Gabriel Menezes agradece confiança de Bivar, mas afirma que eleição será debatida em outro momento

Vereador tem aval de Bivar para eleições de 2020 (Foto: Blog Waldiney Passos)

Gabriel Menezes tem toda a confiança do diretório nacional e estadual do PSL para as eleições de 2020. Candidato a deputado estadual em 2018 com apoio – e apoiando – o presidente nacional do partido, Luciano Bivar, o vereador tem carta branca em Petrolina para o pleito de outubro.

LEIA TAMBÉM

De olho em Petrolina, Luciano Bivar afirma: “Nosso candidato é o Gabriel Menezes”

Semana passada Bivar participou do programa Repercutindo com Daniel Campos na Rádio Jornal Petrolina e elogiou Gabriel. “Fiquei surpreso e feliz ao mesmo tempo com a declaração do presidente nacional. A gente vai discutindo isso sem atrapalhar o andamento do nosso mandato. Estamos cuidando sim nas horas vagas de algumas filiações de pessoas que disputarão uma vaga em Petrolina”, disse o vereador na sessão dessa terça-feira (10).

Questionado sobre esconder o jogo para outubro, Gabriel disse que o momento é de organizar a casa. “Outubro está distante. Acho que a gente não pode antecipar o debate, Petrolina tem outros temas que merecem a atenção dessa Casa, a minha também. A gente está em janela cuidando de filiações. Possíveis alianças, lá na frente“,finalizou.

De olho em Petrolina, Luciano Bivar afirma: “Nosso candidato é o Gabriel Menezes”

Para Luciano Bivar, presidente nacional do PSL e deputado federal de Pernambuco, o nome do vereador Gabriel Menezes é a escolha do partido para as eleições de 2020, em Petrolina. Bivar participou do programa Repercutindo com Daniel Campos na Rádio Jornal, nessa sexta-feira (28) e falou ainda sobre as ambições da sigla no pleito de outubro.

Gabriel é nome forte do PSL (Foto: Reprodução)

“Onde nós pudermos marcar presença, nós vamos marcar. Em Petrolina o nosso candidato é o Gabriel Menezes, ele é nosso candidato a prefeito. O que nós precisamos ter no PSL no Brasil inteiro: ter uma trincheira contra o ataque contra um eventual ataque às instituições do nosso país, contra as instituições. Nosso partido é liberal“, afirmou o deputado.

Liderança com Gabriel

De acordo com o presidente do PSL, Gabriel é a escolha natural, por ser uma liderança na Oposição e também dentro no próprio partido. “O Gabriel é o presidente do diretório, ele que decide os caminhos que vai trilhar o PSL em Petrolina. Ele é um jovem político, muito bom. Nos apoiou na última eleição, não vejo como não ter outra opção, apesar do Miguel [Coelho] ser um bom prefeito, mas nós temos nosso time, nossas ideias e objetivos”, destacou.

Ex-aliado do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), Bivar foi curto e gross: “Onde a gente puder marcar nossa presença pra defender um país livre, respeitando suas instituições, nós iremos fazer”, concluiu.

Ronaldo Silva critica Oposição por só cobrar demandas ao grupo Coelho

Vereador criticou cobranças constantes da Oposição ao grupo Coelho (Foto: Blog Waldiney Passos)

Aliado do governo municipal, Ronaldo Silva (PSDB) usou seu tempo de fala na sessão de quinta-feira (6) para criticar a Oposição e a população de Petrolina que apenas faz cobranças ao grupo Coelho. Para o vereador, a chamada “força política” não se restringe a uma família e sim a todos os políticos eleitos com votos dos petrolinenses.

Antes da sessão de ontem Ronaldo participou do programa Super Manhã na Rádio Jornal e ouviu cobranças de um ouvinte, a respeito das escolas do Ensino Médio, o que motivou sua fala. “A responsabilidade da escola de segundo ano é do Governo do Estado, que não tem feito a parte dele no município de Petrolina. O povo cobra da nossa força política, para o povo de Petrolina e a Oposição a força política da nossa cidade é Fernando Bezerra, Fernando Filho, Miguel e Antônio Coelho”, afirmou.

