Novo partido de Bolsonaro é registrado em cartório

Aliança Pelo Brasil, porém, ainda depende de registro no TSE

O Aliança pelo Brasil, partido idealizado pelo presidente Jair Bolsonaro mês passado, teve sua criação registrada em cartório hoje (5). O responsável pelo registro foi o 2º vice-presidente da legenda, Luiz Felipe Belmonte. Segundo ele, o partido se pautará pelos “princípios cristãos”.

“Estamos dando entrada no registro do novo partido Aliança Pelo Brasil. Um partido criado pelo presidente Bolsonaro, junto com seus apoiadores, e que pretende ser um partido que defina uma linha de direção valorizando os princípios cristãos, valorizando a família e valorizando essas questões que são da raiz do povo brasileiro”, disse em sua conta no Twitter. “Tenho certeza que será um grande partido e que terá o apoio de grande parte da população brasileira”, completou.

Bolsonaro criou o partido após anunciar seu desligamento do PSL, legenda com a qual se elegeu presidente da República. O novo partido, no entanto, ainda precisa obter o reconhecimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para formalizar sua criação e participar de eleições. Para isso, precisa recolher a assinatura de, no mínimo, 491.967 eleitores em apoio à nova legenda.

Na última terça-feira (3), o TSE decidiu reconhecer assinaturas eletrônicas para formalizar a criação de partidos políticos. A decisão pode acelerar o registro da legenda junto ao tribunal. Bolsonaro pretende agilizar o processo de obtenção de registro do partido por meio de certificados digitais.

Apesar da decisão, não há prazo para que a Justiça Eleitoral possa criar aplicativos e programas de computador para efetivar a decisão, que ainda precisará ser regulamentada para passar a ter validade. Segundo a presidente do TSE, Rosa Weber, as soluções não estarão prontas para as eleições municipais de 2020.

PT ainda é o partido preferido do eleitor, diz Datafolha

(Foto: Eliaria Andrade/Estadão)

A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 7 deste mês, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP), não alterou a preferência do brasileiro por seu partido, o PT. Segundo pesquisa Datafolha realizada de 11 a 13 de abril, 20% dos entrevistados têm simpatia pelo partido -em janeiro, eram 19%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Os demais partidos registram índices bem menores. Em segundo lugar aparece o MDB, citado por 4% dos entrevistados; depois vêm PSDB (3%) e PDT e PSOL (1% cada um). As demais siglas não pontuaram.

Desde 1989 o Datafolha realiza esse modelo de pesquisa. O maior grupo de entrevistados sempre declarou não ter preferência partidária. Nesta última sondagem, 62% deram essa resposta -eram 64% em janeiro deste ano.

LEIA MAIS

FBC assume comando do MDB-PE e deve anunciar nomes para eleições em abril

Executiva Nacional do partido esteve reunida em Brasília. (Foto: ASCOM)

A Executiva Nacional do MDB reuniu-se na tarde desta terça-feira (20), em Brasília, e aprovou – por 17 votos favoráveis e seis contrários – a dissolução do diretório regional do partido em Pernambuco. Com isso, a legenda no estado será dirigida por uma comissão provisória, que vigorará por 90 dias, cujo presidente é o senador Fernando Bezerra Coelho.

“Com o posicionamento do Tribunal Superior Eleitoral (ontem), o partido pôde se reunir (hoje) e tomar a decisão política que se aguardava, que é a definição (política) que o MDB vai seguir nas próximas eleições”, explicou Fernando Bezerra.

“Agradeço a confiança que recebi da Executiva Nacional para, a partir deste momento, eu poder liderar um processo de arregimentação de quadros (deputados estaduais e federais) à disputa das eleições que se avizinham e também para procurar apoios dentro da frente política Pernambuco Quer Mudar”, acrescentou o vice-líder do governo no Senado.

LEIA MAIS

MDB se pronuncia sobre decisão judicial

Após decisão judicial que suspendeu o processo de dissolução do partido em Pernambuco, na segunda instância da Justiça Estadual, o MDB-PE emitiu nota sobre o posicionamento do desembargador Eduardo Sertório Canto. De acordo com a legenda, o contraditório não foi concedido ao partido e não houve urgência plausível para decisão da liminar.

Confira a nota

O MDB Nacional recebe com surpresa a decisão proferida hoje pelo Desembargador Substituto Eduardo Canto, do Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Primeiro, porque não foi ouvido o MDB Nacional, como ocorrera quando o recurso foi do Diretório Nacional. Estranhamente, portanto, não foi adotado o mesmo procedimento anterior de ouvir a parte contrária antes de decidir a liminar.

