Empresário que realiza o passeio “Vapor do Vinho” emite nota sobre naufrágio de embarcações nesta terça-feira

(Foto: WhatsApp)

As embarcações Rio dos Currais e Velho Chico, que realizam o passeio enoturístico chamado de “Vapor do Vinho”, pelas águas do Rio São Francisco, afundaram nesta terça-feira (23), no Lago de Sobradinho.

As embarcações estavam ancoradas no paredão da Barragem quando o acidente aconteceu e não havia ninguém a bordo.

Segundo o empresário Luiz Rogério Rocha Pereira, proprietário das barcas, a Marinha já está no local e vai investigar o que de fato aconteceu.

“Até ontem não havia nada de errado com as embarcações e por isso temos total interesse em saber se esse acidente foi criminoso, se houve ou não uma sabotagem”, disse Luiz Rogério.

Ele disse também que realiza o roteiro na região do Vale do São Francisco há sete anos e que o fato nunca havia acontecido. Luiz Rogério enviou nota à imprensa tranquilizando a população e lamentando o fato.

Veja à íntegra da nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Empresa Vapor do Vinho vem a público esclarecer sobre o acontecido hoje dia 23/01/2018 ás 09h40min com as duas embarcações que fazem o roteiro enoturístico, e que estavam atracadas no canal de eclusagem, no lago de Sobradinho.

As duas embarcações submergiram dentro da barragem – Ainda não se sabe tecnicamente sobre o motivo do afundamento, sendo que ambas navegavam com todo o aparato necessário e seguro, exigida pela Marinha do Brasil e pela Capitania dos Portos.

As barcas vão ser retiradas de dentro do lago, onde estão a oito metros de profundidade, para que sejam feitas toda a perícia, no sentido de apontar as causas deste sinistro.

Entretanto, vale ressaltar que as embarcações  não apresentavam nenhuma complicação e no momento do acontecido, ambas estavam desguarnecidas, não havendo nenhuma vigilância, pois no dia anterior, onde foi realizado o ultimo passeio no domingo, a tripulação se encontrava em terra considerando o fato que tudo transcorria na mais normal tranquilidade dos últimos seis anos de navegação.

Viemos também através dessa, informar que o passeio enoturístico continuará acontecendo, inclusive neste fim de semana, e será realizado pela barca Nina conforme o roteiro.  Sendo que o passeio fluvial será voltado para a Ilha do Maroto em Juazeiro e não mais para a Ilha da Fantasia, em Sobradinho.

E sempre assim e primando pela segurança dos nossos visitantes, nos colocamos à disposição de todos para quaisquer esclarecimentos.

Departamento de Comunicação e Marketing Vapor do Vinho.

Sobreviventes de naufrágio conseguem nadar até Olinda

(Foto: WhatsApp)

Seis tripulantes de um barco de carga que naufragou durante trajeto do Recife até Fernando de Noronha, foram socorridos na madrugada desta quarta-feira. Os homens, de 56 e 40 anos, conseguiram nadar cerca de 13 quilômetros por cerca de cinco horas até a praia de Casa Caiada, em Olinda, Região Metropolitana do Recife (RMR).

Por volta da 1h40, o Corpo de Bombeiros fez o resgate das vítimas, que sofreram escoriações e foram levadas pela equipe de resgate para o Hospital Naval do Recife, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife.

Entre os sobreviventes está o cozinheiro João Leite de Lima de Brasília Teimosa, Zona Sul do Recife. Segundo ele, seis tripulantes estavam no barco quando ventava forte e, em cinco minutos, o mar cobriu toda a popa da embarcação, que ficou sem energia. Com coletes e boias circulares, os tripulantes conseguiram chegar até a costa.

LEIA MAIS

Naufrágio em Roraima deixa quatro mortos e é o terceiro no país em quatro dias

(Foto: Internet)

Quatro crianças e adolescentes morreram após uma canoa virar nesse sábado (26) em um braço do Rio Água Boa, a 40 quilômetros do município de Caracaraí, no sul de Roraima.

A canoa transportava dez pessoas: três adultos e sete crianças e adolescentes, entre 4 e 14 anos de idade. A família pescava no momento do acidente. Esse é o terceiro grande naufrágio no país em quatro dias.

O Corpo de Bombeiros de Roraima localizou neste domingo (27) os corpos de três crianças e adolescentes. Uma menina de 12 anos foi socorrida no momento do naufrágio, mas não resistiu.

LEIA MAIS

Mar Grande: Marinha revisa número de mortos em naufrágio para 18

O número de mortos foi revisado pela Marinha do Brasil

A quantidade de pessoas mortas durante o naufrágio de uma lancha na travessia Mar Grande-Salvador,ocorrida na manhã desta quinta-feira (24), caiu para 18. A informação foi divulgada pelo comandante do 2º Distrito Naval, Flávio Almeida. Inicialmente, acreditava-se em 23 mortos.

Mais cedo, a Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab) também divulgou um novo número, sobre os passageiros que estavam a bordo no momento do acidente. Primeiramente foi informado que 133 pessoas, incluindo quatro tripulantes, estavam na embarcação. Depois foi divulgado que, na verdade, 120 passageiros estavam na lancha, que suportava 160 passageiros, um número maior do que a quantidade que estava a bordo.

A embarcação saiu às 6h30 do Terminal de Vera Cruz, na ilha de Mar Grande, em direção à Salvador; 10 minutos depois, o acidente aconteceu. 89 pessoas foram resgatadas, sendo que 70 foram levadas à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Mar Grande, 15 para o Hospital Geral de Itaparica, enquanto quatro vítimas estão na capital baiana, distribuídas entre os hospitais do Subúrbio e Geral do Estado (HGE).

Marinha e Polícia Civil vão investigar causas de naufrágio em Salvador

No meio da tarde, em nova contagem, o número de mortes foi reduzido para 18. (Foto: Agência Brasil)

O trabalho de buscas por desparecidos do naufrágio da manhã de hoje (24) na Baía de Todos-os-Santos, em Salvador, continuará até que todas as pessoas que estavam na lancha Cavalo Marinho I tenham sido localizadas, garantiu o Comando do 2º Distrito Naval, sediado em Salvador.

Em nota, o comando informou que serão instaurados dois inquéritos, um para apurar o que aconteceu e outro, administrativo, para investigar causas, circunstâncias e responsabilidades do “lamentável e doloroso acidente”.

O diretor adjunto do Departamento de Polícia Metropolitana, Giovanni Iran, afirmou que a Polícia Civil também abriu inquérito para apurar as causas do naufrágio. Até o momento, foram confirmadas 23 mortes. No meio da tarde, em nova contagem, o número de mortes foi reduzido para 18.

O 2º Distrito Naval informou também que a Capitania dos Portos da Bahia (CPBA) recebeu às 7h45, por meio de rádio, o pedido de socorro enviado pela embarcação Joana Angélica, com a informação de que  a lancha de passageiros Cavalo Marinho I havia naufragado perto da localidade de Barra da Penha, na Ilha de Itaparica, na Baía de Todos os Santos.

LEIA MAIS