Corrupção: ex-prefeito de Flores (PE) é preso pela Polícia Federal

(Foto: Polícia Federal/Divulgação)

A Polícia Federal (PF) prendeu o ex-prefeito de Flores, no Sertão de Pernambuco, Arnaldo Pedro da Silva. Mais conhecido como Arnaldo da Pinha, ele foi detido na quarta-feira (14), após denúncia do Ministério Público Federal. O ex-gestor foi condenado pela Justiça Federal, por crimes de responsabilidade em irregularidades na gestão de recursos repassados pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Arnaldo da Pinha foi prefeito de Flores em dois mandatos: 1992-1996 e 2001-2004. A denúncia apresentada pelo MPF relata que o ex-gestor desviou recursos públicos do convênio com a Funasa, que seriam destinados para para melhoria habitacional ao controle da doença de Chagas.

Durante as investigações, observou-se apenas a execução de apenas 51% do previsto, apesar do pagamento integral à empresa contratada. Ele foi condenado a oito anos de reclusão, em regime fechado. O ex-prefeito também foi inabilitado para o exercício de qualquer cargo ou função pública por cinco anos. E deverá reparar o dano causado aos cofres públicos. (Com informações da Folha de Pernambuco).

PF encontra dinheiro na cueca de vice-líder do governo no Senado 

Senador não deve ser mantido no posto de vice-líder do governo (Foto: Jane de Araújo/Agência Senado)

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR) foi alvo de um mandado de busca e apreensão da Polícia Federal, em uma operação que investiga desvios de recursos públicos destinados ao combate da covid-19. Durante a ação, realizada na quarta-feira (14), os agentes encontraram dinheiro escondido na cueca do vice-líder do Governo no Senado.

Bolsonaro já chegou a dizer que tem “união estável” com Chico Rodrigues

O parlamentar é um dos investigados no esquema de que pode ter desviado R$ 20 milhões em emendas parlamentares destinados à Secretaria de Saúde de Roraima.

Em nota, a defesa de Rodrigues afirmou que ele teve “o lar invadido por apenas ter feito o seu trabalho” e que irá “provar que não teve nada a ver com qualquer ato ilícito”.

Senador deve perder posto de liderança

A ação de ontem pode resultar na saída de Rodrigues da vice-liderança no Senado. Apesar da proximidade com Jair Bolsonaro (sem partido), a cúpula do Governo Federal considera “insustentável” manter o político no posto.

Ironicamente, o senador integra a Comissão Mista do Congresso Nacional que fiscaliza a utilização dos recursos repassados exclusivamente para medidas contra o coronavírus.

PF investiga mais um golpe da cédula falsa de R$ 200 em Pernambuco

Vítima é um comerciante de 60 anos (Foto: Raphael Ribeiro/BCB)

A Polícia Federal (PF) investiga um segundo golpe aplicado utilizando notas falsas de R$ 200. O caso aconteceu em Camaragibe, Região Metropolitana do Recife, no início do mês. Mas apenas hoje (14) a vítima entrou em contato com a PF.

A vítima é um homem de 60 anos. Ele colocou refletores a venda na internet. A venda foi finalizada e ele recebeu o pagamento em dinheiro. Mas as oito notas de R$ 200 entregues pelos compradores eram falsas. O chefe de comunicação da Polícia Federal no Estado, Giovani Santoro, contou como a denúncia chegou até a PF.

“Esse empresário, administrador, estava fechando as atividades em visto até do falecimento de sua esposa, vendendo 11 refletores de 400 watts. Colocou na internet esse anúncio, uma mulher se apresentou como compradora, foi até a casa dele com outro suspeito e pagou R$ 1,6 mil em notas de R$ 200. Quando ele descobriu que as notas eram falsas as trouxe aqui para a Polícia Federal”, disse a Rádio Jornal.

Dicas

As dicas da PF são observar a cédula atentamente: analisar o número de série, a marca d’água, cor da cédula e acima de tudo, recorrer ao aplicativo “Dinheiro Brasileiro”. O app não dirá se a cédula é falsa, mas vai orientar o usuário sobre como identificar outras possíveis irregularidades.

Polícia erradica 38 mil pés de maconha no interior da Bahia

Droga estava sendo cultivada em diversos municípios da região (Foto: SSP-BA/Divulgação)

A Polícia Militar da Bahia erradicou 38 mil pés de maconha no interior do estado. A Operação Muçambê foi iniciada no dia 30 de setembro e concluída na manhã de quinta-feira (8), em conjunto com as polícias Civil e Federal, além do Exército e Corpo de Bombeiros Militar.

