Site do PSDB é hackeado e exibe foto de Dilma e Lula

O site do PSDB foi hackeado na noite deste domingo, 18, por um invasor que se identifica como “rflh4xo3”.

O hacker apagou todo o conteúdo da página inicial e o substituiu por uma foto dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. Logo abaixo da imagem, o invasor também escreveu uma frase: “o tempo passa, os dias ficam mais chatos e algumas pessoas mais ignorantes”.

Por meio do Twitter, o partido afirmou que o invasor se trata de um “militante da extrema esquerda desocupado”.

Nosso site acabou de ser hackeado.
Pra variar, militante de extrema esquerda desocupado atrapalhando a vida das pessoas que trabalham.

O PSDB retirou todo o conteúdo do site do ar. Essa não é a primeira vez que o partido sofre um ataque virtual. Em maio do ano passado, o site do PSDB Minas Gerais teve a homepage trocada por uma montagem de protesto contra o então presidente Michel Temer. Em outubro de 2015, o PSDB Minas também foi invadido.

PSDB lança novo Código de Ética, mas isenta Aécio de punição imediata

(Foto: Internet)

O PSDB quer recuperar a imagem, após ter o nome do partido envolto em denúncias de corrupção nos últimos anos. Para isso a cúpula tucana lançará na próxima semana o novo Código de Ética, o qual prevê punição a filiados os quais se envolvam em ilegalidades.

Essa é a primeira vez que o partido elabora um documento específico para punir corrupções. No novo Código é prevista a expulsão de filiados, mas um dos nomes mais conhecidos do PSDB deve ficar impune. Aécio Neves delatado por Joesley Batista, empresário da J&F não deve ser punido de imediato pela cúpula, de acordo com o jornal O Estado de Minas.

LEIA MAIS

PSDB flerta com Miguel Coelho após prefeito se desfiliar do PSB

Miguel e Bruno estiveram no mesmo lado na campanha de 2018

A notícia de que o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho se desfiliou do PSB já correu pelos bastidores da política e segundo a Folha de Pernambuco, o PSDB está de olho em Miguel. Presidente estadual dos tucanos, Bruno Araújo já teria conversado com o governador de São Paulo, João Dória que preside o partido a nível nacional.

Segundo a Folha, Araújo já teria formalizado um convite a Miguel com aval de Dória. “Para o projeto que está sendo construído de reapresentação do PSDB, a cara de Miguel tem tudo a ver com isso”, disse o candidato a senador no ano passado.

LEIA TAMBÉM:

Miguel coelho formaliza desfiliação do PSB; futuro partido do gestor ainda é desconhecido

O prazo legal para Miguel trocar de legenda e concorrer à reeleição é abril do ano que vem.  Os tucanos, no entanto, querem agilizar esse processo. “Se ele tiver de vir para o PSDB, a gente quer construir num período curto. Se alternativa for essa a gente quer que ele se integre o mais rápido para participar desse processo de construção”, informou Araújo à Folha.

A desfiliação de Miguel ao PSB foi oficializada ontem (17). A saída do prefeito de Petrolina encerra o ciclo da família Coelho no partido que já teve o senador Fernando Bezerra Coelho e o deputado Fernando Filho integrando o bloco. Hoje o clã é oposição ao projeto do Governo de Pernambuco.

Bruno Araújo é o favorito de Doria para assumir PSDB nacional

Candidato ao Senado Federal em 2018 pelo PSDB de Pernambuco, o deputado federal Bruno Araújo é o nome preferido de João Doria (PSDB-SP) para assumir a presidência nacional da sigla. Doria assumirá o Governo de São Paulo em 2019 e vê em Bruno uma postura conservadora para o partido.

Os tucanos realizam em maio uma convenção para definir a presidência. Ex-ministro no governo de Michel Temer (MDB), Araújo defende bandeiras como a garantia de posse de arma nas áreas rurais, sugere a adoção de cotas sociais em substituição às cotas raciais e quer “racionalidade na pauta ambiental”.

“O PSDB não pode ter o receio de fazer inflexões a pautas mais conservadoras, como, por exemplo, a redução da maioridade penal, que tem apoio da maioria da sociedade e que recebeu votos na Câmara da imensa maioria do partido”, disse o deputado.

Doria e Araújo também advogam que o partido vote favoravelmente projetos que Bolsonaro apresente no Congresso e não se opõem aos convites feitos a tucanos para integrar o governo. Eles entram em choque com dois nomes históricos do partido: Fernando Henrique Cardoso e José Serra.

FHC e Serra são contra a essa mudança de discurso e também contra o embarque na administração federal. Em entrevista à revista Veja, FHC declarou que, “se o PSDB virar uma sublegenda do governo, qualquer governo, estou fora”.

