Empresário João Claudino, do Armazém Paraíba, morre aos 90 anos em Teresina

O empresário João Claudino Fernandes morreu aos 90 anos de idade, nesta sexta-feira (24), em Teresina. O co-fundador do Grupo Claudino estava doente há algum tempo. Ainda não há detalhes sobre a causa da morte do empresário. A família informou que não haverá velório.

O paraibano abriu o Armazém Paraíba em Teresina no ano de 1968. Ao longo de mais de 50 anos de trabalho no ramo empresarial, João Claudino se tornou dono de uma das maiores redes varejistas do Nordeste, tendo mais de 10 empresas com sedes na capital piauiense e empregando mais de 17 mil funcionários.

João Claudino começou nos negócios junto com o irmão Valdecy, mas os irmãos decidiram separar as empresas em 2013. Valdecy ficou com a Socic (Sociedade Comercial Irmãs Claudino), que abriga os negócios de transportes, a administradora de cartões de crédito e um shopping. João ficou com o Grupo Claudino, que controla o Teresina Shopping, a Houston e o Armazém Paraíba.

Com bala alojada na coluna, estudante de medicina do Piauí assiste aulas em cima de uma maca

(Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

Uma cena diferente tem chamado a atenção de quem frequenta a faculdade de medicina da Universidade Federal do Piauí, campus de Teresina. Todos os dias, uma ambulância adentra as dependências da Universidade sob olhares curiosos de funcionários e alunos.

O veículo serve de transporte para o estudante Leandro Silva de Souza, de 21 anos de idade, que cursa o segundo período de medicina.

Além do veículo especial para conseguir chegar ao centro de formação médica, o jovem Leandro, desloca-se em uma maca por laboratórios e auditórios, além de assistir às aulas, por até oito horas, deitado de bruços.

Desde março deste ano, o estudante enfrenta a pobreza, olhares curiosos, dores posturais e a falta quase completa de acessibilidade na estrutura da universidade para seguir o propósito de ser médico.

“Tenho que lutar todos os dias contra a adversidade, colocar fé e perseverança na cabeça para seguir em frente e nunca deixar de pensar que tudo é possível, que as coisas irão melhorar”, diz.

LEIA MAIS

Polícia Federal prende casal por fraude de R$ 2 milhões ao INSS no Piauí

Os envolvidos irão responder pelos crimes de estelionato previdenciário, associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso. (Foto: Reprodução)

Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (21) a operação ‘Viúvo Negro’ e cumpriu quatro mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva contra um casal em Teresina. A suspeita é de que os envolvidos tenham recebido mais de R$ 2 milhões por meio de crimes de fraudes previdenciárias.

O esquema funcionava com a “criação” de pessoas, com o uso de documentos falsos. Criava-se também um vínculo matrimonial entre essas pessoas fictícias e por fim um falso óbito de um deles. Para garantir o recebimento do benefício, o grupo chegava a pagar pelo menos três contribuições junto ao INSS, perto do teto de contribuição previdenciária.

Assim, os supostos beneficiários conseguiam receber valores próximos ao teto do INSS. No esquema, um mesmo homem teria ficado viúvo quatro vezes, poucos meses após o suposto “casamento”, em razão da morte das falsas esposas.

O delegado Lucimar Sobral, da Polícia Federal do Piauí, acompanhou os cumprimentos dos mandados. Os policiais fizeram buscas em um escritório de contabilidade no bairro Monte Castelo, em Teresina. O casal preso seria dono do escritório e a polícia fez buscas ainda na residência dos dois, onde foram apreendidos documentos.

Segundo a PF, pelo menos quatro benefícios indevidos foram recebidos durante o período de investigação e há a suspeita de mais quatro. Os prejuízos somam R$ 2.029.437,00. Segundo a PF, a suspensão da fraude vai evitar um prejuízo de mais de R$ 4 milhões.

A Polícia Federal informou que os envolvidos irão responder pelos crimes de estelionato previdenciário, associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso. Dois veículos foram apreendidos e foi pedido pela Polícia Federal o bloqueio de bens e o sequestro de imóveis.

Com informações do G1

Operação da PF desarticula organização criminosa que fraudava o Enem

(Foto: Ilustração)

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (8) a Operação Adinamia, para desarticular uma organização criminosa especializada em fraudar concursos públicos e processos seletivos para ingresso no ensino superior, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016/2017, no Ceará e em outros estados da Federação.

“As formas da fraude consistiam na violação antecipada de lacres para acesso às provas do Enem e concursos e/ou utilização de candidato piloto e de ponto eletrônico, com a transmissão dos gabaritos. O curso de medicina é o principal alvo das fraudes e também o mais caro, sendo pago em torno de R$ 90 mil por vaga, sendo metade do valor pago antes do certame e metade depois de garantida a vaga”, diz a PF em nota.

LEIA MAIS

274 casais participaram de casamento coletivo na Cidade Junina de Teresina

(Foto: Samantha Araújo/G1)

A Cidade Junina de Teresina, foi o local escolhido para o casamento comunitário de 274 casais, na última sexta-feira (16). Os trâmites cartoriais foram totalmente gratuitos.

