Mesários já podem emitir declaração de trabalho nas eleições 2020

Os mesários que trabalharam no último domingo (15) já podem solicitar a declaração de dias trabalhados à Justiça Eleitoral. O formulário está disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e é referente ao primeiro turno do pleito municipal.

A declaração comprova atuação no dia da votação e garante folga em dobro pelo dia trabalho. Mas atenção, apenas os mesários que registraram presença no início e encerramento dos trabalhos poderão emitir o documento. Quem não preencher tal requisito deverá acionar a Justiça Eleitoral do seu estado.

Para mais informações sobre como emitir o documento, basta acessar o site do TSE e seguir o passo a passo. Clique aqui no caso de dúvidas.

Pouco testado, sistema do TSE foi adquirido perto da eleição

(Foto: Lalo de Almeida/Folhapress)

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, tem alegado que a demora na entrega de equipamentos por parte da empresa Oracle, em razão da pandemia, impediu a realização de testes prévios no sistema de apuração das eleições municipais, levando ao atraso na divulgação dos resultados. Documentos do próprio tribunal mostram que, após sugestão da Polícia Federal para que fosse centralizado em Brasília o sistema de apuração, o TSE levou 18 meses para assinar o contrato com a fornecedora da tecnologia.

O relatório da PF recomendando ao TSE a medida é de outubro de 2018, mas apenas em novembro do ano seguinte realizados “estudos preliminares” da contratação para apontar qual sistema deveria ser adotado para aperfeiçoar a fase de totalização de votos. O contrato foi assinado em março de 2020. Segundo estudo da Secretaria de Tecnologia da Informação do TSE, entre quatro soluções analisadas, prevaleceu a que visava “reduzir os gastos com licenciamento da Oracle no TSE e os gastos com a atualização do parque computacional”.

LEIA MAIS

Análise de contas das Eleições 2018 acontecerá apenas em 2023

(Foto: Internet)

O pleito de outubro será o primeiro sem doação empresarial e com o financiamento público e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou que a análise das contas dos candidatos desse ano somente serão analisadas em 2023.

Segundo o TSE, as campanhas de 2018 devem movimentar R$ 2,6 bilhões de recursos públicos e deverão ser analisadas no prazo limite de prescrição, no ano de 2023. O Tribunal também revelou ainda estar julgando as eleições de 2012, com prescrição para abril desse ano.

Demora é consequência de pouco recurso humano

Segundo o TSE, existem hoje 226 cargos vagos de técnicos nos TREs e 23 no tribunal superior. Essas vagas não podem ser preenchidas devido a PEC do Teto dos Gastos. São funcionários que se aposentaram ou mudaram de carreira, mas não podem ser substituídos.

LEIA MAIS

TSE garante votação eletrônica nas eleições de 2016

Urna eleitoral 2014O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou hoje (10) que as eleições municipais do ano que vem serão feitas com urnas eletrônicas. Segundo o tribunal, após o Congresso aprovar o projeto de lei que mudou a meta fiscal de 2015, o Ministério do Planejamento fez uma nova estimativa de receitas que garantem a votação por meio eletrônico. Com a nova meta, a Justiça Eleitoral terá R$ 267 milhões garantidos. A equipe econômica manteve corte de R$ 161 milhões.

No dia 3 de novembro, o tribunal informou que não teria recursos para custear a eleição com urnas eletrônicas, devido ao contingenciamento de R$ 428 milhões do orçamento da Justiça Eleitoral para aguardar a decisão que mudaria a meta fiscal. Dessa forma, os eleitores brasileiros voltariam a escolher seus representantes pelo voto de papel. (Fonte Agência Brasil)