Com informações do Estado de São Paulo

Integrantes do PSDB enviam carta de “apoio e apreço” a Fernando Haddad

Haddad quer conversar com FHC e fechar acordo, apesar de tucanos ficarem neutros (Foto: Reprodução)

Mesmo com o PSDB se mantendo neutro no segundo turno das eleições 2018, membros do partido enviaram uma carta de “apoio e apreço” a Fernando Haddad, candidato do PT contra Jair Bolsonaro (PSL). O gesto dos tucanos aconteceu durante um almoço na quarta-feira (10), em São Paulo.

Haddad disse que não está autorizado a divulgar o nome de quem o apoiou, mas afirmou ter interesse em conversar com o ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso (FHC). “[Estamos] conversando com todas as forças que queiram conter a barbárie, essa escalada [de violência] no país. Vamos prosseguir no sentido de estabelecer protocolos de civilidade em proveito do futuro do Brasil”, disse o ex-ministro da Educação.

Hoje o petista cumpre agenda política em Brasília, onde se encontrará com representantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o presidente nacional do PSB, João Carlos Siqueira. Na pesquisa do Datafolha divulgada ontem, Haddad está 16 pontos atrás de Bolsonaro e corre em busca de apoio para reverter a desvantagem.

“Lave a boca e respeite o nosso eleitorado”, diz Odacy em resposta a ataques de Ronaldo Silva ao PT

Odacy Amorim responde críticas de Ronaldo Silva ao PT.

O deputado estadual Odacy Amorim (PT), respondeu o vereador de Petrolina Ronaldo Silva (PSDB), que – ao anunciar seu apoio e do partido ao candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) – atacou o Partido dos Trabalhadores afirmando que era “partido de ladrão”.

A reposta veio durante entrevista ao programa “Super Manhã”, com Waldiney Passos, na Rádio Jornal. Na oportunidade, Odacy lamentou o fato de um parlamentar estimular esse tipo de prática e pediu para que o vereador respeitasse o eleitorado do PT.

“Eu ouvi o vereador falar e acho lamentável estimular este tipo de prática que disse que o esse era um partido de ladrão. Quer dizer que eu sou um ladrão? Quer dizer que o eleitor que vota em Lula, Dilma e que votaram em Haddad são ladrões. Lave a boca e respeite o nosso campo, respeite o nosso eleitorado”.

LEIA TAMBÉM

Ronaldo Silva declara apoio do PSDB de Petrolina a Jair Bolsonaro e classifica PT como “partido de ladrão”

Odacy afirmou ainda que Ronaldo deverá responder nas urnas, quando houver uma nova eleição para vereador na cidade. “Esse vereador ele vai responder daqui a dois anos nas urnas. Então ele se prepare porque o povo começa a olhar para ele como um inimigo do bem. Nessa história de em nome da família atacar as pessoas, nós já estamos no segundo caso de violência de eleitores do Bolsonaro que agridem e até mataram um cidadão em Salvador”.

O deputado afirmou que nenhum eleitor, independente do partido, pode ser chamado de bandido e afirmou que o PT trabalhou muito pelas famílias no país. “Está cheio de cidadão votando em Bolsonaro, eu não posso chegar aqui e dizer que o povo de Bolsonaro é tudo bandido. De jeito algum! Tem muita gente sincera defendendo a causa de Bolsonaro. Ele nos discursos agrada muita gente. Mas vamos parar com isso, porque quem mais fez pelas famílias brasileiras foi o PT”.

Alckmin promete reformas no início do mandato e critica política de combustíveis

(Foto: Arquivo)

O candidato do PSDB à Presidência da República nas eleições 2018, Geraldo Alckmin, promete zerar o déficit primário do País em até dois anos e aprovar reformas já no seu primeiro ano de governo, caso seja eleito.

Alckmin critica a política de preço de combustível, que resultou na greve dos caminhoneiros deste ano,  e o tabelamento do frete rodoviário – demanda da categoria acordada com o governo que enfrenta resistência dos produtores.

“Estou trabalhando com Ana Amélia (vice na sua chapa) para, em janeiro, apresentar e aprovar reformas”, disse. “Meta é zerar déficit primário em até dois anos; permitir mais queda dos juros.”

Com acenos às demandas do setor, o candidato afirmou que não há hipóteses de voltar imposto sobre exportação e que isso significaria tirar competitividade de produtos. O tucano teceu elogios ao agronegócio: é um “grande polo dinâmico da economia”, “campeão de emprego” e que “melhora a qualidade de vida da população”.

