Jovem dá à luz em quartel dos bombeiros de Juazeiro

Parto aconteceu no quartel dos Bombeiros (Foto: Reprodução/WhatsApp)

No meio de tantas notícias ruins sobre a saúde brasileira e o caos provocado na economia por conta do novo coronavírus, a população juazeirense recebe uma notícia que traz esperança. No começo dessa quarta-feira (15) o Corpo de Bombeiros Militar foi acionado para fazer um parto de emergência, trazendo à vida um menino.

Por volta de 7h05 a mãe da criança chegou de carro com a família no 9º Grupamento dos Bombeiros Militares e de imediato uma equipe prestou atendimento à jovem. Ela já estava em trabalho de parto. Um médico do SAMU prestou atendimento à mãe, em seguida a genitora e o bebê foram transferidos ao Hospital da Mulher.

“O marido adentrou ao quartel com um carro, ao sermos informados a guarnição tomou os procedimentos necessários. Não haveria tempo da família sair até chegar a clínica da criança. O parto foi realizado com êxito“, ressaltou o tenente-coronel Tarcísio Ribeiro. Mãe e bebê passam bem.

Paciente de Dormentes dá à luz quadrigêmeos no Hospital Dom Malan/IMIP em Petrolina

(Foto: Reprodução/WhatsApp)

Nasceram na manhã do último domingo (24), às 5h, no Hospital Dom Malan/IMIP em Petrolina (PE), os quadrigêmeos de Riqueline de Brito Macêdo. A dona de casa, natural de Dormentes (PE), entrou em trabalho de parto com 34 semanas e a equipe médica imediatamente optou por uma cesariana. Maria Alice, Maria Fernanda, Maria Isabela e João Miguel, nasceram nesta ordem pesando respectivamente 1,945Kg, 1,615Kg, 1,980Kg e 1,790Kg.

Após o parto a mãe foi encaminhada para a UTI Materna, dois dos bebês para a Unidade de Cuidados Intermediários  (UCI) e os outros dois para a UTI Neonatal. Ontem mesmo Riqueline teve alta e foi para a enfermaria. Vale ressaltar que Riqueline já tem duas outras filhas. A Maria Clara, de 9 anos, e Maria Luiza, de 4 anos.

“A mãe e os bebês estão ótimos. Eles foram encaminhados para unidades de cuidados neonatais devido à prematuridade.  Mas, todos responderam muito bem e já estão fora do uso do oxigênio, respirando ar natural. Estamos torcendo pela alta deles em breve”, ressalta a diretora de atenção à saúde, Tatiana Cerqueira.

LEIA MAIS

Grávida de quadrigêmeos é acompanhada pelo Alto Risco do Hospital Dom Malan de Petrolina; parto deve acontecer em abril

Riqueline de Brito Macêdo é natural de Dormentes. (Foto: Arquivo Pessoal)

Na maioria dos casos, a notícia de uma gravidez gera dúvidas e incertezas, em alguns casos pela gestação não ter sido planejada, ou por não estar esperando, entre muitos outros motivos. Mas, para Riqueline de Brito Macêdo, de 33 anos, natural de Dormentes (PE), o que assustou não foi a confirmação da gestação, foi o número de embriões gestados: quatro. Isso mesmo, daqui há algumas semanas ela será mãe de mais três meninas e um menino.

Em 2007, Riqueline engravidou pela primeira vez de gêmeos. Na época ela se mudou com o esposo para São Paulo e foi acompanhada. Infelizmente ela não conseguiu levar a gestação adiante e teve os bebês prematuros com 7 meses. Um dos fetos faleceu ainda na barriga e o outro só viveu seis minutos.

No ano seguinte, outra gestão também sem sucesso. Ela sofreu um aborto espontâneo com apenas 5 semanas. Em 2010 foi que nasceu a primeira filha, Maria Clara, hoje com 9 anos, e em 2015 nasceu Maria Luiza. Na tentativa de vir um menino, Riqueline resolveu arriscar o terceiro filho. Então, em fevereiro de 2017 parou de tomar o anticontepcional. Ela conta que não foi tão fácil engravidar. “Tinha horas que a gente queria, depois resolvia esperar mais um pouco, até que veio a notícia”.

