Novo tremor é registrado em Jacobina, na Bahia

A cidade de Jacobina, no norte da Bahia, voltou a registrar tremor de terra na madrugada desta quarta-feira (3). De acordo com o Laboratório Sismológico (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), desta vez o abalo teve magnitude de 2,7.

O caso ocorre uma semana após outros tremores serem registrados no local. O LabSis informou ainda que não há informações sobre moradores terem escutado ou sentido o tremor desta quarta.

LEIA MAIS

Barulho misterioso assusta moradores de Uauá, Canudos e outras cidades da Bahia

Um tremor forte assustou as populações das cidades baianas de Uauá e Canudos no início da tarde de ontem (08). Por volta das 14h00 alguns moradores ficaram impressionados com o barulho. “Fenômeno de outro mundo”, disse um dos moradores. Teve gente que pensou se tratar de um terremoto. Tina Almeida comentou “senti a parede aqui de casa estremecer”.

O mistério sobre o intrigante barulho ainda permanece na região, inclusive o comentário nas redes sociais é que o referido barulho foi ouvido em Curaça e até em Petrolina estado de Pernambuco.

Uma provável hipótese levantada por alguns moradores dessas cidades é que pode ser que tenha caído algum “meteorito” na região mais nada ainda confirmado, apenas especulações.

Com informações do site: UauáWeb

Caruaru registra tremor de 2.0, especialista afirma que caso é normal

(Foto: Ilustração)

Um tremor de 2.0 na Escala Richter foi registrado em Caruaru, região Agreste de Pernambuco na sexta-feira (6). Apesar do susto, não houve registro de danos aos moradores da cidade.

Segundo o geofísico procurado pelo Jornal do Commercio, Eduardo Menezes o abalo foi registrado no Centro e poucas pessoas conseguiram sentir o tremor às 19h34. Para o especialista em sismologia da UFRN, o abalo foi leve e é muito comum na região.

Isso porque Caruaru está situado em uma falha geológica a 4 km de profundidade do solo e historicamente o Nordeste não teve casos graves. O Tremor mais forte foi sentido nos anos 1980, no Rio Grande do Norte.

Leve tremor assusta moradores de Caruaru

(Foto: Ilustração)

No início da tarde de hoje (17) um tremor de terra foi registrado em Caruaru. O Laboratório de Sismologia (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) confirmou o tremor.

Segundo relatos, o abalo sísmico aconteceu por volta das 14h e foi sentido pelos moradores de diversos bairros do município. De acordo com o LabSis a magnitude na Escala Richter foi de 2.7.

De acordo com LabSis, o abalo é considerado de baixa intensidade, mas foi sentido pela população devido ao epicentro ter sido registrado no município.

Moradores sentem tremor de terra na cidade de Bezerros

Barulho foi ouvido às 4h13 e logo em seguida a terra tremeu em várias partes do município

Moradores da cidade de Bezerros, no Agreste pernambucano, acordaram assustados nesse domingo. Muita gente sentiu a terra tremer pouco depois das 4h. De acordo com o pároco da paróquia de São Sebastião, padre Bianchi Xavier, ele estava acordado quando sentiu o abalo sísmico. “Estava fazendo minhas orações. Já estava acordado desde 3h45. Quando deu 4h13 eu escutei o barulho forte e depois tudo tremeu. Meu guarda-roupas balançou e senti um abalo muito forte na casa paroquial”, contou o religioso.

Essa não é a primeira vez que Bezerros registra tremor de terra. A última vez que foi possível sentir o efeito de um abalo foi em fevereiro do ano passado, quando no dia 23 um tremor de magnitude 3.8 foi registrado entre as cidades de Caruaru e São Caetano. O abalo de 2016 foi registrado pelo Laboratório Sismológico (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O Diario tentou contato com o laboratório para saber a intensidade do tremor deste domingo, mas as ligações não foram atendidas.

Ainda de acordo com o padre Bianchi Xavier, moradores das partes baixa e alta da cidade sentiram a terra tremer. “Nas duas missas que celebrei hoje cedo perguntei quem havia sentido o abalo e quase todos os presentes nas duas celebrações levantaram as mãos”, relatou o padre.

