Reajuste de 3% nas refinarias passa a valer nessa terça-feira

Gasolina teve queda de 3% nas refinarias

O preço da gasolina e do diesel comercializado nas refinarias nessa terça-feira (14) já está com queda de 3%. A redução foi anunciada ontem pela Petrobas e vem num momento em que os valores do mercado internacional se acomodaram após uma breve alta, devido aos atritos entre Estados Unidos e Irã.

Ainda é precoce para analisar se o corte nas refinarias alcançará o consumidor final. A gasolina não sofria um reajuste desde 1º de dezembro, enquanto o diesel se mantinha estável desde 21 de dezembro.

Em Petrolina, a gasolina tem preço médio – nos últimos 15 dias de R$ 4.99. O etanol vem sendo comercializado a R$ 3.90 e o diesel a R$ 4.07. Na cidade de Juazeiro, a gasolina pode ser encontrada a R$ 4.98, o etanol a R$ 3.96 e o diesel sai a R$ 4.049.

Gás de cozinha tem alta de 5% a partir dessa sexta-feira

Brasileiros ganharam presente de Natal às avessas

Dias após comemorarem os Natal, os brasileiros ganharam um presente às avessas da Petrobras. A partir dessa sexta-feira (27) o preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) vai aumentar, em média, 5%. O reajuste anunciado ontem é válido para todos os tipos de GLP, inclusive o residendical.

Entre janeiro e dezembro o GLP  residencial vendido em botijões de 13kg teve reajuste médio de 10% nas refinarias da Petrobras. Consequentemente o consumidor final sente o aumento, já que as distribuidoras repassam a elevação nas vendas.

Já o GLP vendido para industria e comércio, que até novembro tinha preços diferenciados do gás de botijão, registrou uma redução média da ordem de 10% no ano nas  refinarias.

Gás de cozinha tem aumento de 4%, segundo Petrobras

(Foto: Ilustração)

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (22) o reajuste médio de 4% no preço do gás de cozinha para venda em botijão de 13 quilos, mais usado em residências. Os novos valores entram em vigor na próxima segunda (25) e os repasses para o consumidor dependem da política comercial de distribuidoras e revendedores.

Trata-se do segundo aumento seguido no preço do gás. Eem outubro, houve alta média de 5%. Após cinco ajustes no ano, o combustível tem alta acumulada de 4,8%. O preço de venda nas refinarias da Petrobras representa cerca de 40% do preço final do botijão. O resto são margens de lucro e impostos.

Petróleo encontrado no litoral nordestino não é brasileiro, afirma IBAMA

Mancha de óleo chamou atenção da população (Foto: Brenda Dantas/Divulgação)

As manchas de óleo vistas em diversas praias do Nordeste nas última semanas não são de petróleo brasileiro. A Marinha e a Petrobras fizeram análises e identificaram que a substância trata-se de petróleo cru, produzido no exterior, mas de origem ainda não identificada.

O Ibama vem investigando o caso desde 2 de setembro, com apoio dos Corpos de Bombeiros e dos dois órgãos já citados anteriormente. De acordo com a Petrobras, o petróleo não foi produzido nem comercializado por ela e que está contribuindo com a limpeza das praias que apresentaram manchas de óleo, nos últimos dias.

“Após verificação dos relatórios e gráficos mais recentes sobre a situação das manchas de óleo nas praias do Rio Grande do Norte, os analistas da equipe de monitoramento concluíram que a situação no Estado é estável até o momento”, afirmou o Ibama em comunicado publicado no seu site. (Com informações da Band).

Petrobras eleva preço da gasolina em 3,5% e diesel em 4,2%

(Foto: Ilustração)

A Petrobras anunciou, na noite desta quarta-feira, reajuste nos preços da gasolina e do óleo diesel. Os novos valores passam a valer nesta quinta-feira nas vendas de refinarias para distribuidoras. O litro da gasolina foi reajustado em 3,5% e o do diesel, em 4,2%. Para o consumidor final, porém, sobre esses valores, serão acrescidos encargos tributários e trabalhistas e as margens de lucro dos postos de combustíveis.