LEIA MAIS

Dia da mulher: socorristas do SAMU fazem parto natural dentro de ambulância em Petrolina

(Foto: SAMU)

O Dia Internacional da Mulher foi um tanto diferente na sede do Serviço de Atendimento  Móvel de Urgência (SAMU) de Petrolina (PE). É que nesta sexta-feira (8), em plena data comemorativa, uma equipe de profissionais auxiliou no parto de uma mamãe dentro de uma ambulância.

A experiência foi vivida por Mirely de Souza, de 21 anos, que sentiu as dores do parto dentro de um ônibus que vinha do município pernambucano de Afrânio para Petrolina. A mulher chegou à sede do Samu nos braços do marido e o parto aconteceu de forma rápida e natural, com assistência de profissionais do SAMU.  Mirely deu à luz a um saudável menininho que, segundo ela, se chamará Marcos César.

LEIA MAIS

Hospital Dom Malan/IMIP inicia trabalho de sensibilização sobre o Parto Normal

(Foto: ASCOM)

Neste mês de agosto, a equipe multiprofissional do Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina deu início, durante a Semana Mundial da Amamentação, a um trabalho de sensibilização sobre o Parto Normal com uma palestra da enfermagem e a “arte em gestante” feita por internos da Univasf.

Proposta pelo coordenador médico do setor de Alto Risco, Marcelo Marques, a ação aparece como forma de envolver as futuras mães nas atividades do agosto Dourado, que é o mês de incentivo e apoio a amamentação.

“Fiz a provocação e de imediato a organização da Semana da Amamentação comprou a ideia, mostrando que a intersetorialidade é o melhor caminho para a educação em saúde”, acredita.

O parto normal facilita a descida do leite em função dos hormônios que são liberados durante o trabalho de parto, em especial a ocitocina, e permite o imediato contato pele a pele entre a mãe e o bebê, favorecendo a relação maternal e garantindo, neste acolhimento, a primeira mamada ainda na sala de parto.

“Por isso a relação entre os dois temas é tão forte”, esclarece a coordenadora médica do Banco de Aleitamento Materno do HDM, Flávia Guimarães.

LEIA MAIS

Gestante dá a luz dentro de carro em Petrolina

(Foto: ASCOM)

Fabrícia Raiane de Souza, 24 anos, que estava em casa, sentiu as contrações e foi conduzida, pela família ao hospital, na manhã desta sexta-feira (11). Ao passar próximo à sede do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), no bairro Cohab Massangano, a paciente entrou em trabalho de parto. Desesperada, à  família parou o veículo e pediu ajuda aos funcionários do órgão, que não hesitaram em ajudar.

“Foi um momento de muita emoção, acompanhar o nascimento de uma forma tão natural. O pai da criança participou diretamente do parto, tendo, apenas, o auxílio da nossa equipe. Uma experiência única e inesquecível”, destacou a coordenadora do Samu, Lais Cabral.

A mãe e a filha foram encaminhas ao Hospital Dom Malan/IMIP. De acordo com o médico, elas passam bem. A menina chama-se Isadora.

Carnaval de Ivete Sangalo começou na maternidade. A juazeirense deu à luz as gêmeas nesta madrugada

(Foto: Redes Sociais)

A cantora Juazeirense Ivete Sangalo, 45 anos, surpreendeu a todos na madrugada deste sábado (10). É que, por volta das 4h30, a baiana postou um vídeo na maternidade anunciando seu parto. Às 6h, a assessoria da cantora confirmou o nascimento das gêmeas – que ainda não tiveram seus nomes anunciados – no Hospital Aliança, em Salvador.

Ambas vieram ao mundo pesando cerca de três quilos. Segundo a assessoria da cantora, Ivete teve um parto cesário e está bem. As filhas são fruto do casamento da cantora com o nutricionista Daniel Cady. Os dois já são pais de Marcelo, 8 anos.

“E é com muita alegria que a mamãe mais feliz do mundo vai fazer o maior carnaval da sua vida na maternidade!!! Orem por nós! Deus comigo sempre . Amo vcs!”, escreveu a cantora na legenda do vídeo postado em seu Instagram.

