Angústia: família aguarda há dois meses por liberação de corpo no IML de Petrolina

Biraci está desaparecido há quase uma semana (Foto: Arquivo Pessoal)

Nessa sexta-feira (21) a angústia da família de Biraci dos Santos, natural de Sanharó (PE) completa dois meses. Ele tinha 36 anos quando desapareceu em dezembro passado e foi encontrado morto no final do ano. Em meio ao luto, os parentes buscam forças para cobrar a liberação do corpo da vítima.

A família reside em Sanharó (PE) e aguarda há 60 dias para se despedir de Biraci. Nós mostramos a situação no mês passado e até hoje o corpo da vítima está retido no Instituto Médico Legal (IML) de Petrolina. “Não entendo o porquê de tanta demora, isso não é justo. Da outra vez pedimos ajuda a vocês, eles falaram que iria sair, mas até agora nada”, desabafou uma irmã de Biraci.

LEIA TAMBÉM

Em resposta ao Blog, SDS afirma que corpo retido no IML de Petrolina ainda está sendo analisado

Denúncia: família cobra resposta do IML sobre liberação de corpo retido em Petrolina

Exame feito na capital

Em janeiro a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) deu como prazo o começo de janeiro para a liberação acontecer, o que não se confirmou.  Segundo o IML, a demora se dá ao fato de ter sido feita uma análise de perfil genético no Instituto de Genética Forense Eduardo Campos, na capital Recife. “Por esse mesmo motivo, o DNA utilizado para o exame foi extraído de uma amostra do tecido ósseo, o que torna o processo ainda mais delicado”, diz a nota.

Confira a seguir a íntegra da nota:

LEIA MAIS

Em resposta ao Blog, SDS afirma que corpo retido no IML de Petrolina ainda está sendo analisado

IML afirma que corpo ainda está sendo examinado (Foto: Arquivo Pessoal)

Desde o dia 22 de dezembro de 2019 a família de Biraci dos Santos, natural de Sanharó (PE) vive a angústia de não poder enterrar seu corpo. Ele morava em Petrolina há cerca de oito anos e foi encontrado morto no dia 21/12/2019. Na quinta-feira (23) o Blog Waldiney Passos mostrou a luta dos parentes em conseguir a liberação no Instituto Médico Legal (IML).

LEIA TAMBÉM

Denúncia: família cobra resposta do IML sobre liberação de corpo retido em Petrolina

Em nota, a Secretaria de Defesa Social (SDS) disse ao Blog que o corpo segue sendo examinado e por isso ainda não foi liberado. “O Instituto de Medicina Legal de Petrolina informa que o Laboratório de Genética Forense Eduardo Campos (IGFEC) está realizando exames de DNA, a fim de identificar o corpo encontrado em Petrolina. Devido ao estado de decomposição em que se encontrava o corpo ao ser localizado, são necessários procedimentos laboratoriais que demandam tempo para conclusão dos resultados“, destaca a SDS.

Uma das queixas da família foi o atendimento no IML de Petrolina, já que os servidores teriam sido ríspidos e não são transparentes nas informações. A nota afirma ainda que “que vem mantendo contato com os familiares para repassar as informações relativas ao caso“.

Pernambuco ganha reforço de 506 PMs, agentes serão distribuídos no segundo semestre

506 PMs se formaram hoje (Foto: Heudes Régis/SEI)

O Pacto Pela Vida ganhou o reforço de 506 novos policiais militares nessa segunda-feira (20). No começo da manhã o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) comandou a formatura da nova turma no quartel da PM, no Recife.

Os novos agentes de segurança pública começam a atuar na próxima semana e no primeiro semestre serão distribuídos de acordo com a necessidade de cada região, incluindo o Sertão de Pernambuco. Eles passaram pela formação de sete meses, incluindo atividades práticas e teóricas.

“São 25 meses de redução no número de homicídios e 28 meses de redução consecutiva no número de roubos e furtos. Agora, com o acréscimo desses novos praças, vamos ter condições de avançar ainda mais. Vamos continuar trabalhando por um Pernambuco cada vez mais seguro, onde as pessoas sintam orgulho de morar“, comemorou o governador.

Para o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, a nova turma renovará o quadro da PM. “Ao longo desses cinco anos, foram mais de quatro mil novos policiais militares na corporação. Se a gente contabilizar todos os servidores da área de segurança, são mais de sete mil novos servidores, a exemplo da semana passada, quando foram contratados mais de 60 novos oficiais“, disse. A formatura foi acompanhada por diversos políticos e membros da Polícia Militar.

