Agricultura: pera produzida no Vale é comercializada ao Rio Grande do Sul

Cerca de 1 tonelada foi comercializada com o Sul (Foto: Frederico Celente/Codevasf)

Conhecida por exportar uva e manga, o Vale do São Francisco agora é uma região produtora de pera. O fruto até então inimaginável na região já ganhou um mercado interno: a Serra Gaúcha. Na última terça-feira (21) cerca de uma tonelada foi despachada até o município de Farroupilha (RS).

O desenvolvimento da pera na região é resultado de uma parceria da Companhia de Desenvolvimento dos Vales São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), trabalho conjunto que já dura uma década.

“Ao longo dos anos de pesquisa nós colhemos importantes resultados que nos mostram que é possível produzir pera em grande escala no Vale do São Francisco. Alguns anos atrás nós já víamos que a produção poderia chegar a cerca de 60 toneladas por hectare no quarto ano de cultivo, com possibilidade de duas safras-ano”, disse o engenheiro agrônomo da Codevasf Osnan Ferreira.

Dados da Embrapa indicam que a pera é a terceira fruta do clima temperado mais consumida no Brasil. Até chegar a fase de colheita, as duas entidades desenvolveram longos trabalhos de pesquisa e análise de mercado, para saber qual a cultura mais viável.

Nesse meio tempo foram realizados experimentos com pereira, macieira, caquizeiro, cacaueiro e outras culturas típicas de clima temperado nos projetos públicos de irrigação Senador Nilo Coelho e Bebedouro.

Prefeitura de Petrolina articula preparativos para a 51ª Festa do Colono do Projeto Bebedouro

(Foto: Jaquelyne Costa)

Na tarde de quinta-feira (4), o secretário de Governo e Agricultura, Simão Durando esteve reunido com o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Emício Junior, o diretor de Eventos, Henrique Barros e membros da comissão organizadora da Festa do Colono do Projeto Bebedouro: Rogério Passos, Betânio Nunes, Orácio da Silva e Décio Freire.

Na ocasião, ficou definido que a Prefeitura de Petrolina dará apoio na estrutura e contratação de atrações musicais para a 51ª edição do evento. A festa tradicional no município, acontecerá no dia 27 deste mês.

Moradora do Projeto Bebedouro denuncia poluição sonora que tem tirado o sossego da localidade

(Imagem: Ilustração)

Através do nosso WhatsApp, uma moradora do Projeto Irrigado Bebedouro, zona rural de Petrolina (PE) entrou em contato com a nossa produção para denunciar a poluição sonora provocada por um bar, localizado na Vila 07 do Projeto. De acordo com ela, esse problema acontece há anos.

Segundo o relato da moradora, que não quis se identificar, o som é reproduzido por paredões que ficam estacionados no estabelecimento, geralmente até às 03h da madrugada durante o fim de semana. Ainda de acordo com ela, além do som, outro problema são os menores que frequentam o local.

O barulho tem tirado o sossego dos moradores da localidade. A moradora que denunciou a situação, fala do sofrimento que está passando, principalmente por causa de seu pai que já é idoso e tem problemas de saúde. “ Meu pai tem 80 anos e mora próximo ao bar, ele tem Alzheimer. Eu tenho que ficar com ele a noite toda acordada. Isso vem com muitos anos, até parece arrumadinho com alguém que tem poder”, disse.

LEIA MAIS

Acusado de tráfico é preso no Projeto Bebedouro, em Petrolina

(Foto: Polícia Civil/Divulgação)

José do Nascimento Pereira, de 44 anos, mais conhecido como Zé da Tripa foi preso pela Polícia Civil de Petrolina na tarde de quinta-feira (17), no Projeto Bebedouro. Ele é acusado de traficar entorpecentes em Izacolândia e foi preso pela Polícia Civil, com apoio da Militar.

Com José foram encontradas 45 gramas de cocaína dividas em pequenas embalagens, R$ 1.300,00 em espécie, uma moto Honda Bros vermelha e dois celulares. Ele foi apresentado na Delegacia de Polícia Civil e passará pela audiência de custódia.

Codevasf e pescadores fazem peixamento no Rio São Francisco em Petrolina

(Foto; Ascom Codevasf)

Cerca de 15 mil alevinos foram introduzidos no Rio São Francisco nessa semana. Os peixes foram colocados no Rio São Francisco, no Projeto de Irrigação do Bebedouro, como parte de uma ação para conscientizar os pescadores sobre o período da piracema.

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) no São Francisco coordenou a iniciativa que contou ainda com uma roda de conversa com os pescadores, sobre a importância de respeitar a piracema, época de reprodução dos peixes.

De acordo com o superintendente regional da Codevasf em Pernambuco, Aurivalter Cordeiro, a expectativa é que 2018 seja um ano com peixamentos cada vez maiores. “Temos boas perspectivas para este ano. Estamos com uma nova equipe de suporte no Centro de Recursos Pesqueiros de Bebedouro e isso está nos permitindo retomar importantes trabalhos” afirmou.

No ano de 2017 foram produzidos 8,1 milhões de alevinos nos sete Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura mantidos pela Codevasf – 4,3 milhões de espécies nativas e 3,8 milhões de não nativas. No último ano, a empresa realizou 27 peixamentos em sua área de atuação na bacia do São Francisco.

Projeto de Irrigação de Bebedouro gera quase 100 milhões de renda bruta no ultimo ano

Irrigação-divulgação

As principais culturas são manga, uva, banana, goiaba, coco, acerola, maracujá, melancia, limão, feijão e milho./ Foto: internet

Com uma área irrigável de 1.640 hectares, o Projeto de Irrigação de Bebedouro foi implantado pela Codevasf e entrou em operação em 1968. A ocupação espacial é dividida entre 192 pequenos produtores com lotes familiares e 05 empresas.

As principais culturas são manga, uva, banana, goiaba, coco, acerola, maracujá, melancia, limão, feijão e milho, que em 2015 geraram uma receita bruta de R$ 93.200.000,00 e 3.280 empregos entre diretos e indiretos.

Sua produção agrícola é comercializada nos mercados local, regional e nacional. Parte do que produz também é exportada.

LEIA MAIS