Bolsonaro confirma indicação de Milton Ribeiro para o MEC

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou a indicação de Milton Ribeiro para assumir o Ministério da Educação (MEC). A informação foi compartilhada pelo chefe de Estado, no final da tarde desta sexta-feira (10), pelo seu Facebook oficial.

A nomeação, inclusive, já foi publicada no diário oficial da União, numa edição extra.

Na publicação, Bolsonaro detalhou itens do currículo de Ribeiro, que é graduado em Teologia, formado e mestre em Direito, é doutor em Educação, pela Universidade de São Paulo (USP).

Renato Feder rejeita convite para assumir Ministério da Educação

(Foto: Divulgação)

O secretário de Educação e Esporte do Paraná, Renato Feder, anunciou neste domingo (5) que rejeitou o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Educação. No Facebook, ele anunciou que o convite foi feito pelo presidente na última quinta-feira (2), mas que resolveu não aceitar.

“Recebi na noite da última quinta-feira uma ligação do presidente Jair Bolsonaro me convidando para ser ministro da Educação. Fiquei muito honrado com o convite, que coroa o bom trabalho feito por 90 mil profissionais da Educação do Paraná. Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro, por quem tenho grande apreço, mas declino do convite recebido. Sigo com o projeto no Paraná, desejo sorte ao presidente e uma boa gestão no Ministério da Educação”, escreveu.

Secretário de Educação no Paraná, Feder já havia sido cotado desde a saída de Abraham Weintraub. No entanto, ele acabou sendo preterido, e o comando foi entregue a Carlos Alberto Decotelli.

Enem 2020: enquete para definir datas dos exame terminam na terça-feira

(Foto: Dvulgação)

Os estudantes têm até terça-feira (30) para votar na consulta sobre a nova data do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020. A enquete está disponível no site do Exame e busca chegar a um consenso sobre o calendário, modificado por conta da pandemia do novo coronavírus.

O candidato que optou pelo exame impresso poderá votar em uma das três opções: 6 e 13/12 desse ano; 10 e 17/01/21 ou 2 e 9/05/21. Os da prova digital devem escolher entre 10 e 17/01/21; 24 e 31/01/21; ou 16 e 23/05/21.

A votação foi iniciada dia 20 desse mês. Para contribuir é simples. Basta acessar o link Enem 2020 e clicar no banner da enquete. Com base nos dados coletados o Ministério da Educação (MEC) divulgará o cronograma do exame desse ano.

Assessor no MEC, Sérgio Sant’Ana ganha força para ser sucessor de Weintraub

(Foto: Divulgação)

Assessor especial de Abraham Weintraub no Ministério da Educação (MEC), Sérgio Sant’Ana ganhou força para ser alçado como ministro da pasta. Segundo o jornal O Globo, interlocutores indicam que ele se tornou o favorito de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

De acordo com a reportagem, o intuito é escolher alguém que se comprometa a não ser candidato em 2022 e que também não ofusque a imagem do presidente da República.

O nome de Sant’Ana ganhou força no MEC por ser leal a Bolsonaro e ser um quadro que já está no MEC. Além disso, a falta de “manchas” na sua ficha seria um ponto positivo.

No entanto, o que pode pesar para o postulado é a falta da experiência, conforme apontado um integrante do Palácio do Planalto ligado a Bolsonaro. O assessor é próximo de outro cotado ao cargo: o atual secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim, que é considerado “o oposto de Weintraub”.

O cenário defendido hoje no Planalto é que o próximo escolhido para o cargo seja uma pessoa “zen”. Nas redes sociais, contudo, Sant’Ana segue a cartilha bolsonarista de ataques à esquerda e à imprensa.

Governo confirma exoneração de Weintraub após irmão noticiar chegada do ex-ministro aos EUA

STF havia pedido apreensão do passaporte do ex-ministro (Foto: Internet)

Exoneração de Weintraub

Arthur Weintraub anunciou na manhã desse sábado (20) que seu irmão, o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub chegou a Miami, nos Estados Unidos. O fato levantou a curiosidade da imprensa nacional, já que havia um pedido protocolado no Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando apreensão do passaporte de Abraham.

