PT de Juazeiro homologa chapa de Paulo Bomfim e Charles Leão

Prefeito buscará mais um mandato (Foto: Ascom)

O Partido dos Trabalhadores de Juazeiro (BA) homologou a chapa formada por Paulo Bomfim e Charles Leão. O encontro foi virtual, no domingo (13) e dessa forma, o atual prefeito buscará mais um mandato na cidade vizinha. A coligação “Pra Juazeiro Seguir em Frente” teve as bençãos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Governador da Bahia, Rui Costa e a atual presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman também marcaram presença na convenção. Além do PT, integram a coligação o PSD, PCdoB, DC e PSB. “Vou empenhar o meu total apoio à sua candidatura. Que a gente continue fazendo esta parceria para a Bahia e para Juazeiro“, disse Costa. Para Lula, o atual prefeito é o nome ideal. “Paulo Bomfim está preparado para fazer as mudanças que o povo precisa“, afirmou.

Candidatos destacam união

Ex-adversário e hoje aliado, Charles Leão destacou a coletividade. “Nossa caminhada é coletiva, não é um projeto individual. Não queremos vencer por vencer. Juazeiro não é troféu. Vamos vencer para podermos construir uma cidade melhor e mais feliz para todos. Nosso objetivo é melhorar cada vez mais, com a capacidade de dar oportunidade aos que nasceram e aos que escolheram viver aqui“, afirmou.

Último a falar, o prefeito se disse pronto para mais um desafio. “Junto com todos os partidos que compõem a nossa base, vou continuar defendendo o legado do PT. Tenho um time forte ao meu lado e o povo de Juazeiro vai continuar compreendendo que o nosso projeto é o da transformação e da mudança que Juazeiro precisa“, finalizou.

Opções

Além de Bomfim, Juazeiro tem Anselmo Bispo (DEM), Raffani (Republicanos), Capitão Moreira (Avante) e Pastor Teobaldo (Patriota) são alguns dos nomes já confirmados no pleito de 2020.

PF mira desvios no Sistema S e investiga advogados de políticos

Advogados viraram réus (Foto: PF/Arquivo)

A Polícia Federal (PF) cumpre 51 mandados de busca e apreensão em uma nova fase da Operação Lava Jato. “E$quema S” foi deflagrada nessa quarta-feira (9) e investiga supostos desvios no Sistema S. Entre os alvos da ação estão os advogados Cristiano Zanin, que representa o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; Ana Tereza Basílio, defensora de Wilson Witzel e Frederick Wassef, ex-advogado de Flávio Bolsonaro.

Os políticos citados não são investigados. Os mandados são cumpridos em endereços Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Alagoas, Ceará e Pernambuco. De acordo com a PF, os advogados são suspeitos de integrar o esquema que desviou R$ 355 milhões, entre 2012 e 2018, Serviço Social do Comércio (Sesc-RJ), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac-RJ) e da Federação do Comércio (Fecomércio-RJ).

Esquema envolve filhos de juristas

Dos R$ 355 milhões gastos a pretexto de advocacia, por supostos serviços a Fecomércio, pelo menos R$ 151 milhões foram desviados no esquema. Também são alvos da operação os advogados Eduardo Martins, filho do atual presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, e Tiago Cedraz, filho do ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União (TCU).

LEIA MAIS

Fake news: médico petrolinense volta a ser associado a Adélio Bispo

Mensagens alegam que o médico é irmão de Adélio Bispo

O médico ortopedista Marcos Heridjano Mauro Bezerra voltou a ser alvo de fake news. Ele atua em Petrolina e se viu novamente no meio de um turbilhão de mensagens alegando que ele é irmão de Adélio Bispo, o homem que esfaqueou Jair Bolsonaro (sem partido) na campanha de 2018.

A repercussão foi tamanha que o checador de fatos ou fakes do portal UOL fez uma matéria nessa quarta-feira (29) para desmentir o boato. Teorias conspiratórias alegam uma foto do médico ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) indicam ser a esquerda a responsável pelo atendado.

A foto que ilustra a matéria foi tirada em setembro de 2016, em um evento de apoio à candidatura de Odacy Amorim (PT) à prefeitura de Petrolina, no qual Lula participou. Segundo as mensagens falsas, isso explicaria o fato de Adélio ter atentado contra Bolsonaro na campanha passada.

Contudo, o UOL não encontrou qualquer indicativo de parentesco entre Marcos e Adélio. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, Adélio tem quatro irmãos e, como ele, nenhum deles tem o nome ou sobrenomes iguais aos de Marcos. A assessoria do ex-presidente Lula negou que o médico seja parente de Adélio.

Antes do UOL, Aos Fatos e o Estadão Verifica já haviam checado a mesma informação como falsa em outras situações em que a corrente circulou.