Alckmin voltou a defender a criação de um tributo para amenizar a variação de preços dos combustíveis conforme o mercado internacional. “A Petrobrás não pode fazer ajustes diários. Faz uma média a cada 30 dias, se subir muito o barril do petróleo, faz um imposto regulatório, para se ter um colchão de natureza tributária. Se subir muito (o preço do) barril, você baixa o imposto regulatório”, afirmou. “O resultado (da greve) foi subsídio para combustível fóssil e esse retrocesso do tabelamento de frete. Não tem o menor cabimento”, disse.

“Ainda teve candidato incentivando greve de caminhoneiro”, disse o tucano, sem citar diretamente o nome de Jair Bolsonaro (PSL) que, na época da greve, chegou a apoiar a categoria. “Petrobrás não tem dinheiro para tudo; defendo trazer empresas privadas para o pós-sal e para o refino no Brasil”.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Bruno Araújo será candidato ao Senado, anúncio será feito amanhã (28)

O grupo de oposição encontrou o último nome que faltava para compor a chapa como pré-candidato ao Senado Federal. Bruno Araújo (PSDB) bateu o martelo e confirmou seu nome para a disputa, mas o anúncio oficial acontecerá somente neste sábado (28).

Uma coletiva de imprensa está marcada para 10h, no bairro do Derby, em Recife, com a presença de Armando Monteiro Neto (PTB) e Mendonça Filho (DEM). A informação foi confirmada pela assessoria de Bruno Araújo que também é presidente estadual do PSDB.

Na última sexta-feira (20) o deputado federal havia devolvido sua indicação ao partido, alegando descontentamento com o grupo que escolheu Armando para a disputa de governador. Nessa semana os ânimos se acalmaram e o tucano mudou de ideia.

Dessa forma, a chapa majoritária tem além de Armando, Mendonça ao senado, juntamente com Bruno. No entanto, falta o nome de vice-governador, que só deve ser divulgado no dia da convenção partidária, agendada para 4 de agosto.

“Centrão” apoiará Alckmin, que terá o maior tempo na TV

(Foto: Marcelo Ferreira/DA Press)

Geraldo Alckmin (PSDB) oficializou o apoio do “Centrão”, bloco formado por DEM, PP, PR, PRB e SD à sua pré-candidatura à Presidência da República. O anúncio foi feito nessa quinta-feira (26) e confirma boatos iniciados na semana passada.

Com o apoio, o tucano será o presidenciável com maior tempo na propaganda na rádio e TV. O Centrão chegou a cogitar aliança com o PDT de Ciro Gomes, porém optou por Alckmin.

“Fui candidato em 2006, fui para o segundo turno, mas acabei não vencendo. Hoje, sinto um clima totalmente diferente e me sinto mais amadurecido. Tanto pela experiência, sofrimento e adversidade”, disse o tucano.

Em Pernambuco o presidenciável deve ter palanque aberto no grupo da oposição, após o pré-candidato a governador, Armando Monteiro (PTB) anunciar espaço para sua campanha no estado.

A decisão foi tomada para acalmar os nervos do PSDB estadual, que ameaçou se desligar da oposição depois de Bruno Araújo devolver sua indicação ao senado à sigla.

Bruno Araújo afirma que rusga na oposição é episódio superado

(Foto: Arquivo)

Depois de o pré-candidato a governador de Pernambuco pelo grupo da oposição, Armando Monteiro (PTB) reafirmar a importância do PSDB para o grupo, o deputado federal Bruno Araújo (PSDB) emitiu uma nota e disse ter superado a rusga política.

LEIA TAMBÉM:

Em nota, Armando afirma que PSDB tem palanque aberto dentro da oposição

Bruno é presidente estadual dos tucanos e retirou seu nome ao Senado Federal por descontentamento com Armando. Chegou-se a cogitar a saída do PSDB da oposição, depois de Armando elogiar Lula. Esse episódio provocou um desgaste, já que Geraldo Alckmin é pré-candidato pelos tucanos à Presidência da República.

Confira a nota assinada por Bruno Araújo:

LEIA MAIS

Em nota, Armando afirma que PSDB tem palanque aberto dentro da oposição

Armando (esq.) elogiou papel de Bruno na oposição de Pernambuco (Foto: Divulgação)

Os fatos dos últimos dias balançaram a parceria entre PSDB e PTB no grupo de oposição ao Governo de Pernambuco. Mas o pré-candidato a governador, Armando Monteiro Neto (PTB) voltou a destacar a importância dos tucanos no Pernambuco Quer Mudar.

