Patrulha Maria da Penha apoia mulheres com medidas protetivas em Petrolina

A equipe da Patrulha Maria da Penha da Guarda Civil Municipal de Petrolina é formada por mulheres e homens – sempre com pelo menos uma guarda na equipe – que passam por uma capacitação sobre o atendimento à mulher vítima de maus-tratos.

A fiscalização é feita a partir da demanda da Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher que encaminha as medidas protetivas e pelas ocorrências espontâneas que podem ser realizadas através da central de atendimento.

“Realizamos rondas domiciliares nas residências das mulheres que já possuem as medidas protetivas. A ronda funciona como apoio para que elas se sintam seguras e sigam com a denúncia. Nosso objetivo também é levar orientação, acolhimento e direcionamento a essa mulher vítima de violência doméstica”, pontuou a Guarda Civil Daniela Munique, que faz parte da equipe da Patrulha da Mulher.

Quem estiver passando por alguma situação de violência física, sexual ou psicológica pode procurar a Delegacia de Plantão ou registrar a denúncia pela central de atendimento da Guarda Civil Municipal, através do telefone 153 ou pelo whatsApp (87) 98106-7310.

Ronda da Polícia Militar de Juazeiro realiza programação em comemoração aos 13 anos da Lei Maria da Penha

(Foto: Divulgação/CPRN)

A Lei 11.340 de 7 de agosto de 2006, conhecida como “Lei Maria da Penha”, completa 13 anos nesta quarta-feira (7),  com muitos avanços e conquistas no combate à violência contra a mulher. No entanto, tem muito o que avançar diante dos dados oficias que ainda são alarmantes. Somente no ano passado, 4.254 mulheres foram assassinadas no Brasil, número que segue a média anual de 4 mil mortes da última década.

Maria da Penha Maia Fernandes é farmacêutica bioquímica e mestra em Análises Clínicas. Em 1983, foi vítima de dupla tentativa de feminicídio por Marcos Antonio Heredia Viveros, seu marido, à época. Por quase 20 anos, ela lutou por justiça e se tornou símbolo de luta em todo o Brasil. Diante desse cenário, em 2006, foi criada a Lei 11.340/2006, para proteger as vítimas de violência doméstica, que leva seu nome: Lei Maria da Penha (LMP).

Ao logo desses 13 anos de criação da LMP, a Tenente PM Dálete Brandão, comandante da Ronda Maria da Penha de Juazeiro (BA), avalia as ações de combate à violência contra a mulher. “Mesmo com a criação de uma lei que tem um olhar diferenciado às questões de proteção à mulher, ainda temos que avançar. A lei não é branda, o que precisamos entender é que a aplicação da Lei não se resume apenas à prisão do agressor. É necessário aplicá-la em sua totalidade, através do fortalecimento das políticas públicas de enfrentamento à violência. Todos devem conhecer a Lei para poder ajudar as mulheres a romperem o ciclo da violência. É papel de todos nós”, disse.

LEIA MAIS

Pela primeira vez, Polícia Militar da Bahia instala posto especializado no combate à violência contra a mulher no circuito do carnaval de Juazeiro

(Foto: Ascom CPRN)

A Ronda Maria da Penha, na Cidade de Juazeiro (BA), vem a cada dia surpreendendo a população juazeirense. Fundada em 19 de novembro 2015, foi a primeira a ser implementada no interior do Estado, com o objetivo de acompanhar e dar suporte às mulheres que estão em situação de violência doméstica e que possuem medida protetiva de urgência, em conjunto com a Rede de atenção e enfrentamento a violência contra a mulher.

Completando 3 anos de existência esse ano com uma novidade que beneficiou ainda  as mulheres. Em parceria com a Polícia Civil foi implantado um posto especializado de atendimento no próprio circuito da folia, com atendimento direcionado para aquela mulher que sofreu a violência de gênero. Além do posto especializado, uma guarnição policial fez rondas em todo percusso da festa fazendo com que a sua ação de presença inibisse eventuais infratores que por ventura quisessem descumprir a legislação e as medidas protetivas da mulher.

Vale ressaltar que a Ronda Maria da Penha não trabalha apenas com a parte repressiva, conta também com uma equipe de policiais militares treinados para fazerem um trabalho preventivo, conscientizando o público  através de palestras e informações de grande utilidade, voltada para o foco, tentando evitar que se chegue a algo mais grave.

Carnaval de Juazeiro terá ação especial da Ronda Maria da Penha

Foto: Ascom

Juazeiro abre os festejos de Carnaval na Bahia nesta sexta-feira (26) e durante os três dias de folia a Ronda Maria da Penha estará com 100% do seu contingente nas ruas, dando ênfase às ocorrências de violência contra a mulher.

Segundo informações fornecidas pelas Assessoria de Comunicação da Ronda ao nosso Blog, serão montados dois postos de atendimento no circuito carnavalesco. O primeiro ficará localizado em frente ao prédio da Secretaria da Fazenda (SEFAZ), na Rua Coronel Aprígio Duarte e o segundo, na curva da Avenida Adolfo Viana.

A cada noite de carnaval a Ronda Maria da Penha atuará com duas patrulhas nos circuitos da festa. O foco da PM nessa operação é acompanhar e conduzir ocorrências nas quais as mulheres são vítimas.

A Ronda Maria da Penha foi criada em 2015 em Salvador (BA) com o intuito de qualificar o atendimento prestado às mulheres vítimas de violência.