Bolsa Família deverá se chamar Bolsa Brasil, segundo Bolsonaro

Herança do PT, programa deve ser modificado (Foto: Ilustração)

A partir de 2020 o Bolsa Família, criado no governo do PT, deverá se chamar Bolsa Brasil. De acordo com o presidente da República, Jair Bolsonaro, já há um estudo no sentido de modificar o programa criado no mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.

“Há um estudo nesse sentido, querem mudar para Bolsa Brasil”, disse durante reunião com deputados e lideranças evangélicas. A mudança vem num momento no qual o futuro do programa é incerto, devido a questão financeira do Governo Federal.

Durante a campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro disse haver fraude em 30% do programa, sem apresentar dados para sustentar uma acusação dessa magnitude. “Tem gente que não precisa estar no Bolsa Família“, afirmou.

Participando de Congresso Nacional do PT, Cristina Costa convida Lula para visitar Petrolina

(Foto: Ascom)

Os filiados do Partido dos Trabalhadores estão reunidos para o Congresso Nacional, que acontece em São Paulo nesse final de semana. Petrolina está representada pela vereadora Cristina Costa, que aproveitou o momento para convidar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para visitar a cidade.

No evento os filiados aprovaram o estatuto do PT, debateram propostas para o país e ainda participaram do lançamento da revista “O partido que mudou o Brasil. A verdade sobre os governos do PT”. No congresso, Cristina voltou a defender a ideia de um partido mais popular.

“Uma linguagem mais acessível para que a gente possa levar a população as inverdades e as injúrias colocada pela burguesia. Tive a oportunidade de falar com Lula sobre Izabel Cristina e tem sido muito importante minha participação nesse Congresso“, disse.

“Lula Livre” no Recife contará com participação do ex-presidente

Livre há uma semana, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está rodando o Nordeste e neste domingo (17) participará do festival Lula Livre, no Pátio do Carmo, no Recife (PE). A programação é extensa e contará com apresentações culturais e atos solidários.

Artistas nacionais como Otto, Lia de Itamaracá, Johnny Hooker e o grupo Francisco El Hombre se apresentarão gratuitamente no festival. O ato já estava previsto mesmo antes da libertação de Lula, que deixou a sede da Polícia Federal em Curitiba (PR) na sexta-feira (8).

Além dos shows, os militantes e público no geral que for ao Festival Lula Livre poderá ajudar famílias que vivem da pesca artesanal. Uma tenda estará arrecadando alimentos para as pessoas que foram atingidas de alguma forma pelas manchas de óleo no litoral pernambucano.

Em passagem pelo Nordeste, Lula afirma que PT não precisa fazer autocrítica

Lula ainda virá a Pernambuco neste final de semana (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Em viagem pelo Nordeste, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que o partido não precisa fazer autocrítica, como muitos eleitores reivindicaram na eleição de 2018. Em Salvador (BA), Lula discursou para aliados e defendeu candidaturas da sigla em 2020 e 2022.

“Vocês já viram alguém pedir a Fernando Henrique Cardoso para fazer autocrítica? Pedir ao PTB, a Bolsonaro? É só o PT. Se alguém quiser que o PT faça autocrítica, faça autocrítica você”, disparou. Ainda segundo o ex-presidente que está em liberdade há uma semana, o partido deve ter candidaturas em 2020 em “toda cidade que tenha uma rádio e uma televisão”.

Sobre 2022, Lula não confirmou se estará no pleito, até porque hoje ele é inelegível com base na Lei da Ficha Limpa. “Eu posso subir a rampa levando o [Fernando] Haddad, levando os outros companheiros”, disse. (Com informações do Correio da Bahia).

Governo Federal trabalha programa para fortalecer geração de empregos

(Foto: Internet)

O Governo Federal lançará um pacote para estimular a criação de empregos no Brasil. A decisão vem após críticas feitas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está em liberdade desde sexta-feira (8). De acordo com o Correio Braziliense, a equipe do ministro Paulo Guedes (Economia) já estuda o pacote.

A intenção do Palácio do Planalto é lançar o programa Trabalho Verde Amarelo, nesta segunda-feira (11). Empresas que contratarem jovens entre 18 e 29 anos e pessoas com mais de 55 anos terão redução nos custos trabalhistas. Com isso, a meta é gerar 4 milhões de vagas até o fim do governo de Bolsonaro.

Ontem (9) Lula discursou criticando as faltas de políticas concretas para geração de emprego no atual governo. O petista falou que as ações do ministro da Economia têm estimulado a precarização do trabalho. A redução dos benefícios trabalhistas do programa Verde Amarelo seria um claro exemplo da precarização da mão de obra.