Em seguida o edil citou vários políticos, alegando que os mesmos não atuam na região. “Os outros que são aliados do governador Paulo Mentira, aproveite os deputados que os senhores trouxeram para Petrolina para dar voto, a força política é todos que foram votados na nossa cidade, assim como o deputado Lucas Ramos, Dulcicleide Amorim, Gonzaga Patriota, Luciano Bivar e Fernando Monteiro. Pergunte quanto eles colocaram aqui?  Vão trabalhar e deixa quem trabalha, trabalhar pelo povo“, finalizou.

Fernando Bezerra inicia articulação com prefeitos do interior

Senador está trabalhando nos bastidores da política

De olho nas eleições de 2020, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) está trabalhando firme nos bastidores para conseguir novos nomes ao partido e aliados. De acordo com o colunista Magno Martins, FBC está articulando aliança com o ex-prefeito de Surubim (PE), Flávio Nóbrega.

Nóbrega hoje está no PSB, partido do governador Paulo Câmara e quer disputar o poder da cidade, hoje nas mãos de Ana Célia (PSB). Quem estaria envolvido no diálogo é o presidente estadual do MDB, Raul Henry.

Outro nome que pode unir força ao grupo dos Coelho é o de Raimundo Pimentel (PSL), atual prefeito de Araripina. Ele hoje é aliado de Luciano Bivar (PSL), mas já estuda ir para o lado do também deputado federal Fernando Filho (DEM) mirando o pleito de outubro e o apoio político.

PF indicia Bivar e mais três pessoas por esquema de laranjas no PSL de Pernambuco

(Foto: Câmara dos Deputados/Reprodução)

A Polícia Federal indiciou na sexta-feira (29) o deputado federal e presidente do PSL, Luciano Bivar (PE) e mais três mulheres, sob a suspeita de participação no esquema de laranjas no partido. Segundo PF, o quarteto teria praticado o crime de falsidade ideológica, apropriação indébita de recurso eleitoral e associação criminosa.

A pena para os crimes é de cinco, seis e três anos de cadeia, respectivamente. O esquema do “laranjal do PSL” teve início após a Folha de São Paulo revelar a prática criminosa no partido, ocorrida nas eleições de 2018. Isso também teria acontecido em Minas Gerais.

Além de Bivar, foram indiciadas as candidatas Maria de Lourdes Paixão, Érika Santos e Mariana Nunes -todas do PSL. Atualmente no Governo Federal, Marcelo Álvaro Antônio foi indiciado no mês passado. Ele é ministro do Turismo e teria comandado o esquema em MG.

Bolsonaro deve oficializar saída do PSL e novo partido já tem nome

Partido ganhou força após eleição de Bolsonaro, mas disputa interna criou racha

O namoro entre o PSL e Jair Bolsonaro deve ganhar um ponto final nessa terça-feira (12), quando o Presidente da República oficializará sua saída. Em Brasília (DF) é quase certo que hoje seja o Dia D de Bolsonaro na sigla, após um racha com o presidente nacional Luciano Bivar (PE).

A intenção de Bolsonaro é criar um novo partido e estima-se que 20 deputados federais acompanharão o presidente. Com isso, o PSL perderia o posto de segunda maior bancada na Câmara. O Presidente da República e seus filhos devem migrar para o Aliança Pelo Brasil, criado pelo clã Bolsonaro.

A mudança de partido encerra uma briga interna que dura mais de um mês. Uma reunião nessa tarde deve selar a saída de Bolsonaro do PSL e a corrida será contra o tempo, para que os deputados que acompanharem o presidente da República não percam seus mandatos, pertencentes ao partido no qual foram eleitos.