Segundo, porque não haveria urgência neste momento de recesso parlamentar. Conforme previsão estatutária, os prazos internos estão suspensos nesse período, o que significa dizer que ato algum seria praticado nos próximos dias a justificar a concessão da liminar sem a oitiva da parte contrária.

LEIA MAIS

Juiz nega pedido de Raul Henry para reconsiderar decisão a favor de FBC

O juiz José Alberto de Barros Freitas Filho, da 26º Vara Cível do Recife, rejeitou nesta quarta-feira (17) um pedido de reconsideração apresentado pelo diretório estadual do PMDB sobre a sua decisão de autorizar a intervenção nacional do partido em Pernambuco. A solicitação foi do presidente estadual da sigla, o vice-governador Raul Henry, que disputa o comando do partido com o senador Fernando Bezerra Coelho, apoiado pela executiva nacional.

Em resposta, Henry afirmou que aguarda a análise do recurso em segunda instância.

O PMDB nacional, por outro lado, pediu ao desembargador Francisco Sertório, relator do caso, que abra prazo para apresentação de contrarrazões antes de decidir o pedido de liminar.

“Espera-se que, uma vez devidamente esclarecidos os fatos através do exercício do prévio contraditório, os falaciosos argumentos expostos pelo Diretório Estadual do MDB de Pernambuco sejam rejeitados e a decisão que autorizou a retomada do processo de dissolução seja mantida, respeitando-se a autonomia assegurada constitucionalmente aos partidos políticos para tratar de seus assuntos internos”, diz a executiva nacional em nota.

O juiz José Alberto de Barros Freitas Filho revogou, há uma semana, a liminar anterior, que favorecia o vice-governador, e autorizou o processo de dissolução do diretório estadual da legenda pela Comissão Executiva Nacional.

O presidente do partido, senador Romero Jucá (RR), aprovou, na convenção nacional, em dezembro, uma mudança no estatuto para permitir a intervenção em Pernambuco. No evento, o parlamentar afirmou que o processo seria concluído até este mês.

A decisão do magistrado levou em consideração essa alteração no estatuto. “Devo ressaltar que não se trata de retroagir alteração estatutária para atingir um caso concreto que já se encontrava em tramitação, mas, sim, reconhecer a existência de erro material involuntário que não retratou a intenção da Convenção Nacional do Partido ao promover a revogação de um inciso do art. 73. Trata-se apenas de extrair do estatuto a sua real intenção, inobstante o equívoco evidenciado e agora corrigido”, afirmou ou juiz na primeira decisão.

Raul Henry pediu a reconsideração alegando que não há “ampla defesa e contraditório” no processo de intervenção no partido devido às declarações de Jucá.

“Não obstante as declarações do presidente da Comissão Executiva Nacional sobre a dissolução do Diretório Estadual de Pernambuco, não é possível informar que a defesa a ser apresentada será desconsiderada pelos integrantes da comissão por já ter ocorrido um prejulgamento. Declarações públicas e isoladas de um dos membros da Comissão Executiva, ainda que este membro seja o seu Presidente, não são capazes de impedir a apreciação do pedido pelo colegiado, uma vez que não constituem em motivo suficiente para contaminar o devido processo legal”, respondeu o juiz.

Com o comando do PMDB prometido por Jucá, Fernando Bezerra Coelho se coloca como pré-candidato ao Governo de Pernambuco pelo partido, contra Paulo Câmara, que hoje tem aliados de primeira hora em Raul Henry e no deputado federal Jarbas Vasconcelos, liderança histórica do partido. Diante da incerteza, foram oferecidos espaços no PSB e o governador se articula com o PP, que tem o segundo maior tempo de televisão na campanha, perdendo apenas para o PMDB. FBC se movimenta criticando Paulo e tentando descolar a imagem de Câmara da do seu padrinho político, Eduardo Campos.

Com informações do Blog do Jamildo.

Justiça reconhece legitimidade de dissolução do MDB estadual e FBC comemora

Fernando tem caminho livre para assumir direção do partido em Pernambuco. (Foto: Internet)

A Justiça Estadual de Pernambuco decidiu, nesta quinta-feira (11), pelo reconhecimento da legitimidade do processo de dissolução do Diretório Estadual do MDB de Pernambuco. A decisão, assinada pelo juiz José Alberto de Barros Freitas, da 26ª Vara Cível de Recife, revogou a suspensão do processo dissolutivo e autorizou que o procedimento fosse promovido pela Comissão Executiva Nacional.

