Caso Henry Borel: advogada de Jairinho teria ameaçado Monique

Foto: Redes Sociais

Flávia Fróes, uma das advogadas de defesa de Jairinho, ex-vereador do Rio de Janeiro, teria visitado Monique Medeiros e ameaçado a mãe do garoto Henry Borel. O menino era filho de Monique e morreu após, segundo as investigações, sofrer diversas agressões praticadas por Jairinho.

LEIA TAMBÉM

Caso Henry Borel: Dr. Jairinho é preso preventivamente no RJ

Conforme apuração da revista Veja, Flávia Froés faz uma espécie de defesa informal do parlamentar cassado. Ela mantém proximidade com o coronel Jairo, deputado estadual e pai de Jairinho. E como defensora do réu, foi visitar Monique no conjunto penal.

LEIA MAIS

Advogado deixa defesa de Dr. Jairinho, preso acusado de matar o enteado

(Foto: Tânia Rego/Agência Brasil)

O advogado André França Barreto anunciou nesta quarta-feira (14) que deixou a defesa do vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, e de sua namorada Monique Medeiros, presos sob suspeita da morte do menino Henry Borel, de 4 anos.

Na segunda-feira (12), Monique, mãe da criança, já havia trocado sua defesa. Passou a representá-la o advogado Thiago Minagé, que disse que a única estratégia será “atuar com a verdade” e que chegou a hora de sua cliente ser ouvida.

LEIA TAMBÉM

STF mantém julgamento sobre Lula em plenário e deixa decisão para esta quinta-feira

Plenário do STF mantém decisão que determina instalação da CPI da Covid-19 no Senado

LEIA MAIS

Babá teria contado à mãe de Henry que Dr. Jairinho torturava o menino

Dr. Jairinho e Monique foram presos nesta quinta-feira. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Uma reportagem exibida na tarde desta quinta-feira (8), pela TV Globo, mostrou que a mãe do menino Henry Borel, sabia que o namorado Dr. Jairinho, espancava a criança. As informações divulgadas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, é baseada em uma troca de mensagens entre Monique Medeiros da Costa Silva de Almeida, mãe de Henry, e Thayná de Oliveira Ferreira, babá da criança.

O babá descreve em tempo real a suposta sessão de tortura praticada pelo padrasto, o vereador Dr. Jairinho, preso hoje de manhã e também já foi afastado do Partido Solidariedade), em 12 de fevereiro.

LEIA TAMBÉM

Caso Henry Borel: Dr. Jairinho é preso preventivamente no RJ

LEIA MAIS