Fiéis a Bivar, parlamentares articulam medidas para enfraquecer aliados de Bolsonaro no PSL

(Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

A briga pelo poder no PSL continua. De acordo com o jornal Correio Braziliense, uma convenção extraordinária composta apenas por aliados do presidente do partido, o deputado Luciano Bivar (PSL-PE), membros da sigla tomaram uma série de medidas para tornar sem efeito as ações de deputados ligados ao presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

Na reunião, cinco dos principais articuladores da ala bolsonarista: Carla Zambelli (SP), Bibo Nunes (RS), Alê Silva (MG), Filipe Barros (PR) e Carlos Jordy (RJ) tiveram seus poderes suspensos. Dessa forma, eles perdem o direito de assinar qualquer lista ou documento em nome do partido e de falar na tribuna da Câmara.

Cerca de 40 parlamentares do PSL estavam na reunião, entre eles Zambelli que estuda a possibilidade de invalidar a reunião. Líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), argumentou que o encontro foi legal e protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Outro tema tratado no encontro foi a destituição do deputado Eduardo Bolsonaro (PSLSP) da presidência do diretório paulista do PSL, e a do senador Flávio Bolsonaro (PSLRJ) da chefia do partido no Rio de Janeiro. O clima de tensão entre Bolsonaro e o partido já dura algumas semanas e ganhou novos contornos nos últimos dias.

Apesar de racha com PSL, presidente do partido em Pernambuco espera que Bolsonaro não deixe sigla

Saída de Bolsonaro do PSL seria ruim para ambas as partes, alega presidente estadual

Marcos Amaral, presidente do PSL em Pernambuco opinou sobre o racha entre Jair Bolsonaro e o presidente nacional do partido, Luciano Bivar. Na opinião de Amaral, o partido nunca virou as costas a Bolsonaro e cabe a ele explicar a postura adotada nos últimos dias.

“Quem tem que vir a público dizer as razões, motivos e o que pretende fazer é o próprio presidente [Bolsonaro]. O nosso presidente Luciano Bivar e nós todos que acompanhamos todo processo estamos bem tranquilos, tudo que foi devidamente conversado e acertado, votamos integralmente em todos os projetos e instâncias que foram chamados os membros do PSL, todos eles deram total apoio ao Governo“, disse Amaral em entrevista ao programa Super Manhã com Waldiney Passos.

LEIA TAMBÉM:

Presidente do PSL em Pernambuco reafirma que Gabriel Menezes tem apoio do partido na candidatura a prefeito de Petrolina

Segundo o presidente do PSL-PE, uma saída de Bolsonaro seria ruim para os dois lados, visto que “o presidente precisa de um grande partido e um grande partido precisa de um grande presidente. As coisas vãos e ajustar e o que será, será. Não tem muito o que fazer. O mandato do presidente é dele”.

Contudo, ele já deixou claro que, em uma possível debandada de Bolsonaro, o PSL não deixaria de apoiar o Governo e seria aliado. “O PSL é um partido liberal e sempre funcionou assim. Apoia integramente o projeto do Governo, estaremos junto com o Governo em todas as ações“, finalizou.

Presidente do PSL em Pernambuco reafirma que Gabriel Menezes tem apoio do partido na candidatura a prefeito de Petrolina

Gabriel tem apoio do PSL para eleições em 2020, afirma Amaral (Foto: Reprodução/Facebook)

Se depender do presidente do PSL em Pernambuco, Marcos Amaral, Gabriel Menezes não sairá do partido e deve ser o candidato da sigla à Prefeitura de Petrolina em 2020. Amaral reafirmou apoio ao vereador nessa quinta-feira (10), durante uma entrevista na Rádio Jornal, no programa Super Manhã com Waldiney Passos

“Quem tem que decidir a permanência no PSL ou não é o Gabriel. Até 4 de abril ele é vereador do PSL. Não vejo a menor razão para ficar conversando isso, Gabriel é o nosso candidato prioritariamente. O PSL, por determinação do presidente Luciano Bivar, terá candidaturas nas principais cidades do Brasil, entre elas Petrolina”, destacou.

Cenário político em Petrolina

Ainda segundo Amaral, é normal Gabriel ser cortejado por outros partidos, contudo, o edil tem total apoio de Bivar e “será o nosso candidato a prefeito em Petrolina”. Dessa forma, uma aproximação do PSL com o grupo Coelho não afetaria na nomeação de Menezes.