“Obrigado a todos pelas orações e apoio. Meu irmão está nos EUA“, escreveu Arthur – que é assessor da Presidência da República – em seu Twitter.

Exoneração saiu hoje

A saída de Abraham do Governo Federal foi anunciada nessa semana por Jair Bolsonaro (sem partido) e oficializada apenas hoje pouco antes de 12h. Por ser ministro ele tem um passaporte diplomático, o que facilita seu acesso a outros países, mesmo com as restrições da pandemia. O ex-ministro é um dos alvos do inquérito do STF que apura a disseminação de fake news.

Ontem ele havia dito que buscaria sair do Brasil o “mais rápido possível” alegando ameaças de morte. O pedido de apreensão do passaporte partiu do senador Fabiano Contarato (REDE-ES) protocolado na noite de ontem, ao ministro do STF, Alexandre de Moraes.

Apesar de abstenção de Cancão, vereadores aprovam Requerimento de Cícero Freire propondo gratuidade da FACAPE

(Foto: Ascom)

Cícero Freire (Republicanos) apresentou o Requerimento nº 119/2020, no qual solicitou a transformação da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (FACAPE) se torne gratuita. O edil endereçou seu pedido ao senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) e ao deputado federal Fernando Filho (DEM).

Para Cícero eles podem intervir junto ao Ministério da Educação (MEC) para criar a “FACAPE Gratuita para Todos”. “Eles podem dar as mãos e com certeza abrir as portas do Ministério da Educação e fazer com que as famílias que fazem esforços para pagar os estudos dos seus filhos, esse pessoal vai ficar muito feliz com a ação”, justificou Cícero.

Debate e abstenção

O pedido foi aprovado por 20 votos a zero e uma abstenção do vereador Ronaldo Cancão (DEM). “A Facape tem 40 anos, é uma instituição privada. O vereador tem a intenção boa, tem lutado pelo objetivo, mas ela é uma autarquia. É público-privado, mas vou me abster. Ele vai colocar [os políticos citados] em calça-justa”, disse.

Cícero rebateu e alegou ter ciência de que a instituição é privada. Segundo ele, a Prefeitura pode rever com ajuda do deputado e senador. A reivindicação agora segue para análise dos citados os quais poderão apoiar ou não o pedido de Cícero.

Prazo de inscrição no Enem é prorrogado

(Foto: Dvulgação)

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou a prorrogação do prazo de inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 para a próxima quarta-feira (27). Pelo calendário inicial, as data limite para os estudantes se inscreverem era hoje (22). As inscrições começaram no último dia 11 e podem ser feitas por meio da página do Enem na internet.

De acordo com Weintraub, mais de cinco milhões de estudantes já se inscreveram para a prova até a manhã desta sexta-feira (22). “Como já anunciei, os candidatos inscritos serão ouvidos, em junho, pela Página do Participante, do Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira]. Eles, os interessados, vão escolher quando fazer a prova”, explicou o ministro, em outra publicação no Twitter.

LEIA MAIS

Inep anuncia que Enem 2020 será adiado em até 60 dias

(Foto: Reprodução/Internet)

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) anunciou, nesta quarta-feira (20), que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020 será adiado. De acordo com o órgão, que é responsável pela aplicação da prova, o exame acontecerá entre 30 e 60 dias depois das datas originais. A prova impressa aconteceria entre os dias em 1º e 8 de novembro e as digitais eram previstas para os dias 22 e 29 de novembro.

A decisão acontece menos de 24 horas depois do Senado aprovar o adiamento do Enem 2020. O ministro da Educação, Abraham Weintraub, se mostrou contrário à medida, mas, nos últimos dias, admitiu a possibilidade e disse que consultaria a sociedade.