As plantações foram erradicadas nos municípios de Campo Formoso, Curaçá, Irecê, João Dourado, Juazeiro e Xique-Xique. “A Operação Muçambê já vem há quatro anos localizando as drogas na região conhecida como ‘polígono da maconha’. Estamos utilizando a tecnologia do georreferenciamento para identificar as roças, com essas informações, realizamos a operação”, destacou o comandante da Cipe Semiárido, major Carlos Maltez Filho.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP/BA), as plantações foram incineradas e a investigação do tráfico de drogas ficará a cargo da PF em Juazeiro. A PM não informou se houve prisões durante a ação.

Polícia Civil deflagra “Operação Arapuca” no Sertão de Pernambuco

PC cumpre seis mandados de prisão e nove de busca e apreensão (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Civil de Pernambuco desencadeou, na manhã dessa quarta-feira (7), a 53ª Operação de Repressão Qualificada de 2020. “Arapuca” cumpre seis mandados de prisão e nove de busca e apreensão domiciliar, emitidos pela Vara Única da Comarca de Venturosa, no Sertão do Estado.

A operação é presidida pelo delegado Germano Lima, titular da 19ª DESEC, em Arcoverde. O foco da ação é combater crimes de tráfico de drogas, homicídio e venda ilegal de arma de fogo. Cerca de 60 agentes da Civil e 40 policiais militares atuam na ação.

A Polícia Federal também dá suporte na execução. Segundo a Polícia Civil, os detalhes da ação serão apresentados em momento oportuno.

PF cumpre mandados contra ex-juiz substituto do TRE-BA

Wanderley Gomes já vinha sendo investigado pela Justiça da Bahia (Foto: Ascom TRE-BA)

A Polícia Federal cumpriu, nessa terça-feira (29), mandado de busca e apreensão contra o ex-juiz substituto do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), Wanderley Gomes. As equipes foram até a residência de Gomes, localizada no Condomínio Solaris, bairro do Piatã, em Salvador.

O advogado do ex-juiz afirmou ao Bahia Notícias que as ordens dessa manhã tratam apenas de apreensão de bens. O objetivo da PF é ressarcir o erário em uma ação civil pública acerca de pagamentos feitos pela Prefeitura de Casa Nova, com recursos do Fundef aos honorários advocatícios.

O mandado foi expedido pela Justiça Federal em Juazeiro. Gomes se tornou réu em uma ação de improbidade administrativa na Justiça Federal porque seu escritório de advocacia recebeu R$ 21,5 milhões da Prefeitura de Barreiras.

Fundef na gestão Cota

No entanto, o dinheiro pertencia aos precatórios do Fundef. Tais repasses já estavam na mira do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA). Esse órgão já havia denunciado o ex-prefeito de Casa Nova, Wilson Freire Moreira, o Wilson Cota, ao Ministério Público da Bahia (MP-BA).

De acordo com o TCM, Wilson Cota havia feito repasse de R$ 17 milhões também com dinheiro do Fundef ao escritório do ex-juiz do TRE-BA. Cota foi prefeito de Casa Nova entre 2013 e 2016. Ele morreu vítima da covid-19 em agosto desse ano.

Operação erradica mais de 80 mil pés de maconha no Sertão de Pernambuco

Um homem foi preso em Santa Maria da Boa Vista (Foto: Polícia Federal/Divulgação)

Uma operação conjunta das polícias Civil e Militar de Pernambuco e da Polícia Federal erradicou 80,3 mil pés de maconha em municípios do Sertão. A ação foi realizada entre os dias 9, 11 e 18 de setembro. A droga estava sendo cultivada em propriedades rurais de Santa Maria da Boa Vista, Carnaubeira da Penha e ilhotas do Rio São Francisco.

Também foram erradicadas 18.640 mil mudas, 30,5 kg de maconha pronta para consumo e quatro kg de sementes. As ações são um desdobramento da Operação Muçambê, que contou com suporte da PF em Brasília (DF).

Durante as investidas contra as propriedades, um homem de 22 anos foi detido em flagrante na cidade de Santa Maria da Boa Vista no dia 11/09. Ele já está preso na Cadeia Pública de Salgueiro. Participaram da ação a PF de Salgueiro, as 1ª, 2ª e 7ª CIPM, BEPI e equipes da Civil. Todo o material, caso fosse colhido e prensado, renderia 27 toneladas da erva no mercado.

