Manifestação na quinta-feira (2) cobrará judiciário sobre Caso Beatriz

Mais um ato pedindo justiça pelo assassinato de Beatriz Angélica Mota está marcado para esta quinta-feira (2), em Petrolina. O grupo se reunirá às 6h30 no Fórum da cidade, para cobrar atitudes do Poder Judiciário, após a recusa do mandado de prisão preventiva solicitado pelo Ministério Público e Polícia Civil do município contra Alisson Henrique.

LEIA TAMBÉM:

“Uma série de erros foram cometidos”, afirma Lucinha Mota sobre investigações do Caso Beatriz

Caso Beatriz Mota: Alisson Henrique pede direito de resposta e nega ter apagado imagens do Colégio Maria Auxiladora

Caso Beatriz: colégio nega que acusado de apagar imagens tenha sido funcionário da instituição

Ele é ex-prestador de serviço do Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora e segundo as investigações, teria apagado imagens do crime, especificamente no horário e data em que Beatriz foi morta. O fato veio à tona na semana passada e causou revolta nos pais da garota, Lucinha Mota e Sandro Romilton.

A manifestação é organizada pelos pais de Beatriz, em apoio com os grupos Somos Todos Beatriz e Beatriz Clama por Justiça.

“Fake news” sobre investigações do Caso Beatriz incomodam, afirmam Lucinha e Sandro

(Foto: Arquivo)

As investigações do Caso Beatriz mostraram avanços na semana passada, quando veio à tona a informação de que um mandado de prisão preventiva havia sido expedido contra um ex-prestador de serviço do Colégio Auxiliadora. A negativa da Justiça de Petrolina provocou reações, mas para os pais de Beatriz Angélica Mota, outras atitudes também incomodam.

LEIA TAMBÉM:

“Uma série de erros foram cometidos”, afirma Lucinha Mota sobre investigações do Caso Beatriz

Caso Beatriz: “Eles planejaram com antecedência”, afirma Lucinha Mota

Caso Beatriz: colégio nega que acusado de apagar imagens tenha sido funcionário da instituição

Polícia Civil nega afastamento de Polyanna Neri do Caso Beatriz

Desde o início das investigações notícias falsas – as chamadas “fake news” – têm surgido e para Sandro Romilton, pai da garota, isso só gera falsa expectativa nos familiares. 

“Isso [divulgar a informação de que prenderam algum suspeito] não foi a primeira vez. Quantas vezes falaram que prenderam alguém em Lagoa Grande, lá no interior da Paraíba e a gente fica só na expectativa”, disse Sandro ao Blog Waldiney Passos.

LEIA MAIS

Pais de Beatriz emitem nota rebatendo informações de Alisson Henrique

Lucinha Mota e Sandro Romilton, pais de Beatriz Angélica Mota rebateram as informações de Alisson Henrique, ex-funcionário do Colégio Auxiliadora e afirmam não ser irresponsáveis na divulgação de informações. Em nota, o casal afirma que tanto Alisson quanto a instituição de ensino querem se eximir das responsabilidades.

Confira a nota publicada pelos pais de Beatriz:

“Uma série de erros foram cometidos”, afirma Lucinha Mota sobre investigações do Caso Beatriz

Na opinião dos pais de Beatriz Angélica Mota, as constantes trocas de delegados no caso atrapalharam as investigações que completarão três anos em dezembro. Desde o crime em 2015, a apuração dos fatos passou pelas mãos de Sara Machado, Marceone Ferreira, Gleide Ângelo e Polyanna Neri, atual responsável pelos trabalhos.

Para Lucinha Mota, mão da menina morta com 42 facadas dentro do Colégio Auxiliadora, as trocas somadas às falhas primárias foram cruciais para demora na elucidação.