Um dos pontos do programa de Bolsonaro é a permissão de que empresas não recolherem a contribuição patronal para o Instuto Nacional do Seguro Social (INSS), de 20% sobre a folha de salário. Já o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), será de 2% ante os 8% dos atuais. O valor da multa, em caso de demissão sem justa causa, será de 20% sobre o saldo (hoje é de 40%).

Advogado se reúne com Lula e pede soltura do ex-presidente

Cristiano Zanin, advogado de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com o petista na manhã dessa sexta-feira (8) e depois do encontro, anunciou a entrada no pedido de liberdade. De acordo com Zanin, “não há nada que possa impedir soltura”.

Lula segue preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde cumpre pena há 1 ano e sete meses. O advogado disse que o foco da defesa é a nulidade de todo o processo. “Foi repleto de ilegalidades. Esperamos que a suprema corte julgue com rapidez o habeas corpus e anule todo o processo”, disse à imprensa.

LEIA TAMBÉM:

Após decisão do STF, defesa de Lula vai protocolar pedido de soltura

STF derruba validade da prisão após a segunda instância; Lula pode ser solto

Um trecho da petição apresentada pela defesa destaca que, “em razão de condenação não transitada em julgado e (ii) seu encarceramento não está fundamentado em nenhuma das hipóteses previstas no art. 312 do Código de Processo Penal, torna-se imperioso dar-se imediato cumprimento à decisão emanada da Suprema Corte”.

LEIA MAIS

Humberto Costa comenta recusa de Lula sobre semiaberto e afirma: “O tempo inteiro houve um tratamento diferenciado”

(Foto: Arquivo)

Alegando que são falsas as acusações contra ele, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que não aceitará as condições do Ministério Público Federal (MPF) e recusou ir para o regime semiaberto. Uma das principais lideranças do PT, o senador pernambucano Humberto Costa concorda com Lula.

Costa participou por telefone do programa Repercutindo, com Daniel Campos na Rádio Jornal Petrolina e afirmou que o processo contra Lula foi marcado “o tempo inteiro houve um tratamento diferenciado”, fazendo menção aos vazamentos os quais apontam que a Operação Lava-Jato foi tendenciosa contra o petista.

LEIA TAMBÉM:

Bolsonaro comenta progressão para semiaberto de Lula: “Quer ficar, fica”

Força-tarefa da Operação Lava Jato pede regime semiaberto para Lula

“Havia uma decisão da Lava-Jato de tentar de todos os meios perseguir e prender o presidente Lula. Houve um processo de perseguição política, mascarado com essas ações judiciais”, explicou o senador.

Assim como fez nas ocasiões anteriores, Costa apoiou Lula e se disse esperançoso sobre uma anulação da sentença contra o ex-presidente. “A cada dia que se passa, mostra claramente que houve uma ação parcial articulada entre o Ministério Público e o ex-juiz Sérgio Moro e motiva, em qualquer processo, a nulidade. Tenho a expectativa positiva de que o Supremo vai resgatar o papel da Justiça no Brasil, vai regular o processo todo contra Lula e ele poderá ser julgado de uma maneira correta, justa e dentro do que a Constituição prevê”, finalizou.

Informações obtidas de forma ilegal contra Moro “não necessariamente” anulam uso delas como prova, afirma Gilmar Mendes

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes afirmou hoje (11) que, mesmo se as informações obtidas pelo The Intercept Brasil tenham sido obtidas de forma ilegal, “não necessariamente” anulam o uso delas como provas.

Mendes citou o caso hipotético de um preso condenado por homicídio e que existam provas – mesmo que ilegais – sobre sua inocência, elas podem ser utilizadas na Justiça. “Não necessariamente [anula]. Porque se amanhã [uma pessoa] tiver sido alvo de uma condenação por exemplo por assassinato, e aí se descobrir por uma prova ilegal que ela não é autor do crime, se diz que em geral essa prova é válida”, disse Mendes à Folha de São Paulo.

Segundo a Folha, nos bastidores do Supremo a opinião de Gilmar é acompanhada por pelo menos outros dois dos 11 ministros na Corte. No domingo (9) quando houve a publicação da matéria do Intercept, o ministro Marco Aurélio Mello afirmou que a troca de mensagens põe em xeque a equidistância da Justiça.

“Apenas coloca em dúvida, principalmente ao olhar do leigo, a equidistância do órgão julgador, que tem ser absoluta”, destacou. Segundo o ministro, a relação entre procurador e juiz deve se dar de forma pública, nos autos do processo.