No vídeo (veja abaixo), ela aparece com familiares ao som de No Groove, música que gravou com Márcio Victor e que concorre à hit do Carnaval, um pouco antes de ter as filhas.

Na publicação, fãs e amigos da cantora comemoram o momento e brincam com o fato da cantora, que ficou fora do Carnaval deste ano, dar à luz em plena folia. “Deus abençoe muito”, publicou a blogueira Camila Coutinho.

Já a atriz Fernanda Paes Leme, que está em Salvador para o Carnaval, também comentou a publicação: “Amo vc!!! Vai com tudo”. “Eu não disse que iam nascer no Carnaval?”, comentou uma fã. “Você só nos surpreende”, disse outra. “A mamãe mais amada do Brasil!”, resumiu mais um fã.

Hospital Dom Malan/IMIP responde denúncia de esgoto em sala de parto

(Foto: Blog Waldiney Passos)

O Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina (PE), enviou nota esclarecendo uma denúncia de um vídeo enviado a este blog, no qual mostra o esgoto voltando em uma sala de parto do hospital durante a chuva que caiu nesse domingo (4).

LEIA TAMBÉM

Denúncia: Vídeo mostra esgoto voltando pelo ralo em sala de parto no Dom Malan em Petrolina

A denunciante, que preferiu não se identificar, afirmou que sua prima estava na sala com sua filha que havia nascido há dois dias. “Inundou todo o hospital. Voltando pelo ralo, água, fezes, um mau cheiro”, disse.

Veja a integra da nota enviada pela Assessoria de Comunicação do Hospital.

Nota de Esclarecimento

O Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina informa que, neste domingo (05), devido às fortes chuvas, ocorreu um problema pontual na sala de parto. Os transtornos causados foram sanados de imediato pela equipe de manutenção e limpeza.

O problema ocorreu devido à falta de um escoamento adequado das águas pluviais por parte da Compesa, que mantém no Dom Malan uma única saída para a água das chuvas e de consumo. A dificuldade é antiga e estrutural.

Por iniciativa própria, o Dom Malan instalou hoje uma bomba de alta potência que dará vazão ao escoamento, impedindo assim novos transtornos.

Pernambuco: humanização de parto é debate em Audiências Públicas

Audiência pública em Cabrobó (PE). (Foto: ASCOM)

Durante os dias 21, 22 e 23 de novembro acontecerão três audiências públicas no Sertão do Araripe em Pernambuco para debater sobre a humanização do parto e nascimento e a melhora dos serviços de saúde para as mulheres.

Organizadas pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), através do projeto Mulheres Doulas Articulando Vidas, as audiências propõem reunir sociedade civil e poder público para dialogar sobre a seguinte pergunta: “Humanização do Parto e Nascimento: é possível mudar a forma de nascer?”.

A primeira audiência será em Santa Filomena, a partir das 8h da terça-feira, 21 de novembro. No dia seguinte, 22, a audiência pública acontecerá em Ipubi. Por último, na próximo quarta-feira (23) será realizada em Ouricuri.

Todas acontecerão na Câmara Municipal de Vereadores correspondente. Estas ações são uma das estratégias que o CNMP desenvolve para, através da parceria e trabalho com o poder público e a sociedade civil organizada, contribuir para a redução da morbidade e mortalidade materna na região. O projeto “Mulheres Doulas Articulando Vidas” tem apoio financeiro da União Europeia.

Juazeiro: Projeto ‘Boas Vindas’ tira dúvidas das gestantes sobre o parto

Outras rodas de conversa serão agendadas com os demais Postos de Saúde do município. (Foto: ASCOM)

Gestantes atendidas na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Palmares, em Juazeiro, participaram na última quinta-feira (19) da primeira roda de conversa do projeto “Boas Vindas”. A ação tem o objetivo de tirar dúvidas das gestantes acompanhadas pela Atenção Básica do município, além de apresentar o trabalho realizado pela Maternidade de Juazeiro.

De acordo com a psicóloga da Maternidade, Luciana Lustosa, cerca de 30 pessoas participaram do primeiro encontro, entre mulheres grávidas, acompanhantes e agentes comunitários de saúde.