LEIA TAMBÉM:

Caso Beatriz Mota: Alisson Henrique pede direito de resposta e nega ter apagado imagens do Colégio Maria Auxiladora

Caso Beatriz: “Eles planejaram com antecedência”, afirma Lucinha Mota

Pais de Beatriz Angélica cobram Judiciário após negativa do pedido de prisão preventiva a funcionário do colégio

“Desde a hora do fato aconteceu, uma série de erros foram cometidos, erros primários, talvez se um delegado assumisse hoje uma delegacia e se deparasse com a situação ele iria ter mais cuidado em lacrar e fechar o local do crime, isso é uma formalidade da polícia”, disse ao Blog.

LEIA MAIS

Pais da menina Beatriz fazem nova manifestação nesta quarta-feira

(Foto: Arquivo)

Sandro Romilton e Lúcia Mota, pais da menina Beatriz Mota, morta a facadas em 10 de dezembro de 2015, convocam a população para mais uma manifestação na noite desta quarta-feira (10).

A partir das 19h30, Sandro, Lúcia, familiares e amigos do coletivo Somos Todos Beatriz, colocarão flores ao lado do Colégio Auxiliadora, em Petrolina (PE), local onde a menina foi morta.

O grupo também vai fazer orações, acenderá velas e exibirá cartazes pedindo justiça e a prisão dos culpados. Veja a mensagem enviada por Sandro Romilton ao nosso blog.

Texto na íntegra:

Persistimos nessa luta por justiça porque acreditamos primeiramente em Deus.

Nossa BEATRIZ não teve chance de se defender. Mentes diabólicas planejaram com antecedência todos os detalhes para tirar a vida de um inocente.

Quem são essas pessoas envolvidas nesse mistério? Quais os reais motivos?

O que eles não contavam era com o grande amor que temos por BEATRIZ. Amor que nos une e fortalece diariamente.

Estaremos hoje deixando flores para nossa princesa BEATRIZ.

Às 19:30h ao lado do Colégio.

Beatriz Angélica: Fantástico reduz tempo de reportagem e NETV reproduz na íntegra

(Foto: Reprodução)

No domingo (11) a tão esperada reportagem do jornalista Francisco José, sobre o assassinato de Beatriz Angélica, foi ao ar no Fantástico. Diversas pessoas acompanharam o programa, entretanto algumas ficaram decepcionadas com a falta de informações novas.

Nossa equipe entrou em contato com a família e Sandro Romilton pai de Beatriz, informou por telefone que também ficou surpreso, mas que ficou grato pela repercussão do caso. “Foram dois dias de filmagem e Francisco José informou que seriam 12 min, mas foi ao ar apenas seis. Fui informado que outros acontecimentos acabaram reduzindo o tempo da reportagem”, informou Sandro.

Mesmo com a alteração no tempo, Sandro ficou muito grato pela repercussão nacional em um programa de grande audiência, como o Fantástico. “ Foi divulgado e relembrado. Mostram a cena do crime, que muitas pessoas não tiveram acesso e isso pode sensibilizar as pessoas. A imagem do assassino também foi melhorada”, explicou.

NETV 1ª Edição

No início da tarde de hoje (11) o NETV 1ª edição, da Rede Globo, exibiu a reportagem completa, sem os cortes feitos pelo o Fantástico, e divulgou o número do disk denúncia. A reportagem de cerca de 12 min, revela detalhes novos e reforça o rosto do assassino e desta vez divulga o disk denúncia.

Contato para denúncias:
Ouvidoria SDS – 181
Whatsapp – (87) 99911-8104 (Família)
Disque Denúncia (81) 3421 9595 / (81) 3719 4545

Caminhada de Juazeiro a Petrolina marca os dois anos do assassinato da menina Beatriz Mota

(Foto: Jean Brito)

Mesmo com o dia chuvoso centenas de pessoas, entre os pais, parentes, amigos e pessoas anônimas da sociedade participaram na manhã de hoje (10), de uma caminhada para lembrar os dois anos do assassinato da menina Beatriz Mota, assassinada em Dezembro de 2015.