Na sexta-feira (20) Bruno Araújo (PSDB) devolveu sua indicação ao Senado aos tucanos e o partido começou a desenhar uma saída da aliança. Hoje (24) Armando emitiu uma nota e destacou a importância do PSDB na formação do Pernambuco Quer Mudar.

LEIA TAMBÉM:

PSDB ameaça romper com PTB em Pernambuco

Citando Bruno e Geraldo Alckmin, Armando reiterou abertura do palanque aos tucanos em pernambuco e disse que o grupo não será afetado por “pontuais divergências”. A gota d’água para Alckmin foi o apoio de Armando ao nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, já que o PTB foi o principal aliado do PSDB a nível nacional.

Leia a seguir a nota assinada por Armando Monteiro Neto:

LEIA MAIS

PSDB ameaça romper com PTB em Pernambuco

Depois de o deputado federal e presidente estadual do PSDB, Bruno Araújo anunciar sua retirada à disputa por uma vaga no Senado Federal, o partido ameaça romper com o PTB no estado.

Conforme apuração do jornal O Estado de São Paulo, o principal motivo é a aliança de Geraldo Alckmin com o chamado Centrão, que precisa de reajustes nos estados, entre eles Pernambuco.

LEIA TAMBÉM:

Bruno Araújo anuncia desistência a vaga no Senado Federal

A decisão de Armando Monteiro Neto (PTB) em apoiar o nome de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República não soou bem aos ouvidos tucanos, que agora querem lançar Bruno Araújo a governador, deixando o grupo Pernambuco Quer Mudar.

O impasse criado em Pernambuco coloca de um lado Araújo que foi ministro do governo de Michel Temer e do outro o então maior apoiador do PSDB a nível nacional, mas o PTB no estado tem se mostrado mais favorável a Lula do que a Alckmin.

Bruno Araújo anuncia desistência a vaga no Senado Federal

Presidente estadual do PSDB relatou incômodo com grupo político (Foto: Arquivo)

Conforme o Blog publicou mais cedo, a oposição de Pernambuco escolheu o dia 4 de agosto para confirmar a chapa majoritária ao Governo do Estado. Mas o grupo sofreu um abalo com anúncio feito pelo deputado federal Bruno Araújo (PSDB), que devolveu sua indicação ao Senado Federal aos tucanos.

LEIA TAMBÉM:

Pernambuco: Oposição oficializará chapa majoritária em 4 de agosto

Em nota, Bruno Araújo credita à “dificuldade levantada em dar seguimento” ao seu nome como principal razão de sua retirada. O ex-ministro das Cidades no governo de Michel Temer agradeceu o apoio do partido e das alianças favoráveis à sua pré-candidatura.

Até o momento o grupo Pernambuco Quer Mudar tem dois nomes confirmados na chapa majoritária: o de Armando Monteiro Neto (PTB) ao Governo e Mendonça Filho (DEM) ao Senado Federal.

Confira a seguir a nota de Bruno Araújo:

LEIA MAIS

Criticado por sua parcialidade, Sérgio Moro posa ao lado de João Doria em evento

Durante um evento em Nova York, realizado na terça-feira (15), o pré-candidato ao Governo de São Paulo, João Doria (PSDB) e o juiz federal da Operação Lava Jato, Sérgio Moro posaram para uma foto com suas esposas. O registro publicado nas redes sociais de Doria e provocou críticas ao posicionamento de Moro.

Isso porque a foto vem dois dias após a publicação de uma pesquisa da CNT/MDA, na qual 90% dos brasileiros afirmaram não acreditar na imparcialidade da Justiça no país. O levantamento também apontou que a atuação da Justiça no Brasil é negativa para 55,7% (ruim ou péssima) dos entrevistados.

Moro já foi flagrado ao lado de outros políticos do PSDB, a exemplo de Aécio Neves. O juiz esteve em Nova York para receber o prêmio de Personalidade do Ano, por seu desempenho na Lava Jato.

 

Alckmin assume a presidência nacional do PSDB

(Foto: Arquivo)

Em convenção na manhã de hoje (9), PSDB elegeu o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin para a presidência do partido. A chapa encabeçada por Alckmin recebeu 470 votos a favor, 3 contra, e houve uma abstenção.

Em discurso logo após ser eleito, o tucano partiu para o ataque contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Depois de ter quebrado o Brasil, Lula diz que quer voltar ao poder. Ou seja, meus amigos, ele quer voltar à cena do crime”.

“Fiquem certos de uma coisa, nós os derrotaremos nas urnas. Lula será condenado nas urnas pela maior recessão de nossa história. As urnas os condenarão pelos milhões de empregos perdidos, pelas empresas fechadas, pelos sonhos desfeitos”, discursou Alckmin.

123