“Nós não vamos nos deixar abalar”, afirma Miguel Coelho após tentativa de homicídio contra servidor

Prefeito voltou a relacionar atentado contra José Carlos a licitação do transporte (Foto: Thamires Santos/Cortesia)

Na coletiva de quarta-feira (11), o prefeito Miguel Coelho (MDB) afirmou que a tentativa de homicídio sofrida por José Carlos Alves, servidor da Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA) tem relação à licitação do transporte coletivo.

LEIA TAMBÉM:

Após atentado contra secretário da Ammpla, segurança de Miguel Coelho e de demais envolvidos em licitação será reforçada

Licitação pode ter sido motivação do atentado contra secretário: “Muita coincidência”, afirma Miguel Coelho

Questionado sobre a licitação, o gestor de Petrolina deixou claro que o processo seguiu o que manda a lei. “Não houve perseguição nenhuma, o processo licitatório foi como anda a lei federal. Tudo foi feito com acompanhamento do Ministério Público e Tribunal de Contas. Nós estávamos fazendo e estamos fazendo o que a população legitimou com voto de confiança“, disse.

“Se a coisa foi transparente não tem nada a esconder”, destaca Cristina Costa sobre Requerimento do transporte público

Para edil não há motivo para esconder informações (Foto: Blog Waldiney Passos)

Na sessão de quinta-feira (5) na Câmara de Vereadores de Petrolina, Cristina Costa (PT) solicitou a cópia do contrato e do processo licitatório vencido pela empresa Atlântico Transporte Ltda, aprovado por unanimidade com apoio dos governistas. Para a edil, se o trâmite foi correto, não há motivos para negar as informações.

LEIA TAMBÉM:

“Vamos discutir para ver se está tudo ok”, justifica Cristina Costa ao pedir cópia de contrato da empresa Atlântico

Vereadores de Petrolina apresentam pedidos voltados a nova empresa de transporte coletivo

“Se a coisa foi transparente não tem nada a esconder. E vamos levar as respostas ao povo de Petrolina. Um exemplo prático, quando entrou a Viva Petrolina na gestão do ex-prefeito Julio Lóssio, fomos pra cima e solicitamos as informações. Conhecemos o proprietário, que morava em Petrolina”, destaca.

Miguel Coelho vistoria ônibus da empresa que atuará no transporte coletivo de Petrolina

Miguel e Edilsão do Trânsito vistoriam veículos (Foto: Reprodução/WhatsApp)

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho está no Rio de Janeiro (RJ) nessa quarta-feira (23) vistoriando os ônibus da empresa Atlântico Transportes e Turismo, de Salvador (BA), vencedora no processo licitatório do transporte coletivo em maio.

83 novos ônibus estão sendo vistoriados na fábrica por Miguel, o diretor-presidente da Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA) e pelo secretário-executivo da AMMPLA, José Carlos Alves. O trio gravou um breve vídeo, mostrando o veículo:

Prefeitura de Petrolina afirma que recorrerá de decisão que suspendeu licitação do transporte coletivo

Uma das empresas participantes do processo licitatório do transporte coletivo de Petrolina acionou a Justiça e pediu a suspensão do pregão realizado no último dia 15 de março. O juiz da Vara da Fazenda Pública da Comarca de Petrolina,  Sidney Alves Daniel acatou o pedido apresentado pelo jurídico da Girassol Serviços de Transportes Ltda.

A Girassol apontou irregularidades no que diz respeito “ao balanço patrimonial apresentado e à irregularidade fiscal do imóvel onde se localiza a empresa” a vencedora, Atlântico Transportes e Turismo LTDA. A suspensão se dá até “a apresentação das contestações pelas demandadas, quando este juízo poderá novamente analisar a necessidade da manutenção da suspensão do certame  deve comprovar habilidade para participar da seleção.

Outras duas empresas – Consórcio Planalto (Minas Gerais) e Viva – participaram da licitação anunciada em 21 de dezembro passado a nível nacional. Uma retificação foi publicada nesse ano e os envelopes foram abertos apenas em março de 2019.

Prefeitura explica situação

Em nota a Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA) informou que recorrerá da decisão de suspender o processo. Segundo o município, a decisão proferida pelo juiz veio na noite de terça-feira (16), determinando a suspensão da licitação com base no “princípio da boa fé e do respeito ao Poder Judiciário”.

A Prefeitura recorrerá da decisão, pois acredita que a continuidade da licitação “trará imensuráveis benefícios, principalmente, para a comunidade mais carente, que precisa diariamente de um transporte de qualidade com segurança, conforto, e acima de tudo, preço justo”.

Confira a seguir a íntegra da nota: