Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Saúde da População LGBT+ é tema de evento universitário em Juazeiro

(Foto: Ascom PMJ)

Representando a Secretaria Municipal da Saúde, a psicóloga Josicleia Oliveira participou nesta quinta-feira (27), como palestrante de uma mesa redonda com o tema: ‘Saúde da população LGBT+’. O evento foi organizado por estudantes do curso de enfermagem da Faculdade do São Francisco de Juazeiro (FASJ) e aconteceu no prédio da instituição de ensino.

Durante o encontro foram abordados aspectos psicossociais da população LGBT+, além de alguns dados epidemiológicos que justificam a necessidade da criação de política públicas voltadas especificamente para este público.

Para a psicóloga Josicleia Oliveira é preciso “sensibilizar futuros profissionais da saúde em relação ao acesso e à qualidade de atenção à saúde dessa população. Fiquei feliz em representar o setor de educação permanente e humanização da Secretaria da Saúde para falar sobre a temática. É importante para o município participar da qualificação desses futuros profissionais da Saúde”, descreveu a especialista.

Profissionais participam da 1ª Formação de Saúde LGBT realizada em Juazeiro

(Foto: ASCOM)

A Secretaria de Saúde, através da Diretoria de Humanização e Educação Permanente, Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade e a Escola de Gestão Pública (EGESP) de Juazeiro promoveram nesta quinta-feira (23), a primeira Formação de Saúde LGBT no município. A capacitação é voltada para profissionais da área da saúde e também para outros trabalhadores que atuam nas diversas secretarias do município.

O treinamento ministrado pelo médico da família Dr. Wandson, foi realizado no Centro de Saúde 3 no bairro Angarí e contou com a participação de profissionais de Saúde que atendem no NASF, CAPS, e nas UBS dos bairros Piranga e João Paulo II. A ação tem como objetivo preparar os participantes para melhorar ainda mais o tratamento ao grupo LGBT.

Para a assistente social do NASF Adriana Lima, a iniciativa contribuir significantemente no acolhimento que os profissionais da Saúde realizam ao grupo LGBT. “É um momento ímpar na Secretaria de Saúde de Juazeiro. Como trabalhadora da Atenção Básica é de suma importância a realização desse treinamento, visto que somos a porta de entrada para recepção desse público LGBT”, pontua Adriana Lima.

LEIA MAIS

Decreto garante uso de nome social a transgêneros de Petrolina

(Foto: Ascom)

A luta da comunidade LGBT em Petrolina foi recompensada com o reconhecimento do município. A Prefeitura de Petrolina publicou nessa quarta-feira (4) o Decreto 052/2018 onde possibilita a travestis e transgêneros o uso do nome social.

No Brasil, a utilização do nome social em documentos oficiais já é permitida desde 2017, através de uma determinação do Governo Federal. Em Petrolina, o Decreto assegura o “reconhecimento da identidade de gênero de travestis, mulheres e homens transexuais no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta”.

Para isso, é necessário solicitar o uso do nome social por escrito através de um documento anexado no Decreto publicado no Diário Oficial. Ao lado da militante Mycaella Bezerra, o prefeito Miguel Coelho comentou a decisão. Confira o vídeo:

MP defende participação de transexuais nas eleições e uso de nome social

O Ministério Público se posicionou favorável a participação de transexuais e transgêneros nas eleições. Em parecer encaminhando hoje (29) ao Tribunal superior Eleitoral (TSE) o MP recomenda a cotização por partidos para incluir esses candidatos nos pleitos.

Em seu posicionamento, o MP segue o princípio das cotas eleitorais. Hoje a lei eleitoral determina uma cota de 30% para um dos sexos, normalmente sendo preenchidas pelas mulheres. Para o MP, uma mulher trans (que nasceu com o sexo masculino, mas se percebe e identifica como mulher) pode ocupar essa cota. O mesmo serve para os homens trans (nascido mulher e identificado como homem).

