Tiro Certo, que já negou que os administradores tenham produzido algo sobre a suposta prisão. “Mais uma manobra de alguma pessoa para atingir a credibilidade do grupo e acusar alguém”.