PT e PSB acertam alianças em três estados do Nordeste e buscam aproximação em Pernambuco

A retomada dos direitos políticos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reaproximou o partido de um parceiro histórico, o PSB, e acelerou tratativas entre as duas legendas para possíveis alianças nos estados, sobretudo no Nordeste.

Nas últimas semanas, PT e PSB selaram parcerias políticas no Piauí, na Paraíba e no Amapá e iniciaram um movimento de reaproximação em Pernambuco, Sergipe e no Espírito Santo. As cúpulas dos dois partidos afirmam que a reaproximação tem como foco a definição de estratégias políticas conjuntas e dizem que as eleições do próximo ano ainda não estão em pauta.

É um estreitamento político, não necessariamente eleitoral. Tivemos uma conversa muito boa com o PSB para discutir como podemos ajudar o Brasil a sair dessa crise“, afirma a presidente nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR).

LEIA MAIS

STF mantém decisão que declarou Moro parcial contra Lula

A maioria do Supremo Tribunal Federal (STF) votou nesta quinta-feira(22), para confirmar o julgamento da Segunda Turma que declarou o ex-juiz federal Sérgio Moro parcial ao condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na ação do triplex do Guarujá.

A posição do plenário é mais uma vitória do petista e frustra o relator da Lava Jato, Edson Fachin, que havia tentado uma manobra para esvaziar a discussão sobre a atuação de Moro à frente da Justiça Federal de Curitiba.

LEIA MAIS

PT de Juazeiro comemora anulação das sentenças que condenaram o ex-presidente Lula

Na tarde da última segunda-feira (8), o ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, anulou todas as sentenças que condenaram e levaram a prisão o ex-presidente Lula. Na sentença, o ministro considerou que a 13ª Vara Federal de Curitiba (PA), não tinha competência para julgar os casos, anulando assim, todos os processos que tornaram Lula inelegível.

O Partido dos Trabalhadores (PT) de Juazeiro enviou carta a imprensa nesta quarta-feira (10), informando que a militância recebeu com muita alegria esta notícia, com o sentimento de justiça que começa a se fazer, meio a um cenário de caos e desesperança.

LEIA TAMBÉM

“Fui vítima da maior mentira jurídica contada em 500 anos de história”, diz Lula

Fachin anula condenações de Lula relacionadas à Lava Jato; ex-presidente pode concorrer a cargo público

LEIA MAIS

“Fui vítima da maior mentira jurídica contada em 500 anos de história”, diz Lula

O ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva concedeu entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (10), na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo (SP). Lula se manifesta pela primeira vez à imprensa desde a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin.

LEIA TAMBÉM

Fachin anula condenações de Lula relacionadas à Lava Jato; ex-presidente pode concorrer a cargo público

Lula, que tirou a máscara para falar com a imprensa, lembrou da sua prisão. Novamente ele alegou inocência e disse que o cenário político do momento resultou na sua prisão. Na sequência, afirmou que tem toda razão de estar indignado pela sua condenação, mesmo alegando ser inocente.

“Eu sei que fui vítima da maior mentira jurídica contada em 500 anos de história. Eu sei que a minha mulher, a Marisa morreu por conta da pressão. Eu fui proibido até de visitar meu irmão [que morreu quando Lula estava preso]. Se tem um brasileiro tem o direito de ter muitas e profundas mágoas, sou eu. Mas não tenho, sinceramente eu não tenho”, afirmou.

Fachin fez justiça tardia, segundo ex-presidente

Mais a frente o petista agradeceu a Fachin por finalmente ter cumprido a lei. “Sou agradecido ao ministro Fachin porque ele cumpriu uma coisa que a gente reivindicava desde 2016. A decisão que ele tomou, tardiamente, cinco anos depois, foi colocada por nós desde 2016“, pontuou. Lula citou nominalmente Sergio Moro e classificou o grupo de procuradores da Operação Lava-Jato de “quadrilha”.

LEIA MAIS

Preterida pelo PT, Marília Arraes deve ir ao PDT

(Foto: Ascom)

Enquanto o Partido dos Trabalhadores (PT) articula a expulsão de Marília Arraes da sigla, a deputada federal pernambucana já tem um caminho traçado, caso realmente tenha que deixar o PT. De acordo com o jornalista Jamildo Melo, a petista deve ir ao PDT.

A sigla é a casa de Ciro Gomes, candidato a presidente em 2018. Marília inclusive teria se reunido com Carlos Lupi, presidente Nacional do PDT, em Brasília. A chegada da deputada ao novo partido faria com que Ciro ganhasse um importante “palanque” em Pernambuco.

Ciro apoiou João, que virou as costas para o PDT

Entretanto, na eleição municipal de 2020, Ciro trabalhou pela candidatura de João Campos (PSB). Após o pleito, os socialistas “viraram as costas” ao PDT e não querem embarcar no projeto do possível candidato a presidente no próximo ano.

“É nessa esperança (que a aliança se desfaça) que ela está conversando. Seria candidata a governadora pelo PDT. Ela foi procurar Lupi para essa conversa. Já deveria saber que iria sofrer na comissão de ética. Tá se mexendo pra sair”, afirma uma fonte da política.