“O próprio Luciano insiste que o Gabriel será o candidato dele. Tem quase um ano que essas especulações correm soltas em Petrolina. O Gabriel Menezes sabe que eu concordo com o nosso presidente e é praticamente impossível mudar de posição“, concluiu Amaral.

Nomeação de superintendente do Incra em Pernambuco deve sair hoje

Um dos principais articuladores da campanha do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), Luciano Bivar emplacou um aliado no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) de Pernambuco. De acordo com o jornalista Magno Martins, foi do deputado federal a indicação do novo superintendente.

O escolhido é o coronel da Polícia Militar no Estado, Marcos Campos de Albuquerque. Ele já foi ligado ao grupo do ex-governador Eduardo Campos (PSB) e nas eleições passadas coordenador no Agreste a campanha do deputado Luciano Bivar.

Bivar é o atual presidente nacional do PSL, partido de Bolsonaro. A nomeação de Albuquerque deve sair ainda nessa quarta-feira (24), no Diário Oficial da União.

Paulo Câmara não quer apoiar Bolsonaro para Presidente da República

Paulo Câmara, governador de Pernambuco. (Foto: Arquivo)

Apesar de o presidente estadual do PSL e deputado federal, Luciano Bivar, ter dito que vai pedir, ao governador Paulo Câmara, apoio para o deputado federal Jair Bolsonaro, o socialista descartou, nesta segunda-feira (15), a possibilidade de apoiar o presidenciável. Segundo ele, não há a menor possibilidade de a aliança com a sigla estar condicionada à candidatura do parlamentar. As informações são do Blog da Folha de Pernambuco.

A candidatura à Presidência da República de Bolsonaro, que foi ao Recife somente para selar a aliança com Bivar, foi anunciada no último dia 5. Filiado ao PSC, Bolsonaro havia prometido ir para o Patriota, tendo, inclusive colaborado para mudar o nome da legenda para o “PEN”, mas terminou em namoro com o PSL.

A filiação à sigla, no entanto, só será fechada durante a janela partidária, em março, para evitar que seu mandato seja cassado. E a candidatura terá o martelo batido em agosto, durante a convenção do partido. O anúncio pegou a todos de surpresa, causou um imbróglio interno no PSL e poderá ter reflexos negativos na base do governador Paulo Câmara (PSB).

“Em nenhum momento ele (Luciano Bivar) nos procurou até porque ele sabe da posição do PSB, do partido que eu represento, e dos partidos da Frente Popular. Não há essa possibilidade. Ele tem meu respeito e que vai ser sempre uma pessoa que vou conversar sempre que achar necessário. Mas não há essa opção de Bolsonaro na nossa frente política”, afirmou o governador em evento de assinatura de convênio com o Tribunal de Justiça de Pernambuco para aplicação de penas alternativas, no Palácio das Princesas.

Integrante da base do governador, o PSL articula, por meio do vice-governador Raul Henry (MDB), uma conversa com Paulo Câmara. Luciano e Raul conversaram recentemente e o peemedebista teria sugerido um novo bate-papo, desta vez com a presença do governador. De acordo com Luciano, a ideia é expor o novo panorama após o lançamento da candidatura de Bolsonaro.

Kaio Maniçoba assume Habitação e Bivar mandato na Câmara

Aliado do deputado federal Daniel Coelho, que disputou a eleição para prefeito do Recife em 2016, o empresário Luciano Bivar, que controla o PSL no Estado, assumirá o mandato de deputado federal na condição de primeiro suplente da sua coligação. O acordo foi fechado, ontem, pelo governador Paulo Câmara com o deputado Kaio Maniçoba durante encontro no Palácio das Princesas. Convidado para a Secretaria de Habitação no lugar de Bruno Lisboa, Kaio abre vaga na Câmara para Bivar, que exercerá o mandato por dez meses. O anúncio deve ser feito hoje ou amanhã.