SDS afirma que Pernambuco contabilizou 21% menos roubos no primeiro semestre de 2018

(Foto: Reprodução/Governo de PE)

O relatório sobre a violência em Pernambuco elaborado pela Secretaria de Defesa Social (SDS) foi apresentado nessa quinta-feira (12) e aponta uma redução de 21,94% nos roubos no primeiro semestre de 2018, em comparação ao mesmo período de 2017.

De acordo com a SDS, no ano passado foram contabilizadas 63.827 ocorrências contra 49.824 em 2018. Ou seja, houve uma redução de 14.003 roubos nos seis primeiros meses desse ano.

As quedas foram percebidas em vários segmentos, entre eles a ônibus, roubos de celular, veículos e cargas. No entanto, a média diária do crime continua alta, com 275,7 ações criminosas no estado.

Balanço de junho

No mês passado Pernambuco teve uma redução de 20,39% quando junho de 2017. Nesse ano foram contabilizados 8.165 roubos contra 10.256 no ano anterior. O recuo na incidência de roubos no semestre ocorreu em todas as regiões de Pernambuco.

Média de roubos por dia em Pernambuco chega a 260 em maio

(Foto: Reprodução/Governo de PE)

Os dados apresentados pela Secretaria de Defesa Social (SDS) nessa semana apontam que por dia acontecem em média 260 roubos em todo estado. O levantamento é referente ao mês de maio e apesar do alto índice, representa uma queda de 26,59% quando comparado ao mesmo período de 2017.

Entre janeiro e maio houve uma queda de 22,47% nos Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP). A capital teve uma redução considerável, com a redução de 12.036 crimes se comparado 2017 e 2018.

As reduções foram percebidas também na Região Metropolitana, Agreste, Zona da Mata e Sertão, onde foi registrada queda de 18,34%.

Segundo a SDS, o roubo de celulares (27,7%), veículos de carga (32,86%), veículos (23%) e ônibus (33,33%) também tiveram queda. A redução nos índices é resultado dos investimentos na Polícia Militar, com a chegada de novos veículos aos batalhões.

Casos de estupro no interior de Pernambuco crescem no mês de abril, afirma SDS

As ocorrências de estupro no estado de Pernambuco apresentaram uma queda na capital e na Região Metropolitana, mas no interior houve um aumento preocupante, de acordo com o levantamento mensal da Secretaria de Defesa Social (SDS).

Em abril foram registrados 120 casos de estupro no interior, muito acima dos 88 computados em março. O índice também supera os dois primeiros meses de 2018, quando janeiro teve 109 e fevereiro 103. Na capital houve uma redução de 43 em março, para 37 em abril. A Região Metropolitana do Recife também contabilizou uma queda, de 52 em março par 45 no mês passado.

Além de ir na contramão das outras duas regiões, o interior lidera com folga a tabela desse tipo de ocorrência no ano, totalizando 420 estupros contra 154 da capital e 203 do interior. Petrolina foi uma das responsáveis pelo crescimento dessas ocorrências. Em abril o município registrou dois casos a mais do que em abril, somando 10 estupros. Custódia, Caruaru, Machados e Mirandiba também apresentaram crescimento de estupros em abril.

Apesar de a capital ter a menor taxa de estupros no ano, Recife é a cidade com o maior número de ocorrências, totalizando 154 nesse ano. Jaboatão dos Guararapes (42), Olinda (35) e Paulista formam junto com Petrolina (30) completam a lista dos cinco municípios mais violentos.

Pernambuco registrou 340 casos de estupro contra crianças e adolescentes nos três primeiros meses de 2018

(Foto: Reprodução/TV Gazeta Sul)

Um dado apresentado pela Secretaria de Defesa Social (SDS) expôs um cenário preocupante em Pernambuco. Somente nos três primeiros meses desse ano, 138 crianças entre 0 e 11 anos foram estupradas no estado. Outros 202 casos foram contra vítimas de 12 a 17 anos.

Os números foram apresentados nessa sexta-feira (18), Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Casos de abuso contra menores têm quase sempre como abusador, membros do núcleo familiar da vítima.

O violador faz parte do ciclo da criança ou do adolescente, afinal, é comum a gente retrucar se um estranho mexe com a gente, não é? Eles se utilizam do contato e confiança para praticar este tipo de crime, porque a gente costuma se preocupar com o desconhecido, com o conhecido não”, explica o conselheiro tutelar Vado Luz.

A data foi instituída em 2000, pois no dia 18 de maio de 1973 a pequena Araceli Cabrera Sánchez Crespo, de apenas 8 anos foi sequestrada, violentada e assassinada, no Espírito Santo. Seu corpo foi encontrado carbonizado seis dias após o sequestro. Os acusados de cometerem o crime nunca foram punidos.

Dados da SDS apontam redução nos casos de violência doméstica no interior de Pernambuco

O balanço dos casos de violência doméstica e familiar em Pernambuco foi divulgado pela Secretaria de Defesa Social (SDS) juntamente com os de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIS), nessa semana.