Pernambuco: Operação Desumano investiga irregularidades na contratação de OSS

Empresário foi preso durante a ação (Foto: Reprodução/TV Globo)

A Polícia Federal voltou a analisar as contratações irregulares no combate a covid-19 no estado de Pernambuco. Desde a manhã dessa quarta-feira (16), equipes estão nas secretarias de Saúde do Recife e Jaboatão do Guararapes, na Região Metropolitana através da “Operação Desumano”.

Um mandado de prisão foi cumprido. O alvo é um empresário, cuja identidade ainda não foi divulgada. Outros 21 de busca e apreensão também foram feitos nos endereços de secretários e servidores no Recife, Olinda, Jaboatão e Paulista.

Contratos sem licitação

De acordo com a PF, a organização social de saúde (OSS), responsável por prestar serviços para as duas prefeituras, não teria estrutura operacional e financeira para fazer os serviços terceirizados. A hipótese da PF é a existência de pagamento indevido a agentes públicos.

Os contratos foram firmados com dispensa de licitação em ambos os casos. Os envolvidos podem responder por peculato, organização criminosa, falsidade ideológica e dispensa indevida de licitação. As prefeituras negam qualquer irregularidade.

Bolsonaro deverá depor oralmente em inquérito que apura interferência na PF

Moro deixou governo alegando que Bolsonaro interferiu na PF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello determinou hoje (11) que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) não poderá depor por escrito no inquérito que investiga uma suposta interferência política na Polícia Federal (PF).

LEIA TAMBÉM

PF pede ao STF autorização para depoimento de Bolsonaro sobre denúncias feitas por Moro

Moro anuncia saída do governo Bolsonaro após demissão de chefe da PF

Ou seja, Bolsonaro deverá comparecer pessoalmente para depor. Caso opte, poderá fazê-lo por videoconferência. Na decisão, Mello leva em conta que o presidente é investigado e não testemunha do caso. Portanto, deve depor oralmente.

Além disso, Sérgio Moro – que acusou Bolsonaro de interferir na PF – pode elaborar perguntas no depoimento. Contudo, a oitiva será conduzida por agentes da PF e procuradores federais. De acordo com a CNN Brasil, a decisão de Mello já estava tomada desde 18 de agosto.

Contudo, o ministro cumpre licença por questões médicas. Apesar disso, pode despachar sobre temas anteriores ao seu afastamento. A suposta interferência de Bolsonaro na PF teria sido o estopim para a saída de Moro do governo.

PF mira desvios no DNIT através da Operação Circuito Fechado

Operação de hoje é desdobramento da “Gaveteiro” (Foto: Estadão/Reprodução)

Equipes da Polícia Federal estão cumprindo mandados de busca e apreensão e também de prisão na “Operação Circuito Fechado”. O foco da ação deflagrada nessa quinta-feira (3) é apurar supostos desvios de R$ 4.566.248 no Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT).

Segundo a PF, as fraudes aconteciam por meio de três contratos firmados entre 2012 e 2019. Nove mandados de prisão temporária e 44 de busca e apreensão estão sendo cumpridos nos estados de Goiás, Paraná, São Paulo e no Distrito Federal.

Bloqueios de bens

Em consequência da operação, a Justiça Federal determinou o bloqueio de cerca de R$ 40 milhões nas contas dos investigados e o sequestro de 11 veículos e seis imóveis. A Operação Circuito Fechado é a segunda fase da Operação Gaveteiro, deflagrada em fevereiro de 2020, cujo foco eram fraudes no Ministério dos Transportes.

Os investigados devem responder pelos crimes de peculato, organização criminosa, lavagem de dinheiro, fraude à licitação, falsificação de documento particular, corrupção ativa e passiva. Somando as penas, o tempo de reclusão pode ultrapassar 40 anos de prisão. (Com informações do G1).

PF faz operação para investigar fraudes no Auxílio Emergencial

Criminoso usava dados de outras pessoas para se cadastrar e receber benefício (Foto: PF/Divulgação)

Equipes da Polícia Federal estão nas ruas, nessa quarta-feira (2), para investigar fraudes no Auxílio Emergencial. A Operação “Falso Samaritano” identificou um suspeito que utilizava dados de vítimas para se cadastrar nos aplicativos do benefício e receber o valor de forma indevida.