Na última segunda-feira, a Petrobras divulgou nota sobre o bombardeio de refinarias na Arábia Saudita, responsável pela produção de 5% do petróleo mundial, o que gerou uma imediata elevação dos preços dos combustíveis no mundo. A estatal informou, na ocasião, que continuaria monitorando os preços do petróleo e não faria um ajuste de forma imediata. O último reajuste da gasolina no Brasil havia sido em 5 de setembro e o do diesel, em 13 de setembro.

Em sua página na internet, a Petrobras explica como funcionam o mecanismo e as decisões de formação de preços dos combustíveis por ela vendidos. “Nossa política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”, explica, em nota, a estatal.

Petrobras decide segurar preço da gasolina até valor do petróleo se estabilizar

A disparada do preço do petróleo provocou tensão nos mercados, mas o Ibovespa fechou o dia com alta de 0,17%, graças ao bom desempenho das ações da Petrobras. (Foto: Ilustração)

A Petrobras vai continuar observando o comportamento do preço do petróleo no mercado internacional até decidir se vai revisar os preços dos seus derivados no Brasil. Na prática, significa que o consumidor não será afetado no curto prazo, porque a estatal vai segurar os preços. A ideia é dar continuidade à política atual, que atrela os valores aos valores praticados no mercado internacional, com repasses à medida que há mudança de patamar de preços.

Para se resguardar de prejuízos financeiros enquanto não repassa altas no mercado externo para o consumidor, a companhia recorre ao artifício financeiro de hedge, no qual oscilações de curto prazo são compensadas. Especialistas e investidores destacam, porém, da necessidade de a empresa não ser usada para atender às demandas do governo, como aconteceu no passado, quando a empresa foi usada para segurar a inação. A companhia mantinha os preços dos combustíveis inalterados apesar das oscilações externas, o que gerou um rombo nas suas caixas.

Se o mercado perceber que a mesma prática está sendo adotada pela gestão atual, o seu programa de venda de refinarias será afetado, porque nenhuma empresa terá interesse em fazer parte de um setor comandado por interesses políticos e não econômicos.

Apesar de novo reajuste, sindicato afirma que preço da gasolina em Pernambuco teve queda

Apesar de alta que começou a valer ontem (28), não afeta Pernambuco, segundo jornal

Pela terceira vez em agosto, o preço do combustível teve alta autorizada pela Petrobras. O preço médio é de 3,5% mais caro começou a valer ontem (28) nas refinarias de todo país, contudo, segundo a Folha de Pernambuco, no Estado está havendo uma redução nos valores.

LEIA TAMBÉM:

Reajuste de 3,5% no preço do combustível nas refinarias já está em vigor

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Pernambuco (Sindicombustíveis-PE), o reajuste deve equivaler a um aumento de R$0,4 centavos na compra nas distribuidoras. No entanto, mesmo com esse aumento de agora, no acumulado do mês, o preço da gasolina em Pernambuco variou para baixo em 2,7%.

“A rigor, deveria ser repassado, no entanto, como o mercado é livre, fica difícil afirmar se vão ou não repassar o aumento”, explicou o presidente do Sindicombustíveis-PE, Alfredo Pinheiros. A alta anunciada pela Petrobras refere-se apenas a gasolina. O diesel segue inalterado.

Reajuste de 3,5% no preço do combustível nas refinarias já está em vigor

(Foto: Guilherme Testa)

Está valendo a partir de hoje (28) o aumento de 3,5% no preço da gasolina nas refinarias. O reajuste foi autorizado pela Petrobras e representa elevação de R$ 0,0561 no litro do combustível tipo A e R$ 0,0409 na gasolina C. O diesel segue inalterado.

