Ministro da Saúde visita Petrolina, anuncia serviços e habilitação do Hospital Dom Tomás

Solenidade aconteceu no prédio da unidade oncológica, no bairro Gercino Coelho (Foto: Thamires Santos/Rádio Jornal)

Atual ministro da Saúde, Gilberto Occhi visitou Petrolina na manhã dessa quinta-feira (22) e cumpriu uma intensa agenda ao lado do prefeito Miguel Coelho. A vinda de Occhi ao município acontece um dia após o anúncio de que ele não ficará no cargo no governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Occhi esteve no município para anunciar uma série de serviços na saúde, entre eles o credenciamento de um novo Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), no bairro Vila Mocó e quatro leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Hospital Dom Tomás, além da habilitação da unidade como hospital.

Representando o Governo do Estado, o secretário Estadual de Saúde, José Iran da Costa Júnior elogiou o trabalho desempenhado pelo ministro. “Estou como secretário há 3 anos e 11 meses e passei por vários ministros e Pernambuco com o senhor recebeu uma atenção especial”, afirmou.

LEIA MAIS

Petrolina: Miguel Coelho e ministro da Saúde assinam ordem de serviço para novo Centro de Especialidades Odontológicas

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Nesta terça-feira (20), o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, visita Petrolina (PE), para anunciar investimentos na cidade sertaneja. A agenda será no Hospital Dom Tomás, às 9h, para autorizar a liberação de quatro novos leitos para a unidade de tratamento médico. No mesmo local, em seguida, o ministro e o prefeito Miguel Coelho assinam a ordem de serviço para a instalação de um Centro de Especialidades Odontológicas (CEO).

A nova unidade de atendimento odontológico funcionará na AME Amália Granja, no bairro da Vila Mocó. O equipamento terá sete consultórios para atendimento à população, semelhantes aos que funcionam no CEO, no Centro de Petrolina. A expectativa é de que, no primeiro trimestre do próximo ano, os novos consultórios sejam inaugurados.

Além do anúncio de investimentos, o ministro Gilberto Occhi e o prefeito farão uma visita ao canteiro de obras da casa de partos. O equipamento localizado em frente ao Hospital Universitário será readequado para atender grávidas de Petrolina e deve entrar em funcionamento a partir de 2019.

Petrolina recebe investimento de R$ 7,7 milhões do ministério da saúde

Ministro da Saúde Ricardo Barros (Foto: Arquivo)

O ministro da Saúde, Ricardo Barros visita Petrolina amanhã (8) para anunciar o investimento de R$ 7,7 milhões, em melhorias para a saúde pública do município. O anuncio será feito na sede do Samu, no bairro Cohab Massangano.

Entre as novidades que serão divulgadas durante o ato oficial, estão a construção de um laboratório municipal e de um centro de diagnóstico público em Petrolina. Os investimentos ainda serão empregados para custear os equipamentos municipais da atenção básica e compra de ambulâncias para ampliar o atendimento médico na cidade sertaneja.

“É um aporte financeiro de grande importância para Petrolina viabilizado pelas emendas do senador Fernando Bezerra e do deputado Fernando Filho. Com esses recursos poderemos melhorar a saúde municipal e por consequência a qualidade de vida dos petrolinenses”, explica o prefeito Miguel Coelho.

Petrolina recebe investimento de R$ 5 milhões do Ministério da Saúde

O pacote de investimentos é proveniente de 14 emendas do senador FBC e dos deputados Fernando Filho, Adalberto Cavalcanti e João Fernando Coutinho. (Foto: Divulgação)

Em reunião com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta segunda-feira (27) o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho conseguiu um investimento de R$ 5 milhões para a saúde do município.

O encontro contou com a participação do ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, e o senador Fernando Bezerra. A iniciativa será investida na construção de três unidades básicas de Saúde (UBS) e da Academia, além da reforma e ampliação de policlínica, unidades de Atendimento Médico Especializado (AME) e no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). O pacote de investimentos ainda prevê recursos para compra de equipamentos para outras estruturas da rede municipal.

“São investimentos de grande importância para ampliar e melhorar o atendimento médico em Petrolina. Com essa previsão de receber os recursos em dezembro, nossa ideia é já iniciar as primeiras obras no início do próximo ano”, adianta Miguel Coelho.