Lula teria sugerido a expulsão de Marília Arraes do PT, diz o jornalista Lauro Jardim

O Jornalista Lauro Jardim publicou em sua coluna deste domingo (28), em O Globo, que o ex-presidente  Lula estaria chateado com o posicionamento “independente” da deputada federal Marília Arraes (PT), em relação às determinações do partido. Segundo Lauro Jardim, Lula, que teve participação expressiva na campanha de Marília à prefeitura do Recife nas eleições de 2020, teria confidenciado a pessoas próximas que Marília merecia ser expulsa do PT.

LEIA MAIS

Presidente da Argentina confirma participação em evento do PT em defesa de Lula

Alberto Fernández, presidente da Argentina.

Alberto Fernández, presidente da Argentina, irá participar no próximo dia 22 deste mês, de um debate sobre o chamado “lawfare” contra o ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva. O termo sugere uma suposta perseguição judicial sofrida por Lula, que acabou por lhe tirar os direitos políticos.

A conferência “Lawfare: caso Lula e a luta pela recuperação de seus direitos políticos”, que também será uma comemoração aos 41 anos do Partido dos Trabalhadores, será coordenada pelo ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

LEIA MAIS

De olho em 2022, Isaac Carvalho se reúne com Rui Costa em Salvador

Mesmo longe de um cargo eletivo, Isaac segue na política (Foto: Ascom)

O ex-prefeito de Juazeiro (BA), Isaac Carvalho (PT) se reuniu com o governador do Estado, Rui Costa (PT) em Salvador no começo dessa semana. Longe de um cargo eletivo atualmente, Isaac mira a eleição de 2022 e busca fortalecer a parceria com Costa.

“Temos uma parceria forte que já rendeu e continua rendendo bons frutos para a região. Essa união só é possível porque pensamos igual, pensamos no melhor para o nosso povo, por isso que seguimos trabalhando e conquistando juntos grandes vitórias para a Bahia“, disse o ex-prefeito.

Aliados de longa data, a dupla deve se reencontrar em Juazeiro para continuar as tratativas sobre a política baiana. Enquanto o momento do reencontro não chega, Isaac destacou a postura de Rui em ouvir as demandas regionais. “Sabemos do seu empenho em trabalhar pelos baianos e confiamos na sua força de vontade em proporcionar uma vida melhor, principalmente para aqueles que mais precisam“, afirmou.

Dilson Peixoto deixa governo de Paulo Câmara

O que já era aguardado se confirmou no Diário Oficial desse sábado (30). Cargo do Partido dos Trabalhadores (PT) no Governo de Pernambuco, Dilson Peixoto não é mais o secretário de Desenvolvimento Agrário do Estado. A exoneração veio a pedido de Peixoto.

LEIA TAMBÉM

Oposição precisa de melhor articulação para derrotar PSB, afirma Marília Arraes

A saída é reflexo da decisão do PT em não mais compor a base do PSB, após a campanha considerada suja feita pelos socialistas na eleição de 2020, quando João Campos (PSB) venceu Marília Arraes (PT) no Recife. O novo titular da pasta, a partir do dia 1º de fevereiro, será o deputado estadual Claudiano Ferreira Martins Filho (PP).

O governador Paulo Câmara (PSB) agradeceu pelo trabalho de Dilson Peixoto. “Quero expressar meu agradecimento a Dilson Peixoto pelo seu trabalho e dedicação nos últimos dois anos, à frente da Secretaria de Desenvolvimento Agrário. Só tenho a agradecer a Dilson pelo seu profissionalismo, zelo e empenho e desejar sucesso em seus novos projetos”, escreveu no Twitter.

Oposição precisa de melhor articulação para derrotar PSB, afirma Marília Arraes

Deputada federal falou sobre impeachment de Bolsonaro e atuação da esquerda em PE (Foto: Ascom)

A deputada federal Marília Arraes (PT-PE) foi entrevistada no programa Super Manhã com Waldiney Passos dessa quarta-feira (27) e entre os temas abordados esteve a política. Ela falou sobre o pedido de impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido) e a tentativa de unir a oposição de Pernambuco.

Marília foi candidata do PT à Prefeitura do Recife em 2020. Ela chegou ao segundo turno e liderou as intenções de voto, mas acabou derrotada. Após o pleito o partido deixou a base do PSB. Apesar da ruptura, a deputada federal espera união da esquerda.

“A gente disputou a eleição no Recife só. No segundo turno a oposição não se uniu. Meu esforço tem sido pra gente buscar uma unidade na oposição. No segundo turno teria sido diferente se tivesse tido uma unidade. Iniciando desde agora uma conversa, com certeza vai ficar menos difícil tirar o PSB do poder“, destaca.

Um dos passos dado por ela foi se aproximar com Armando Monteiro Neto, que é opositor ao grupo dos socialistas, ainda na campanha passada. Marília lembrou da “campanha suja” do PSB e reafirmou oposição ao atual grupo que comanda o Estado. “As pessoas precisam entender os nossos posicionamentos, posicionamento com o Estado de Pernambuco e não para fazer o nome de A, B ou C“, disse.