Dessa forma o valor médio do combustível é de R$ 1,679 por litro, contra R$ 1,623 até ontem (27). Somente em agosto foram três reajustes autorizados pela estatal. A Petrobras afirma que o repasse às bombas depende da políticas comerciais de postos e distribuidoras.

A grosso modo, o valor da venda nas refinarias equivale a 30% do preço de bomba, o restante são impostos, margens de lucro dos elos da cadeia e o valor do etanol adicionado ao combustível. (Com informações do Correio Braziliense).

Gás de cozinha mais barato em até 12% para residências a partir de hoje

Anúncio significa que o preço médio de venda do botijão pela Petrobras às distribuidoras deve cair de R$ 26,20 para R$ 24,06

O gás de cozinha ficará mais barato a partir desta segunda-feira (5/8), divulgou, na última sexta-feira (2/8), o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás). A Petrobras vai diminuir o preço dos botijões de gás usados em casa e em empresas. O GLP residencial, de embalagens até 13 kg, deve ficar de 6,5% a 12% mais barato. O empresarial terá redução de 11% a 17%, a depender da localidade.

O anúncio significa que o preço médio de venda do botijão pela Petrobras às distribuidoras deve cair de R$ 26,20 para R$ 24,06. Já o repasse ao consumidor final é incerto, porque ainda depende da incidência de impostos e da margem de lucro visada pelas empresas, que é variável.
De acordo com o Sindigás, que se pronunciou em nota, o ágio praticado pela Petrobras está em cerca de 31% em relação ao preço praticado no mercado internacional, “o que vem pressionando ainda mais os custos de negócios que têm o GLP entre seus principais insumos, impactando de forma crucial empresas que operam com uso intensivo de GLP”.

Petrobras eleva preço da gasolina em 4% nas refinarias

Desde a adoção de novo formato na política de ajuste de preços em 2017, a gasolina acumula alta de 30,82% de preço.

A Petrobras elevou, nessa quinta-feira (01), em 3,75% o preço do diesel e em 4% o preço da gasolina nas refinarias. Com o aumento anunciado, o preço médio do litro diesel sofrerá uma elevação de R$ 0,0757 passando de R$ 2,0205 para R$ 2,0962. Já o preço da gasolina subirá R$ 0,0658, com o litro passando, na média, de R$ 1,6457 para R$ 1,7115.

As informações constam no site da empresa, no qual a petroleira detalha preços praticados nos 37 pontos de suprimento do mercado brasileiro, para a gasolina, o diesel S10 e o diesel S500.

Antes do reajuste anunciado nessa quarta-feira (31), a mais recente alteração havia sido anunciada pela estatal no dia 18 de julho, quando informou a redução, válida a partir do dia 19, de 2,14% no preço médio do litro da gasolina vendida nas refinarias e de 2,15% no preço médio do diesel.

Petrobras reduz preços da gasolina e do diesel nesta terça-feira

(Foto: Ilustração)

A Petrobras anunciou nesta segunda-feira (8) a redução nos preços da gasolina e do diesel em suas refinarias, a partir de hoje (9).

O preço médio da gasolina vai cair 4,4%, enquanto o valor médio do diesel vai recuar 3,8%. A informação consta em site da empresa no qual a petroleira detalha preços praticados nos 37 pontos de suprimento do mercado brasileiro, para a gasolina, o diesel S10 e o diesel S500.

LEIA MAIS

Alvo da Lava-Jato, refinaria de Abreu e Lima deverá ser privatizada

Refinaria fica localizada no Porto de Suape (Foto: Rafa Medeiros)

A primeira fase da venda de refinarias, anunciada pela Petrobras na última sexta-feira (28) inclui Abreu e Lima, localizada do Porto de Suape. O objetivo do Governo Federal é repassar metade da capacidade nacional de refino à iniciativa privada. Juntamente com a unidade pernambucana estão outras três.