Segundo o prefeito, foi dada a garantia pelo ministro Ricardo Barros de pagar a primeira parcela desses R$ 5 milhões já em dezembro. O restante dos recursos será liberado gradualmente em 2018.

O pacote de investimentos é proveniente de 14 emendas parlamentares do senador Fernando Bezerra e dos deputados federais Fernando Filho, Adalberto Cavalcanti e João Fernando Coutinho.

“Esse apoio político é decisivo para atrair grandes investimentos. Estamos atuando em várias frentes ao lado de deputados, senadores e a iniciativa privada, pois acreditamos que a solução para os grandes desafios de uma cidade como Petrolina necessita de engajamento de toda a sociedade e não apenas da Prefeitura”, defende o prefeito.

Para ministro da Saúde, pacientes imaginam doenças

Brasília - O ministro da Saúde, Ricardo Barros, concede sua primeira entrevista coletiva à imprensa sobre assuntos relacionados à pasta (Wilson Dias/Agência Brasil)

Barros disse que a população costuma associar uma boa consulta à solicitação de exames e defendeu que os médicos ajudem a mudar esse pensamento. (Wilson Dias/Agência Brasil)

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse na sexta-feira (15) que a maioria dos pacientes que procuram atendimento em unidades de atenção básica da rede pública apenas “imagina” estar doente, mas não está. De acordo com o ministro, é “cultura do brasileiro” só achar que foi bem atendido quando passa por exames ou recebe prescrição de medicamentos, e esse suposto “hábito” estaria levando a gastos desnecessários no SUS (Sistema Único de Saúde). Entidades médicas criticaram a fala de Barros.

“A maioria das pessoas chega ao posto de saúde ou ao atendimento primário com efeitos psicossomáticos. Por que 50% dos exames laboratoriais não são retirados pelos interessados? Por que 80% dão resultado normal? Porque foram pedidos sem necessidade”, disse o ministro, na manhã de ontem, em evento na sede da AMB (Associação Médica Brasileira), em São Paulo.

LEIA MAIS

Tamanho do SUS precisa ser revisto, diz novo ministro da Saúde

Ricardo Barros ministro

O ministro afirma que não há capacidade financeira suficiente que permita suprir todas as garantias constitucionais

O novo ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP­PR), disse nesta segunda (16) que, em algum momento, o país não conseguirá mais sustentar os direitos que a Constituição garante –como o acesso universal à saúde– e que será preciso repensá-los.

“Vamos ter que repactuar, como aconteceu na Grécia, que cortou as aposentadorias, e em outros países que tiveram que repactuar as obrigações do Estado porque ele não tinha mais capacidade de sustentá­las”, afirmou em entrevista.

Segundo ele, que foi relator do Orçamento de 2016 na Câmara, não há capacidade financeira suficiente que permita suprir todas as garantias constitucionais. “Temos que chegar ao ponto do equilíbrio entre o que o Estado tem condições de suprir e o que o cidadão tem direito de receber.”

Com informações de Folha de São Paulo

Ministro Marcelo Castro será o sexto a deixar o governo

marcelo castro

Constará no Diário Oficial desta quinta-feira (28), o pedido de demissão do ministro da Saúde, Marcelo Castro (PMDB/PI)

Segundo a assessoria do Ministério da Saúde, Marcelo Castro (PMDB/PI), pedirá demissão da pasta ainda hoje, após ter perdido o apoio da bancada na câmara para permanecer no cargo. Castro é um ministros  remanescentes do PMDB no governo Dilma (PT) juntamente com Kátia Abreu, que optou por permanecer à frente do ministério da Agricultura.

O ministro teria optado por se desligar do cargo deste a semana passada, mas somente ontem decidiu conversar com o Chefe de Gabinete da presidência, Jaques Wagner (PT/BA),  informando que deixaria o governo, considerando que a maioria da bancada peemidebista se colocou favorável ao impeachment na votação que teve na Câmara

O líder do PMDB da Câmara, Leonardo Picciani (RJ), afirmou ter recomendado Marcelo Castro a deixar o ministério, frente à posição de grande maioria da bancada do partido em defesa ao impeachment da petista. Segundo ele, a demissão deve ser publicada no “Diário Oficial da União” nesta quinta-feira (28).