LEIA MAIS

PT tenta “costurar” candidatura de Lula ao Senado pela Bahia em 2022

A notícia foi dada por um site de Salvador nesta quarta-feira (23). O senador Jaques Wagner, do PT, teria confirmado a ideia em conversas de bastidores com aliados e até mesmo com partidos da base do atual prefeito da capital baiana, ACM Neto, do DEM.

Na avaliação dos petistas, Wagner sairia como candidato ao governo do estado e Lula buscaria uma cadeira no Senado, mesmo podendo perder o apoio de partidos como o PP e PSD, que hoje lutam para ter a presidência da Assembleia Legislativa da Bahia.

LEIA MAIS

Paulo Câmara vai discutir situação do PT no atual governo, após vitória de João Campos em Recife

Enquanto celebrava a vitória do seu aliado na capital Recife, Paulo Câmara (PSB) disse que discutirá a situação dos cargos ocupados pelo PT no Governo do Estado. PT e PSB foram adversários em 2020, mas segundo o governador, a situação será definida internamente.

LEIA TAMBÉM

João Campos é o novo prefeito do Recife; o mais jovem da história da capital pernambucana

“Vamos discutir. A gente está sempre discutindo. Tem muitas pessoas do PT que conversam conosco. Nós vamos conversar. Agora é um processo a se avaliar. Evidentemente tivemos uma disputa eleitoral muito dura e isso cabe reflexões. A gente vai fazer no âmbito interno, no âmbito da Frente Popular, como a gente sempre fez”, disse Câmara.

LEIA MAIS

Derrota de Marília na capital define caminho de petistas de Petrolina em 2020

Odacy é suplente de Marília, mas não herdará vaga

A derrota de Marília Arraes (PT) para João Campos (PSB) no Recife (PE) também foi sentida por dois políticos petrolinenses. Em primeiro lugar, por Odacy Amorim (PT), que é 1º suplente de Marília na Câmara dos Deputados e caso a neta de Miguel Arraes fosse eleita, herdaria a cadeira em Brasília (DF).

Mas Marília somou apenas 348.126 votos (43,73%), contra 447.913 votos (56,27%) de João. Vale lembrar que Odacy foi candidato a prefeito em Petrolina nesse ano e obteve apenas o terceiro lugar, totalizando 15.345 votos (9,64%).

A outra a sentir com a derrota da petista foi Cristina Costa (PT). Aliadas de longa data, especulava-se que Cristina poderia ganhar algum cargo com a vitória de Marília. Assim como Odacy, a vereadora de Petrolina não obteve sucesso em 2020 e conseguiu apenas a suplência em 2021.

Mesmo com a derrota, Costa destacou que companheira de partido é o presente e futuro do partido. “Ela resgatou a autoestima da militância petista, injetou energia positiva no Partido dos Trabalhadores, demonstrou coerência, firmeza em suas propostas e convicções […] Você é só orgulho para nós do PT“, escreveu nas redes sociais.

Pela primeira vez, PT fica sem prefeito nas capitais

(Foto: Eliaria Andrade/Estadão)

As eleições municipais mostraram que o antipetismo ainda ecoa nas principais cidades brasileiras. Desde a redemocratização, esta é a primeira vez que o Partido dos Trabalhadores (PT) não elege um candidato nas capitais.

Disputando em Recife, com Marília Arraes, e em Vitória, com João Coser, a legenda perdeu nas duas capitais. Em Macapá, que teve as eleições adiadas devido ao apagão, o PT está na disputa, no entanto, seu candidato, o Professor Marcos, aparece apenas com 2% das intenções de voto.

Derrota da esquerda

Indo mais além, é possível cravar que essa foi uma derrota, também, para toda a esquerda. No principal colégio eleitoral do país, em São Paulo, Boulos (Psol) também foi derrotado. Covas foi eleito com quase 60% dos votos.

Manuela D’Ávila, que disputou a vice-presidência ao lado de Fernando Haddad (PT) em 2018, também não conseguiu sair com a vitória. Perdeu para o candidato do MDB, Sebastião Melo, que teve um pouco mais de 54% dos votos.

Em carta aberta, Odacy Amorim fala em pleito desleal por poderio econômico

Odacy Amorim durante campanha eleitoral.

O candidato à prefeitura de Petrolina (PE), Odacy Amorim (PT), emitiu uma carta aberta nesse domingo (15) após a derrota nas eleições municipais. O petista foi o terceiro mais votado, com 222 votos a menos que o segundo colocado, Júlio Lossio Filho (PSD). Ao todo, Odacy teve 15.345 votos.

Para o ex-deputado, o pleito foi desleal devido ao “poderio econômico envolvido“. Odacy disse reconhecer o resultado das eleições e desejou sucesso ao prefeito reeleito Miguel Coelho (MDB).

O petista ainda falou sobre a decisão de disputar o pleito. “Entrei na disputa com muita coragem e embalado pelo sonho servir Petrolina, quando outros quadros políticos oposicionistas preferiam apenas se afastar da eleição“.

LEIA MAIS
123