São elas as refinarias do Rio Grande do Sul (Refap), do Paraná (Repar) e da Bahia (Rlam). O procedimento de privatização delas já fazia parte de um plano de venda de capacidade de refino do governo Michel Temer, que foi modificado e ampliado pela gestão de Jair Bolsonaro.

Com as quatro refinarias, a Petrobras quer transferir à iniciativa privada também 1.506 quilômetros de dutos e 12 terminais para transporte e armazenamento de petróleo e derivados. Cada unidade será vendida em conjunto com a infraestrutura que tem para movimentar os produtos.

A refinaria de Abreu e Lima esteve no alvo da Lava Jato, que investigou o pagamento de propinas por empreiteiras responsáveis pelas obras. (Com informações da Folha de Pernambuco).

Petrobras anuncia redução no preço do diesel

(Foto: Guilherme Testa)

O preço do diesel teve um corte de 4,6%. A redução foi anunciada na quarta-feira (12) pela Petrobras e no litro, a diminuição resultará em R$ 0,10 por litro, válido já a partir dessa quinta-feira (13). Nas refinarias o valor do combustível custa em média R$ 2,0664 por litro.

O último reajuste no preço do diesel havia sido anunciado pela empresa no dia 31 de maio, quando o valor de venda pelas suas refinarias caiu em média 6%. De acordo com dados da agência estatal americana EIA, de informações em energia, o preço do óleo diesel no Golfo do México caiu 1,7% entre o fim de maio e o início desta semana.

Em comunicado ao mercado, a Petrobras informou que não respeitará mais o prazo mínimo de 15 dias para mexer no preço do diesel, regra estabelecida em meio a crescentes ameaças de greve de caminhoneiros em março.

De acordo com a estatal, sua política de preços continua baseada no conceito de paridade de importação, que consiste no acompanhamento das cotações internacionais, incluindo o custo para trazer os produtos ao país. (Com informações da Folha de Pernambuco).

Petrobras reduz preço da gasolina nas refinarias a partir de hoje

Diesel seguirá estável, segundo estatal (Foto: Guilherme Testa)

4,4% é a média da redução do preço da gasolina nas refinarias. A diminuição no preço foi anunciado pela Petrobras na última sexta-feira (24) e passa a valer neste sábado (25). O corte é de 0,0907 real por litro, representando o primeiro reajuste da gasolina desde 30 de abril de 2019.

Já o diesel seguirá estável, segundo a estatal. A queda no preço do combustível acontece em uma semana que o mercado de petróleo marcou o pior desempenho de 2019, com o barril do Brent, referência internacional, recuando 4,5%.

Houve também valorização do real em relação ao dólar. A moeda americana iniciou a semana vendida a R$ 4,08 e fechou o período valendo R$ 4,01. Todavia, o repasse do preço da gasolina ao consumidor final depende tanto das distribuidoras como dos postos de combustível.

Segundo a companhia, o valor da gasolina na refinaria equivale a 25% do total. Outro 16% são da distribuidora e dos postos, e 59%, de imposto. (Com informações da Veja).

Petrobras volta a aumentar o preço da gasolina nas refinarias

(Foto: Heudes Régis/ JC Imagem)

A Petrobras anunciou ONTEM (23) um aumento médio de R$ 0,0396 no preço da gasolina nas suas refinarias, após 18 dias sem reajustes. Com a alta, o preço médio por litro passa a R$ 1,975 – um reajuste de 2,046% em relação ao preço médio anterior de R$ 1,9354.

Pelo preço médio, a gasolina da Petrobras tem seu maior valor desde 30 de outubro de 2018, segundo dados publicados anteriormente pela estatal. Naquela ocasião, o litro do combustível era vendido, em média, por R$ 1,9855.

O reajuste desta terça vai na mesma linha do avanço dos preços da gasolina no mercado internacional. De acordo com a Reuters, a gasolina nos EUA subiu 8,5% de 5 de abril até a segunda-feira, na esteira dos valores do petróleo, que também atingiram seus maiores níveis em quase seis meses.

Com informações do G1

123