“Não cabe ao Judiciário interferir nas questões interna corporis dos partidos políticos, salvo para a análise de inconstitucionalidade, ilegalidade ou infringências regimentais. (…) Revogo parcialmente a tutela parcialmente a tutela de urgência de natureza cautelar anteriormente deferida, no tocante à suspensão do processo de dissolução do Diretório Estadual do PMDB em Pernambuco”, diz trecho da decisão.

Em sua decisão, o juiz afirma ainda que resta evidente que o principal motivo do pedido de dissolução do diretório é a formação de uma nova direção partidária no Estado para viabilizar uma candidatura majoritária própria.

“A dinâmica eleitoral não se inicia apenas formalmente na convenção partidária: há movimentos políticos de estratégia que ocorrem antes, pela conjugação e harmonização de forças, como é notório”, diz parte da decisão citando o ministro do STF Luiz Fux.

Ainda cabe recurso da decisão.

Dissolução do Diretório Estadual

Agora, a Comissão Executiva Nacional poderá seguir com a dissolução do Diretório nos termos do Estatuto registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que foi retificado, com parecer favorável do Ministério Público, e acatado pelo TSE em sessão realizada no dia 18 de dezembro de 2017.

A decisão alegrou o senador Fernando Bezerra Coelho, que deve assumir o diretório estadual e disputar a vaga para Governador no estado de Pernambuco. “Essa decisão respeita a determinação da Executiva Nacional do partido”, afirmou FBC.

Confira a decisão completa clicando aqui.

“Sou aliado de Miguel, mas não posso esquecer do meu partido”, diz Ruy Wanderley

Ruy colocou seu partido, o PSC, à frente de qualquer aliança política. (Foto: Blog Waldiney Passos)

Durante a sessão ordinária dessa quinta-feira (30), o líder da bancada de situação na Câmara Municipal de Petrolina, Ruy Wanderley (PSC), decidiu lembrar aos colegas parlamentares a importância de seus partidos nas suas caminhadas políticas. No seu discurso, Ruy fez questão de colocar o seu partido, o Partido Social Cristão (PSC), à frente de qualquer aliança.

“Sou aliado de Miguel, ajudei a eleger, fui candidato a vereador pelo grupo dele, mas eu sou de outro partido, eu tenho que começar a visualizar na minha frente o nome PSC. Sou do PSC e tenho que defender os interesses primeiro do povo, do prefeito Miguel, mas não posso esquecer do meu partido”, disse.

Para o parlamentar, os demais vereadores da cidade devem estar atentos à questão, já que a partir de 2018, segundo Ruy, os partidos terão mais dificuldade para existir no país. “A lei mudou e diz que agora em 2018 o partido que não tiver 1,5% de votos no Brasil passa a ter dificuldade para existir. Para um partido sobreviver neste país, por exigência de lei, e ter acesso ao fundo partidário e ao tempo de televisão precisa de pelo menos nove deputados federais, não são nove vereadores, governadores ou senadores”, lembrou.

Além disso, Ruy afirmou que caso tenha que criticar algum aliado do governo, irá fazê-lo, como fez com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). “Eu fui criticado veemente quando fiz críticas à Compesa. Eu fiz uma crítica coerente, que era a vontade do povo, por que a Compesa presta um péssimo serviço em Petrolina. Afirmaram que aliado de Miguel e de Fernando Filho havia criticado o governador. Eu critiquei não foi a mando de ninguém, foi porque era o meu desejo em trazer a discussão para esta Casa. E vou continuar criticando. As pessoas têm que entender que antes de sermos aliados, nós somos filiados a um partido”, finalizou.

Destituído do comando do PSB, Miguel Coelho teme retaliação no partido e Paulo Câmara garante que separa questões administrativa da partidária

Governo afirma que Petrolina é um dos municípios mais beneficiados pela gestão. (Foto: Arquivo)

Na última segunda-feira (13) Miguel Coelho foi destituído do comando do PSB em Petrolina. Com a novidade a preocupação fica por conta de possível a retaliação partidária, mas Paulo Câmara afirma que isso não vai acontecer.

O governador Paulo Câmara esteve diversas vezes em Petrolina para entregar obras e anunciar novas. Um exemplo disso é a construção de uma escola técnica, que a prefeitura deve doar o terreno, entretanto não há previsão para o início das obras. Questões ligadas a Compesa, também são preocupantes.