Pela recomendação do MP, as travestis também são incluídas nas cotas. O parecer foi assinado pelo vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques, que também se mostrou favorável sobre o uso do nome social dos candidatos na urna. A Corte ainda deverá emitir uma resposta sobre o assunto, oficializando a regra que valerá para as eleições deste ano.

Com informações do G1

Estudantes LGBT se sentem inseguros nas escolas, aponta pesquisa

A maioria dos estudantes latino-americanos que se identificam como gays, lésbicas ou transexuais se sentem inseguros nas escolas. Esse é o resumo de uma pesquisa realizada em sete países da América Latina entre dezembro de 2015 e março de 2016. Os resultados foram apresentados nesta quarta-feira (18), em audiência pública conjunta das comissões de Relações Exteriores; e de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

A pesquisa foi feita com estudantes do ensino básico, com idade acima de 13 anos e que se identificavam como LGBT. No Brasil, 1.016 adolescentes responderam ao questionário, feito pela internet, de forma anônima. E o cenário é o seguinte: 73% desses estudantes sofrem bullying homofóbico; 60% se sentem inseguros nas escolas; e 37% já sofreram violência física.

LEIA MAIS

Psicólogos são denunciados por ofertar ‘cura gay’ nos últimos 5 anos, diz conselho

Desde 1990, a homossexualidade deixou de ser considerada doença pela Organização Mundial da Saúde. (Foto: Arquivo)

O Conselho Federal de Psicologia recebeu queixas contra três profissionais nos últimos cinco anos por ofertas de tratamento para homossexualidade. Medidas do tipo eram proibidas com base na Resolução nº 001/1990 do Conselho Federal de Psicologia.

De acordo com o presidente do órgão, Rogério Giannini, uma psicóloga – que está entre os autores da ação – teve o registro cassado por causa da prática. O órgão informou que estuda as estratégias para recorrer da decisão.

“Uma das alegações do pedido [contra a resolução] é de que havia uma perseguição a quem a praticasse. Em cinco anos foram três casos [de 260]. Então está longe de ser o principal motivo de processos éticos. São muito mais comuns outros tipos de processo”, disse Giannini.

LEIA MAIS

Juiz autoriza psicólogos a tratarem homossexuais como doentes

Desde 1990, a homossexualidade deixou de ser considerada doença pela Organização Mundial da Saúde. (Foto: Arquivo)

A Justiça Federal do Distrito Federal liberou psicólogos a tratarem gays e lésbicas como doentes, podendo fazer terapias de “reversão sexual”, sem sofrerem qualquer tipo de censura por parte dos conselhos de classe. A decisão, do juiz Waldemar Cláudio de Carvalho.

A decisão é liminar e acata parcialmente o pedido de uma ação popular. A ação popular foi assinada por um grupo de psicólogos defensores das terapias de reversão sexual. A decisão é de sexta-feira (15). Esse tipo de tratamento é proibido desde 1999 por uma resolução do Conselho Federal de Psicologia. O órgão disse que vai recorrer.

Na decisão, Carvalho mantém a integralidade da resolução, mas determina que o conselho não proíba os profissionais de fazerem atendimento de reorientação sexual. Além disso, diz que os atendimentos têm caráter reservado.

LEIA MAIS

Semana da Visibilidade Lésbica segue com ações em Petrolina e fórum discute combate ao preconceito

(Foto: ASCOM)

O combate a qualquer tipo de discriminação foi o tema central de um fórum realizado na noite desta terça-feira (29) no Parque Municipal Josepha Coelho, em Petrolina. O encontro que reuniu dezenas de pessoas faz parte da programação em alusão ao Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, celebrado no último dia 29 de agosto.

O evento promovido pela Secretaria Executiva da juventude e Direitos Humanos em parceria com a Associação Sertão LGBT – Vale do São Francisco – contou com apresentação musical e muitas discussões acerca dos direitos  da população LGBT.