O 25º Batalhão de Caçadores participou do evento executando a marcha nupcial, durante a entrada dos casais. Diana Mara e Antônio Luciano já vivem juntos há três anos e aproveitaram para oficializar a união.

“Já temos uma filha e aproveitamos a data para casarmos. Nós vimos que ia ter o casamento é era de baixo custo, então resolvemos oficializar a nossa união. Mesmo sendo muita gente, decidimos vir arrumados. Ela, além do vestido branco, teve até buquê”, disse o noivo.

O casamento comunitário foi uma ação da Fundação Valter Alencar e Tribunal de Justiça do Piauí, por meio da Justiça Itinerante. Na cerimônia, os participantes puderam oficializar a união estável, em caráter civil.

Com informações do G1

Discussão sobre aumento de passagem esquenta em Petrolina-PE e pega fogo em Teresina-PI

Manifestantes tocam fogo em ônibus contra aumento da passagem em Teresina-PI

Um paralelo entre as duas cidades comprova a disparidade no valor cobrado pela passagem nos ônibus coletivos em Petrolina. Enquanto na capital piauiense o valor foi majorado de R$ 2,75 para R$ 3,30, em Petrolina a proposta de acordo com a planinha apresentada é que o valor saia de R$ 3,20 para R$ 3,85, devido a obrigatoriedade da contratação de cobradores, conforme lei aprovada recentemente pelos vereadores desta cidade.

Mesmo assim, este valor não agrada aos proprietários das empresas, eles querem um aumento ainda maior. Usando como justificativa o fim, em dezembro de 2016, da isenção do ISS dada pelo município, as empresas sugerem que o preço da passagem fique entre  R$ 4,00 e R$ 4,10.

Em Teresina os estudantes reagiram ontem (9), ao aumento autorizado pelo pelo prefeito Firmino Filho (PSDB). Durante manifestação contra a majoração, eles tocaram fogo em um ônibus como forma de protesto.

Em 2013 o aumento no preço da passagem de ônibus provocou manifestações pelo país inteiro, foram muitos protestos, inclusive aqui em Petrolina.

É bom que as autoridades atentem para o que pode vir pela frente com essa decisão, já que em 2013 os estudantes também se manifestaram em Petrolina chegando a ocupar o prédio da Prefeitura por vários dias, sendo retirados à força pela guarda municipal. Diz o ditado que “cautela e canja de galinha não faz mal a ninguém”.

 

Tremor assusta e gera pânico, em Teresina

(Foto: João Cunha/G1)

Na manhã de hoje (03), um tremor que durou alguns segundos, assustou os teresinenses em várias áreas da cidade e fez com que vários prédios fossem evacuados.

O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo, registrou um tremor de terra com epicentro entre as cidades de Belágua e Várzea Grande, no Maranhão com magnitude 4,6 graus na escala Ritcher às 9h43 (horário local) desta terça-feira (3). O abalo sísmico foi sentido por pessoas em vários bairros da capital.

O geólogo Paulo Lages, da secretaria de mineração, explicou que o tremor sentido em Teresina pode ter sido ocasionado por acomodação de placas tectônicas ou deslocamento de placas regionais. Mas informou que a capital não possui monitoramento adequado para esse tipo de situação. Ele disse que os tremores na capital chegam no máximo a 4,5 graus da escala Richter, mas que geralmente não ultrapassam 2,5 graus. Ele acrescentou que novos tremores podem acontecer em breve.

“Se esse deslocamento não foi suficiente para aliviar a tensão, pode acontecer novamente. Mas, teoricamente, em Teresina não tem como haver grandes proporções, apenas se for algo novo, que surgiu agora”, disse.

Nas zonas Sul e no Centro de Teresina, há diversos relatos de sensação do tremor. Muitos trabalhadores deixaram os prédios públicos do Centro da capital, temendo algum acidente.

Alguns relatos na redes sociais informam que moradores de outras cidades do Piauí e em outros estados também sentiram a terra tremer. O clima é de pânico em muitos locais.

Em nota, o governo do estado informou que o governador Wellington Dias acionou o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e fez contato com a Secretaria Nacional de Defesa Civil. A intenção é garantir a segurança da população e identificar o mais rápido possível as causas do abalo. Alguns prédios na cidade foram evacuados e não há registros de feridos ou vítimas.

Com informações do G1 Piauí

Família é feita refém em Teresina-PI

Menor faz reféns Teresina-PI

Duas crianças e a mãe foram feitos de reféns adolescente de 15 anos nesta quarta (06), na Zona Norte de Teresina. Ao perceber a presença do assaltante na residência, a mulher se escondeu juntamente com os filhos e ligou para a polícia e para uma vizinha.

O menor liberou os reféns após chegada da polícia ao local. Segundo a PM o acusado invadiu a residência após realizar alguns assaltos na redondeza. Ele não se encontrava armado no momento da prisão, pois, de acordo depoimento do mesmo, o cumplice havia fugido com o armamento. O acusado foi encaminhado para 9º Distrito Policial.