“Espero que essa movimentação do partido não se reflita na relação administrativa com o Governo do Estado. Esperamos que essa relação se mantenha”, afirmou Miguel Coelho a Folha de Pernambuco.

Em nota, o Governo do Estado garantiu que separa a questão administrativa da partidária e que o município é um dos mais beneficiados pela gestão. O texto menciona os investimentos feitos na cidade: mais de R$ 160 milhões em obras de água e saneamento, autorização para a Compesa captar R$ 38 milhões na Caixa, obras de esgotamento sanitário e construção de duas escolas em tempo integral.

Sobre o futuro partidário, Miguel Coelho afirmou que vai se integrar ao projeto de oposição. “Precisamos resgatar o protagonismo e liderança que Pernambuco tem que ter, estabelecer um governo que estabeleça a relação administrativa independente de posição política”, alfinetou.

Divisão: Tereza Cristina é substituída por Júlio Delgado na liderança do PSB na Câmara

O racha ficou mais evidente na votação da primeira denúncia contra o presidente Michel Temer. (Foto: Reprodução)

A divisão ideologia do PSB resultou na substituição da deputada Tereza Cristina pelo deputado Júlio Delgado, que assumiu nesta quarta-feira (18) a liderança do partido na Câmara. Ele substitui a deputada que vinha encaminhando votos de forma contrária a decisões da direção nacional do partido.

O racha ficou mais evidente na votação da primeira denúncia contra o presidente Michel Temer, quando dois deputados do partido votaram a favor de Temer na CCJ e no plenário.

“Nós vinhamos há muito tempo passando esse constrangimento de a grande maioria no plenário ser destoante da indicação da liderança. E agora vamos tentar encontrar uma uniformidade. O PSB se reencontra com sua trajetória, se reencontra com sua coerência e acima de tudo com o desejo e decisões da instância maior que é o diretório nacional”, disse Delgado.

A destituição de Tereza Cristina foi recomendada pelo diretório nacional do PSB, que se reuniu na última segunda-feira (16) para deliberar sobre a possível expulsão de quatro deputados federais da sigla que tem votado a favor do governo, mesmo o partido tendo saído oficialmente da base governista. A expulsão foi impedida por uma liminar da Justiça, e a direção da legenda decidiu adotar outra estratégia para mudar a liderança da bancada na Câmara.

Com informações do EBC

Sem consenso, PSDB ainda se mantém no governo

(Foto: Internet)

A reunião do PSDB para discutir a permanência no governo do presidente Michel Temer não terminou em consenso. Lideranças do partido se reuniram na última noite (10), no Palácio dos Bandeirantes, a sede do governo paulista, para discutir os rumos da legenda frente à crise política.

O presidente em exercício do partido, senador Tasso Jereissati (CE) disse que não existe uma posição única entre todos as lideranças. Tasso afirmou que observa que o partido, por si mesmo, está desembarcando do governo Temer independente de controle ou da vontade do senador.

LEIA MAIS

Partido “NOVO” chega a Petrolina e apresenta projetos

O partido Novo, iniciando seu projeto de expansão, chega ao interior do estado de Pernambuco. O representante do Diretório Municipal de Petrolina, Carlos Gonçalves, apresentará o Partido, sua história e seus projetos futuros à cidade de Petrolina. O evento é gratuito e acontece no próximo dia 18 de março, a partir das 19h30, no Restaurante Flor de Mandacaru, na Cohab VI.

O Partido

Fundado em 2011, essa é a primeira apresentação na cidade de um dos partidos mais jovens e, provavelmente, o mais distinto da política brasileira atual. O “NOVO” se difere dos demais desde a sua origem, pois emergiu de um movimento de cidadãos totalmente de fora da política tradicional e de descontentes com a qualidade dos serviços públicos recebidos, mantendo-se assim até hoje.

LEIA MAIS

Dirigentes petistas já admitem nome de outro partido para 2018

(Foto: Internet)

Um colaborador de Lula chegou a lembrar que o plano original de Lula era de lançar a candidatura do governador Eduardo Campos (Foto: Internet)

Dirigentes petistas e do Instituto Lula admitiram na última quinta-feira (13) a possibilidade de lançamento de um candidato de outro partido para a disputa presidencial de 2018, especialmente se nascido de uma frente ampla.

Ao comentar entrevista do presidente do PDT, Carlos Lupi, à Folha de S.Paulo, petistas reconheceram que faz sentido a informação do pedetista de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estaria aberto a um nome de outro partido.