Beatriz foi morta no dia 10 de Dezembro de 2015, em uma sala de material esportivo, dentro do Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora em Petrolina, com 42 facadas, durante uma festa de formatura da escola. Até hoje, 10 de Dezembro, ninguém foi preso.

(Foto: Jean Brito)

A pé ou de bicicleta, as pessoas seguiram os pais de Beatriz Mota, Lúcia Mota e Sandro Romilton Ferreira, em uma caminhada que saiu do centro de Juazeiro, passou pela ponte Presidente Dutra, Avenida Guararapes, já em Petrolina, e parou em frente ao Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora, onde Beatriz estudava e foi morta.

Lá, os manifestantes fizeram discursos pedindo justiça e fazendo apelo para que o Colégio ajude mais a polícia nas investigações. De joelhos, as pessoas que estavam no movimento também fizeram orações.

Pai de Beatriz critica Secretaria de Defesa Social por omitir informações à imprensa local

Sandro Romilton, pai de Beatriz Angélica, morta brutalmente com várias facadas em dezembro de 2015 em Petrolina

Ao termino de sua participação ao lado de sua esposa Lúcia Mota, na Tribuna da Câmara Municipal de Petrolina, o pai da menina Beatriz Angélica, Sandro Romilton, criticou a Secretaria de Defesa Social por realizar as entrevistas coletivas em Recife e não em Petrolina onde o crime ocorreu, inclusive evitando os questionamentos da imprensa e dos próprios pais da vítima.

“Eles vão até a capital porque acham que lá a repercussão é maior, tem os meios de comunicação maiores, mas de todas as formas o meu questionamento foi sempre esse com a doutora,  a imprensa local, a imprensa da nossa região do Vale do São Francisco, ela tem os questionamentos mais apurados, ela tem um conhecimento mais aprofundado do que aconteceu de verdade do fato. A impressão que se dá é de que há uma fuga sim, eles vão até a capital para aparecer na mídia nacional, fugindo das perguntas, inclusive perguntas nossas, porque se a coletiva fosse aqui em Petrolina eu faria questão de está presente para fazer as minhas perguntas, como eu fiz e Lúcia fez ao Ministério Público, então fica essa crítica a Secretaria de Defesa Social, a essa estratégia que a delegada usou recentemente, para que isso não aconteça mais e que as perguntas sejam respondidas às claras”, ponderou.

Ouça áudio

Pais de Beatriz participam da sessão de hoje na Câmara Municipal de Petrolina

Sandro Romilton e Lúcia Mota, pais da menina Beatriz, brutalmente assassinada em dezembro de 2015, participarão da sessão de hoje da Câmara Municipal de Petrolina, para falar sobre os desdobramentos do caso e sobre a importância da mobilização da sociedade na defesa dos direitos das crianças e adolescentes.

Também consta da pauta para votação na plenária desta terça-feira (4) na Casa Plínio Amorim, o Projeto de Lei nº 005/17, de autoria do vereador Elismar Gonçalves, que oficializa e inclui no calendário oficial de festas e eventos do município a Festa do Colono do Bebedouro.

Segundo o edil, é de fundamental importância o reconhecimento, dentro do calendário oficial, deste evento, que sendo pioneiro na irrigação de todo vale, fundado em 1968, envolve em sua comemoração, diversos grupos sociais, entidades religiosas, para homenagear e valorizar os produtores, que com sua dedicação e esforço, garantem alimentos de qualidade, elevando o desenvolvimento econômico do município de Petrolina.

 

Retrospectiva 2016: Pais de Beatriz concedem entrevista exclusiva ao nosso Blog

Pais de Beatriz, Sandro e Lucia Mota

Nós não vamos parar de cobrar e denunciar todos aqueles que de maneira direta ou indiretamente estão tentando atrapalhar, ou não estão atuando de fato como deveriam”, afirma Lúcia Mota

Durante a tarde desta terça-feira (14), estivemos com os pais da pequena Beatriz, brutalmente assassinada nas dependências do Colégio Maria Auxiliadora, no dia 10 de dezembro do ano passado, conforme noticiado por todos os veículos de comunicação da região e com repercussão até mesmo fora do país.