Segundo a gestora da pasta, Bruna Ruana, o objetivo é dar visibilidade à causa e alertar sobre o respeito. “Mobilizações como estas são importantes para conscientizar as pessoas sobre os direitos garantidos por lei à população LGBT. Mas, além disso, nós precisamos lutar para que as pessoas tenham o direito de sair de suas casas sem ser alvo de qualquer preconceito”, disse.

LEIA MAIS

Educador emite carta aberta em defesa dos direitos individuais e da liberdade de imprensa em Petrolina

O educador, Elisson César é um dos idealizadores da carta (Foto: Blog Waldiney Passos)

O professor de história Antonio Carvalho dos Santos Junior, enviou ao blog uma carta a favor “da vida, do amor, da liberdade de expressão e da manifestação dos afetos que atravessam a multiplicidade desse mar de gente que é o mundo”.

Veja na íntegra:

“No último dia 12, data comercial atribuída às pessoas que se enamoram, fora exibido pela TV Grande Rio um beijo entre um casal de namorados. Nada de novo sob o sol, caso não fosse o casal composto por dois homens. A exposição repercutiu na Câmara Municipal de Petrolina – PE. O vereador Elias Jardim (PHS), “em nome dos princípios da família e da religião”, queixou-se da matéria exibida e indicou uma moção de repúdio contra a reportagem, ao tempo em que sua indignação encontrou guarida no coro feito por Osinaldo Souza (PTB), também parlamentar da casa Plínio Amorim.

LEIA MAIS

Grupo LGBT articula manifestação na Câmara de Vereadores de Petrolina

(Cartaz Divulgação)

Os participantes do grupo ‘Associação do Sertão LGBT’, estão organizando um ato na Câmara de Vereadores de Petrolina, na próxima terça-feira (20). A manifestação é contra a moção de repúdio, do vereador Elias Jardim (PHS).

O vereador criticou uma reportagem da TV local, onde um casal homoafetivo encerrou com um beijo. Para o vereador Elias Jardim (PHS), a cena foi inadequada e fere os princípios bíblicos.

Os manifestantes marcaram a concentração para às 8h, na Praça da Catedral, localizada no Centro de Petrolina.

‘Por que uma moção de repúdio? Porque a TV mostrou uma realidade nossa?’, questiona colunista sobre moção de repúdio

(Foto: Blog Waldiney Passos)

O colunista Edvaldo Franciolli, que faz parte da comunidade LGBT do Vale do São Francisco, questionou nesta terça-feira (13) a moção de repúdio contra a reportagem com beijo gay, exibida no dia dos namorados (12). A polêmica em torno da moção foi iniciada durante a sessão ordinária desta terça na Câmara Municipal de Petrolina, quando o vereador Elias Jardim (PHS) falou sobre o assunto. O colunista que acompanhava a sessão ficou impressionado e não entendeu a revolta do vereador diante dos fatos.

“Eu quero parabenizar a TV Grande Rio, por ter tido a coragem de mostrar que toda forma de amor vale a pena no dia dos namorados. Foi uma cena, que não foi nenhum pouco obscena e em nenhum momento provocativa. Foi um beijo entre duas pessoas que se amam, do mesmo sexo”, afirmou o colunista.

Na ocasião, diante da imprensa, Franciolli aproveitou a oportunidade para convocar todo o público LGBT a marcar presença na sessão da próxima terça-feira (20) quando a moção de repúdio será apresentada à Casa Legislativa.

“Eu quero convocar todos os homossexuais de Juazeiro, Petrolina e da região, a participar da sessão de terça. Vamos lotar o plenário e mostrar que toda forma de amor vale a pena. O beijo não agrediu ninguém! Pagamos os nossos impostos como todo cidadão e respeitamos todas as religiões. Minha condição sexual não vai contra a minha personalidade e moral”, concluiu.