“O MEC fará uma consulta, na última semana de junho, a todos os inscritos, através da ‘Página do Participante’, do Inep. Vamos manter a data? Adiar por 30 dias? Suspender até o fim da pandemia? O governo Jair Bolsonaro quer saber a opinião dos brasileiros! Democracia é isso!”, escreveu o ministro, também nesta terça-feira (19).

Leia, na íntegra, a nota divulgada pelo Inep:

Atento às demandas da sociedade e às manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) decidiram pelo adiamento da aplicação dos exames nas versões impressa e digital. As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais.

Para tanto, o Inep promoverá uma enquete direcionada aos inscritos do Enem 2020, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante. As inscrições para o exame seguem abertas até as 23h59 desta sexta-feira, 22 de maio.

Para APLB manutenção de datas do ENEM prejudica estudantes da rede pública

Contrária à decisão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de manter as datas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem),  apesar da pandemia do novo coronavírus, a APLB-Sindicato como representante dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia defende o adiamento das provas e a discussão de novas datas.

Para o professor Rui Oliveira, coordenador-geral da entidade, a manutenção da data das provas só amplia as desigualdades e prejudica os estudantes da rede pública. “É necessário que o ministro da Educação seja sensível ao momento da Pandemia. Inclusive, para muitos estudantes da rede pública, o acesso à internet é uma realidade muito distante. E com a necessidade do isolamento social essa dificuldade é ampliada. Cabe ao ministro ter um mínimo de bom senso e alterar as datas. Os estudantes necessitam de mais tempo. Como se preparar se as aulas presenciais estão suspensas? É um absurdo a indiferença do então ministro ao declarar que ‘o ENEM não foi feito para corrigir injustiças’. Exigimos respeito e mais lucidez”, pontua  Rui.

LEIA MAIS

Enem digital será aplicado em 22 e 29 de novembro

Prova digital foi adiada, mas versão impressa não (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 na versão digital será aplicado nos dias 22 e 29 de novembro. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação das provas anunciou as novas datas nessa semana.

Inicialmente o Enem digital seria aplicado em outubro. Com o adiamento o Inep também definiu novas cidades para aplicação dessa versão, alcançando também o Distrito Federal. A estrutura, ressalta o órgão, será a mesma da versão impressa.

Enem tradicional

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus o Enem tradicional, com versão impressa, está mantido para 1º e 8 de novembro. As inscrições começam no dia 11 de maio e seguem até 22 do mesmo mês. A taxa de inscrição em 2020 foi mantida em R$ 85.

Vencedor na eleição da Univasf, Telio Leite afirma que reitor temporário não tem respaldo da comunidade acadêmica

Votação interna foi colocada em segundo plano pelo MEC (Foto: Arquivo)

A nomeação de um reitor pro tempore à Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) é mais um capítulo na escolha da nova autoridade da instituição. Vencedor no processo eleitoral, o professor Telio Nobre Leite foi entrevistado no programa Super Manhã com Waldiney Passos nessa sexta-feira (17) e voltou a defender a validade da seleção interna.

LEIA TAMBÉM

DCE da Univasf critica intervenção do MEC e faz abaixo-assinado contra reitor pro tempore

UNIVASF sofre intervenção do MEC em sua reitoria

“Foi um processo bastante democrático, ganhamos tanto na consulta da comunidade e dos professores. A questão foi que, quando se encerrou o processo no Conselho Universitário, uma das chapas que perdeu inconformados com o resultado desfavorável entraram na justiça“, afirmou à Rádio Jornal Petrolina.

LEIA MAIS

MP da carteirinha estudantil digital perde validade neste final de semana

O Ministério da Educação (MEC) gastou R$ 2.996.632,71 na campanha publicitária para a implementação do ID estudantil. A informação foi divulgada no Metrópoles. Mesmo com as inserções no rádio e TV, a carteirinha de estudante digital não teve apoio dos parlamentares e caducou no Congresso Nacional.