Com informações do Diário de Pernambuco.

Brasil registra abalo sísmico de magnitude 3,5 no Paraná

(Foto: G1)

Os tremores de terra sentidos em municípios da região de Curitiba durante a madrugada de hoje (18) foram provocados por evento sísmico ocorrido à 0h16 na região de Itaperuçu, a 32 km da capital paranaense, com uma magnitude de 3,5 graus na escala Richter.

Mais cedo, o Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) anunciou se tratar de tremores que tinham origem em dois eventos sísmicos de magnitudes 4,5 e 5,1 graus. Esta informação, no entanto, foi retificada pela própria instituição ao longo da manhã.

“A USP utiliza uma reportagem de eventos por detecção automática, que depois são revistos ao longo do dia. Às vezes, alguns eventos são detectados falsamente. Então, eu acredito, e os equipamentos nos dizem, que foi apenas um evento”, explicou o sismólogo Juraci de Carvalho, da Universidade de Brasília (UnB), em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Com informações do EBC

Presidente mexicano alerta que pode haver outro forte tremor em menos de 24h

(Foto: Internet)

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, advertiu à população, nesta sexta-feira, ser provável que nas próximas 24 horas aconteça uma forte réplica do terremoto de magnitude de 8,4 na escala de Richter, ainda que de “um grau menor”. Informação da EFE.

Em declarações à emissora “Televisa”, Peña Nieto disse que “será necessário ser mais do que atento”, já que a réplica pode superar a magnitude de 7, após lembrar que em 1985 ocorreu uma réplica muito potente de 7,5 graus, no dia seguinte ao primeiro terremoto de magnitude 8,1, no dia 19 de setembro.

Ele disse que até agora o alerta de tsunami no estado de Chiapas, onde foi registrado o epicentro do terremoto ontem à noite, “não representa um risco maior”, e considerou que 50 milhões de pessoas devem ter sentido em várias partes do país.

LEIA MAIS

Tremor assusta e gera pânico, em Teresina

(Foto: João Cunha/G1)

Na manhã de hoje (03), um tremor que durou alguns segundos, assustou os teresinenses em várias áreas da cidade e fez com que vários prédios fossem evacuados.

O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo, registrou um tremor de terra com epicentro entre as cidades de Belágua e Várzea Grande, no Maranhão com magnitude 4,6 graus na escala Ritcher às 9h43 (horário local) desta terça-feira (3). O abalo sísmico foi sentido por pessoas em vários bairros da capital.

O geólogo Paulo Lages, da secretaria de mineração, explicou que o tremor sentido em Teresina pode ter sido ocasionado por acomodação de placas tectônicas ou deslocamento de placas regionais. Mas informou que a capital não possui monitoramento adequado para esse tipo de situação. Ele disse que os tremores na capital chegam no máximo a 4,5 graus da escala Richter, mas que geralmente não ultrapassam 2,5 graus. Ele acrescentou que novos tremores podem acontecer em breve.

“Se esse deslocamento não foi suficiente para aliviar a tensão, pode acontecer novamente. Mas, teoricamente, em Teresina não tem como haver grandes proporções, apenas se for algo novo, que surgiu agora”, disse.

Nas zonas Sul e no Centro de Teresina, há diversos relatos de sensação do tremor. Muitos trabalhadores deixaram os prédios públicos do Centro da capital, temendo algum acidente.

Alguns relatos na redes sociais informam que moradores de outras cidades do Piauí e em outros estados também sentiram a terra tremer. O clima é de pânico em muitos locais.

Em nota, o governo do estado informou que o governador Wellington Dias acionou o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e fez contato com a Secretaria Nacional de Defesa Civil. A intenção é garantir a segurança da população e identificar o mais rápido possível as causas do abalo. Alguns prédios na cidade foram evacuados e não há registros de feridos ou vítimas.