Parecer de subprocuradora geral da República é favorável a Lula cumprir o restante de sua pena em regime semiaberto

(Foto: Mauro Pimentel/AFP)

No entendimento da subprocuradora-geral da República, Aurea Maria Etelvina Nogueira Lustosa Pierre, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem direito de cumprir o restante de sua pena – oito anos, 10 meses e 20 dias – em regime semiaberto.

Pierre enviou um parecer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), em relação à condenação do caso triplex. No texto, o MPF também se posicionou favoravelmente à redução da multa de R$ 16 milhões para R$ 2,4 milhões, definida em abril, referente ao processo do tríplex de Guarujá (SP).

“Assim, data maxima venia, pela complementação do Julgado, para que – após procedida Detração (no âmbito do STJ), seja fixado o regime Semiaberto para o cumprimento da pena, ou determinado ao Juízo de 1º grau (das Execuções) a aplicação do CP-art. 42 (LEP- art. 66, III, c)”, escreveu.

LEIA MAIS

Falta de políticas ao Nordeste pode afetar desempenho do PSL nas eleições de 2020

(Foto: Internet)

Durante a campanha de 2018 o atual presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi derrotado no Nordeste, região onde o lulismo é muito forte. E para o cientista político Adriano Oliveira, a decisão de não priorizar o Nordeste nas políticas do Governo Federal pode ser considerada um erro.

Até o momento, o presidente Bolsonaro não veio à região na qual têm índices preocupantes de avaliação, mas já confirmou uma visita a Pernambuco em maio. Segundo recente pesquisa Datafolha realizada no início do mês de abril, 39% dos eleitores nordestinos reprovam o governo Bolsonaro.

Outros 24% o aprovam. Já 68% afirmam que ele fez menos pelo país do que esperavam e 61% consideram que ele trabalha pouco. Ainda de acordo com a pesquisa, 68% afirmam que ele respeita mais os ricos ao eleitor pobre.

Como em 2020 há eleições municipais, o resultado das urnas pode representar um enfraquecimento de Bolsonaro e o fortalecimento do lulismo, novamente polarizando o debate entre esquerda e direita como PSL e PT. (Com informações do JC Online).

Lula completa um ano preso na Operação Lava-Jato, apoiadores fazem atos em todo país

Ex-presidente foi condenado a 12 anos e 11 meses de prisão (Foto: Folha de São Paulo/Reprodução)

A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) completa um ano nesse domingo (7). Desde 2018, quando foi condenado a 12 anos e 11 meses de prisão na Operação Lava-Jato, Lula ocupa uma cela improvisada na sede da Polícia Federal (PF) de Curitiba (PR).

Com direito a solicitar prisão domiciliar, segundo o jornal Folha de São Paulo, Lula se nega a mostrar-se submisso e mantém o discurso de perseguição política. Aliados e seguidores do Partido dos Trabalhadores realizam nesse domingo atos do ‘Lula Livre’ em todo país.

Em Petrolina a programação iniciada às 7h consiste em panfletagem e gravação de vídeos, com mensagens ao ex-presidente. Durante a semana os apoiadores de Lula darão prosseguimento com mais panfletagem e um ato público na quarta-feira (10), às 18h na Praça 21 de Setembro, Centro de Petrolina.

Relembre o caso de Lula

Lula foi condenado a prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no famoso caso do tríplex do Guarujá. Dois anos antes de ir para a cadeia da Lava Jato, Lula foi conduzido coercitivamente pela Operação Aletheia ao Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

LEIA MAIS

Lula poderá ir para prisão domiciliar em abril

(Foto: Ricardo Stuckert)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá ser enviado para prisão domiciliar em abril. No próximo mês ele completará um ano detido, cumprindo a condenação de 12 anos e um mês imposta na Operação Lava-Jato. Os ministros da 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) vão analisar um recurso apresentado pela defesa, que tem força para provocar redução na pena.

Lula poderá ser beneficiado o próximo dia 10, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) vota de forma definitiva a constitucionalidade da prisão a partir de segunda instância. Caso o recurso no STJ tenha uma definição antes da sessão do Supremo que pode revisar o entendimento sobre o momento permitido para o início do cumprimento da pena, o resultado na Corte não surtirá efeito para o caso de Lula.

Com isso, o petista não poderá ser beneficiado por eventual declaração de inconstitucionalidade da chamada antecipação de pena. No entanto, caso os ministros do STJ decidam anular parte das provas ou depoimentos, como pede a defesa, a chamada dosimetria da pena do ex-presidente poderá ser reduzida.

No entanto, Lula poderá se beneficiar do trecho da legislação que possibilita a redução de regime quando o condenado cumpre um sexto da pena na qual foi condenado. Existe uma pressão sobre os ministros do STJ, nos bastidores do Judiciário, para que o tribunal reduza a chancela automática de processos da Lava-Jato. Com informações do Correio Braziliense.

123