Criada por Medida Provisória, a carteirinha perde a validade oficialmente nesse domingo (16). Dessa forma, o governo não poderá mais emitir as identidades. A reportagem teve acesso aos dados via Lei de Acesso à Informação (LAI). Em nota, o MEC informou que a exibição foi distribuída “homogeneamente ao longo da programação, durante o período da campanha”.

As propagandas foram transmitidas em três blocos: o primeiro de 25 de novembro de 2019 a 8 de dezembro de 2019; o segundo de 20 de dezembro de 2019 a 14 de janeiro de 2020; e 4 de fevereiro a 16 de fevereiro deste ano. No balanço do próprio Ministério, foram emitidas 295.283 carteirinhas, custando aos cofres públicos R$ 44.292,45, além do valor gasto na divulgação. Porém, nem tudo está perdido. Ideia do ministro Abraham Weintraub, a carteirinha pode chegar ao Congresso mediante projeto de lei.

Após queixas de estudantes, Justiça de SP determina suspensão do Sisu

Estudantes vêm se queixando do Enem ao longo da semana (Foto: Ilustração)

Depois de uma semana marcada por queixas de estudantes sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), uma decisão liminar da Justiça de São Paulo determinou a suspensão do processo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), assim que as inscrições forem encerradas neste domingo (26).

Ou seja, os resultados não poderão ser divulgados na terça-feira (28). A Justiça ainda exige do Governo Federal a comprovação na correção das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. A decisão tem caráter liminar, obtida em uma ação movida pela Defensoria Pública da União (DPU).

Antes o Ministério Público Federal (MPF) havia solicitado a suspensão do Sisu e também dos calendários do Programa Universidade para Todos (Prouni) e do Financiamento Estudantil (Fies), já que dependem diretamente das notas do Enem.

O problema, segundo o Ministério da Educação (MEC) atingiu 5.974 participantes. A ação solicita medida de urgência diante dos danos irreversíveis que podem ser causados aos estudantes. A única solução apresentada pelo Inep nos últimos dias foi prorrogar as inscrições no Sisu.

MEC libera mais de R$ 1 bilhão a universidades do Brasil

(Foto: Internet)

O Ministério da Educação (MEC) liberou hoje (18) verbas às universidades federais do país. O dinheiro estava sendo contingenciado desde o primeiro semestre. De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, o contingenciamento não chegou a prejudicar nenhuma das ações da pasta.

“Foi feita uma boa gestão. Administramos a crise na boca do caixa. Vamos terminar o ano com tudo rodando bem”, disse em coletiva de imprensa. Estão sendo liberados R$ 1,1 bilhão dos R$ 19,6 bilhões que já estavam previstos para as despesas discricionárias do MEC.

Aqui na região, a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) deve ser beneficiada com o recurso. Desde o anúncio do MEC a instituição precisou reduzir o número de terceirizados, gastos com energia, limpeza e até mesmo alimentação no Restaurante Universitário.

MEC anuncia plano para educação e estima implantar mais de 100 escolas cívico-militares

O Ministério da Educação (MEC) pretende implementar 108 escolas cívico-militares até 2023. O anúncio foi feito nessa quinta-feira (11), durante um evento do ministro Abraham Weintraub em Brasília. Ele apresentou o Compromisso Nacional Pela Educação Básica, onde determinou metas para os próximos anos.

O documento reúne ações que devem ser implementadas até o final da gestão de Jair Bolsonaro (PSL). Além das escolas militares, pretende-se dar celeridade à conclusão de mais de 4 mil creches até 2022; conectar 6,5 mil escolas rurais por meio de satélite em banda larga em todos os estados; e ofertar cursos de ensino a distância para melhorar a formação de professores, até 2020, entre outras ações.

O documento foi elaborado pelo MEC em conjunto com estados e municípios representados pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). As ações são voltadas para a educação básica, englobando o ensino infantil ao médio.

De acordo com Weintraub, o plano busca dar mais protagonismo aos estados e municípios. Com isso, até 2030 o Brasil deve ser referência na educação em toda América Latina. (Com informações da Agência Brasil).

123