“O investigado também ameaçou e divulgou dados pessoais do presidente da Caixa Econômica Federal e de seus familiares, após o presidente do banco ter alertado a população sobre a existência de golpes, bem como declarado que iria intensificar as medidas para impedir a ação dos fraudadores”, informa a assessoria da PF.

Um mandado de prisão foi expedido pela 2ª Vara Federal Cível e Criminal de Varginha (MG). Estão sendo investigados os crimes de estelionato para o recebimento do auxílio emergencial, ameaça e divulgação de informações pessoais. Mais informações sobre a Operação devem ser divulgadas ao longo do dia.

Polícia destrói mais de 5 mil pés de maconha em Ilhas de Orocó e Santa Maria da Boa Vista (PE)

Policiais civis, comandados pelo delegado Delegado Emanuel Luciano Caldas de Sá – Chefe da 25ª DESEC/Cabrobó, em conjunto com a 7ª CIPM/ Santa Maria da Boa Vista, (GATI e Patrulha Rural), ainda Polícia Federal, no decorrer do cronograma da Operação Muçambê IV, coordenada pela Polícia Federal, na manhã deste sábado (29) deflagrou operação para erradicar um plantio de maconha com aproximadamente 5.200 pés da planta.

A ação foi resultado de investigação empreendida pela Delegacia de Orocó, com apoio do GATI-7ª CIPM, e levantamentos coordenados pela Polícia Federal, com o auxílio de drones, de forma a orientar e facilitar a localização dos plantios de drogas ilícitas na região das Ilhas do São Francisco, nos municípios de Orocó e Santa Maria da Boa Vista.
Não foram divulgadas informações sobre prisões.

Segundo Gonzaga Patriota, delegacia da Polícia Federal será instalada em Petrolina

(Foto: Internet)

Em audiência, nessa quinta-feira (27), com o diretor geral da Polícia Federal (PF), Rolando Alexandre de Souza, o deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) informou que, além de garantir a permanência da PF em Salgueiro (PE), Petrolina também terá uma delegacia da instituição, já que se trata de uma grande cidade.

“Na oportunidade, ele atendeu meu pleito e garantiu o que já havia sido acertado com a Superintendente da Polícia Federal em Pernambuco, Delegada Patrícia Cintra, de que a Polícia Federal permanecerá em Salgueiro, como um Posto Avançado e em Petrolina será instalada uma Delegacia, por ser um grande município, distante mais de 700 quilômetros da capital pernambucana, ter aeroporto com exportações e ser carente dessa instituição”, explicou.

LEIA MAIS

Polícias Militar e Federal apreendem maconha e armas de grosso calibre durante operação em Orocó (PE)

(Foto: Polícia Militar)

Operação conjunta entre equipes da Polícia Militar e Polícia Federal cumpriu, nesta sexta-feira (21), mandado de busca e apreensão em uma casa da cidade de Orocó, no Sertão de Pernambuco.

Após levantamento dos núcleos de inteligência das forças policiais, as autoridades tomaram conhecimento que o dono do imóvel armazenava armas e drogas em sua residência.

(Foto: Polícia Militar)

Ao entrar no local indicado, os policiais encontraram um fuzil M16 A-2, calibre 5.56, munições do fuzil, munição para arma calibre 40 e uma pequena quantidade de maconha.

O acusado foi preso em flagrante e confessou que tinha outra residência na Ilha do Aracapá, também na região de Orocó. Neste imóvel indicado os policiais apreenderam uma espingarda calibre 36 com numeração suprimida, 26 kg de maconha, sementes e 6 gramas de haxixe.

O acusado e o material apreendido foram apresentados na Delegacia da Polícia Federal em Salgueiro.

Ex-donos da Avianca são presos em mais uma fase da operação da Lava Jato

Os irmãos José (esq.) e Germán Efromovich. (Foto: Divulgação)

Os empresários Germán Efromovich e José Efromovich, donos do estaleiro Eisa – Ilha S.A., foram presos em São Paulo na manhã desta quarta-feira (19), no âmbito da Operação Lava Jato. Os dois são ex-donos e atuais acionistas da Avianca Holdings, mas esta não aparece nas investigações.

A 72ª fase da operação investiga fraudes em licitações e pagamento de propina envolvendo executivos da Transpetro (subsidiária de transporte da Petrobras) e do estaleiro, localizado na Ilha do Governador, zona norte do Rio de Janeiro.

LEIA MAIS
123