“Este trabalho segue uma diretriz da rede cegonha, que considera importante estabelecer um vínculo entre as gestantes e a maternidade. Tivemos uma roda de conversa bastante proveitosa, discutindo um pouco sobre a gestação, aspectos psicológicos e o trabalho de parto”, relata.

LEIA MAIS

Parto humanizado é tema de roda de conversa no Hospital Materno Infantil em Juazeiro

(Foto: ASCOM)

Na Semana Nacional de Humanização, comemorada entre os dias 03 e 07 de abril, a Secretaria de Saúde de Juazeiro (Sesau) está realizando programações diárias. Nesta terça-feira (04) uma roda de conversa foi realizada no Hospital Materno Infantil. O tema trabalhado foi “Parto Humanizado”.

As futuras mamães que estavam no local aproveitaram a oportunidade de tirar suas dúvidas. A gestante Janice Leite (17) está esperando seu primeiro bebê. Ela conta que o encontro foi de muito aprendizado. Já Àbia Celestina estava acompanhando sua nora.

Para ela, essas atividades devem acontecer de forma permanente. “Para mim foi muito bom, e para ela é mais conhecimento. Essas ações poderiam acontecer também nos postos de saúde, para que as mulheres cheguem aqui mais preparadas”, sugere.

LEIA MAIS

Denúncia: Jovem de 17 anos morre no Dom Malan após equipe médica se recusar a realizar cesária

(Foto: arquivo)

Segundo uma denúncia recebida pelo blog, uma jovem de 17 anos faleceu, na noite desta sexta-feira (10), no Hospital Dom Malan (HDM/IMIP) em Petrolina (PE) após a equipe médica se recusar a realizar um parto cesáreo.

A denunciante, amiga da jovem, afirmou que a gestante chegou pela manhã para realizar o parto e passou o dia todo com muita dor e com pressão alta.

Ainda de acordo com a amiga, quando os médicos decidiram fazer o procedimento, a jovem já estava sem vida. A equipe médica fez a cirurgia e encaminhou o bebê para UTI.

A jovem está sendo velada na casa da sua avó, na Cohab Massangano. O enterro está marcado para as 16h no cemitério Campo da Paz.

Hospitais devem permitir presença de doulas durante o parto em Pernambuco

imagem ilustrativa

imagem ilustrativa

Profissionais treinadas para dar assistência às gestantes, as doulas podem, sempre que solicitado, permanecer ao lado das mulheres durante todo o trabalho de parto em hospitais, maternidades e outros estabelecimentos de saúde em Pernambuco. O direito está garantido às parturientes pela Lei nº 15.880/2016, aprovada em agosto pela Assembleia Legislativa.

Já era assegurado às mulheres, antes da edição da norma, que pudessem contar com a presença de um acompanhante ao longo de todo o procedimento. Apesar disso, entidades que oferecem apoio às gestantes relatam que hospitais restringiam o acesso de doulas às salas de parto por considerá-las um acompanhante a mais.

Autor do projeto de lei que originou a norma, o deputado Zé Maurício (PP) lembra que a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece a importância do trabalho das doulas, e que evidências sugerem que o acompanhamento das especialistas levam a partos mais rápidos e com menos complicações.

“Os nascimentos ocorrem em estabelecimentos de saúde, com a presença de obstetra, anestesista e pediatra, cada qual com sua preocupação técnica. A doula supre a demanda emocional e afetiva da mulher nesse momento de intensa vulnerabilidade”, descreve o parlamentar, que ainda aponta possíveis benefícios da presença de doulas também para os hospitais. “Pode ocorrer uma redução nos custos para as instituições de saúde, graças à queda do número de intervenções médicas e do tempo de internação de mães e bebês”, avalia.

“Algumas equipes médicas faziam a gestante optar ou pela presença de um familiar ou da doula”, explica Ana Katz, coordenadora no Recife do espaço para gestantes Ishtar. “Essa lei foi muito importante porque, a partir dela, a doula foi reconhecida como parte da equipe que conduz o parto, e a mulher tem o direito à companhia do familiar e da profissional”, conta.