Em abril, o interior do estado apresentou uma redução em comparação ao mês anterior nas ocorrências. Enquanto no mês passado foram contabilizados 1.505 casos, março a região totalizou 1.787.

LEIA TAMBÉM:

Índice de CVLIs no interior de Pernambuco se mantém estável em abril, segundo SDS

Apesar da redução, o interior continua na liderança isolada desse tipo de ocorrência que compreende violência praticada por um cônjuge, pai, filho ou parente da vítima. Segundo a SDS, enquanto a capital soma 3.477 e a Região Metropolitana 2.965, o interior contabiliza 6.097 ocorrências em 2018.

LEIA MAIS

Índice de CVLIs no interior de Pernambuco se mantém estável em abril, segundo SDS

Os dados apresentados pela Secretaria de Defesa Social (SDS) apresentados nessa semana apontam uma estabilização nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), no interior de Pernambuco.

O mês de abril apresentou os mesmo 209 casos de CLVIs na região. Em comparação a janeiro (232) e fevereiro (249) houve uma considerável redução. No ano, o interior do estado já totaliza 899 ocorrências desse tipo.

São consideradas CLVI crimes resultantes de atividades criminais, conflitos, feminicídio e conflitos afetivos. Alguns podem terminar com morte ou não. De acordo com a SDS, dos 899 casos de CVLI no ano, somente 303 resultaram em punição da Justiça.

Municípios

O mês de abril terminou com 16 ocorrências de CVLI em Petrolina, quatro a mais do que em março. No ano, o somatório resulta em 60 casos. Já municípios como Salgueiro e Petrolândia apresentaram uma redução dos crimes, assim como Trindade, Serra Talhada e Santa Maria da Boa Vista.

Secretário rebate crítica sobre “censura” e afirma que proibição da divulgação sobre crimes busca preservar o inquérito policial

(Foto: Reprodução/Governo de PE)

A decisão da Secretaria de Defesa Social (SDS) de não divulgar informações sobre crimes registrados em Pernambuco levantou críticas de boa parte da população. O secretário Antônio de Pádua rebateu as queixas e afirmou que a decisão foi tomada para preservar familiares e o andamento do inquérito policial.

Segundo Pádua, o inquérito precisa ser sigiloso e a família da vítima precisa ser preservada de algumas informações. A decisão está em vigor desde o mês de março, quando funcionários do Instituto de Medicina Legal (IML) deixaram de passar informações sobre os homicídios registrados no Estado.

Assim como os funcionários do IML, delegados também estão seguindo essa norma da SDS. Para o secretário, qualquer comentário na cena do crime é apenas hipótese e pode vir a atrapalhar os trabalhos. “A investigação policial é um processo muito completo. O que se fala no momento do crime é tudo hipótese, suposição. A gente sabe que o inquérito tem natureza sigilosa, não só para preservar a família das vítimas como a própria investigação. Quando você antecipa informações, elas podem ser mal interpretadas. O melhor momento de falar é na conclusão”,
disse.

Estatísticas

O secretário também falou sobre a divulgação dos números da violência que, há um ano, deixaram de ser divulgados diariamente. “Os dados divulgados diariamente podem ser equivocados, porque um corpo que pode ser tido como suicídio ou morte a esclarecer, na semana que vem pode se descobrir que é uma morte violenta. Por isso a publicação dos números deve acontecer até o dia 15 do mês seguinte, para evitar dados equivocados”, finalizou.

Com a medida da SDS, os dados de violência em Pernambuco são publicados quinzenalmente, divididos entre Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP), Crimes Violentos Letais Intencionais (CLVIs), estupros e violência contra a mulher.

Pernambuco teve a terceira pior taxa de homicídios do país em 2017

O ano de 2017 foi um dos mais violentos no estado de Pernambuco. De acordo com o monitoramento de violência no país, o estado teve o terceiro pior índice de homicídios do país. No ano passado foram registrados 5.427 assassinatos.

Segundo o levantamento, foram registrados 57,3 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) a cada 100 mil habitantes. Somente o Rio Grande do Norte, com 64 e Acre, 63,9 casos superam Pernambuco em violência.

O número de homicídios registrado em Pernambuco é 21,1% maior do que os 4.479 assassinatos contabilizados em 2016. Os números fazem parte do levantamento feito pelo portal G1 com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

LEIA MAIS

Pernambuco bate mais um recorde de violência e registra, em média, 18 assassinatos por dia em março

No primeiro trimestre deste ano já são 1.522 homicídios, 466 a mais do que no mesmo período de 2016

Daniel da Silva Santos, 32 anos, Maycon Renan Duarte Brito, 28, Luiz Carlos Estevão dos Santos, 32, Cícero Romão Neto, 23… A lista é extensa. Ao todo, 548 pessoas foram assassinadas em Pernambuco no mês de março, uma média de 17,6 por dia. Um recorde nada desejado (fevereiro já havia apresentado o maior número em dez anos, com 498 homicídios) que vem sendo superado mês a mês e que deixa sucessivas tragédias familiares perdidas entre os números.