Professor Sandro Romilton Ferreira e sua esposa Lúcia Mota, receberam nossa equipe para comentar o avanço nas investigações, principalmente, com o fato da divulgação da existência de um vídeo contendo imagens que podem levar a elucidação do crime.

Visivelmente abatido com a perda da querida filha, o casal questiona as condições irregulares em que a festa de formatura dos alunos do 3º ano foi realizada naquela trágica noite, sem a devida comunicação aos órgãos de segurança do município como Polícia Militar, secretaria de Ordem Pública e Corpo de Bombeiros.

Nos vídeos eles cobram uma atuação mais firme do Ministério Público, descrevem a situação em que a festa foi realizada sem nenhuma segurança e afirmam esperar da direção do colégio uma postura diferente, inclusive, com um pedido de desculpas à sociedade pelo ocorrido.

Lúcia Mota disse que seu maior medo é que os bandidos voltem a agir e que uma tragédia ainda maior possa ocorrer vitimando outras crianças e destruindo a vida de muitas famílias, uma vez que os marginais continuam soltos.

Os trechos do vídeo da entrevista você irá conferir ainda a partir desta noite (14), aguarde.

Caso Beatriz: família se encontra com Paulo Câmara e governador promete continuar encaminhando reforços

beatriz2

A família da menina Beatriz, morta brutalmente em dezembro do ano passado em Petrolina, Sertão de pernambucano, encontra-se pela primeira vez com o governador do Estado, Paulo Câmara (PSB), para pedir mais empenho nas investigações.

De acordo com o pai de Bia, Sandro Romilton, os familiares conseguiram passar para o governador toda a insatisfação com o andamento das investigações, mas que Paulo Câmara se mostrou estar a par do caso, e estar acompanhando de perto.  Segundo Sandro, ele se colocou à disposição e afirmou que apesar das dificuldades, continuará cobrando solução.

LEIA MAIS

Pais de Beatriz comentam vídeo com imagens de suspeito em participar do assassinato da menina

A notícia que a polícia teria identificado mais um suspeito de assassinar a pequena Beatriz Angélica, no dia 10 de dezembro do ano passado em Petrolina-PE, caiu como uma bomba na região.

De acordo com os pais da menina, uma pessoa que mora nos Estados Unidos, ao assistir um vídeo da festa postado nas redes sociais, achou estranho a movimentação no acesso ao bebedouro, identificando o último momento em que Beatriz foi vista indo para o local, próximo onde foi encontrada morta, e sendo seguida por um homem ainda não identificado.

Antes, porém, uma outra menina saiu com o celular no ouvido e assutada tendo contado posteriormente a polícia ter visto um homem estranho no local e, portando, saido o mais rápido possível do bebedouro com medo do sujeito.

Minutos depois Beatriz vai ao bebedouro, passa por um segurança e segue no local que estava interditado naquele momento, mas tanto ela quando o homem suspeito conseguiram passar pelos seguranças sem serem barrados, o suspeito voltou minutos depois, mas Beatriz não mais apareceu. Confira o relato dos pais da menina em entrevista a este Blog…..

Caso Beatriz: confira primeira parte da entrevista com os pais da menina

Nesta primeira parte da entrevista concedida com exclusividade ao Blog Waldiney Passos pelos pais de Beatriz Angélica, Sandro Romilton e Lúcia Mota, o casal comenta as falhas de segurança ocorridas no dia do crime e Lúcia reafirma que a direção do colégio Maria Auxiliadora não oficializou o evento aos órgãos de segurança (Polícia Militar, Ordem Pública e Corpo de Bombeiros), conforme denúncia feita recentemente através de vídeo postado nas redes sociais.

12