LEIA MAIS

“Estou disponível para o partido. Para Petrolina. Para o que for melhor para as pessoas”, afirma Lúcia Giesta

Pré candidata fez balanço de conquistas da gestão Lossio e afirma estar preparada  para a missão que for designada no processo eleitoral deste ano/Foto: Blog

Pré candidata fez balanço de conquistas da gestão Lossio e afirma estar preparada para a missão que for designada no processo eleitoral deste ano/Foto: Blog

A ex secretária de Saúde de Petrolina e agora pré-candidata ao processo eleitoral de 2016 visitou nosso Blog há pouco. Durante cerca de uma hora, numa conversa franca, Lúcia Giesta (PMDB) fez um balanço do período em que esteve à frente da secretaria de Saúde, sobre as conquistas e desafios. Lembrou do período em que passou a integrar a equipe do prefeito Julio Lossio (PMDB), à época, como coordenadora de Saúde Bucal. “Encontramos uma situação bem difícil, mas aos poucos, e com muito trabalho, fomos estruturando e pudemos melhorar o serviço oferecido para a população. No final de 2009, o prefeito me chamou para uma conversa e deu a missão de assumir a Secretaria. Estudei muito, fiz contatos em Brasília e no Recife, fui ver locais com experiências exitosas, para que a gente pudesse dar um salto na saúde pública local”, pontuou.

Sobre o novo desafio, agora na área política, Lúcia não desconversa e assume que está à disposição para trabalhar em cima do projeto de grupo. A pré-candidata afirma manter uma boa relação com todos os outros ex secretários municipais e, também,  postulantes do grupo ao cargo máximo do Executivo Municipal.  “Olha, tenho respeito por todos e o clima é o de trabalhar para fazermos a sucessão. É um desejo de todos nós. Particularmente tenho participado de entrevistas, visitado famílias, conversado com as pessoas. Ouvindo sentimento das comunidades sobre a gestão, sobre o que foi construído e o que desejam para os próximos anos. Tudo isso feito com muita cautela. Os pré-candidatos não devem fazer propaganda e nem projeto, porque isso é prerrogativa do candidato ou candidata que seja escolhido. É um respeito às leis”. E arremata “Estou aqui disponível para o partido, para Petrolina. Para o que for melhor, estou como pré-candidata. Ao que for melhor para todos”.

Outros detalhes da entrevista você acompanha nesta quarta (18) em postagens no nosso Blog.

Confirmado: deputado Adalberto Cavalcanti troca PMB pelo PTdoB

Adalberto-Cavalcanti-deputado-federal-450x300 (1)

Em entrevista a este Blog o deputado Adalberto Cavalcanti confirmou está deixando mesmo o Partido da Mulher Brasileira (PMB) devido ao esvaziamento da legenda já que segundo o parlamentar mais de 80 deputados decidiram abandonar o partido. “Não tem como ficar em um partido de apenas um deputado, então já estou conversando com outro partido para me filiar”, adiantou.

Adalberto informou que a possibilidade agora é de ingressar no Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB), de quem tem a garantia de comandar a legenda em todo o Estado de Pernambuco.

Recentemente o parlamentar trocou o PTB pelo PMB e agora tem que buscar uma legenda que garanta a viabilização do seu projeto de disputar a prefeitura de Petrolina. Com essa decisão fica incerto também o futuro do vereador Ronaldo Cancão que declarou apoio a Adalberto e que alimentava a expectativa de se filiar ao PMB.

Beto Accioly deixa partido Solidariedade

Beto Accioly (1)

O deputado estadual Beto Accioly confirmou, na tarde desta sexta-feira (26), sua saída do Solidariedade. O parlamentar comunicou pessoalmente o presidente estadual da legenda, o deputado federal Augusto Coutinho, durante encontro em seu escritório político, na cidade do Recife.

“Quero gradecer aos membros do Solidariedade pela relação de respeito e pelas parcerias, em especial ao deputado federal Augusto Coutinho. Deixo o partido motivado para assumir uma nova missão, respeitando todos os compromissos já assumidos anteriormente com os pernambucanos”, disse.

Pai pela terceira vez, o deputado tem aproveitado o curto período de licença paternidade para se dedicar a sua filha Isabela Accioly, nascida na última segunda-feira (22), e a sua família. Com retorno marcado para a próxima segunda (29), Beto Accioly informou que conversará com o seu grupo e anunciará o novo partido.