Com as estatísticas do mês de março, divulgadas no site da Secretaria de Defesa Social e publicadas em primeira mão pelo blog Ronda JC, Pernambuco contabiliza 1.522 homicídios em três meses, 466 pessoas (44%) a mais do que no mesmo período de 2016, que teve 1.056 assassinatos.

O Interior do Estado é a região que apresenta dados mais preocupantes. No total, 828 mortes, sendo 295 somente em março. Na Região Metropolitana foram 454 homicídios, 157 no último mês. Já na capital pernambucana, houve 240 mortes, 96 em março. O balanço indica também um aumento nas ocorrências de estupro entre fevereiro (155) e março (165), somando 497 no trimestre. Os casos de violência doméstica saltaram de 2.464 para 2.659, totalizando 8.065 em três meses

Há uma pequena queda dos Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP, roubos em geral) entre março (10.321) e fevereiro (9.962), apesar de os números em gerais serem bastante altos: 31.570 ocorrências em três meses. Também consta no balanço redução de assaltos a ônibus de 177 para 147, totalizando 523 no trimestre, cerca de um terço do número contabilizado pelo Sindicato dos Rodoviários.

Já o roubo de veículos subiu de 1.603 em fevereiro para 1.881 em março, somando 5.261 casos no trimestre. E o furto de veículos saiu de 572 para 584, totalizando 1.791 nos três meses. As investidas contra instituições bancárias subiram de 11 para 17.

Com informações do NE10.

Pai de Beatriz critica Secretaria de Defesa Social por omitir informações à imprensa local

Sandro Romilton, pai de Beatriz Angélica, morta brutalmente com várias facadas em dezembro de 2015 em Petrolina

Ao termino de sua participação ao lado de sua esposa Lúcia Mota, na Tribuna da Câmara Municipal de Petrolina, o pai da menina Beatriz Angélica, Sandro Romilton, criticou a Secretaria de Defesa Social por realizar as entrevistas coletivas em Recife e não em Petrolina onde o crime ocorreu, inclusive evitando os questionamentos da imprensa e dos próprios pais da vítima.

“Eles vão até a capital porque acham que lá a repercussão é maior, tem os meios de comunicação maiores, mas de todas as formas o meu questionamento foi sempre esse com a doutora,  a imprensa local, a imprensa da nossa região do Vale do São Francisco, ela tem os questionamentos mais apurados, ela tem um conhecimento mais aprofundado do que aconteceu de verdade do fato. A impressão que se dá é de que há uma fuga sim, eles vão até a capital para aparecer na mídia nacional, fugindo das perguntas, inclusive perguntas nossas, porque se a coletiva fosse aqui em Petrolina eu faria questão de está presente para fazer as minhas perguntas, como eu fiz e Lúcia fez ao Ministério Público, então fica essa crítica a Secretaria de Defesa Social, a essa estratégia que a delegada usou recentemente, para que isso não aconteça mais e que as perguntas sejam respondidas às claras”, ponderou.

Ouça áudio

Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco envia nota à imprensa sobre denúncia do Sinpol na investigação da morte de alvo da Operação Turbulência

Símbolo da Adeppe (Foto: Internet)

Símbolo da Adeppe (Foto: Internet)

A Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe) mostrou-se incomodada com a denúncia do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) sobre a interferência da Secretaria de Defesa Social (SDS), que, segundo o Sinpol, teria barrado a realização da perícia papiloscópica no quarto do motel Tititi, onde foi encontrado o corpo do empresário Paulo César de Barros Morato. Confira:

“NOTA À IMPRENSA

A Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe) vem a público externar que considera preocupante a denúncia oriunda do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol), acerca da interferência da Secretaria de Defesa Social (SDS) nos trabalhos de investigação da morte do Sr. Paulo César de Barros Morato, um dos alvos da Operação Turbulência, da Polícia Federal, mais precisamente no tocante ao impedimento de realização de perícia em local de crime.

É de se esclarecer que a condução de uma investigação criminal é de competência exclusiva do Delegado ou Delegada de Polícia presidente das investigações, a quem cabe, privativamente, decidir sobre a necessidade, ou não, de realização de qualquer tipo de perícia. Uma vez requisitada a perícia, não cabe a nenhum gestor público, mesmo que ocupante de alto escalão de Governo, interferir ilegalmente na condução da investigação.

LEIA MAIS