Com informações do G1 Piauí

Caruaru registra novo abalo sísmico na madrugada desta sexta-feira

caruaru

O tremor aconteceu por volta da 0h57, com epicentro no bairro do Salgado./ Foto: arquivo

A cidade de Caruaru, no Agreste do Estado, sofreu mais um abalo sísmico na madrugada desta sexta-feira (24). O tremor foi confirmado pelo Laboratório de Sismologia (LabSis), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e atingiu magnitude de 2.2 na Escala Ritcher.

Segundo o LabSis, o tremor aconteceu por volta da 0h57, com epicentro no bairro do Salgado, o mais populoso da cidade, localizado na Zona Leste da Cidade. O histórico da noite está sendo analisado para identificar outros possíveis abalos sísmicos.

Agreste registra 920 tremores em 15 dias

abalo sismico

Entre os dias 23 de fevereiro e 9 de março deste ano, os municípios de Caruaru e São Caetano, no Agreste de Pernambuco, registraram 920 abalos sísmicos. Dentre os tremores, houve um de 3,3 graus na escala Richter, no dia 3 de março, e mais 20 eventos acima dos dois graus – a partir do qual os sismos já podem ser sentidos pela população. De acordo com a Defesa Civil de São Caetano, não houve nenhum tipo de dano à população ou edificações no perímetro da cidade durante o período.

O geofísico do Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis UFRN) Eduardo Menezes explica que os abalos são consequência de novas falhas tectônicas nas proximidades da estrutura geológica Lineamento Pernambuco. “A terra está em constante movimento. Abaixo dela, rochas estão sendo pressionadas e se movendo. É um processo natural, com períodos de atividade, como agora”.
De acordo com o especialista, desde o dia 5 de março sete novos sismógrafos fazem a medição dos tremores nas cidades. “Os sismógrafos que tínhamos, pela distância da área em que os tremores ocorriam, eram capazes apenas de contabilizar a quantidade de eventos e suas magnitudes. Esses novos aparelhos permitem que a gente consiga dados como a profundidade e comprimento das falhas”, comemora Menezes. O Labsis ainda não sabe precisar o tamanho do comprimento da falha que está provocando os abalos, mas aponta que sua profundidade fica entre 3 km e 4,5 km.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de São Caetano, Ariberto Soares, a prefeitura está fazendo o acompanhamento da população, a partir de visitas nas casas em que há suspeita de danos. “Recebemos poucos chamados. Quando chegamos aos locais, constatamos que as rachaduras apontadas pelos moradores não eram provenientes dos abalos”, diz.

Ariberto comenta ainda que no dia 12 de março será promovida uma reunião entre diversas secretarias da cidade que lançarão um cronograma de palestras educacionais para os cidadãos. Também foi colocado à disposição o número da prefeitura, (81) 3736-1156, e o do coordenador, (81) 99784-5664 a serviço da população, caso haja emergência.

Com informações de Diário de Pernambuco

Caruaru registra mais dois tremores de terra

caruaru

Quem mora em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, voltou a sentir tremores de terra por volta das 17h39 deste sábado (5). De acordo com Eduardo Alexandre, técnico em sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o município registrou dois abalos sísmicos de 1,8 e 2,4 na escala Richter, respectivamente.

Ainda segundo o técnico, as duas estações sismográficas instaladas na região já registraram 862 tremores de terra desde o dia 23 de fevereiro deste ano. Ao longo dessa semana, pelo menos sete estações foram instaladas no município de São Caetano, também no Agreste do Estado.

Tremor de 3,8 abala Caruaru e São Caetano

Caruaru

Um tremor de 3.8 de magnitude foi registrado na tarde desta terça-feira (23) em São Caetano, no Agreste de Pernambuco. De acordo com Eduardo Alexandre Menezes, sismólogo do Laboratório Sismológico (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), “foram registrados mais de 30 tremores até às 16h na região Agreste”.

Ainda segundo o sismólogo, municípios vizinhos a São Caetano também sentiram o tremor. “O fenômeno atingiu um raio de 50 quilômetros”, disse. O internacionalista Renan Lima mora em Caruaru, também no Agreste, e é uma das pessoas que sentiu o abalo. “Foi o mais forte que já presenciei”, contou ao G1.