Fórum discute ampliação do acesso aos serviços de saúde para o público LGBT

(Foto: ASCOM)

Nesta quinta-feira (25), a Secretaria de Saúde de Juazeiro (Sesau), por meio da Superintendência de Gestão de Pessoas, realizou o I Fórum de Saúde da População LGBT. O evento ocorreu na Câmara de Vereadores e contou com representantes da Sesau, da Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (Sedis), da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), além dos profissionais de saúde e das lideranças do movimento.

Na ocasião, foram discutidas políticas públicas para promover o cuidado integral com a saúde deste grupo. De acordo com Ariane Sena, vice-presidente do Conselho Estadual LGBT, a política nacional da população LGBT diz que os determinantes sociais, como o preconceito, afetam a saúde, por exemplo.

“A sensibilização das categorias, desde o segurança da unidade até o médico, é o mais importante. Muitos transexuais e travestis deixam de procurar as Unidades Básicas de Saúde porque temem o preconceito que já sofrem no seu cotidiano. Isso faz com que a saúde seja um caos”, afirma.

Segundo o coordenador de Equidade em Saúde da Sesab, Antônio da Purificação, Juazeiro se destaca pelo pioneirismo entre os municípios da região. “É um passo importante para a qualificação das equipes. Conhecer a população LGBT é importante, porque ela está dentro do SUS. É preciso ter outro olhar, entender que a orientação sexual não é sincronizada com a identidade de gênero, para que todos sejam tratados com respeito”, pontua.

LEIA MAIS

Juazeiro: Decreto municipal regulamenta uso de nome social para público LGBT

A partir de agora, os órgãos públicos deverão adotar o nome social dos travestis e transexuais. (Foto: ASCOM)

O prefeito de Juazeiro Paulo Bomfim assinou nesta terça-feira (16) um decreto que regulamenta o uso do nome social e a identidade de gênero de pessoas travestis e transexuais na administração pública municipal. A partir de agora, os órgãos públicos deverão adotar o nome social, ou seja, aquele pelo qual a pessoa é reconhecida em sua comunidade e em seu meio social.

Para a secretária de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade, Cida Gama, este é um avanço que deve ser comemorado. “Estamos vivenciando a IV edição do “Maio da Diversidade” e esse ato do prefeito vem apoiar ainda mais as causas LGBTs”, destacou.

A supervisora da Diversidade, Mycaella Bezerra, falou emocionada sobre a conquista. “Esse decreto traz dignidade para nós LGBTs. A partir de agora não iremos mais passar por constrangimentos pelos quais, infelizmente, muitos ainda passam. Gostaria de agradecer ao prefeito Paulo Bomfim por ter tido essa preocupação e esse respeito por todos nós”, afirmou.

Conforme estabelecido no decreto, todos os agentes públicos deverão respeitar a identidade de gênero das pessoas transexuais ou travestis e tratá-las pelos nome sociais indicados.

I Audiência Pública voltada para a população LGBT será realizada na próxima terça em Juazeiro

(Cartaz Divulgação)

Com o tema “Cidadania para a População LGBT, um Direito Constitucional”, a I Audiência Pública voltada para a população LGBT, será realizada na próxima terça-feira (16), em Juazeiro. A iniciativa acontece através da prefeitura do município.

O evento faz parte da programação da IV edição do Maio da Diversidade e tem o objetivo de discutir questões de saúde, educação, segurança, assistência social e nome social. A audiência acontece no auditório da Câmara de Vereadores de Juazeiro, das 8h às 13h.

Reunião discute projeto voltado para público LGBT em Juazeiro

(Foto: Divulgação/Ascom)

Equipes da Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade se reuniram na tarde desta terça-feira (4) na sede da secretaria para discutirem projetos voltados ao público LGBT. Durante a reunião, foi apresentado o projeto “Territorializando a Diversidade”.

O projeto “Territorializando a Diversidade”, pretende envolver os serviços dos CRAS na discussão das políticas públicas voltadas para os LGBTs. Com a participação dos centros a população LGBT será identificada nos bairros e poderá ser melhor atendida. Para isso serão feitas capacitações e oficinas.

12