Estabelecimentos que descumprirem a exigência podem ser multados em até R$ 10 mil. Pela regra, as profissionais estão autorizadas a levar consigo instrumentos como bolas de exercício físico, bolsas de água quente e óleos para massagens. Durante o parto, as doulas usam técnicas e ajudam a parturiente a adotar posturas que diminuem as dores.

A garantia de acesso a hospitais e maternidades será feita mediante comprovação da capacitação exigida, da descrição dos métodos que serão utilizados ao longo do trabalho, e da autorização por escrito da paciente. As profissionais estão impedidas, no entanto, de conduzir procedimentos médicos, clínicos ou de enfermagem e enfermaria obstétrica.

DIA ESTADUAL – Ainda em agosto, a Alepe aprovou a Lei nº 15.881/2016, que cria o Dia Estadual da Doula, também proposta pelo deputado Zé Maurício (PP). A data passou a integrar o Calendário de Eventos de Pernambuco, e passa a ser comemorada anualmente em 18 de dezembro. “Nada mais justo do que homenagear essas trabalhadoras do nosso Estado dedicando-lhes no calendário o dia de Nossa Senhora do Bom Parto. É uma maneira de prestigiá-las à altura da contribuição que prestam à sociedade”, comenta o parlamentar.

Com informações de Alepe

Primeiro parto na ambulância do programa Anjo da Guarda é registrado em Petrolina

O parto aconteceu no trajeto entre a casa da usuária e o hospital, dentro da ambulância/Foto: ASCOM

O parto aconteceu no trajeto entre a casa da usuária e o hospital, dentro da ambulância/Foto: ASCOM

O primeiro parto realizado dentro da ambulância do programa Anjo da Guarda aconteceu esta semana, no trajeto entre a casa da usuária e o hospital. A mãe e a criança, uma menina, foram encaminhadas ao Hospital Dom Malan e passam bem.

“Quando recebemos o chamado, a usuária já estava em trabalho de parto e foi tudo muito rápido, não deu tempo de chegar ao hospital. A criança nasceu de parto normal e foi tudo muito tranquilo”, contou a enfermeira obstetra, Gittanha Fadja de Oliveira Nunes, responsável pelo parto.

Para a usuária Eliana Medeiros da Silva, moradora do N-10, o apoio do programa Anjo da Guarda foi essencial para que sua família pudesse comemorar a chegada da pequena Radija, “a ambulância do Anjo da Guarda ajudou a salvar a vida da minha filha”.

LEIA MAIS

Reino Unido paga em média R$ 16.000 para mães que derem a luz em casa

parto-humanizado-barriga-gravida-mulher-1396368502915_615x300

Alvo de muitas críticas no Brasil, o parto domiciliar é considerado uma opção segura pelos órgãos de saúde britânicos. Prova disso é que o NHS (Serviço Nacional de Saúde britânico), o SUS do Reino Unido, oferecerá £ 3.000 (aproximadamente R$ 16.000) para que as mães contratem parteiras e optem por dar à luz em casa. A informação é do periódico britânico “Daily Mail”.

Além de mais barato, o parto em casa ou em pequenos centros comandados por parteiras –disponíveis no país– são tão seguros quanto os nascimentos em hospitais, segundo o NHS.

De acordo com dados do órgão, 90% das 660 mil mulheres que dão à luz na Inglaterra todo ano têm os filhos no hospital, ainda que apenas uma em cada quatro tenham escolhido por isso. A ideia do Serviço Nacional de Saúde é que as mulheres, cientes de todas as suas opções, possam tomar a decisão de parto que mais lhe interesse. Tanto que as mulheres que preferirem ter o bebê no hospital ainda terão essa opção disponível.

O dinheiro será oferecido para gestantes de baixo risco –que não tenham obesidade ou outras doenças graves nem estejam grávidas de gêmeos. Elas planejarão com a parteira e o médico de que maneira pretendem gastar a quantia.

A gestante poderá optar pelo parto em casa e/ou dar à luz em um quarto de um centro comandado por parteiras, com auxílio de hipnose, aromaterapia e acupuntura. O dinheiro também poderá ser usado para aulas de amamentação depois do parto. O NHS estima que as gestantes passem a receber esse dinheiro a partir de 2018.

12